História My sweet girl - Capítulo 10


Escrita por: ~ e ~Gabs_somers

Postado
Categorias Justin Bieber, Selena Gomez
Tags Drama, Romance
Visualizações 37
Palavras 1.426
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


O fim é apenas o começo

Capítulo 10 - The end


Justin narrando:

Faltava apena 1 hora para acabar meu expediente de trabalho, eu estava louca para ir para casa e ver minha garota. Eu finalizava os últimos documentos, quando ouvi umas batidas na porta. Então apenas disse: "pode entrar, está aberta", achando que era minha secretária. Mas fiquei surpreso ao ver que quem estava ali, eram na verdade, policiais. 

(Policial) - Justin Drew Bieber?

(Justin) - Sim, sou eu.

(Policial) - Você está preso, por sequestro e agressão. 

(Justin) - O que? Como assim?

Eles me algemaram, sem responder as minhas perguntas. Tentei lutar pra me soltar, mas os policiais eram mais fortes. Por fim, eles me jogaram no porta-malas do carro. Duas únicas perguntas rodavam minha mente: Selena me denunciou? Porque ela fez isso?

Selena narrando:

Em casa, jogada no sofá, entediada. Eu já tinha conversado o dia todo com Kristen e assistido a uns 3 filmes Me perguntando: porque Justin estava demorando tanto? Ele já devia ter chegado em casa. Então ouço a campainha tocar, me levanto do sofá e vou correndo até a porta com um sorriso no rosto.

(Selena) - Oi Jus...

Não era o Justin, era um policial. Eu olhei confusa para ele. Aconteceu alguma coisa e concerteza tinha a ver com Justin. 

(Selena) - Algum problema?

(Policial) - Infelizmente sim... Selena Marie Gomez, certo?

Ao ouvi-lo pronunciar meu nome todo, eu gelei. Se me perguntassem sobre Justin, eu não sei se conseguiria mentir. Ou sobre meu pai... ou sobre o Ian. Seja qual for o motivo pelo qual esse policial está atrás de mim, é por algo em que eu sou a vítima. Então respiro fundo, olho para o chão e depois para o policial.

(Selena) - Sim... o que houve?

(Policial) - Terá que me acompanhar até a delegacia, houve uma denúncia do senhor Prefeito, contra Justin Bieber e precisamos do seu depoimento para investigar o caso.

Meus olhos se arregalam, depois eu sinto uma lágrima escorrer por eles. O idiota do meu pai tinha entregado o homem que amo a polícia. Era a pior das hipóteses! Volto ao sofá, pego meu celular, coloco no bolso da calça e saio pela porta da casa. Entro no carro da polícia e vou com eles até a delegacia. 

Assim que chegamos, eu saio do carro, batendo a porta e correndo para dentro. Olhei para todos os lados. Vi dois policiais arrastarem Justin pelo corredor. Ele estava algemado e provavelmente iriam tranca-lo em uma cela. Tudo isso, pelo que ele fez a mim?... Alguns mintos depois, o delegado me chamou e me fez várias perguntas sobre Justin, eu menti, sobre tudo. Não queria entregar Justin, não queria que ele fosse preso por minha causa, pelo meu depoimento.


Algumas horas depois...

Eu ainda estava naquela delegacia, insisti ao delagado, que não iria embora, sem que me deixassem ver e falar com o Justin primeiro. Depois de esperar por longas horas; beber um monte de café para me manter acordada; e andar impaciente, de um lado para o outro, sem parar... eles finalmente me chamaram em uma salinha, onde eu pude vê-lo. 

Justin estava sentado na cadeira, em frente a uma grande mesa branca, de cabeça baixa. Provavelmente ouviu meus passos e poi isso levantou seu olhar. Assim que parei em sua frente, pude ver que seus olhos estavam vermelhos e que ele tinha chorado. Mais uma lágrima escorreu quando Justin me viu. Então eu me sento na cadeira em frente a ele e seguro em sua mão, por cima das algemas.

(Selena) - Justin... como eu tiro você daqui? Arrumando um advogado? Eu faço qualquer coisa... qualquer coisa mesmo... 

(Justin) - Não. Você não pode me tirar daqui. Eu não sei quem fez a denúncia, mas a polícia conseguirá provas que vão me incriminar: ligações de celular, meu extrato na conta bancária... imagens da câmera de segurança da minha casa... Já erá Selena, eu terei que pagar pelo que fiz a você. Então, é melhor falar a verdade em seu depoimento, pode esconder alguns detalhes mas...

Ao ouvi-lo, balanço a cabeça negativamente e sinto a água se acumular em meus olhos. Não podia ser o fim, Justin não mereçia ficar nesse lugar. Então solto sua mão e sinto as lágrimas começarem a escorrer livremente pelo meu rosto, como um rio. 

(Selena) - Foi meu pai, meu pai te denuciou! E eu não posso! Está me pedindo pra apoiar sua prisão e eu não posso fazer isso. Como vou viver sem você?

(Justin) - Vai achar um jeito de ser feliz, você terá aquela casa enorme, todo meu dinheiro... e tem a Kristen para cuidar de você... vai me esqueçer Selena, sei que vai.

(Selena) - Está errado! Não vou te esqueçer. Se quer assim, quer se livrar da culpa a tudo que fez para mim? Tudo bem. Mas saiba Justin, que estarei esperando do lado de fora quando sair. Porque eu te amo.

Um sorriso fraco surge no rosto de Justin, como se um pingo da esperança dele tivesse voltado. O silêncio se estabelece entre nós por uns minutos, depois ele olha no fundo dos meus olhos e volta a falar, nunca vi tanta sofrimento e tristeza em sua voz, quanto agora.

(Justin) - Se for me esperar, me prometa que vai aproveitar cada segundo da sua vida e que vai tentar não pensar muito em mim... Eu assinei um documento, deixando você no controle da empresa se algo acontecesse comigo. Se não quiser o cargo, passe ele adiante, mas se quiser... aproveite. Eu te amo minha anjinha.... sempre vou te amar. 

Sem que eu pudesse falar nada, o delagado nos interromepeu, dizendo que nosso tempo tinha acabado. Então eu pergunto se posso conversar com ele novamente. Ele diz que sim, então eu me levanto, dou um beijo no rosto de Justin e sigo para a sala na qual eu dei meu primeiro depoimento. Dessa vez, contei a verdade, não toda ela, mas a maior parte. Disse que Justin me sequestrou por dinheiro, mas que nunca me machucou e que nunca machucaria. Também contei sobre meu pai, admitindo ter sida vendida por ele e denunciei Austin (o governador) por estrupo e agressão.

Quando sai daquela delacia naquele dia, eu estava completamente perdida, não sabia o que fazer da minha vida. Eu tive que pensar muito e chorar muito também, antes que pudesse processar tudo o que houve hoje. 


10 ANOS DEPOIS:

Muita coisa aconteceu nesses 10 anos. Justin foi condenado a uns anos de prisão, Austin e meu pai foram condenados a passar a vida toda na cadeia, e eu, estava no comando da mais famosa e rica empresa de NY. Em umas das minhas viajens à trabalho, eu encontrei uma mulher que me chamou atenção, ela tinha algo familiar, acabei descobrindo que era minha mãe. Uma família, era o que eu tinha novamente, pois minha mãe, trouxe com ela dois lindos irmãzinhos pra mim, eram uma garotinha e um garotinho. As coisas pareciam estar exatamente onde deveriam estar, só faltava uma coisa: Justin. Desde que o vi pela última vez (na cadeia), um grande buraco se abriu em meu peito e nem mesmo o tempo foi capaz de cicatrizá-lo. 

Era hoje, 15 de setembro... hoje era o dia final de sua pena, Justin sairia da cadeia, estaria livre e eu, estaria do lado de fora, esperando por ele. Nunca tinha ficado tão ansiosa em minha vida toda! 

Depois de passar todas as ordens a meus funcionários, eu fui para a delegacia. Assim que os portões se abriram, eu o vi, meu Justin. Então ele sorriu, veio até mim e me abraçou forte, me girando em seu colo. Aquele abraço... sonhei tanto com esse momento. 

(Justin) - Eu sabia que estaria aqui... Cada dia que passei lá dentro, eu pensei em você. Anjo, você me deu forças para continuar lutando... Nem acredito que estou com você.

Ele me solta devagar no chão e passa sua mão por meu rosto, ainda sorrindo. Eu também sorrio e vou aproximando nossos lábios, até que chego perto o bastante, para dar início ao nosso longo e romântico beijo. 

Nossa vida foi perfeita, minha família acolheu Justin de um jeito incrível e todos nós passamos a viver juntos na grande mansão. Até que nos casamos... ai, minha mão resolveu voltar a Paris, que foi onde eu a conheçi. E é claro, que Justin e eu fomos para lá também. Kristen foi morar com seu namorado na casa ao lado, nos dando uma ajudinha na cozinha e na bagunça sempre que precisávamos. Compramos uma casa deslumbrante, perto da torre Eiffel, onde tinhamos uma vista linda de boa parte da cidade. 

E o mais importante: nosso amor foi eterno e vivemos felizes para sempre. 















Notas Finais


Agradeço a todos que chegaram até aqui e espero de coração, que tenham curtido a história.
Vou sentir saudades de escrever para vocês, meus leitores.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...