História Niceday - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Cidade, Drama, Good Morning Call, Mudança, Romance, Sexo, Universidade, Universitário, Vida Nova
Visualizações 10
Palavras 1.033
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Famí­lia, Ficção Adolescente, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


O encontro de Dayane com Bruno no apartamento

Capítulo 2 - Dividindo apartamento


Fanfic / Fanfiction Niceday - Capítulo 2 - Dividindo apartamento

Dayane on


-Bruno Gaspar? - eu pergunto 

-O que significa isso? - ele responde minha pergunta com outra pergunta.  Quem ele pensa que é de chegar assim no meu apartamento de repente, sem ser convidado, e fazer questionamentos? Eu nem o conheço, ele nem me conhece. 

Elias engasga:

-Bruno??? 

E Natália o interrompe :

-Dayane! Você mentiu pra gente sobre o Bruno?? Você o conhece? Por que chamou ele aqui? Se eu soubesse, teria no mínimo me arrumado! 

-Eu não sei o que está acontecendo aqui, mas exijo que saiam imediatamente do meu apartamento se não eu chamo a polícia. 

"Meu apartamento"??? Como assim? Esse apartamento é meu. Na verdade é da proprietária que me alugou, mas eu que estou morando aqui agora. Então eu o respondo:

-Bruno, eu nem te conheço, mas eu me mudei para esse apartamento recentemente. Estava tirando minhas coisas da caixa.  Como assim esse apartamento é seu? Não foi você que me alugou ele. 

-Você deve ter se enganado de apartamento. Isso sim. Do jeito que você parece ser bem burrinha, não me admiro. 

-O apartamento é esse mesmo! 

Então eu mostro o contrato do imóvel para ele. Logo após ele procura o dele e me mostra também.  Não acredito! É exatamente o mesmo contrato! Natália sugere para Elias que vão embora : 

-Bom, acho que já deu pra gente aqui.  Elias, vamos embora.  Temos que estudar e revisar o que vimos hoje na aula. Tchauzinho, Day.  Até amanhã. Foi um prazer conhecê-la. Tchau, Bruno. 

E Bruno a ignora novamente, como sempre faz. Que arrogante! Então continuamos o diálogo : 

-Então, burrinha.  Já deixo você sair do meu apartamento. 

-EU NÃO VOU SAIR! QUEM DEVIA SAIR DAQUI É VOCÊ, NÃO EU! 

-Eu moro aqui há duas semanas a mais que você. Por que não informa a proprietária quanto ao erro?

-Tudo bem.  Vou ligar para ela. Só me permita comer alguma coisinha. Estou morrendo de fome.  Meu dia foi cansativo. -ele me olha indiferente e se deita no sofá. 

Após comer um pequeno sanduíche e matar um pouco a fome, ligo para a proprietária e Bruno me pede para deixar no viva voz enquanto conversamos. Não demora muito para alguém atender. 

-Alô. 

-Alô. Meu nome é Dayane Bennett. Aluguei um apartamento com a senhorita Hussein, mas ocorreu um problema de contrato. Ela está aí? 

-Olá, Dayane.  Boa noite.  A senhorita Hussein está viajando para a China a trabalho. Só deve voltar agora daqui a 5 meses. Ela faz escala aqui e lá a cada 6 meses. Infelizmente não posso lhe ajudar no momento. Desculpe. 

-Mas você me entendeu? Houve um problema no contrato do aluguel.  Eu preciso falar para ela.  Estou dividindo o apartamento com outra pessoa e não fui informada disso nos termos do contrato. 

-Você leu os termos do contrato? 

Eu olho sério para Bruno, que move a cabeça negativamente. Não posso fazer nada, afinal, eu também não li. 

-Não senhora.  Eu não li. 

-Então tenha uma boa noite. Não posso ajudar vocês.  Ligue novamente em junho. Provavelmente ela estará aqui. - e desligou o telefone. 

Não acredito. Eu odeio esse cara e vou ter que morar com ele? Ninguém merece. 

-Você é uma burra mesmo.  Não lê a merda de um contrato antes de assinar? 

-Quem você pensa que é, oh, doente? Acabou de dizer que também não leu e agora coloca a culpa em mim

-Você é doida mesmo. Eu mexi a cabeça ironicamente sobre o fato de saber que você não leu o contrato. 

-Então você leu? 

Ele revira os olhos e responde, sem responder a minha pergunta:

-Vou para o meu quarto descansar.  Meu dia foi cheio. Faz o que você quiser.  Daqui eu não saio. 

Mas que idiota.  Como existem meninas loucas por um cara arrogante desse? Já vi que não vai ser fácil.  Amanhã será um dia difícil. Na verdade, todos os meus próximos dias serão difíceis, pelo menos até me formar ou ser aprovada na universidade pública de perto da minha casa, resolver esse problema ou ser expulsa daqui por ele e morar na rua. 

No dia seguinte 

Mal consegui dormir a noite.  Só de pensar em dividir apartamento com esse lixo já me dá ânsia.  Mas tudo bem.  Vou tentar levar isso adiante e fingir que ele não está aqui. Saio do meu quarto e vou preparar meu café da manhã e ir para a aula. Bruno está demorando para sair do quarto. Provavelmente vai perder a hora de ir para a aula. Não demora muito, ele sai do banheiro : 

-Cuidado para não se atrasar. 

-Como assim? Você já tomou café?? 

-Claro que sim.  Venha aqui, burrinha. Vamos conversar. 

Eu já fico com medo. Não quero perder tempo. Só pego meu sanduíche com café com leite e sento ao lado dele no sofá.  

-Diga

-Se vamos morar juntos durante esses 5 meses, vamos estipular algumas regras.

-Como quiser, senhor.  Você manda 

Ele me mostra uma pequena lista de regras : 

REGRAS DA CASA 
1. Respeitar a privacidade do outro 
2. Não trazer amigos sem a autorização do outro 
3. Não mexer nas coisas do outro sem autorização 
4.Nao andar juntos no centro 
5. Cada um usa o seu banheiro 

Ah, cara.  Pra que essas regras? Tem coisas nada a ver aí. Por que não posso andar com ele? Por que não posso trazer meus amigos sem autorização dele? Os amigos são meus.  Eles vão ficar no nosso apartamento, mas não tem problema. Chamo eles pra ficarmos no meu quarto mesmo. Nem vai incomodar o Bruno. Mas fazer o que? Do jeito que ele é sistemático, não vai aceitar nada do meu jeito. 

-OK, Bruno.  Eu aceito suas regras. 

-Muito bem.  Vamos para a aula.

-Mas e a regra 4?

-Está valendo. Eu vou primeiro.  Você vai atrás para que ninguém desconfie que você está comigo.

-Mas e se eu perder você de vista? 

-Como você é burrinha.  Não sabe chegar no centro sozinha?

-EI! Eu sei sim! 

-Então se vira. 

Ai, meu Deus.  Que babaca! 

BRUNO ON

Não  tinha alguém pior para dividir o apartamento comigo? Espero que essa pentelha não me encha o saco nem seja uma daquelas meninas chatas da universidade que ficam tentando me chamar atenção, o que eu acho difícil. De qualquer forma, tô cagando pra ela. 







Notas Finais


Ainda essa semana chega o próximo capítulo. Amo vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...