1. Spirit Fanfics >
  2. O Norueguês >
  3. Sture,o jovem

História O Norueguês - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Nesse inicio eu vou falar como era a vida de Sture até os 14 anos,e como era o seu pai e sua cidade,aviso que eu peguei o nome de algumas cidades da Noruega,como a que eu coloquei mas saibam que a data de fundação não e a mesma que eu coloquei já que o ano que a minha história se passa 876 e essa cidade foi fundada na metade do seculo x.

Capítulo 1 - Sture,o jovem


Fanfic / Fanfiction O Norueguês - Capítulo 1 - Sture,o jovem

Meu nome é Morang,que significa aço negro,esse foi o nome que eu recebi quando completei 17 anos,mas antes disso eu era conhecido como Sture Ollavoson filho do earl Ollavo,o Bravo,nasci na Noruega mais precisadamente a região da costa sul da Noruega na cidade de Trondheim aonde o pai do meu pai havia construído uma pequena cidade com poucas pessoas morando na cidade.Ela tinha em cerca de 400 a 500 moradores e nosso exercito tinha pelo menos 60 soldados e tínhamos 3 barcos e dois sendo construídos,as casas em sua maioria eram de madeira e bem pequenas com apenas dois comodo.Menos a minha a do earl que era feita de madeira reforçada com uma grande ladeira e 6 comodo e estavam começando a fazer um grande muro de 7 metros com madeiras.Quando eu nasci eu tinha outros 5 irmãos e duas irmãs é eu era o mais novo,mas eu logo fui ficando o mais velho pois os meus 3 irmãos mais velhos haviam morrido um deles em combate os outros dois por doença.sobrando me apenas 4 irmãos que dos quais nenhum sobreviveu quando chegou o inverno.Eu nasci no dia que 2 dos meus irmãos estavam sendo enterrados e logo me chamaram de Den overlevende que em Norueguês significa o sobrevivente,eu gostava quando as pessoas me chamavam assim era uma palavra longa e eu me sentia superior aos demais,mas logo fui percebendo que era melhor eu ter ido pra junto de meus irmãos ainda novo pois o meu destino estava cheio de tragedias.Quando completei 10 anos o meu pai me levou pra caçar e a me treinar pra lutar com espadas,machados,lanças e escudos,eu gostava disso pois eu era bom consegui derrotar um jovem adulto de 18 anos com apenas 12 anos.se bem que aos 12 anos eu já tinha quase 1,65 e o que derrotei era um homem pequeno e fraco mas forte o suficiente pra derrotar uma criança de 12 anos,ainda com essa idade o meu pai me levou pra a minha primeira batalha.Eu não precisaria lutar apenas observar o meu pai lutando,agente tava enfrentando um grupo de assassinos,estrupadores,ladrões,eles estavam entre uns 20 a 22  e nos estávamos entre 15 incluindo o meu pai,eu achava loucura enfrentar um inimigo que tinha mais soldados.Mas foi ai que eu aprendi que na batalha números as vezes não importavam e sim as armaduras na qual os homens do meu pai tinham armaduras com cota de malha,elmo feitos de ferro,escudos com a borde de ferro e espadas afiadas e alguns de machados que poderiam facilmente serem cravadas na cabeça de um homem com um elmo super-resistente e quanto aos bandidos que estávamos enfrentando usavam  roupas de couro espadas mal feitas,escudos quase se partindo e pareciam não comer a dias.

-Formar parede de escudos.Gritou meu pai,que estavam tão bem equipado e em seu escudo e de todos os seus guerreiros mostrava uma serpente,pra ser mais especifico era Jormungandr a serpente do mundo,além disso meu pai empunhava uma espada curta com um cabo dourado e logo um pouco em cima do cabo na parte da lamina havia uma serpente.

Quando meu pai gritou pra fazerem a parede de escudo eu que estava do lado dele vi uma fileira de 10 homens na minha frente os outros 4 estavam do meu lado como guardas costas,os 10 homens fizeram uma parede de escudos aonde um homem colo seu escudo na frente de joelho e se agacha ora um outro colocar seu escudo por cima do dele e vinha outro colocando seu escudo por cima do ombro o protegendo de flechas ou ataques  que poderiam vir por cima.Eu não entendia pra que de fazer a parede de escudos e então que meu pai falou.

-Eu sei que eles estão nos observando.Disse meu pai serio pra mim. E continuou-Sempre vai ter alguém te observando Sture.A gente estava até que bem posicionados num lugar alto aonde obrigava eles avançarem pra cima da gente,mas eu não via sinal do grupo de bandidos.Até que avistei eles,não vou entrar em muitos detalhes pois eu já contei como eles estavam,eles rapidamente fizeram suas paredes de escudos e começaram a avançar lentamente em nossa direção e nos estávamos parados esperando eles se aproximarem da gente,em quanto eles não chegavam a gente zombavamos da cara deles dizendo que se pareciam mulheres e que já viram velhos se moverem mais rápidos.

-Avançarem.Gritou o meu pai com tanta tensidade a que parecia que até os salões dos deuses ouviriam.

Os nossos soldados avançaram lentamente indo de encontro com os bandidos,dava pra ver a cara de assustados e alguns tremiam e até se mijavam eu sei disso pois depois o meu pai me mandou procurar alguma coisa valiosa do corpos deles,os soldados de meu pai estavam a 1 passo deles e foi quando o chocar de escudos veio e as laminas se chocaram contra os escudos,aquela batalha foi uma carnificina como se nem uma batalha fosse uma carnificina,mas aquela foi uma batalha totalmente desequilibrada os soldados de meu pai mataram so no choque de escudos 7 e mataram pelo menos 9 incluindo o líder do grupo de bandidos havia sobrado 6 ou 7 que foram levados como prisioneiros e vendidos como escravos em Trondheim.Quando completei 14 anos fui numa caçada,era inverno eu estava na floresta caçando algum animal como um cervo ou javali,eu estava com arco e flecha e estava de dia que facilitava um pouco mas eu prefira ainda de dia do que de noite.Andando mata a dentro  pela floresta estava na metade do dia e eu tinha pego algumas lebres e colhido algumas eravas pra dar pros curandeiros,mas andando cada vez mais mata a dentro e eu não estava caminhando de pé e sim me esgueirando pelo chão pra não perder alguma presa e foi a que eu vi a coisa que mudaria o meu destino.la estava a espada negra que um dia seria chamada de a Morte negra  e eu seria conhecido em alguns lugares como Mormegil que significa Espada negra,quando eu vi ela pela primeira vez eu não pensava em mais nada ela estava cravada em um corpo todo em sanguentado o seu cabo era dourado e sua lamina era de aço puro e negro e tinha umas palavras escritas em dourado em sua lamina numa língua que eu nunca ouvira até que mais tarde me disseram que estava escrita em elfico e ninguém sabia falar elfico ou escrever na verdade era raro alguém de nós saber escrever e ler.Voltei correndo pra casa e falei pro meu pai sobre a espada e ele ficou surpreso e quis testar a espada contra um escudo dele,o choque da espada fez que o escudo fosse trincado e depois a parte de cima do escudo quebrou.E foi quando eu estava completando quase 15 anos que eu e meu pai partimos pra Inglaterra junto com seu 5 barcos já feitos e com pelo menos 100 homens e a gente não ia sozinho a gente ia com mais dois earls que eram Uff,o velho e ufrik,o pálido cada tinha 7 navios o que deixava o nosso exercito em cerca de 450 homens.A viagem foi dura até a Inglaterrra qua na época não se chamava inglaterra e sim Britania,a gente tinha desembarcado numa praia em Northumbria e de la a gente iria saquear vilas e matar saxões.E foi assim que a minha história começou.
 


Notas Finais


Espero que tenham gostado eu gostei muito do que eu escrevi até agora,ela ainda está sendo escrita por mim em um caderno e nesse exato momento eu estou terminando de escrever o quarto capitulo e falado isso até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...