1. Spirit Fanfics >
  2. Corrupted - Bryant e Walker >
  3. Capítulo 1 - Gabriel Bryant

História Corrupted - Bryant e Walker - Capítulo 1



Notas do Autor


Eae pessoal, aqui é o Gabriel. Bem, eu conversei com o Arthur e decidimos que iríamos começar a escrever essa fanfic nova, com uma temática mais obscura e realista, sem poderes e tal, para nos divertirmos, divertirmos vocês, e evoluirmos como escritores. Eu tenho grandes expectativas dessa fanfic, e NÃO vamos parar de escrever N.G., atualmente está em uma pausinha por causa de um bloqueio criativo do Arthur e meu, então por favor esperem mais um pouco. Espero que gostem, e até mais!

Capítulo 1 - Capítulo 1 - Gabriel Bryant


Mais um dia no colégio, e depois, uma reunião com o Walker. É, minha vida basicamente se resume nisso, desde que umas coisinhas aconteceram. Eu vou contar pra vocês. Então, vamos lá:

Em um dia comum, como todos os outros, acordei as 6:00, me sentindo um pouco mal. Bem, isso era um tanto quanto comum, já que eu era um garoto com miopia, astigmatismo, e pra completar, era intolerante à lactose. Oh vida boa, hein. Escovei os dentes e tomei um banho rápido, me arrumei e desci para o café da manhã. Meu pai e minha mãe já estavam presentes na mesa, minha mãe preparando um lanche pra mim, e meu pai tomando café para ir ao trabalho.

-Bom dia, pai e mãe. Hoje parece estar meio frio né? Acho melhor eu pegar o meu casaco. - Subi rapidamente as escadas e fui para meu quarto pegar meu casaco. Ao descer, acabei ouvindo uma conversa dos meus pais.

-Camila, não podemos continuar com isso! Você sabe, isso não está dando certo e ele já é grandinho, vai suportar a verd- - E foi interrompido pela mamãe.

-Pare com essa conversa, Flynn. Nós podemos discutir isso depois, mas não vamos acabar com nossos dias falando disso. - Diz Camila, colocando dois sanduíches em uma vasilha retangular e colocando encima da mesa. 

-Voltei. - Eu disse, em um tom frio. Peguei meu lanche, coloquei na bolsa, peguei uma maçã na geladeira e me despedi. Sai de casa pensativo e um pouco aflito. Do que estavam falando? Falando escondidos de mim.. Ou será que foi apenas um acaso? Ele já está grandinho... A quem eles se referem? Não consigo entender.. Ah, que seja, vou apenas seguir meu caminho normalmente. 

Chegando ao Colégio, entrei, peguei minhas coisas no armário, e indo a direção da sala, vi algo que certamente não deveria. Eram 3 caras do time de futebol do Colégio, ameaçando um cara com um canivete. Eu pensei que poderia interromper aquilo, mas pela minha cabeça passou a possibilidade de eu ser atacado e acabar me ferindo. Eu não queria isso. Eu nunca quis isso. Sempre me afastei de brigas, pois eu nunca quis causar problemas pros meus pais. Mas, eu não podia deixar isso acontecer em minha frente e não fazer nada.. Foi então que eu vi alguém chegando. Era o Walker, um cara da mesma classe que eu. Ele era um cara estranho, misterioso, não falava com ninguém, mas era um ótimo escritor. Ele apenas passou esbarrando nos caras, sem se importar com nada, e acabou puxando a atenção deles pra si, enquanto o garoto fugia.

Parecia que a situação apenas tinha mudado de alvo, mas na verdade, era completamente diferente. Porque diferente daquele garoto, o Walker não era um pobre menino em perigo. Ele, na verdade, era preparado pra situações como essa. Mas eram 3, não tinha como ele se livrar de todos eles sozinho, então eu corri pra sala do diretor e o chamei. o Diretor chegou enfurecido, e mandou os 3 pra detenção. Os 3 passaram por mim, me olhando com um olhar afiado. Certamente, iriam procurar vingança. Mas, eu, diferente de todos os anos, correspondi com um olhar também. Ficaram surpresos e deram uma risadinha. Não tenho certeza, mas acho que ouvi um sussuro de um deles: - Vamos ver se você é tão bravo com aparenta ser, Bryant..

Depois disso, as aulas aconteceram normalmente, e Walker foi minha dupla no trabalho de ciências e de matemática. Ele era realmente bom naquilo. Suas notas eram altas, ele tinha um bom entendimento do conteúdo, e ainda conseguia se proteger. Aos meus olhos, ele era um cara incrível, e realmente é. Mas, ele era tão misterioso, não dava pra ter certeza se é possível confiar nesse cara. Após as aulas acabarem, sai do Colégio, e vi os 3 caras do time me esperando ali na frente. Normalmente, eu correria, mas naquele dia eu estava diferente. Eu não sei oque era, mas senti que eu não deveria mais correr. Então, segui em frente, e o Walker acabou vindo atrás de mim. 

-Então, você não vai fugir? Haha, acha que pode vencer de nós 3 sozinho, Bryant?!

-Não sei se é possível vencer, mas tenha certeza que vocês três vão sair sangrando daqui.

Então, o do meio, o Ronald, começou me dando um soco na cara, oque fez meu óculos cair no chão. Eu fiquei enfurecido. Avancei nele com um soco no rosto também, e logo em seguida um chute no joelho. O cara do lado dele sacou um canivete, e apontou ele no meu pescoço. Por sorte, o Walker chegou correndo e deu um chute na mão dele, e pegou rapidamente o canivete no chão.

-Eai? Vocês ainda querem continuar com isso? Somos 2 contra 3, mas temos um canivete. E vocês? São só valentões que se acham os Guerreiros Z. Vou te dar 5 segundos pra sair correndo daqu- - E o Walker foi interrompido com um soco na cara, dado pelo Ronald. Os outros 2 saíram correndo, mas o Ronald insistiu na briga. Eu, enfurecido com oque ele fez, lhe dei um soco na barriga, e um chute na perna, encima do bolso dele mais especificamente, onde estava o celular dele. Ele ficou super bravo, deu um grito e acabou indo embora.

-Valeu por isso, Walker. Se você não tivesse vindo me ajudar, provavelmente agora eu estaria surrado no chão. 

-Não é nada, apenas retribui a sua ajuda mais cedo. Então, oque acha de irmos à Pizzaria do Cole? 

-Parece uma boa ideia, mas você paga, haha. - E fomos andando e conversando até lá. Parece que havíamos virado amigos, e isso era bom. Por um bom tempo eu tenho sido solitário, sem amigos de verdade. Parece que o Walker é um cara legal, no final de tudo. 

O garçom chegou, e nos entregou o cardápio. 

-Eu vou querer o de sempre. - Disse Walker

-E eu... vou querer o sanduíche especial Freddie. 

-Ótimas escolhas, senhores. Logo voltarei com seus pedidos. - E o garçom levou os pedidos pra cozinha. Um velho homem o cumprimentou quando ele entrou, e lendo seus lábios, acho que ele disse: "Bom trabalho, Aftorn. Oque o garoto que pediu o de sempre quis dizer, é o milk-shake de morango com um sanduíche Popinm's.

Depois de alguns minutos de conversa, o garçom de nome Aftorn voltou com os pedidos, nos entregou e desejou um bom apetite. Eu e Walker comemos, e depois de tudo ele realmente pagou. Nos despedimos com um toque que inventamos enquanto conversávamos, e cada um foi pra sua casa. Pelo que vi, ele morava na parte Sul da cidade. Lá era a parte má da cidade, onde o crime era mais forte. Lá também tinha algumas gangues, mas a maior era... Deixa pra lá. Mais pra frente vão descobrir. Então, fui pra casa . Ao chegar, entrei rapidamente, e o pai e mãe não perceberam. Eles estavam conversando de novo, algo sobre "Ele é grande, já pode entender as coisas. Vamos encerrar isso de uma vez!" até que a minha irmãzinha, Lea, desceu as escadas correndo, me deu um abraço e me recepcionou gritando.

-BEM VINDO DE VOLTA, IRMÃO! VAMOS BRINCAR! - Dizia a Lea, super animada. Meus pais, meio preocupados, também me recepcionaram, e eu pedi pra Lea me esperar lá encima. Fui pra cozinha falar com meus pais. Apenas me sentei ao lado deles e falei: Me digam a verdade. Agora. No começo eles exitaram, mas finalmente minha mãe decidiu revelar. Ela disse que as coisas não estavam indo bem, papai e ela estavam tendo brigas e estavam se desentendendo com muita frequência. Oque ela queria dizer logo de começo, mas não conseguia, era: "o Amor entre nós acabou. Nós vamos nos divorciar." Mas o motivo de eles não se divorciarem logo foi oque me perturbou de verdade. Segundo eles, o motivo pra isso era pra não me "magoar", porque eu estava tendo um bom andamento escolar, notas boas, eu era um cara feliz com minha vida, não tinha do que reclamar. Eles não queriam arruinar isso. 

-Então, é isso... Que idiotice. - Eu disse enfurecido naquele momento. Subi e fui tomar banho pra pensar nas coisas. Porque tudo isso tem acontecido na minha vida? Acho que o tempo da paz pra mim acabou. Desentendimentos entre elas era comum na minha infância. Eu fui tolo ao pensar que eles tinham se entendido, e que as brigas iam parar. Que idiota eu sou.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...