História Not a Hoe ONESHOT - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, Personagens Originais
Tags Got7, Jackson, Oneshot
Visualizações 111
Palavras 2.691
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi oi! Estou aqui para vos trazer mais uma história! Desta vez um Oneshot com o Jackson \o/
Antes de começarem a ler, eu apenas queria dizer que as várias partes da história não estão ordenadas cronologicamente e me desculpem se houver algum erro ou se estiver um pouco confuso...
Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo único


Not a Hoe

“M-mais rápido” era tudo o que ela dizia quando os seus clientes a fodiam, mesmo não sendo esse o seu propósito. O seu trabalho era ser uma garota de calendário, mas não são aquelas que ficam na esquina dos boates à espera de serem levadas por homens gostosos, velhos ou novos. O seu único propósito era fingir ser uma namorada ou acompanhante de quem precisava pelo tempo que precisasse, mas muitos não a contratavam para isso.

*

-P-porra J-Jackson… – ela gemia sempre que o Jackson a estocava no seu ponto fraco.

-V-você é t-tão gostosa… - e Jackson gemia entre cada palavra que tentava dizer.

Ela sempre foi aquele tipo de garota que cumpria as regras mesmo quando as mesmas estavam equivocadas. Porém tudo mudou no seu aniversário. No dia em que faria 18 anos. Estava toda a sua família (sem excluir ninguém) em casa, os seus primos, tios, avós, pais, e até o seu namorado, Thomas. Thomas nunca machucara a namorada e fazia tudo o que ela queria. Estavam juntos fazia mais de cinco anos e nunca houvera uma única discussão. O único problema era que ele era toxicodependente e pertencia a um gangue de rua, mas ela nunca se importara com isso pois achava que não havia problemas maiores. Mas houve. Quando fizeram 3 anos de namoro, quando ela tinha 15 anos e Thomas 17, o garoto levou a namorada às nuvens quando tirou a sua virgindade e a partir daí ela nunca mais voltou a ser a mesma. Ela roubava, ela faltava às aulas, fazia tudo apenas para se aproveitar do corpo do namorado que a fodia com gosto e prazer. Os pais nunca lhe disseram nada sobre com quem ela devia e não devia se relacionar, nunca a proibiram de sair à noite e passar dias inteiros na casa do seu namorado, ou seja, não lhe davam proteção quase nenhuma e sempre lhe deram o que ela quis. Mas amavam-na, amavam a sua filha mais do que tudo no mundo. Porém, no seu 18º aniversário, aconteceu uma coisa que nunca lhes passara pela cabeça.

*

-M-mais forte d-daddy, por f-favor… - ela sempre tentava fazer com que os clientes superassem os seus limites.

-Quero ver você a implorar por mais! – e sempre conseguia isso.

Quando toda a sua família estava reunida na sua casa para festejar o seu aniversário, ela estaria nas traseiras da casa ou mesmo no seu quarto junto com Thomas, fazendo barulhos altos, tanto com gemidos e gritos de orgasmos, como pela cabeceira da sua cama de casal que batia repetidamente e sempre com o mesmo ritmo na parede, que já havia rachado ligeiramente devido à força excessiva que o mais velho tinha quando fazia sexo com a sua namorada.

*

-Como é que uma garotinha da sua idade pode ser tão gostosa assim? – vários homens de diversas idades perguntavam quando a viam a dançar de um jeito tão sensual como nunca haviam visto.

-Não tire conclusões antes do tempo… Ainda só me viu com roupa… - e ela sempre lhes respondia de um jeito provocador que acordava quase que de imediato o pequeno ser que começava a chamar por atenção sempre que os vários homens a viam.

E de facto o seu corpo era a sua melhor qualidade, principalmente entre os seus 18 e 20 anos, seguido da sua experiência que ia armazenando ao longo dos anos em que esteve sozinha, quer dizer, ao lado de homens diferentes quase todos os meses. Desde os seus 18 anos que a mesma tem vivido sozinha. Desde que aconteceu aquilo, ela sempre esteve sozinha.

*

-Quer aprender a surfar? Eu ensino, vem cá... – Ian segurou a cintura fina da garota e ensinou-lhe várias técnicas de como aprender a  surfar bem.

Ian sempre cuidou bem dela, sempre a tratava com carinho e muito raramente a sua relação temporária virava para o lado sexual. Ian tinha apenas 24 anos. Um rapaz inocente que apenas a contratou pois queria apresentar uma namorada bonita, sensual, meiga e muito simpática aos pais. Já com os amigos, eles davam sempre em cima da garota. Porém no final, Ian pagou o mês que usara a garota e que não foi pouco... Pobre rapaz, ele pagou muito dinheiro apenas para impressionar os pais e os amigos...

*

-Você acha que vai sair bem disto? Você merece ser tratada como um cachorro!

A pobre moça teve muitas dificuldades ao longo da vida, principalmente no início do seu emprego, quando conheceu Jason. Esta tinha sido a segunda fase mais difícil da sua vida, tirando o acontecimento do seu tão falado aniversário de 18 anos. Jason abusava dela, batia-lhe e xingava a mesma. Mas ela não se importava demasiado pois iria receber bastante dinheiro no final do mês. Jason era um homem de meia idade, devia rondar os 47 anos, solteiro, sem filhos e sem alma. Ela saiu de casa dele no final do mês com inúmeros machucados feitos por Jason, a melhor parte foi que ela recebeu o dinheiro e no dia seguinte comprou logo o necessário para cuidar dos ferimentos que foram desaparecendo ao longo do tempo.

*

-Eu amo tanto você garota...

-Eu também te amo... Mas vamos resolver este assunto de uma vez, comigo a gemer o seu nome pelo resto da noite...

Desde que ela conheceu Alex, por volta dos seus 19 anos, soube que ele era o tal. O garoto especial que iria preencher o espaço vazio deixado no seu coração quando Thomas partiu. Alex era um garoto um pouco mais velho, talvez com 26 anos, porém fez a companheira mais feliz durante aquele curto mês do que em toda a vida dela. E ela merecia alguma felicidade após ter passado três anos a dormir na rua quando usava todo o seu pouco dinheiro em comida e em roupas quentes durante o inverno. Alex sempre alegrava a “namorada” quando chegava a casa depois do trabalho com um pequeno presente para ela. Normalmente esse presente seria uma noite inteira de sexo, mas havia vezes em que Alex trazia um pequeno colar ou peça de roupa (de vez em quando seria lingerie para alegrar a próxima noite prazerosa dos dois) para a garota que amava receber os presentes, mesmo quando não gostava deles.

*

-Trouxe esse vestido para você vestir hoje à noite quando me acompanhar na festa, tudo bem? – Joseph entregou uma caixa branca com uma fita vermelha à garota que ficou feliz de imediato.

-Sim! Obrigada... Mas pode me explicar o motivo da festa?

Os clientes do estilo de Joseph provavelmente seriam os preferidos dela. Empresários ou CEOs ricos e cavalheiros que faziam todas as vontades da garota. Mas nem tudo isso era bom, eles a lembravam de seus pais e de sua família, eles ofereciam sempre um presente quando viam a garotinha ao fim de algum tempo e sempre lhe deram o que ela queria. Não para ir para festas de pessoas ricas, mas sim um bilhete para ir à Disney Land, que normalmente era o que ela pedia para os avós. Ela sempre achou que a sua família era a melhor do mundo, mas isso era só na sua cabeça pois as outras pessoas achavam a garota muito mimada. Também na escola era xingada pelos colegas por tudo o que fazia e mesmo sendo das melhores alunas do colégio inteiro, ninguém a protegia.

*

-Oi, o meu nome é Jackson, acho que eu contratei você? – o garoto loiro falou em um tom de brincadeira e com um sorriso muito gentil no rosto.

-Oi, sim! Sou eu, o meu nome é... – E foi a partir daqui que a sua vida voltou a mudar, desta vez para melhor.

Jackson Wang era um garoto de 23 anos que parecia um garotinho pequeno em personalidade. Jackson a fazia feliz, tanto durante o sexo, como durante o dia pois estava sempre a rir e a fazer rir a companheira que era perdidamente apaixonada pelo mais velho. Quando o mês do contrato terminou, Jackson pediu a garota em namoro e até hoje vêm vivendo os dois juntos. Podiam se contar com os dedos das mãos o número de vezes que o casal não fazia sexo durante a noite, e isso, por incrível que pareça, fazia a garota muito feliz. Juntando à personalidade fácil de lidar como a do seu novo namorado, ela estava no paraíso. Ou muito perto disso.

*

-Saiba que sempre iremos amar você... – os pais da garota repetiam esta frase inúmeras vezes durante os 17 anos desde que ela havia chegado ao mundo, e no seu aniversário de 18 anos não foi diferente.

-Eu sei disso... Eu também vos amo!

Thomas, com apenas 12 anos, havia entrado em um gangue muito famoso e poderoso na área onde a garota e a sua família moravam. Ele nunca havia feito nada de errado no gangue, mas não podia ignorar o facto de que era o mais novo de todos os seus colegas cúmplices, suspeitos e perseguidos pela polícia. E por causa disso já havia sido por várias vezes alvo de ataques de outros gangues da mesma zona. Ele havia sido avisado por seus superiores que a partir do momento em que ele faria 18 anos, que deveria ter ainda mais cuidado com as pessoas dos outros gangues, mas não deu ouvidos e isso acabou por arruinar a festa da sua namorada, aliás, acabou por arruinar toda a vida dela.

Enquanto toda a sua família estava na sala para festejar os 18 anos da pequena, ela e o namorado estavam no quarto, fechados e as únicas coisas que se ouviam dentro no mesmo era apenas a respiração ofegante e descontrolada dos dois, o barulho que os seus corpos faziam ao chocarem e gemidos, por algumas vezes altos. Mas o barulho de armas semiautomáticas e gritos atrapalhou o momento dos dois, assustando-os te tal maneira que Thomas saiu de dentro na garota rapidamente e começou a vestir as suas roupas rapidamente e dizendo para a namorada não sair do quarto antes de ir rapidamente para fora do quarto e fechando a porta. Ela, com medo, apenas vestiu as suas roupas e se escondeu debaixo da cama, pensando que a mesma a iria proteger para sempre. Pouco depois, ela ouve alguém entrar no quarto e iria sair debaixo da cama se não tivesse visto duas pessoas passarem pela porta. A garota estava em choque e nem percebeu que havia segurado a sua respiração. Poucos segundos depois, os mesmos saem do quarto e a pequena finalmente respira fundo. Esperou mais uns minutos e depois saiu do quarto, dando passos curtos e dirigindo-se à maior divisão da casa, onde provavelmente estaria toda a sua família.

Quando chega à sala, vê todas as pessoas. Porém estavam mortas. Tinham ferimentos de tiros e o chão já estava coberto por sangue das 19 pessoas que estavam na sua festa de aniversário. Mas faltava uma... Thomas. Ela corre pela casa à procura do seu namorado e quando vai ao jardim, vê o mesmo deitado no chão de costas e corre até ele. A garota já estava lavada em lágrimas devido a toda esta situação. Quando analisa o corpo de Thomas, vê que este ainda subia e descia o peito lentamente. Agarra a sua cabeça e o garoto abre os olhos e quando viu a namorada, sorriu largo, mas começou a tossir e cuspiu sangue. Thomas desculpou-se por ter acontecido aquilo com a sua família e que a culpa era dele. A garota muito triste aproxima o seu rosto do dele e beija o seu namorado suavemente e pedindo permissão com a língua e o mais velho aceitou. Continuaram com o beijo e aos poucos Thomas vai perdendo as forças, deixando de mover a língua carinhosamente pela boca da pequena.

*

-Promete que nunca me vai esquecer Jackson? – perguntou a garota ao Jackson.

-Prometo amor... Nunca me irei esquecer de você... – Jackson juntou os seus lábios em um beijo carinhoso.

E Jackson realmente nunca a abandonou. Sempre a apoiou nos assuntos mais delicados da sua vida, principalmente agora que ela precisava de toda a ajuda possível. Desde que os avós do Jackson criaram uma empresa enorme quando eram jovens, que a sua família enriqueceu, o que permitiu dar ao garoto uma boa casa e bastante dinheiro até o fim dos seus dias. Porém a sua melhor compra, foi sem dúvida o contrato que fez com que ele arranjasse uma garota, mesmo ter gasto muito dinheiro, nunca se iria arrepender de a ter conhecido. Jackson fazia de tudo para fazer a garota feliz durante todo o tempo que estiveram juntos. Quando iam fazer um ano de namoro, Jackson pediu a mais nova em casamento e dois anos depois adotaram um lindo casal de gémeos.

*

-Eu amo todos vocês... – respondeu fraca e já sem forças.

-Também te amamos mãe! – e com isto, recebeu dois beijinhos, um em cada lado do seu rosto ao mesmo tempo, dos seres mais importantes do mundo inteiro, tanto para ela, como para Jackson.

Ela lembrava de tudo isto como se fosse ontem pois revivia todas aquelas cenas permanentemente enquanto esperava o enfermeiro do hospital trazer os comprimidos para ela tomar. Ela não teria mais forças para continuar a viver e Jackson sabia disso. E era exatamente por isso que passava os dias com a mulher no hospital, fazendo-lhe sempre companhia sempre que os filhos, que tinham agora 7 anos, estavam na escola. Um dia, no hospital, ela acorda lentamente e sorriu quando viu o seu marido deitado com a sua cabeça no colo dela. Ela estava demasiado fraca... Devido a todos os homens que ela ficou, apanhou HIV e nunca se iria perdoar se passou o mesmo vírus aos clientes seguintes ou até mesmo ao seu amor. Esta foi mais uma razão pela qual ela e o marido concordaram em adotar filhos, tinham medo que os mesmos nascessem doentes. Mas essa foi a melhor escolha de toda a sua vida. Com apenas duas crianças, o seu coração voltou a ficar cheio de ternura e carinho como tinha antes de ver toda a sua família morrer, junto com o garoto que ela mais amava na altura. Não demorou até Jackson receber o aviso do hospital que ela havia piorado muito, então ele pegou os filhos, Anne e Peter, diretamente da escola e foi rapidamente até o hospital. Ela sorriu largo ao ver os filhos entrarem no seu quarto de hospital a correr para abraçarem o seu corpo. Nesse mesmo dia, os médicos explicaram toda a situação aos presentes e estes despediram-se dela. Jackson disse para os filhos se despedirem e saírem da sala pois tinha que dizer umas coisas à mulher pálida e já sem cabelo.

-Eu te amo mais do que tudo garota, nunca se esqueça disso... – Jackson, que sempre foi muito sentimental, já estava lavado em lágrimas apenas de pensar que esta seria a última vez que falaria isto para a mulher da sua vida.

-E-eu também te amo Jackson... Agora me beija por favor...

Jackson fez o que a pequena pediu e juntou os seus lábios em um selinho cheio de carinho. Ela lembrou-se do seu último momento junto a Thomas. Havia sido igual. Jackson pediu permissão com a língua e iniciaram um beijo apaixonado. Aos poucos, as máquinas apitavam cada vez menos vezes e Jackson já sabia o que aquilo significava. Ela, entre dois beijos, disse baixinho que amava Jackson de tal maneira que não sabia que se podia amar, e voltaram a juntar os lábios. Jackson começou a sentir que a mulher estava cada vez a ficar mais fraca e levou as suas mãos à nuca dela, aprofundando o beijo para aproveitar os seus últimos segundos juntos. Até que ela simplesmente deixou de mexer a língua e a sua cabeça caiu para trás, separando as duas bocas. Jackson havia perdido a sua mulher para sempre. Tudo que lhe restava eram as memórias de todos os seus momentos juntos e os filhos que os dois criaram juntos por apenas cinco anos, antes dela adoecer e ter que ficar internada no hospital, para sempre.

 

E tal como Jackson prometeu, esteve com ela até ao fim. 


Notas Finais


Aqui está! Espero que tenham gostado!
Aqui está o link da minha outra história caso estejam curiosos ;)
https://www.spiritfanfiction.com/historia/my-hybrid-xing-12353837


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...