1. Spirit Fanfics >
  2. Neighborly Relations (frerard) >
  3. Capítulo 7

História Neighborly Relations (frerard) - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Capítulo 7


"Porra, você quer mesmo fazer isso, não quer?" Frank ofegou na boca de Gerard. Ele não estava exatamente acostumado com situações assim, ter um cara dominante em cima dele, desse jeito; mas percebeu que Gerard era assim quando estava com muito tesão, do mesmo jeito de quando fizeram sexo pela primeira vez. Também, ele não se importava sob essas circunstâncias, ainda se sentia arrependido e preocupado pra caralho por ter machucado tanto seu vizinho. Mas quando Gerard girou seus quadris contra ele, e continuou basicamente sugando sua língua dentro da boca, todas suas preocupações foram substituídas por luxúria. O pau duro igual pedra de Gerard estava pressionado contra a ereção ainda coberta de Frank, e realmente começou a irritá-lo quanta fricção Gerard estava recebendo, porque agora, estava recebendo muita.

Na verdade, Gerard realmente não se preocupou em respeitar as regras, Frank percebeu, porque ele nem mesmo respondeu. Nenhum "Sim, senhor." ou nada parecido foi emitido, apenas pequenos lamentos deixavam sua boca quase que constantemente.

Frank decidiu que não podia deixar essa escapar. Ele pode ter cometido um erro, mas foi antes, e agora era agora. E, como havia dito para si mesmo, Gerard ainda queria ser seu sub, então ele com certeza tinha que jogar de acordo com as regras. Arrancando um delicioso gemido de seu vizinho, Frank agarrou firmemente seu cabelo e o puxou o suficiente para interromper o beijo. "Não quer?" ele rosnou, sentindo-se satisfeito quando viu a submissão anterior de Gerard novamente em seus olhos.

"Sim, senhor," ele falou baixo, o rosto contorcido pela dor. "Sinto muito-" Frank puxou o cabelo dele um pouco mais forte para que a garganta do seu vizinho, decidindo beijá-la agora, ficasse exposta. Gerard gemeu desesperadamente quando os lábios quentes de Frank tocaram a pele sensível de seu pescoço, lento e inocente no início, até que pudesse sentir seu vizinho relaxar com o contato. Foi quando ele mordeu duramente, exatamente entre a traqueia e o pulso, forte o suficiente para deixar uma marca visível, e talvez até o suficiente para tirar um pouco de sangue, mas essa não era sua intenção. Gerard gritou, seu corpo inteiro tencionou e sua respiração ficou alta como se tivesse corrido uma maratona. Frank sorriu e aproveitou o incrível efeito que tinha sobre esse homem - ele era tão fácil de dominar, tão fácil de possuir. Sua língua atravessou o pescoço de Gerard, através do pulso rápido e da pele quase vibrante. Ele era tão lindo assim, deixando Frank aproveitar seu corpo, disposto a qualquer coisa que ele lhe desse. Tão obediente, tão puro. Frank sugou uma parte de pele logo abaixo da orelha de Gerard, e a manteve dentro da boca tempo o suficiente para deixar uma linda e escura marca lá, tão parecida com as da sua bunda, mas tão diferente ao mesmo tempo. Aqueles eram castigos, isso era Frank marcando seu território. Para que ninguém nem sequer pensasse que poderia pegar Gerard, porque ele era dele, de Frank. Os últimos chupões que havia deixado já haviam desaparecido, e ele se certificaria que esses durassem mais do que meia semana.

Ele anexou os lábios ao maxilar de Gerard, mordiscando e lambendo, e, tão perto de sua boca, o beijou ferozmente depois de não conseguir resistir. Seu vizinho estava profundamente no espaço, ele podia sentir isso. Os movimentos de sua boca eram quase desleixados, e agora era Frank quem empurrava os quadris, e não ao contrário. Era assim que ele queria que fosse, e por enquanto estava completamente satisfeito consigo mesmo porque, não importava o que havia feito de errado antes, ele colocou Gerard em seu lugar, ensinou como ser uma boa puta. Frank encontrou o caminho de volta para o pescoço de Gerard e sugou outra parte de pele, apenas mordendo levemente.

O que ele ia fazer com Gerard hoje era algo que queria fazer há muito tempo, mas nunca pôde realmente fazer com um sub porque a outra pessoa precisava retribuir muito e, se Frank fosse honesto, subs tendem a serem bastante passivos. Não que isso o incomodasse, mas não havia muita diversão na posição que ele estava planejando fazer quando o parceiro ficava inexpressivo, mas já que Gerard parecia estar ansioso para agradá-lo hoje, pensou que seria o momento perfeito.

"Quer chupar meu pau, amor?" ele gemeu contra a garganta de Gerard antes de mordê-lo. Gerard assentiu ansiosamente, deixando outro gemido carente sair dos lábios.

"Por Deus, sim," ele concordou apressadamente. "por favor."

Frank sorriu e beijou seu pescoço pela última vez. "Okay. Eu quero que você se vire para que eu possa te comer ao mesmo tempo," explicou. Ele largou o pescoço de Gerard e teve que morder o lábio para se impedir de rir quando encontrou com o olhar do mais velho, chocado e tão incrivelmente excitado, como se não pudesse acreditar na sua sorte.

"V-você quer dizer, tipo hum, 69?" ele perguntou com insegurança e lambeu os lábios.

"Exatamente assim, Gee. Agora, pare de fazer perguntas e seja uma boa puta." ele comandou, dando um leve tapa na sua bunda para não machucá-lo muito.

Gerard estremeceu do mesmo jeito. "Sim, senhor." ele ofegou antes de se apressar para ficar na posição que Frank exigiu, ficando sobre os cotovelos e joelhos em cima, com uma perna de cada lado dos ombros do mais novo. Frank gemeu com a visão que Gerard estava lhe oferecendo agora; suas nádegas marcadas já estavam separadas o suficiente expondo a entrada rosinha, fazendo a boca de Frank salivar.

Ele colocou outro travesseiro debaixo da cabeça para conseguir alcançar a bunda de Gerard, depois cuidadosamente separou um pouco mais as nádegas. Gerard começou a trabalhar na abertura da calça de Frank, as mãos tremendo tanto que Frank não podia deixar de achar um pouco adorável que demorasse tanto, mas eventualmente ele conseguiu, fazendo o pau de Frank pular para fora, finalmente sem o impedimento da calça. Imediatamente, ele envolveu os longos dedos ao seu redor, fazendo-o estremecer de prazer.

"Usa a porra da boca, vadia," Frank mandou quando Gerard começou a masturbá-lo ao invés de chupá-lo. "Mostra pra mim que merece o que eu pretendo fazer com você."

Em seguida seu pau foi envolvido pelos lábios ansiosos e quentes de Gerard enquanto ele o chupava sem nenhuma hesitação, cada vez mais profundo até Frank sentir sua glande bater no fundo da sua garganta e o nariz do vizinho nas suas bolas. "Porra," ele falou baixo, ele não esperava ir tão fundo logo de cara. Subconscientemente, ele afundou as unhas nas coxas de Gerard, dominado pelo prazer intenso. Ele conseguia sentir a língua dele dançando por sua extensão, o acariciando do melhor jeito possível enquanto mantinha a cabeça pressionada na virilha de Frank, com seu pau fundo dentro da boca. Frank gemeu e começou a investir contra ele, aproveitando a sensação de Gerard engasgando ao seu redor, mas tendo a força de vontade de permanecer na posição. Embora eventualmente tenha se afastado, ofegando e arfando, mas permitindo-se apenas um segundo para respirar normalmente antes de voltar a pegar o membro.

Frank decidiu que ele definitivamente merecia ganhar prazer agora, estava tão bom. Ele aproximou-se um pouco mais até a entrada de Gerard estar a meio centímetro de seu rosto, lambendo os lábios. Gerard estava tremendo de excitação, obviamente desesperado para ser tocado, desesperado por qualquer coisa.

"Vadia," Frank murmurou antes de plantar um beijo quase inocente no anel de músculos exposto, fazendo Gerard gemer e se contorcer ainda mais do que antes. "Não para de se mexer, ou eu também vou parar," ele ameaçou, mordendo a nádega de Gerard para enfatizar suas palavras. Gerard assentiu e começou a desenvolver um ritmo acelerado, subindo e descendo no comprimento de Frank, o levando ao fundo da garganta e acariciando gentilmente suas bolas de vez em quando. Frank então empurrou, sem rodeios, a língua contra o orifício de seu vizinho, o molhando e também sua área em volta. Imediatamente, os movimentos ficaram mais rápidos, Frank podia sentir sua glande bater na garganta de Gerard repetidamente, mas ele nem sequer engasgou. Frank estava pensando em provocar seu vizinho um pouco mais, mas o imenso prazer que estava recebendo o fez perder rapidamente a paciência, empurrando a língua na entrada apertada, curtindo o grito agudo que Gerard emitiu. As suaves vibrações contra seu pau, fez Frank curvar os dedos dos pés, o que plantou outra ideia em sua mente.

Ele sorriu maliciosamente quando empurrou a língua mais fundo, as unhas de Gerard deixaram marcas doloridas nas coxas dele enquanto continuava chupando seu pau como se fosse a última coisa que faria na vida. Frank amava seu gosto, meio doce, mas também meio salgadinho, único. Ele amava os gemidos de Gerard e os gritinhos igualmente, e por algum motivo, o cara era especialmente barulhento quando Frank o comia.

Mas não importava o quanto ele amasse lamber sua entrada, havia uma ideia em sua mente que ele realmente queria executar, então depois de mais ou menos três minutos, ele se afastou. Gerard gemeu em protesto, mas Frank decidiu ignorá-lo. A vadiazinha receberia muito mais em apenas alguns minutos, ele não conseguia sequer imaginar.

"Gee, para," ele falou, a voz tremendo levemente por causa dos gemidos que estava guardando. Gerard afastou-se, com medo de ter feito algo errado, Frank o ouviu choramingar levemente. "Eu quero que olhe na sua frente. O que você vê no pé da cama?"

"Sex toys, senhor." Gerard falou. "Hum, um dildo, plug anal, algemas-"

"Eu quero que você me passe esse vibrador" Frank declarou, um dedo esfregando a entrada molhada de Gerard. "Eu vou te foder com ele."

Gerard engoliu em seco, então moveu-se um pouco para alcançá-lo. "É-é enorme, senhor" Gerard gemeu. "É maior que o senhor, não é?" E ele realmente parecia bastante assustado, mas passou obedientemente o objeto para seu dom.

"Isso mesmo, vadia" Frank respondeu quando aceitou o dildo com a mão livre enquanto a outra estava ocupada provocando a bunda dele. "E se você continuar fazendo pergunta idiota, eu vou meter nesse seu buraco apertado sem nenhuma preparação, está me escutando? Eu não me lembro de ter te dado permissão para falar. Continua chupando meu pau ou vou ter que puni-lo de novo."

Gerard apenas acenou com a cabeça e rapidamente colocou Frank de volta na boca, o prazer percorrendo através do corpo do mais novo era um tipo de droga, e por um momento, apenas deitou lá de olhos fechados, dominado pela intensa sensação de Gerard engolindo ao seu redor. Então abriu os olhos, ansioso para fazê-lo gozar, o mais rápido e o mais forte possível. O dedo que estava esfregando a entrada abriu caminho para dentro até desaparecer completamente na bunda de Gerard, que gemeu suavemente. Frank não perdeu tempo antes de começar a movimentar o dedo para frente e para trás, depois acrescentando o segundo, esticando seu vizinho para que o que ele tinha reservado não o machucasse muito. Sua outra mão estava segurando o dildo e ligando a função de vibrador. Quando começou a abrir a entrada de Gerard, esfregou o vibrante aparelho contra suas bolas e extensão em pequenos círculos. Gerard se derreteu com a sensação enquanto sua entrada abria e fechava ao redor dos dedos de Frank.

Frank assistiu seus dedos desaparecem dentro dele algumas vezes, então decidiu que estava esticado o suficiente, e os retirou. Vendo a entrada gostosa e aberta na sua frente era tão tentador que Frank não resistiu lambê-la de novo, enfiando brevemente a língua, o que o fez ganhar o gemido mais manhoso que Gerard já deu.

O dildo vibrou suavemente na mão dele, quase como se estivesse pedindo para Frank finalmente enfiá-lo na bunda do vizinho. Decidindo que doeria muito fodê-lo completamente à seco, Frank abriu a boca e chupou o dispositivo, parecido com o que Gerard estava fazendo. Depois de deslizar para dentro e para fora algumas vezes até deixá-lo perfeitamente molhado, o alinhou com a entrada de Gerard, fazendo o outro arfar de surpresa.

"O que foi querido, está assustado?" Frank perguntou inocentemente, sorrindo para si mesmo. Essa era uma visão de tirar o fôlego, Gerard gemendo e se contorcendo em cima dele, com a entrada esticada bem na frente do seu rosto, e embora não pudesse realmente ver agora, chupando gostoso seu pau, tão gostoso que Frank estava perigosamente perto de jorrar na garganta dele, se fosse honesto.

"Eu- um pouco, senhor," Gerard admitiu. "Por favor- ah!" O resto da súplica foi interrompida com ele gritando suavemente quando Frank aplicou mais pressão e a ponta do dildo desapareceu dentro dele, a grossura o esticando muito mais do que o dedo de Frank. Mas ele não parou por ali, simplesmente continuou pressionando o brinquedo, mais fundo, deixando Gerard em cima dele ofegante e incapaz de fazer nada além de arfar e se contorcer.

"Merda," Gerard falou baixo enquanto Frank continuava empurrando o dildo para dentro. Depois do que pareceu uma eternidade, Gerard sentiu a pressão cessar até não sobrar nada, então o dildo enorme estava enterrado na sua bunda. As suaves vibrações mandaram ondas de prazer através de seu corpo e direto para o pau, ele estava incrivelmente perto de gozar no estômago de Frank, uma coisa que ele não aprovaria.

"Me fala como está se sentindo," Gerard ouviu Frank falar atrás dele. Ele sorriu um pouco para si mesmo quando ouviu como a voz de Frank estava com dificuldade para falar normalmente. Se pau descansava abaixo de Gerard, molhado de saliva e pré gozo que vazava em cima da barriga, Gerard estava bastante feliz por Frank ainda não ter reclamado que ele tinha parado de chupá-lo, porque a sensação em sua bunda o impedia de continuar a fazê-lo, era algo que ele precisava se acostumar antes.

"Tão bom, senhor" ele conseguiu falar, fechando firmemente os olhos e com o coração batendo na garganta. "Eu me sinto tão cheio, é-é enorme, meu Deus-"

"Fode com ele," Frank falou, e Gerard, apesar da dor que estava sentindo, apressou-se em cumprir. Isso era exatamente o que ele queria, os machucados em sua bunda pareciam esquecidos. Tudo que importava agora é agradar Frank, seu dom, e fazer tudo exatamente para o gosto dele. Gerard mordeu o lábio e começou a se mexer para frente e para trás, rebolando um pouco. Seus movimentos eram lentos e cuidadosos, em parte porque precisava de um pouco mais de tempo para se acostumar com a sensação, mas principalmente porque queria dar um show para Frank.

"Mais rápido, vadia" ele rosnou atrás dele, agora usando uma das mãos para acariciar as bolas de Gerard. O toque era tão bom, Gerard queria chorar, mas apenas assentiu rapidamente e moveu o corpo mais rápido. A dor anterior desapareceu e foi substituída pela agradável sensação de ser estirado e fodido, mesmo que fosse um dildo dessa vez, mas do mesmo jeito era Frank. De repente, a mão dele avançou e o dispositivo pressionou a próstata de Gerard.

Ele gemeu pateticamente e girou novamente os quadris, ansioso para manter o dildo naquela exata posição com a vibração contra seu ponto. Gerard estava perto, perto demais, Frank estava acariciando gentilmente suas bolas, mas com muita habilidade, o que não ajudava. Ele tinha bastante certeza que precisava da sua permissão para gozar, embora ele não tenha dito especificamente isso hoje, mas presumiu que as regras gerais contavam assim como qualquer outro dia.

Frank pareceu descontente com a decisão de Gerard de parar de se mexer para frente e para trás, mexendo os quadris em vez disso, e bateu na sua bunda, a ardência fez os olhos de Gerard encherem de lágrimas, mas deixou seu pau ainda mais duro. Gerard engoliu em seco e continuou a foder com ele, as vibrações fazendo seu corpo zumbir e tensionar enquanto se preparava pra gozar forte, esperando que Frank permitisse.

"S-senhor-," ele começou a tremer. "Eu-eu vou gozar-"

Em vez de responder, a mão de Frank desapareceu das bolas de Gerard e foi para sua extensão, começando a masturbar rapidamente seu vizinho. O corpo de Gerard contorceu quando o familiar zumbido se espalhou pelo seu corpo, vindo do abdômen e terminando nas pontas dos dedos dos pés. Um grito agudo escapou de seus lábios quando chegou ao ponto que precisava liberar; seu orgasmo o fez se contorcer com a boca aberta e os olhos fechados. Frank parou de fodê-lo com o dildo, mas continuou o bombeando até que cada gota de porra fosse espalhada pelos torsos dos dois e Gerard lhe implorasse para parar. Lentamente, Frank removeu o dildo da sua bunda, o deixando aberto e vazio.

"Puta que pariu, você é muito gostoso." Frank ofegou atrás dele. O corpo inteiro de Gerard estava coberto de suor, e sua respiração ainda estava pesada, porra, que orgasmo. "Fica de joelhos na frente da cama, as mãos atrás das costas."

A adrenalina correu pelas veias de Gerard à voz dominante de Frank mais uma vez, meu Deus, ele adorava quando ele falava assim. Ele mordeu o lábio para suprimir um sorriso satisfeito enquanto pulava da cama, ansioso para o que Frank ia fazer com ele. Gerard observou seu vizinho sentar na beirada da cama,os lábios molhados e os olhos escuros. Ele ainda estava completamente vestido, apenas a calça estava aberta e o pau descoberto, vermelho e ainda mais duro do que Gerard tinha deixado.

"Eu vou gozar no seu rosto, pet" Frank exalou quando envolveu os dedos trêmulos ao redor da sua ereção e começou a se masturbar. "Vou cobrir esse seu rostinho lindo."

Gerard assentiu ansiosamente e abriu os lábios com a língua esticada para fora, porra ele sentiu falta do gosto de Frank, ele estava tão ansioso para receber o líquido quente em sua boca de novo. Frank gemeu e aumentou o ritmo, a mão não utilizada encontrou o caminho para o rosto de Gerard, acariciando sua bochecha suavemente, em seguida colocando o polegar sobre seu lábio inferior. O mais velho deixou a língua passar pelo dedo de Frank, brincando como se fosse seu pau, e foi o que bastou. Com um grito alto, seus quadris foram para frente e seu pau se contraiu, logo havia porra no queixo de Gerard, bochecha e cabelo, e também algumas gotas na sua língua. Frank ofegou, atordoado com o poder do seu orgasmo, Gerard aproveitou a oportunidade para envolver o pau ainda pulsando em seus lábios, chupando levemente para conseguir mais porra.

Ele o sentiu estremecer quando passou a língua pela fenda, afundando-a ligeiramente. Depois Frank o empurrou suavemente com as mãos, quando Gerard olhou em seus olhos, o vi sorrindo para ele.

"Você é tão bom pra mim, Gee." Frank falou baixo quando Gerard se afastou e ficou ajoelhado em sua frente, olhando-o exausto, mas esperançoso. "Bom pra caralho, sabia?"

"Obrigado, senhor," Gerard sorriu timidamente quando se sentiu corar.

"Vamos lá, levanta. Temos que nos limpar, amor."

Assentindo, Gerard aceitou a mão que Frank estava lhe oferecendo e se levantou. Suas pernas estavam tremendo ligeiramente, mas depois de dar alguns passos, melhorou. Quando chegaram ao banheiro, Frank tirou a camiseta e a jogou dentro do cesto de roupa, depois lavou o resto de porra das mãos.

"Isso foi muito bom, Frank." Gerard falou quando começou a limpar seu estômago, decidindo que tudo bem chamá-lo de Frank novamente. Ele o observou cuidadosamente por um instante, mas quando o outro não agiu estranho, apenas continuou falando. "Tipo, muito bom mesmo. Porra, sua língua- eu- Eu nem sei o que você fez comigo, mas nossa-"

Frank riu baixinho e depois balançou a cabeça. "Obrigado, eu acho? Faço de novo qualquer hora, amor. Bom, se você for um bom menino."

"Eu vou dar o meu melhor, senhor" Gerard respondeu brincalhão, ganhando um sorriso aberto de Frank. "Mas eu tenho que falar- estou meio decepcionado que você não me fodeu hoje."

"Eu fodi," Frank protestou. "Com os dedos, língua e vibrador!"

"Eu sei, eu quis dizer foder foder. Com o seu pau. Nossa, você não tem ideia do quanto eu senti falta disso, eu não consegui pensar em mais nada essa semana. Não estou reclamando, sério, não estou- o que acabamos de fazer foi incrível pra caralho- é só que... não sei o que estou tentando dizer."

"Você está me desafiando a fodê-lo, Gerard?" Frank perguntou, a voz subitamente dominante de novo, fazendo Gerard tremer.

"N-não," ele atrapalhou-se. "Eu só- desculpa-"

"Eu estava tentando ser cuidadoso para não machucar sua bunda. Eu não queria que os machucados ficassem piores. Mas do jeito que estou vendo agora, você realmente quer que eu destrua sua bunda, não quer?" Com um aperto forte, Frank agarrou o pulso de Gerard e segurou seu braço atrás das costas, puxando-o para perto até seu peito quente estar pressionado contra as costas dele e a cabeça em seu ombro. Mesmo que ele quisesse se mover, não seria capaz de fazê-lo.

Gerard gemeu, sentindo seu pau endurecendo de novo; esse homem seria sua morte. "Eu não queria dizer isso-" ele gaguejou quando Frank apertou mais forte e seus lábios começaram a mordiscar seu pescoço pela segunda vez aquele dia. "Eu s-sinto muito-"

"Não mente pra mim, vadia-" Frank sibilou, mudando de ângulo, de modo que o braço de Gerard doesse pra caralho. "Você quer que eu foda a sua bunda?"

"S-sim, senhor" Gerard falou, derrotado.

Ele podia sentir Frank sorrir contra seu pescoço. "Você acha que vamos precisar de lubrificante?"

Engolindo em seco, Gerard balançou a cabeça. "Não, s-senhor. Eu ainda estou esticado-"

"Bom. Entra na porra do chuveiro e liga a água. E sem se tocar."

Gerard assentiu e suspirou de alívio quando Frank soltou seu braço, passando a mão no ombro enquanto fazia o que Frank havia falado.

A água estava fria no início, fazendo-o pular um pouco, mas logo a temperatura ficou agradável contra sua pele. Era muito quente nas nádegas, onde Frank tinha deixado os hematomas, até queimou levemente e o fez querer sair do banho e apenas se deitar em algum lugar até a dor desaparecer, mas ele sabia que depois do que Frank fizesse com ele, doeria mais ainda, então ele precisava ser capaz de aguentar a dor.

Para ser honesto, ele queria isso. Claro, ele não tinha exatamente a intenção de fazer Frank fodê-lo quando lhe disse que estava decepcionado por ele não ter feito hoje, mas é claro que não recusaria nenhum banho safado, e, para ser honesto, ele tinha uma queda por aquela dor. O lembrava a quem ele pertencia e o que desobedecer poderia lhe causar. Os hematomas indicavam que ele pertencia a Frank.

Sua linha de pensamentos foi interrompida quando Frank o acompanhou no chuveiro, pelado, com as pupilas dilatadas e o pau duro. Ele sorriu vorazmente e então puxou Gerard para um beijo forte, pressionando-o na parede de modo que Gerard ficasse preso entre os azulejos frios e o corpo quente de Frank, com a água morna escorrendo entre os dois. A mão de Frank estava no quadril de Gerard enquanto sua língua invadiu a boca apaixonada dele, ele mordeu os lábios de seu vizinho diversas vezes, fazendo-o gemer desesperado por mais. Depois a mão de Frank agarrou a parte de trás das coxas de Gerard, puxando-o para ele.

"Enrole as pernas em volta da minha cintura," ele falou baixo no beijo. Gerard assentiu e levantou uma perna, depois hesitou porque temia que Frank não fosse aguentá-lo. Frank mordeu forte sua língua, isso foi o suficiente para as preocupações de Gerard desaparecerem enquanto também levantava a outra perna para envolver seu corpo, como ele havia solicitado.

Para a surpresa de Gerard, o mais novo realmente conseguiu segurar seu peso. Ele sentiu as costas serem pressionadas contra os azulejos mais forte e o pau de Frank contra sua entrada, mas apenas por um momento porque Frank parecia ansioso para tomá-lo desse jeito, de repente a cabeça dele já estava na entrada de Gerard.

"Porra," Gerard exalou na boca de Frank. O dildo pode ter sido mais grosso, mas isso era diferente, e nada seria capaz de substituí-lo.

"Como você ainda está apertado," Frank ofegou e depois começou a fodê-lo fortemente de uma só vez. A boca de Gerard abriu-se quando o prazer que sentiu o incapacitou de controlar seus movimentos, deixando Frank beijá-lo e morder seu pescoço, enquanto era penetrado por seu latejante membro. Altos e desesperados gemidos escaparam da garganta de Gerard, era tão bom que ele não se preocupou em suprimir os ruídos. Ele estava esperando isso por tanto tempo, e agora finalmente estava conseguindo. Ele entrelaçou os dedos atrás do pescoço de Frank quando seu pau entrava repetidamente, perdendo sua próstata por apenas milímetros, Gerard ficou bastante feliz por ele não estar esfregando-a, pois gritaria alto pra caralho se ele ao menos a tocasse de novo. Todo seu corpo ainda estava muito sensível, mas ansioso por mais, mais Frank Iero.

"Merda, fode, por favor-!" Gerard gemeu, cada palavra seguida por uma respiração trêmula enquanto Frank metia nele. "Mais forte, mais forte, puta que pariu"

Frank mordeu sua clavícula e gemeu quando seus movimentos realmente aceleraram. Gerard deixou a cabeça cair para trás contra os azulejos do box, os olhos fechados firmemente. As gotas quentes de água acariciavam sua pele do jeito certo, ele sentiu uma ardência latejante nas nádegas, mas nada poderia desviar sua atenção no momento, porque tudo estava sendo ocupado pelo o que Frank estava fazendo com a sua bunda.

"Fala meu nome, vadia" Frank mandou, agarrando grosseiramente seu cabelo. "Me deixa ouvir como está bom."

"Frank," Gerard gritou imediatamente. "Frank, porra- você faz tão gostoso, tão gostoso, por favor não para- porra-"

Frank fez um barulho satisfeito e fodeu mais forte, de algum jeito mudou o ângulo porque a estocada seguinte atingiu em cheio a próstata de Gerard, que se esqueceu que todos seus vizinhos existiam, esqueceu até mesmo o próprio nome, a única coisa importante no mundo inteiro parecia ser Frank, o que estava fazendo com Gerard enquanto ele gritava, o pau pulsava e os cílios tremiam.

"Fode, Frank, merda-" Gerard exalou, incapaz de controlar as palavras saindo dos lábios enquanto emitia súplicas incoerentes. "Por favor, continua, ah meu Deus, Frank, porra, porra, isso-"

"Vai gozar, amor?" Frank perguntou, Gerard assentiu apressadamente.

"S-sim, senhor, sim, por favor, posso gozar- posso gozar pra você, Frank, por favor-"

"Sim, pode," Frank declarou com um audível sorriso nos lábios, logo depois Gerard sentiu como se seu pau tivesse explodido quando o orgasmo lhe atingiu. Uma mistura de xingamentos e o nome de Frank saiu de seus lábios enquanto ele se contorcia ao seu redor, gemendo, ofegando por ar, alheio a tudo. As estocadas de Frank tornaram-se desleixadas, então Gerard o sentiu gozar também, enquanto gemia profundamente em sua garganta e o pau se contraia dentro da sua bunda.

O mundo começou a girar de novo lentamente quando Gerard abriu os olhos e olhou dentro dos lindos olhos cor de avelã de Frank. A respiração dos dois estava dificultosa e pesada, e por um momento eles apenas se olharam, ofegantes. Em seguida começaram a sorrir, a felicidade se espalhou pelo corpo de Frank, assim como os tremores, quando saiu de Gerard, que abaixou as pernas.

"Sabe," Frank falou depois que se acalmaram um pouco. "Provavelmente não há uma única alma nesse prédio que nós não assustamos com os barulhos que acabamos de fazer. Porra, Gee, você foi tão alto-"

Gerard sentiu-se corar e abaixou rapidamente os olhos. "Eu- desculpa, é só que- eu não podia-"

"Foi fantástico," Frank continuou com um sorriso malicioso. "Você deveria ter se visto. O que você disse- porra, foi perfeito. Você é perfeito. E eu realmente não me importo se todo mundo nessa cidade nos escutou, valeu a pena."



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...