1. Spirit Fanfics >
  2. Nem tudo que reluz é ouro >
  3. Momento dourado

História Nem tudo que reluz é ouro - Capítulo 379


Escrita por:


Capítulo 379 - Momento dourado


Adriel tomou a namorada nos braços e correu até a casa de Mark .

- Zaí , aguenta , estamos quase  , quase lá - disse ofegante pelo esforço mata a dentro .

Em outro ponto , Nathan e Najila foram convocados para ajudar .

- Aí , droga ! - resmungou Verônica ao se escorar na parede de casa , ainda sozinha .

- Verônica - Nathan apareceu ali acompanhando uma amiga , a pegou no colo e foi voando .

Do lado de fora  Lilian terminava de curar Jean .

- Mas o que foi aquilo - Perguntou ofegante ao passar a mão pelos cabelos curtos - achei que fosse morrer - engoliu a seco - se não tivesse chegado ele ia direto na minha jugular - fez menção ao grande animal preso em uma redoma mágica .

- Já vamos descobrir o porquê disso - comentou Lilian - Pedro apareceu junto com reforços e assumiu dali .

Algum tempo depois , Zaira virou o rosto ofegante e suada e depois de alguns respiros mais pesados finalmente soltou a mão do namorado .

- É um menino saudável - Disse Mark ao se aproximar dela e deixa o pequeno quietinho enrolado em uma manta verde ao lado dela - vou pedir que permaneça aqui alguns dias , por precaução , está bem ?

-  Eu posso ficar também ? - Pediu Adriel . 

- Claro , tenho uma cama reserva lá em casa , me ajudar a trazer ? - Mark confirmou com a cabeça disposto a deixar o amigo mais calmo.

- Pode ir , eu vou ficar bem querido - Zaíra falou ainda um tanto ofegante .

- Vamos lá - Mark abriu a porta e passou sendo seguido pelo colega.

- Seu filho é uma gracinha - Comentou Emília ao sentar na cadeira ao lado - qual o nome ?

- Shariq - Respondeu a mãe sorrindo boba enquanto o passava o polegar pela testa dele - é tão miudinho meu menino .

- Oi Shariq - deu tchauzinho para o bebê que olhava pra ela - eu dar espaço pra vocês dois , com fome? 

- Agora não , obrigada - Respondeu ao alimentar seu filho pela primeira vez .

Na sala de espera , Doutor Facilier e a mãe de Adriel conversavam amigavelmente, fora um dos poucos divórcios da ilha que ocorreu de forma passifica .

- Eu ainda nem acredito que sou vovó - comentou a mulher , seu acompanhante ia resolver mas a presença de dois estranhos os deixou em alerta .

- Com licença - uma mulher se aproximou - é aqui a maternidade?

- É sim - Respondeu Facilier .

- Sou Faariq , pai da Zaíra - o homem se apresentou - essa é minha esposa Niza . 

- Se estão aqui pra visitá-la… - a mulher ao lado de Facilier  começou a falar mas foi interrompida.

- Vim apenas pelo meu neto - corrigiu Faariq - só quero ver se está tudo bem .

- Se é só pra saber já pôde ir embora - Adriel veio pela lateral esquerda já de punhos cerrados - meu filho está ótimo - Foi incisivo no meu.

- Eu disse que não deveríamos vir até aqui - Resmungou o homem a esposa .

- Vou só trocar algumas palavras com ela - Niza falou um pouco sem graça - meus parabéns pelo bebê - disse ao genro , o pai deste fez sinal para que sentasse.

Alguns minutos depois a mulher saiu dali, cumprimentou os demais juntou ao marido e partiu.

- Zaí ? - Adriel bateu na porta e entrou com seus pais - você está chorando ?

- Até parece - fungou um pouco - que uma coisinha dessas ia me abalar .

- Você mente mal - ele rodou os olhos e riu sarcástico apesar de preocupado - o que ela disse ?

- Nada de mais, me desejou felicidades e se despediu - engoliu a seco - eles não vem mais, nunca mais .

- Eles falaram algo sobre nosso filho - Comentou o jovem.

- Não vão tentar levá-lo - disse Zaíra ao olhar para o menino em seus braços - como ele mesmo disse é fruto de algo proibido e só traria mais desgraça a família .

- Desgraça é o que será a cara daqueles dois ! - disse Adriel rosnando de raiva .

- Não vai caçar mais confusão agora -  disse sua mãe autoritária - a vida já se encarrega de cobrar de pessoas assim .

- Terá sua vez garoto - Disse seu pai - mas não será hoje .

As mulheres na sala se olharam descrentes , por mais revoltante que fosse a postura deles , delas  não partiria vingança , delas.

Em outro quarto , Atlas segurava o filho no colo sorrindo bobo. Sua esposa observava com os olhos semiabertos , estes castanhos .

No corredor em frente a porta , Nathan estava sentado abraçando os joelhos e puxando ar , o nervosismo só agora saía.Não culpava o primo por deixar um dos dois em suas mãos porém acabou ficando com o mais complicado .

- Nan - Emília sentou ao lado dele com um copo de chá nas mãos - correu tudo bem , respira.

- Como Najila está ? - Perguntou sem levantar o olhar - E o Jean ?

- Todos bem , a Lili está com eles agora no andar de cima. Vamos lá ficar conosco - Não tardou a pessoa mencionada aparecer.

- Você fez um ótimo trabalho - a moça de olhos roxos ajoelhou na frente dele lhe bagunçando os cabelos - vamos lá doutor .

- Obrigado meninas - Respirou fundo um pouco mais aliviado - mas eu sempre soube que ia dar certo - arrumou a franja sorrindo torto - eu nunca erro .

- Tá bom então - Lilian debochou do comentário dele - um gênio incompreendido .

- O gênio incompreendido - disse orgulhoso e logo começou a rir .

- Você me irrita mas é legal as vezes - Disse a moça de olhos roxos - a Milly e legal .

- Brigadinha - Respondeu Emília .

- Tá bom então menino solzinho - Rebateu a de olhos roxos , Nathan fechou a cara na hora.

Eles seguiram para a casa de Mark , lá conversaram um pouco até que a moça de olhos se despediu e foi andando pra casa deixando os outros ali .

No andar de baixo , tanto Zaíra quanto Verônica descansavam com seus pares , a situação parecia em termos mais calma.

Enquanto isso , na casa da regente se analisava a situação a respeito do tigre , que tomara forma humana e estava alguemado  no centro da sala.

- Como isso aconteceu , exatamente ? - Perguntou-se mais uma vez ao ser que nada disse .

- Não chegaremos a lugar nenhum assim - Comentou Jafar , Malévola de um sinal para que tomassem providências , o prisioneiro foi selado na forma humana e jogado junto aos loucos.

- Acho que temos mais uma peça do quebra cabeça - Disse Grimhilde - agora falta o causador do problema . Duvido que seja ele.

- Algo me diz que teremos conhecimento em breve - Falou a regente - eu senti uma presença anormal , mas por via das dúvidas - olhou para Pedro - reforce a segurança .

- Sim senhora - disse fazendo uma referência .

Em Auradon , um homem caminhava em no escritório de alguém .

- Que cara é essa Boreas ? - o dono da sala se aproximou com um cigarro nos lábios  - ganhou na loteria ? 

- Só fiz uma demonstração bem sucedida - cruzou os braços pra trás - eu esperava uma ou duas mortes mas preocupação já é um começo .

- Não sei pra que perde tempo com armações que não levam a lugar nenhum - Resmungou Alan depois de uma tragada .

- Você não sabe apreciar uma obra de arte - Retrucou calmamente o mais velho - com esses pequenos trabalhos já temos avanços - bufou pela ignorância de seu aliado - na hora certa tudo nos será útil.

- Assim eu espero -  encarou o aliado - Quero meu pote de ouro, velho .

Boreas nada respondeu a cobrança tão pouco o insulto , decidiu não perder tempo com alguém que em breve cairia.


 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...