1. Spirit Fanfics >
  2. O cantor e a aeromoça >
  3. Juntos;

História O cantor e a aeromoça - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Juntos;


Tanto Ross quanto Carol, estavam pouco se importando com o lugar nada apropriado para tal ato. Só queriam sentir o mesmo prazer que sentiam anos atrás sozinhos, só eles entre quatro paredes.

Se tivesse uma câmera no banheiro, eles estariam extremamente ferrados, já que ambos não se encontravam mais de blusa. Ross tinha seu peitoral levemente marcado pelo batom da aeromoça, e Carol também não teve escapatória, tendo chupões espalhados da clavícula até o umbigo, pois de acordo com o loiro, a pele dela era macia e branca demais pra não ser provada e marcada por ele.

Não sabiam dizer a contagem certa de quanto tempo estavam ali dentro, mas chutariam que bastante. E com algumas batidas na porta do banheiro, os dois sentiriam-se congelar por dentro, se encararam assustados e sem saber o que fazer.

— Olá? Está tudo bem ai dentro? Alguns passageiros estando...hãn...dizendo que está demorando demais, algum problema?

Céus! Caroline queria se enfiar de cara na privada só de ouvir a voz de sua amiga, também aeromoça, falar aquilo e pediu forças pra aguentar a vergonha que sentiria depois ao ter que reencontrá-la. Por sorte, mesmo em choque, Ross tomou iniciativa para salvá-los.

— A-Ah....estou bem! Talvez demore mais.... um pouco mas está tudo bem! — a morena tapou a boca com força, tentando conter o risco de sua risada sair alto o bastante para sua amiga detrás da porta ouvir, mas não tinha como não rir vendo a cara de besta do loiro e o quão vermelho ele se encontrava.

Depois disso, não se ouviu mais nada além de uma tosse falsa e o som do bater do salto no piso do avião se distanciar.

Os dois suspiraram ao mesmo tempo, sem querer, e acabaram trocando um sorrisinho cúmplice voltando ao assunto que realmente lhe insteressava.

Notando a impaciência do Lynch, a Mello tratou de tirar seu sutiã que tinha uma fechadura por trás um tanto... especial, deixando exposto seus seios de tamanho médio, perfeitos pra ele.

Ele estalou a língua no céu da boca e abriu um sorriso malicioso ouvindo-a gemer baixinho ao pegar com as mãos os seios dela, aonde cabiam na medida certa.

— Com toda certeza, não senti só a sua falta, mas desse corpo lindo também...

Ela perdeu a fala e mordeu os lábios moldados pelo antes perfeito desenhar do batom, quase fazendo-os sangrar pelo aperto dos dentes ao se segurar para não gemer alto o suficiente para chamar ainda mais atenção, e Carol se deixou deliciar-se pela maravilhosa sensação que era ter Ross Shor Lynch, beijando, mordendo, chupando e brincando com seus seios. E ela não perdeu tempo ao passar seus braços no pescoço dele e rodear suas pernas na cintura do mesmo, incentivando cada vez mais o contado de suas intimidades ainda cobertas - mas não por muito tempo -.

Ele poderia ficar com fortes dores nas costas pela posicão que estava, mas quem disse que ele ligava?

— E-Eu..... n-não dá Carol...preciso de você...e r-rápido.

Ela deu uma risadinha fraca, quase sem fôlego, mas assentiu concordando com ele e isso foi a deixa, a última gota, para o Lynch tirar toda a vestimenta deles.

Que se danem as preliminares! Ele a iria tomar pra si nesse instante!

Retirou a calça dela por primeiro e rasgou sob os protestos da morena, a calcinha dela ao tirar com certa rapidez e força, e logo depois não demorou muito para ele também estar despido, do mesmo jeito que veio ao mundo pela primeira vez.

Carol teve que encostar a cabeça na parede nada bem feita do avião, como apoio, assim como deixou suas mãos por cima da cabeça do loiro, quando ele fez questão de pelo menos dar algumas lambidas em sua entrada já úmida, pronta para recebê-lo. O que já se era esperado.

Mas tudo não teve comparação quando suas intimidades se chocaram na primeira  estocada após uma penetração calorosa pela falta que seus corpos sentiam em ter essa sensação prazerosa que é ser preenchida por dentro por ele e esmagado nas extremidades da intimidade dela.

— O-Oh.... R....Ross...

— Geme, Carol....pede por mais....pede

— M-Mais....mais forte...

E ele atentou com muito prazer o pedido dela, claro. Estocando-a com vontade, em movimentos frenéticos de vai e vem.

O cantor enterrou sua cabeça entre os seios dela e capturou um deles de lado, chupando-o com gosto enquanto investia sem parar na entrada da aeromoça.

O suor de seus corpos só ajudava ainda mais no deslizamento de encontro das suas intimidades, tornando ainda mais fácil a penetração. O lugar era minúsculo, se sentim quentes demais, mas nada isso parece lhes incomodar, a não ser por estar proibididos de soltar qualquer som mais alto que pudesse atravessar aquelas paredes nada concretas do avião.

.

.

.

Foi difícil voltar a aparência de antes, e ainda mais complicado saírem sem causar tumulto dentro do avião. Mas, felizmente, deu tudo certo e Caroline já se encontrava no meio das demais parceiras de vôo, e Ross em seu assento fingindo estar dormindo ouvindo músicas quaisqueres no fone, mantendo um sorriso aberto no rosto, sem deixar de demonstrar seu felicidade pra quem quer que passasse pelo corredor e o visse.

AUSTRÁLIA - CAPITAL CAMBERRA

Enfim, o grande avião aterrissou em terra firme, em seu destino. 

O cantor tinha sua mala de mão, em mãos e só estava esperando, ansioso, ma grande fila para a saída mais próxima e de longe pode captar o chapéu costumeiro das aeromoças e nele estava a dona do seu coração, Caroline Mello, que dava um sorriso e dizia algo para cada passageiro que passava pela porta à fora.

Suspirou, rendindo pela ideia maluca mas muito oportuna para a situação, já que não pretendia deixá-la espacar mais uma vez. Não mais.

Quando então chegou frente a frente com ela, sorriu se colocando ao lado dela e a puxando pela mão sem mais e nem menos, até a ala de comando.

— Hum... Capitão?

— Sim? — o capitão do avião encarou o casal com a sobrancelha erguida. — O que posso ajudar senhorita Mello e....

— Ross, Ross Lynch.

— Ah.... o famoso cantor que estaria presente em nosso vôo. — o mais velho sorriu e encarou a aeromoça que estava corada feito um tomate. — Carol?

— Ela não sabe ainda mas.... queria a sua permissão pra tirá-la do trabalho por alguns dias e ....ela ficar aqui na Austrália por um tempo....

O capitão ficou sério e fitou ambos os dois com total seriedade, para depois abrir um largo sorriso e assentir com a cabeça.

— Está livre minha jovem. — piscou pra ela que sentiu seu coração pular como em uma cama-elástica.

.

.

.

No final, o conseguiu fazer com que sua aeromoça preferida ficasse por um bom tempo junto consigo na Austrália, ambos curtindo aa férias de seus trabalhos exigentes. Deixando uma jura no ar, de que apesar das batalhas que enfrentariam para ficar juntos, eles.... ficariam juntos, pra sempre.


Notas Finais


ACABEI XD — agora pretendo me esconder antes que a Kah me mate KKKK —
Espero que tenham goxtado :)
Kisses da Kory <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...