1. Spirit Fanfics >
  2. Nocaute >
  3. Decepção

História Nocaute - Capítulo 3


Escrita por: e _Red_Color


Notas do Autor


Ai está mais um capítulo espero que gostem.

Capítulo 3 - Decepção


  Falando isso, Naruto saiu da sala, logo atrás vinha Shikamaru e Sasuke, com a mente concentrada em manter a calma e contornar a situação. Um pouco mais atrás vinha um Kakashi contrariado, com um olhar nada amigável no rosto e uma aura pesada circulando seu corpo que chegava a ser quase visível a olho nu.

  Todos seguiram em seus carros para o restaurante  Ichiraku, tinham muitas lembranças vividas ali, frequentavam aquele lugar desde muito novinhos e como tradição sempre iam após as lutas de Naruto. O senhor dono do lugar sempre fechava para deixar eles mais à vontade, tinham consideração enorme pelos garotos, um carinho imenso pelas boas memórias, risadas e momentos divertidos compartilhados juntos.

  Quando Naruto estacionou na rua movimentada de Tóquio para seguir para o restaurante, encontrou Shion a sua espera próximo a entrada do estabelecimento. A mulher foi até seu encontro e se lançou em seu pescoço, lhe roubando um selinho rápido, ele sequer teve reação perante aquilo, porém o selar, que não Passou mais do que alguns segundos, bastou para que alguns paparazzi registrassem o momento dos dois. 

  Naruto se distanciou, tomando alguns passos à frente e logo entrou no estabelecimento onde alguns dos seus amigos já estavam aguardando e já estavam altos pelo álcool. Ouviu Shikamaru resmungar um palavrão e com um olhar para trás viu Sasuke revirar o olho, sabia que mais tarde viria um sermão vindo de ambos, mas, dessa vez, em sua cabeça, ele não teve culpa alguma. 

  Ali deram muitas  risadas, por hora, estavam ignorando o acontecido na chegada ao restaurante, falaram das lutas e até da vida pessoal quando o assunto foi o casamento Shikamaru negou com a cabeça e com a mão.

-Se eu aparecer morto, vocês já sabem..

- Que a culpa é sua. - Temari interrompeu a fala dele, olhando para o Nara com uma cara nada amigável.

- Enfim, vocês já sabem.

- Nada a declarar. - Sasuke disse quando os olhos de todos pousaram em si e o seu estava na reta. Sakura deu uma cotovelada nem um pouco leve no homem que fez uma ligeira careta de dor. - Muito feliz e nada violento como vocês podem ver.

- 190. Gosto dessa combinação de números. - Kakashi falou.

- Que interessante, o da funerária também é uma ótima combinação, na minha humilde opinião.

- Não está mais aqui quem falou. - o grisalho falou.

  Eles riram, mas o loiro não acompanhou na risada pois ficou se imaginando em momentos como esses, como seria se ele tivesse conversas daquelas com Hinata. Imaginando como seria fazer essas brincadeiras, ter essa intimidade e aproximação para isso. Talvez fosse legal, talvez se sentiria tão bem se estivesse no lugar de Sasuke e Hinata no lugar de Sakura. Os dois brincando um com o outro.

-Soube que você fez uma tatuagem, loirinho. - Sai comentou, fazendo ele sair dos seus pensamentos. - Uma bela homenagem.

- Sim… - pensou um pouco em como completaria sua resposta - Se não fosse por ela, eu não seria o que sou hoje.

- Own. - o rapaz disse - Que fofura, Hinata até corou. Uma gracinha.

- Ele está exagerando.

- Estou dizendo a verdade, Hinata. - tentou procurar os olhos dela para ter um contato visual mas a garota não lhe olhava de volta, concentrada demais no copo em sua mão. 

 Não soube descrever o desconforto que sentiu, talvez naquele momento ele estivesse tentando ser como os outros, tentando ter o que os outros tinham e não obtendo sucesso algum. Então, abaixou o olhar finalizando a conversa por ali, uma vez que a esposa não fazia menção de querer continuar com aquele papo.

 Naruto lembrou da primeira vez dela na lua de mel, onde ele fingiu estar um pouco alto, assim como ela também. Ela se entregou a ele e foi a melhor transa que ele teve sem dúvidas. Sua mulher era uma gata, eles até tiveram momentos quentes  ao longo do primeiro ano de casamento, alguns momentos picantes, às vezes ele dormia com uma deusa mas quando a manhã surgia Hinata agia como se nada tivesse acontecido, o deixando frustrado.

  Em algum momento que não percebeu, ou que só pelo fato de estar tão preso em seus pensamentos passou despercebido, sua esposa já não estava mais lá, assim como Sakura e Sasuke. Shion não estava mais também, na verdade, nem ele sabia o que  ela estava fazendo ali mais. Já tinha bebido e comemorado o que tinha de comemorar. Se deixou levar por pensamentos confusos e sentimentos incômodos por boa parte do tempo, se prendendo em vontades que ele talvez nunca fosse realizar. Mas o que lhe despertou mesmo foi o seu celular vibrando no bolso, indicando que uma mensagem havia sido recebida.

"Estou te esperando."

  Sorriu, bloqueou  o celular e colocou ele de volta no bolso. Se levantou sem muito alarde, deixando seu copo pela metade na mesa de madeira.

-O papo está  bom, mas tenho um compromisso.

- Essa hora?? 

  Mas Naruto  já estava saindo na porta entrou em seu carro, uma Lamborghini Elemento preta com laranja, e dez minutos depois ele já estava estacionando em frente a um prédio onde já era conhecido há alguns anos.  Não precisava nem se apresentar na recepção, subia logo para o quarto andar. Quando saiu do elevador, rumou seus passos calmos para o apartamento 301.

  Uma loira de estatura média olhos escuros o aguardava com uma camisola transparente expondo seu corpo nu, ali estava ela, lhe olhando com os olhos selvagens e com um brilho completamente sacana, os lábios enfeitados pelo sorriso maroto disseram em um tom de voz baixo e sereno.

-Você está atrasado campeão.

- Espero que me perdoe, então.- devolveu o sorriso, sendo puxado pela gola da camisa para dentro do apartamento sem demora.

- Está na hora de receber seu verdadeiro prêmio. - Exclamou Shion como uma gata ronronando fechando a porta logo e seguida.


 Hinata saiu cedo do restaurante, acompanhada de Sakura e Sasuke, com a desculpa de que o dia foi longo e ela estava completamente exausta. Mas não era de todo uma verdade. Algo em seu corpo pedia por uma noite de prazer com seu marido que estava a meses sedenta pelo corpo, pelo toque dele, pelo gosto dele e, essa noite, depois de lhe ter dado aquele presente, ela iria recompensar.

  Tomaria a iniciativa sem vergonha alguma, iria atacar ele de tal forma que ele não teria como fugir, mas também não era como se ele fosse fugir.

  Quando entrou no apartamento tomou uma dose de whisky para lhe dar coragem, pois sempre foi muito tímida em relação ao Naruto, diferente dele que sempre andava pela casa de toalha ou sem camisa, ela tinha vergonha. Não que fosse feia, mas achava que por ter curvas mais generosas, talvez ele gostasse mais das  magrinhas.

  Entrou no quarto e separou uma lingerie sexy, era um conjunto de babydoll de renda vermelha, com uma  tanga   de lacinhos também de renda vermelha. Tomou um banho gostoso e logo se vestiu, colocando por cima um robe de seda branco. Prendeu o cabelo num coque frouxo, pegou uma taça de vinho e foi para a sacada apreciar a noite quente e estrelada, afinal queria fazer sexo com Naruto naquela sacada a luz lua. Talvez fosse demais pedir por algo romântico para ele, então fazia sozinha, mesmo que ele não notasse.

  Já era umas 2h30min, ele logo estaria chegando, repetia esse pensamento como um mantra em sua cabeça. Mais uma taça virou, somando 4, e as horas voaram, o relógio parecia correr, na mesma velocidade que se ia sua animação e no mesmo ritmo que lhe batia a decepção. Ele não chegou. Era 4h30min da manhã quando ela resolveu aceitar que eles talvez virassem a noite conversando e bebendo, então resolveu trocar de roupa e ir para o seu quarto. 

  Ao se sentar na beira da cama, ela estava com uma caixa na mão, era onde ela guardava as suas relíquias, que na verdade nada mais eram que coisas que lembravam Naruto e também era onde ela guardava a cópia da cartas que ela escreveu durante 4 anos para ele, mas depois da decepção, ela ainda escreveu mais algumas e estas ela nunca mandou.

  E ali estava ela mais uma vez aguardando o único homem que ela amou durante sua vida. Ela recusou alguns pretendentes por causa deste amor que sentia por ele, só Toneri que volta e meia ainda ficava tentando algo com ela. Colocou as cartas de volta na caixa, olhando para o objeto  com certa tristeza, porém, não se permitindo derramar lágrima alguma, e foi dormir, afinal amanhã teria que estar no hospital às 8h da manhã.

  Já passava das 7h45min quando ela acordou com uma terrível dor de cabeça pelo pouco sono e pelas taças de vinho. Passou pelo quarto ao lado e Naruto não tinha dormido ali. Tomou um banho e desceu atrasada pegou uma xícara de café, ouviu um barulho no quarto que servia de local de treino para Naruto, um pouco assustada e temerosa, com a xícara na mão, ela foi até lá. 

 Parando na porta onde ele não a viu. Ficou admirando enquanto ele socava um saco de pancadas como se fosse matar alguém, ele estava sem camisa de lado e com suor escorrendo de seu cabelo loiro, concentrado. Se escorou  no batente da porta, tomando um gole do café em sua xícara, não foi possível controlar o pequeno sorriso que brotou em seus lábios ao vê-lo. Bom, ao menos ele estava ali, aparentemente bem e já treinando logo cedo. Talvez ele tivesse chegado um pouco depois dela ter ido dormir. 

 Quando ele virou de costas para ela, sentiu como se um daqueles socos que ele dava no saco, fosse desferido contra seu estômago.  Derrubou a xícara de porcelana vermelha que tinha em mãos no chão, parecia pedaços de seu coração, o sorriso se desfez e a sensação de estar sem apoio nas pernas esteve presente.  

  O barulho chamou a atenção para ela, parando de dar socos e lhe olhando com certo susto pela presença de uma segunda pessoa. Os olhos azuis foram para a xícara no chão e logo depois se conectaram aos perolados. Levou alguns segundos até entender porque sua mulher estava com os olhos cheios de água e com uma cara de dor. Sua mente trabalhou o mais rápido possível em qualquer frase que pudesse dizer, mas quando ele abriu a boca, o suor escorreu pela extensão de suas costas e ele sentiu o ardor dos arranhões que Shion havia deixado na noite passada. Não houve tempo para ele dizer nada, ela saiu batendo a porta do  apartamento deixando ele sozinho.

 

Droga! - pensou ele.

 

  Mas o que ele poderia fazer? Se ao menos Hinata tivesse sido a menina doce das cartas românticas que o conhecia tão bem, que o deixou completamente apaixonado e fora de si para descobrir sua identidade quando Shion se apresentou a ele como dona das cartas, ele já estava perdidamente apaixonado pela dona das cartas, mas também já estava de casamento marcado com Hinata. 

  No começo até pensou ser Hinata pelo jeito dela com ele mas, quando numa noite ouviu ela falando de um amor proibido para Sakura, ele logo pensou ser Toneri, já  que ele é  louco por ela mas o pai dela não permitia. Então quando Shion assumiu a autoria das cartas ele descartou qualquer chance daquela menina encantadora ser afim dele. Todavia, às vezes a Shion tinha atitudes estranhas principalmente quando ele queria ouvir da boca dela frases tão lindas  como as que haviam nas cartas, porém, Shion sempre dava um jeito de enrolar.

  Jamais poderia ignorar o fato de que no fundo sentiu uma pontada de decepção e tristeza ao saber que não era Hinata a autora. Nunca soube explicar porque se sentiu daquela forma, apenas sentiu e em algum momento enterrou esse momento dentro de si para não se confundir mais. No entanto, machucou ver os olhos de Hinata lhe olhando daquela forma. Doeu, não negaria que doeu ver a garota sair do cômodo daquele jeito.

  Talvez a confusão não fosse tão pequena assim para ser enterrada.

Continua.................


Notas Finais


Obrigado e até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...