1. Spirit Fanfics >
  2. My Wolf (Imagine Yoongi) >
  3. Prólogo

História My Wolf (Imagine Yoongi) - Capítulo 1



Notas do Autor


Oiii gente!!!! MDS quanto tempo que não posto uma long...
Na vdd nem tenho desculpa, só estava ocupada mesmo, foi horrivel para mim ter uma mudança escolar tão drástica. Não sei se vocês conhecem mais agr to estudando num Instituo Federal (na vdd a 3 anos que estou lá) e eu nunca sofrir tanto kkkk
Então gente, essa historia veio de inspiração dps que assistir Once Upon a Time, onde conheci a Ruby. Essa historia é bem diferente das que eu escrevo principalmente por ter BTS, mas espero que vocês gostem. Não quero ofender ninguém, principalmente se eu colocar um personagem contra o outro kkkk
Brincadeiras a parte, espero que gostem <3

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction My Wolf (Imagine Yoongi) - Capítulo 1 - Prólogo

Suspiro olhando pela janela mais uma vez, vendo a multidão que aclamavam o nome do meu pai com tanta euforia, sem nem mesmo saber o traste que ele era...

—Até quando vai olhar para a janela, senhor Kim? —perguntou minha empregada saindo do meu closet, em sua mão uma gravada azul escuro esperava para ser colocada em meu pescoço.

—Quantas vezes eu vou ter que repetir para não me chamar de “senhor”? —perguntei tirando minha atenção da janela e olhando diretamente para minha empregada favorita, balancei a cabeça negativamente e ela sorriu para mim.

Lara, está com a gente há 36 anos e sempre cuidou de mim e do meu irmão mais novo, Kim Taehyung, a mesma já está na casa dos 50 anos e ainda não desistiu de nos ensinar as virtudes. Apesar da idade, Lara continua muito bonita: seus cabelos de cores negras passaram a ser grisalhos com o tempo, e seus olhos nunca perderam o brilho que sempre tiveram ali nos momentos mais felizes de nossas vidas...

Ela veio em minha direção passando a gravata pelo meu pescoço e fazendo o nó rapidamente.

—Vou sentir tantas saudades do meu menino... —disse me puxando para um abraço apertado, não podia ver mais sabia que ela estava tentando segurar as lágrimas.

—Então não vai embora... —sugerir vendo-a se afastar sorrindo tristemente para mim— Tenho certeza de que se eu e Tae conversamos com nosso pai, ele vai te deixar ficar mais um tempo no castelo.

—Não tenha tanta certeza disso, querido. —Ouvimos batidas na porta, eram fortes e decididas, tremi ao desconfiar de quem estava batendo na porta, não foi preciso dizer nada, a pessoa entrou com fúria incontrolável nos olhos.

—O QUE ESTAVA PENSANDO GAROTO?! —gritou me agarrando pelos cabelos e me jogando no chão, Lara rapidamente foi me ajudar a levantar— Saia daqui! —mandou jogando a bandeja com o meu café da manhã na mesma, a empregada caiu no chão com o susto, sentir uma fúria me atingir assim que vi que a bandeja foi jogada.

—Você não tem o direito de fazer isso com as pessoas... —falei revoltado ajudando Lara a levantar, peguei a bandeja e levei a porta colocando a mesma para fora do quarto, eu sabia o que iria acontecer nesse momento e eu não queria que uma pessoa especial pra mim me visse nessa situação.

—NÃO FOI PRA ISSO QUE TE CRIE! —falou se aproximando de mim, continuei com a cabeça erguida— VOCÊ SABE O QUE EU SENTIR A SABER QUE O FUTURO REI FOI FLAGRADO EM UM BORDEL?! —falou me segurando no colarinho do terno me dando vários murros no rosto.

Sabia que aquilo ficaria roxo daqui alguns minutos e se ele não parasse logo eu teria que evitar muitos eventos para tentar esconder os machucados.

—A VERGONHA QUE EU PASSEI AO ME CONTAREM QUE VOCÊ FOI ACHADO BÊBADO NUMA TAVERNA... —disse me largando no chão, minha visão estava prejudicada, minha testa estava sangrando, sentia todo meu rosto ardendo e logo sentir um gosto metálico entrando na minha boca. Limpei minha boca e olhei para ele— Sua tia tinha toda razão: deveria ter te matado na primeira oportunidade... Sua mãe morre de vergonha de você, você é ovelha negra da família, sinto vergonha de ter um filho como você... Você nem deveria se considerar humano...Não sei como pensa em governar esse reino.

Ele levantou o pé direito e colocou sobre minha cabeça, empurrando a mesma para baixo e só parou quando minha cabeça estava totalmente no chão, ele empurrou ainda um pouco para baixo fazendo o chão ser pintado rapidamente pelo meu sangue.

—Para pai —pedi quase sem voz, ele tirou a pé do meu rosto e o direcionou para minha barriga, limpou o sapato sujou no meu terno e sorriu para mim- Me desculpa...

—Suas desculpas não têm valor para mim —disse antes de chutar minha barriga com força, tossi sangue pela dor que estava sentido— Compareça no pátio as 15hs, não se atrase e tente esconder os machucados...

Ele virou as costas e saiu pela porta, que foi logo fechado por um guarda. Tentei me levantar, mas só conseguir tossir sangue mais ainda. Deitei-me no chão de barriga para cima, cansado de lutar por uma coisa sem futuro algum. Sentir meus olhos pesarem e a dor me consumir por inteiro, fechei meus olhos lentamente me entregando ao abismo profundo da escuridão...

***

Ajeitei meu terno mais uma vez, olhando para o espelho do meu closet. Algumas horas atrás tinha acordado com meu irmão ao meu lado, ele tinha me contado que entrou no meu quarto e me viu caído no chão, chamou o médico e algumas empregadas para cuidar de mim.

Kim Taehyung, era apenas 4 anos mais novo que eu, era o favorito de toda a família, sem contar que sempre teve a atenção do papai para as coisas mais idiotas. Enquanto eu era treinado para governar um reino sozinho, ensinavam ele cavalgar, nadar e até mesmo esgrima...

Através do espelho vi Tae se aproximando de mim, em suas mãos carregava uma caixa, provavelmente ele tinha “pegado” das coisas da mamãe, ele colocou a caixa numa mesa e a abriu revelando um kit de maquiagem. Tae sempre cuidava de esconder as marcas que ficavam em meu rosto, toda vez que eu apanhava, ele sempre vinha de ajudar e muitas das vezes convencia o nosso pai de não me bater.

—Já encontrou a Lara? —perguntei me afastando do espelho e me sentado numa cadeira perto da mesa para ele começar a me maquiar, por assim dizer, depois que acordei soube que Lara tinha desaparecido. Comecei a desconfiar que o rei tinha feito algo.

—Não, nenhuma das empregadas a viu —disse pegando em meu queixo e ajeitando no ângulo certo— Não acha que papai pode ter feito alguma coisa com ela, né?

—Não sei, ele não poderia descer tão baixo a esse ponto... —falei tentando não me mexer, ele pegou um dos potes que continha na caixa e abriu, senti o cheiro e logo reconheci rapidamente: base. Posso dizer que estava acostumado a sentir esses cheiros.

—Até quando vai desobedecer a nosso pai? Você será rei daqui a 3 anos, precisa ser responsável e encarar a realidade... —falou passando aquela “coisa” em mim— Não pode continuar apanhando desse jeito... Dá para parar de se mexer!

—Você daria um ótimo rei, por que o nosso pai não te passa o trono logo de vez? —perguntei abaixando a cabeça, mas assim que recebi um tapa levantei-a rapidamente.

—Porque eu não sou o primogênito —respondeu fechando o pote e o guardando na caixa, ele revirou a caixa e pegou uma pequena caixinha que continha uma espécie de pó— Você foi treinado para ser rei, mesmo que papai te declare um bastardo, eu não poderia ser rei...Já passei da idade e você sabe muito bem que adoro a vida no campo. —falou sorrindo, por um momento desejei tudo o que meu irmão tem nessa vida “livre”.

—Tenho inveja de você —falei sem pensar, ele parou de passar o pó no meu rosto e olhou para mim curioso— Você é o favorito na família, vive passeando no povoado junto com seus amigos... O povo te adora, aposto que se desse para escolher o futuro rei na linha de sucessão você seria o próximo.

—Não fale assim, Yoongi —falou guardando o pó na caixa, o moreno pegou minhas mãos me puxando para cima, ele me colocou na frente do espelho e me surpreendi.

Nem parecia que eu tinha apanhado do nosso “querido” rei, Tae escondeu cada machucado que eu tinha no rosto, mas se olhasse de perto ou detalhadamente poderia perceber que tinha alguns lugares avermelhados em meu rosto. Sorri para meu irmão, como um agradecimento pelo o que ele tinha feito, me virei e o puxei para um abraço apertado sendo correspondido pelo o mesmo.

Ouvimos batidas na porta, Tae se separou de mim, fechou a caixa de maquiagem e saiu do meu quarto, sem olhar para atrás. Uma empregada entrou no quarto, assim que sai do closet, ela se curvou para mim e começou a falar:

—Alteza, o rei deseja sua presença no pátio principal —enquanto falava ela não tirava os olhos do chão, vendo que eu não iria responder, ela olhou para mim e continuou—Peço que se apresse, o entretenimento já vai começar...

Acenei com cabeça e ela rapidamente saiu do meu quarto fechando a porta. Respirei fundo e seguir para o meu destino, abrir a porta e seguir o longo corredor indo em direção a uma escada. Assim que me aproximei das grandes portas do pátio principal, os guardas abriram a porta e se curvaram enquanto eu passava.

Me assustei vendo metade do nosso reino no pátio, eles gritaram animados assim que o rei anunciou minha presença, com um aceno de cabeça indicou aonde eu deveria me sentar até acabar o entretenimento. Foi em direção ao pequeno palanque, onde tinham exatamente três tronos: do rei, da rainha e o meu. Presumir que meu irmão não iria participar, já que o entretenimento era um espetáculo onde pessoas eram enforcadas, decepadas, afogadas ou até mesmo esquartejadas.

Segundo meu pai, esse tipo de entretenimento, serve para entreter o reino e fazê-los esquecer de problemas que o rei deveria resolver. Subi os três degraus e sentei ao lado direito de meu pai, vendo-o sorrir para mim tive que sorrir de voltar, sem nenhuma vontade, o rei se levantou com uma taça de vinho em sua mão e se pôs a falar com seus súditos.

—Povo de Seul, temos hoje um entretenimento diferente... Eu, pessoalmente cuidei do caso —ele olhou para um dos soldados, e como se tivesse planejado isso, o soldado saiu de seu posto e entrou no castelo— Tragam a prisioneira!

Olhei em direção aonde o soldado tinha entrado, entendo o que aquele olhar do meu pai significava, o soldado logo apareceu e em suas mãos puxava uma corrente. Com apenas uma puxada na corrente a prisioneira saiu das sombras e caiu direto no chão, tinha cabelos brancos que reconheci rapidamente... Me virei para meu pai mais o mesmo já estava dando ordem para colocar a prisioneira de joelhos. Eu sabia o que iria acontecer, ela seria decapitada.

—Essa prisioneira foi acusada de passar a noite com um homem casado e de roubar comida... Em pensar que uma pessoa desse tipo cuidava de seu futuro rei —falou olhando para o povo que concordou rapidamente com ele, eles gritava e pediam a decapitação, ele me olhou sorrindo como se caçoasse de mim— O seu povo já sabe a pena para esse tipo de afronta. Príncipe Yoongi, me diga qual a punição para esse tipo de pessoa?

—Decapitação —falei baixo, sendo surpreendido pela minha mãe que me criticou pela minha covardia, o rei riu sendo acompanhado pelo povo e me pediu para que repetisse— Decapitação! —falei alto o suficiente para todos no pátio ouvirem.

Olhei para meu pai que apenas ergueu a taça para o carrasco no outro palanque, eu entendi o que tinha acabado de fazer: tinha sentenciado a morte a única pessoa que me entendia e me amava, e eu a tinha como uma mãe...
Olhei para ela um última vez: seu rosto estava imundo, seus cabelos, que antes estava cuidadosamente prendidos em uma trança, estavam bagunçados e sujos de sangue, e em seus olhos claros percebi que ela me perdoava...

O carrasco lentamente abaixou sua cabeça até está deitada numa espécie de arco invertido, e sorriu para o rei debaixo de sua máscara preta, ele se virou e pegou seu machado e voltou-se para a prisioneira. Ele levantou lentamente seu machado e se preparou, em menos de um segundo ele abaixou com toda a sua força separando a cabeça do copo. Sua cabeça rolou em meio à multidão, e por alguns momentos percebi que seus olhos estavam fechados e em seus lábios estavam um sorriso.

Tentei segurar minhas lagrimas e minha fúria, quando vi que todos estavam chutando a cabeça da minha empregada de lá para cá, como se fosse uma bola. Estavam todos alegres, e sujos de sangue, pela morte de uma pessoa especial para mim.

Me levantei apressado de meu trono e caminhei rapidamente para dentro do castelo, subi as escadas já com lagrimas nos olhos e quando pensei que não iria segurar mais, percebi que tinha chegado a porta de meu quarto. Entrei e fechei a porta, escorei na porta começando a chorar e logo perdi as forças, escorreguei pela porta, coloquei meu rosto entrei meus joelhos e gritei me lembrando de todos os meus momentos com Lara. Ouvi meu nome ser chamado por uma voz conhecida, levantei meu rosto e me deparei com meu irmão chorando em minha cama, seus olhos estavam inchados e seu nariz vermelho.

Me levantei rapidamente e sentei na cama, puxando meu irmão para um abraço apertado. E foi naquele momento que percebi que a única pessoa que se importava comigo era meu irmão e eu iria fazer de tudo para o proteger de todo mal do mundo, nesse caso: nosso pai...


Notas Finais


Oii dnv kkkk
Qualquer erro ou critica, podem falar cmg ok? (não mordo kkkk)
AVISO: Vou postar os capítulos de 2 em 2 semanas (sem falta)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...