1. Spirit Fanfics >
  2. O chefe que me odeia- IMAGINE LEVI ACKERMAN >
  3. Capítulo 1

História O chefe que me odeia- IMAGINE LEVI ACKERMAN - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo 1


São 7 da manhã e meu chefe já está gritando comigo por absolutamente nada em específico 

Levi; senhorita (s/s), eu já não lhe disse que eu não bebo café? -ele pergunta estressado. 

(s/n): já disse sim, senhor –digo olhando para meus próprios pés. 

Levi: então porque eu tenho café e não chá na minha mesa nesta linda manhã? -pergunta sarcástico. 

Antes que eu pudesse responder Hange, nossa diretora de marketing, aparece correndo no escritório. 

Hange: a culpa é minha Levi, fui eu quem disse para (s/n) que eu traria seu chá, pois tinha assuntos pra tratar com você e acho que troquei nossos copos, sinto muito –fala com um sorriso inocente no rosto. 

Meu chefe apenas suspira e faz um sinal para que eu deixe a sala, o que prontamente faço, eu realmente tenho um medo absurdo dele. 

[...] 

Já era hora do almoço quando nosso presidente Erwin bate de leve em minha mesa, atraindo minha atenção. 

Erwin: poderia avisar ao Levi que estou aqui senhorita (s/n)? -pede sorrindo amigavelmente 

(s/n): claro senhor –digo e interfono para o escritório de Levi. 

Minutos depois ele aparece. 

Levi: vamos Erwin. 

Erwin: vamos –ele diz seguindo o moreno –muito obrigado (s/n) -diz sorrindo 

(s/n): não há de quê, senhor. 

Levi: aliás, pode sair para almoçar senhorita (s/s) -ele diz já distante da minha mesa. 

Ao ouvir isso comecei a me preparar para sair, quando Hange surge correndo no fim do corredor. 

Hange: (S/N)! Vai almoçar agora? -pergunta e eu afirmo –vamos juntas –ela diz me puxando com ela para fora do escritório 

[...] 

Quando retornei do almoço meu chefe já estava em sua sala, então voltei para meu posto até o mesmo me chamar. 

(s/n): em que posso ajudar senhor? -pergunto parando em frente a sua mesa. 

Levi: me traga os restos dos relatórios -diz e eu afirmo e deixo a sala 

Vou até a secretária de Erwin e peço os relatórios, antes da mesma me entregar ele aparece na porta e me chama para entra e pegá-los eu mesma. 

(s/n): sinto muito senhor, não queria incomodar –digo enquanto pego os documentos 

Erwin: não me incomoda em nada senhorita –ele diz me entregando o último -mas me responda uma coisa, soube que pela manhã houve um certo desentendimento entre você e o vice-presidente Ackerman, é verdade? 

(s/n): foi apenas um mal-entendido senhor, está tudo resolvido agora 

Erwin: fico feliz em saber, se precisar de mais alguma coisa é só pedir –ele diz abrindo a porta. 

(s/n): obrigada senhor –digo deixando o ambiente. 

Antes de ir até meu chefe, passo na cozinha e lhe faço um chá. 

Bato na porta e o escuto mandando-me entrar. 

(s/n): aqui estão os relatórios senhor –digo colocando tudo na mesa, inclusive o chá 

Levi: certo, obrigado –ele diz e em seguida olha para o chá -não me lembro de pedir isso. 

(s/n): a-aa- é que ger-almente é nesse horário que o senhor costuma tomá-lo –gaguejo. 

Levi: bom saber que decorou tudo, já pode sair não preciso de mais nada por agora. -diz e eu assinto e vou saindo –e senhorita (s/s) sugiro que comece a me olhar nos olhos quando falar comigo. 

Aquilo me fez tremer inteira, pronto, agora ele tá com raiva por eu não o olhar nos olhos.  

[...] 

Já estava no fim do expediente quando Levi interfona e diz que já posso ir embora, arrumo minhas coisas e vou para meu apartamento. 

Ao chegar, percebo que minhas colegas de quarto já haviam chego. 

Sasha: que bom que chegou, estamos nos arrumando para sair você vem? 

(s/n): hoje não meninas –digo indo para meu quarto 

Historia: vamos (s/n), por favor, você sempre fura com a gente 

(s/n): vocês são universitárias, eu sou uma secretária cansada não compare nossas energias para festejar. 

Sasha: mais um motivo para vir com a gente –ela diz e vai até meu guarda-roupa e pega um vestido vermelho justo e me entrega –uma balada nunca matou ninguém. 

Depois de tamanha insistência eu finalmente cedi e fomos para a bendita balada. Chegando lá, só a fachada já indicava o nível das pessoas que a frequentavam. 

(s/n): por favor não se metam em confusão e nem sumam nem avisar –digo para as duas garotas que concordam rapidamente e já se espalham pelo local. Suspiro e me dirijo ao bar, pelo menos uma bebida eu posso beber. 

Estava bebendo meu drink quando sinto uma mão em minha cintura e me viro assustada. 

Hange: calma (s/n), sou só eu –ela diz rindo 

(s/n): quase me matou do coração -digo colocando a mão no peito. 

Hange: você está uma puta gostosa nesse vestido, devia se vestir mais assim, ia matar o chefe do coração -ela diz e eu coro 

(s/n): pelo amor de Deus Hange, sabe que eu morro de medo dele –digo e ela ri 

Hange: não entendo o motivo -dá de ombros 

(s/n): não entende, pois, a senhorita é amiga dele e não é com você que ele grita todo dia de manhã. 

Hange: tem razão, mas chega de falar disso vamos beber! 

 

Depois de alguns copos eu e Hange dançávamos na pista de dança. 

Hange: acho que já dancei demais, vou voltar para meus amigos você vem? 

(s/n): não quero atrapalhar, vou procurar minhas amigas e vou embora –digo já voltando a mim. 

Hange: deixa disso e vem logo –ela me puxa pela mão -pessoal voltei, e olhem quem eu encontrei. 

Quando adentramos o local privativo que dava visão periférica de toda a boate notei que infelizmente conhecia todos os presentes. 

Erwin: é sempre um prazer revê-la senhorita (s/n) 

(s/n): o prazer é meu senhor –digo sem graça 

Mike: a quanto tempo senhorita 

(s/n): realmente diretor, como vai o senhor? 

Mike: vou bem, obrigado por perguntar, aliás essa cor ficou esplêndida em você 

(s/n): obrigada senhor. 

Enquanto eu conversava com os demais, podia sentir o olhar mortal do meu chefe sobre mim. 

(s/n): bem, já está tarde e eu preciso ir, foi um prazer encontrá-los –digo e me curvo em sinal de respeito 

Hange: mais já? Agora que a festa começou 

Levi: deixa a menina sair quatro olhos –ele diz com tédio, e essa foi minha deixa para sair correndo da sala. Encostada na porta pude ouvi-los falar. 

Mike: não precisava disso Levi. 

Erwin: realmente, você a assustou. 

Levi: ela é muito irritante  

Ouvir aquilo me magoou, eu sabia que ele não ia com a minha cara, mas falar assim me faz pensar o como eu sou inútil como sua secretária, e olha que eu só trabalho para ele há 1 ano. 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Obrigada por ler até aqui!
o que você achou?
o que acha que vai acontecer?
COMENTE
COMPARTILHE
FAVORITE


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...