História O Segredo da Floresta Obscura - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias O Segredo Além do Jardim (Over the Garden Wall), Rodrigo "Saiko" Ximenes
Personagens Rodrigo "Saiko" Ximenes
Tags Quase Meia Noite
Visualizações 36
Palavras 657
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


• Quero agradecer a todos que comentam e que estão favoritando/gostando da fanfic, muito obrigada! •

Capítulo 4 - Choro.


• P.O.V - Ycaro Gabryel • 


A mulher passou mais duas vezes antes de voltar para dentro da casa. Nunca pensei que o barulho de uma porta abrindo e fechando poderia ser meu novo som favorito.


— Agora você vai me explicar do porque de precisar ir naquela casa ? — Pergunto levemente irritado. Aquela situação estava me assustando muito. 


Primeiro eu acordei num lugar estranhamente escuro, apenas com uma lamparina que não iluminava direito, tem um pergaminho em minhas mãos porem não consigo abri-lo, alem desse estranho de asa machucada. Eu so quero acordar desse pesadelo. 


— Você reparou que minha asa esta machucada, certo ? — Ele pergunta retoricamente, mas mesmo assim eu afirmo com a cabeça. — Somente um soro em específico volta a asa de um anjo ao normal, e esse soro esta dentro daquela casa. 


E ele ainda é um anjo.

— Entendi — Apenas digo isso e mordo o labio inferior. Ouço ele suspirar e se encostar novamente na árvore.


— Olha, eu sei que não confia em mim e nem posso pedir pra você confiar, mas eu te prometo que nada ira acontecer com você e que logo tudo voltara ao normal. — Disparou o Ser olhando para o chão.


— Porque disso ? Porque a mim ? Porque eu estou aqui ? — Pergunto murmurando sentindo meus olhos arderem. — Eu so queria estar com a minha família, com meus amigos.


Tampo meu rosto quando sinto as lágrimas descendo pela minha bochecha.


— Eu sinto muito por isso tudo, mas é necessário — Ele diz perto do meu ouvido e me puxa para o que parece ser um abraço. 


• P.O.V - André Felipe •


A sala estava clara, clara ate demais. Quando acordei não havia ninguém naquela sala alem de mim, eu estava com as mãos amarradas mas porque. 


Onde estou ?

— Que bom que acordou lindinho — Gabriel diz assim que entrou na sala e sentiu meu olhar nele. Ainda posso confiar nele ? E porque ele me chamou de "lindinho" ?


— Onde estou ? — Pergunto com a voz falhada, limpo a garganta. Provavelmente estava muito tempo dormindo naquela espécie de cama.


— Eu trouxe algumas coisas pra você, bebê — Ele dá um sorriso doce e vem ate mim, continuo serio. Confiar ou não confiar ? Suas mãos estão vazias.


— Você não tem nada em mãos. — Digo firme olhando no fundo dos seus olhos. Seus olhos eram azuis, totalmente azuis e celestiais.


— Eu sei o que esta pensando, queria muito te explicar tudo mas não posso agora. So me siga e tudo ficara bem. — Ele avisa me puxando levemente para levantar da espécie de cama, assim faço. Não tenho escolha.


Saímos do "quarto" e fomos para outra sala, essa tinha apenas um sofá com três assentos. Ele me solta e aponta para o sofá. 


— Antes de injetar algo em mim você disse que precisava ver alguem em um lugar secreto. Quem é esse alguem e esse lugar secreto é aqui ? — Pergunto curioso me sentando no sofá. O de olhos azuis volta de um cômodo qualquer com uma bandeja de comida.


— Não posso dizer o nome dele, porém posso te informar sobre o que ele comanda. — O loiro disse enquanto me desamarrava para comer. Tentar fugir ? — Ele domina a natureza e usa de suas maravilhas para o mal, ou seja, não fale nada ate que seja mencionado diretamente ou perguntado algo. Como eu disse, não quero que você se machuque.


— Você não disse isso — Digo pegando uma colherada de arroz com feijão. Isso esta bom.


— Eu acho que preciso te ensinar algumas coisas antes de irmos ao reino ver o rei Flowa. — Novamente o sorriso doce estava em seu rosto enquanto ele fazia carinho em meu cabelo. 

Eu não sei mais o que pensar, confiar ou não confiar ? 



Notas Finais


1° - As partes em itálico são como conversas internas dos personagens, espero não ter deixado vocês confusos com isso.

2° - A fanfic é baseada no desenho animado "Over The Garden Wall".

3° - Qualquer duvida sobre o entendimento da fanfic, por favor escrever nos comentarios.

4° - Tchauzinho *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...