1. Spirit Fanfics >
  2. Onii-chan! >
  3. Capítulo 1

História Onii-chan! - Capítulo 2


Escrita por: Hely_chan

Notas do Autor


Universo Alternativo (Tempos modernos) - Sem poderes

Capítulo 2 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Onii-chan! - Capítulo 2 - Capítulo 1

Konohagakure, Vila Oculta da Folha, reside ao redor de uma vasta e imensa floresta no País do Fogo, um dos Cinco Grandes Países Shinobi. Tem um kage como Líder, conhecido como Hokage, Líder da Vila, Senju Hashirama e Co-Líder, Senju-Uchiha Madara, esposo e atual Líder do Clã Uchiha após a morte de seu de pai.
É vista como a mais poderosa das aldeias Shinobi.
Foi, nela, onde foi criada e fundada a Anbu por Senju Tobirama, irmão do Hokage e chefe da Anbu de Konoha, que é uma especialização considerada como esquadrão dentro de cada vila, tem a finalidade de proteger seu kage e sua vila. Os indivíduos dessa especialização são selecionados minuciosamente para serem designados em trabalhos de alta periculosidade, exigindo, sobretudo, especialização em técnicas de assassinato, tortura e conhecimento da anatomia humana. Tal especialidade, se espalhou e foi reconhecida globalmente.
Também, pelo poder militar que é chefiado pelo Clã Uchiha, que é uma família forte e poderosa em artes marciais e possuem suas próprias formas, desiguais e únicas, de combate.
Pelos outros clãs poderosos, originados na vila.
E por suas outras façanhas lendárias e famosas.


...


___________________________________


São quatro horas e meia da manhã.

Um belo Ômega de estatura baixa, trajando um fofo e provocante pijama que consiste em uma blusa curta de cor branca, um, extremamente curto, short rosa e um par de meias brancas até suas coxas com desenhos de patas de gato nas plantas do pé, sua roupa era, pecaminosamente, apertada que realça as fartas e cheias curvas de seu pequeno corpo. As duas cores de sua vestimenta salientam sua pura tez alva, suas orbes ónix, seu liso e longo, que desliza até seu pescoço magro, cabelo ébano, surpreendentemente, seus lábios rosados e carnudos e o leve rubor em suas bochechas;

Entra de fininho, nas pontas dos pés, no quarto decorado com uma estranha mistura de cores neutras e a cor laranja, enquanto, fecha devagar e em silêncio à porta sua atrás.

Quase gemeu estupidamente, ao inalar os potentes e dominantes feromônios do Alfa Lúpus cujo o local pertence. Suas pernas fraquejam e tremem, inconscientemente, esfregando uma na outra pela excitação repentina, seu corpo está quente e fumegante, seu Ômega interior ronrona e revira de entusiasmo e satisfação, pelo seu forte e opressor aroma amadeirado.

Se fosse um Ômega maduro e, totalmente, desenvolvido, estaria, nesse momento, entrando em um cio induzido e seria, provavelmente, tomado, reivindicado, marcado, atado e amado por seu, suposto, Alfa que está adormecido e alheio à seus pensamentos e desejos inoportunos e imundos.

Ah, doce ilusão.

Desejando e amando um Alfa que o vê, meramente, como um irmãozinho. 

Querendo e ansiando um Alfa que é seu irmão, independentemente, se é adoptado.

Sasuke se sente tolo e sujo por seus sentimentos inconcebíveis, porém, não pode evitar e nem quer, não quando seu Onii-chan é amável, amistoso, fofo, divertido, respeitoso, entre outras coisas incríveis, consigo.

Para si, Naruto é e sempre será o único.

Fechou seus olhos, inspirou e respirou profundamente, fazendo esse exercício de respiração contínua, até se acalmar. Retornou, lentamente, aos seus sentidos e suspirou aliviado.

Ufa, finalmente, sóbrio.

 Sorriu doce e calorosamente, indo com passos apressados e silenciosos até a cama king size, sentou-se ao lado da figura adormecida, de barriga para cima, nos pretos lençóis de seda, levemente, desarrumados.

Seu Al... Onii-chan é tão lindo e atraente.

Seus fios azeviche fluíam no travesseiro; seu belo semblante está sereno e terno que acentua, ainda mais, suas feições marcantes e másculas; sua pele, levemente, amorenada é clareada pela leve luz do sol que adentra pelas frestas das cortinas; seus três riscos horizontais davam um ar selvagem e, um pouco, fofo. Seu porte alto e musculoso, mas esbelto, seu peito e abdômen definidos em um pacote de seis, seus ombros e costas largas, suas mãos grandes e calejadas, seus braços fortes com veias notáveis, suas pernas grossas e flexíveis. E o mais notório são seus olhos azuis safira e cerúleo misturados em um só, os quais eram ressaltados pelo colar de pedra turmalina azul cristalino, que nunca tira.

Naruto poderia ser considerado o perfeito estereótipo de um verdadeiro Alfa. Além de ter uma personalidade incrível e agradável que, infelizmente, atrai muita atenção, principalmente, daquelas e daqueles projeto de meretrizes Ômegas. E ser o sonho de qualquer sogra.

Sasuke passou seus dedos delgados pela juba tingida e sedosa, deslizou pelas bochechas riscadas e robusta até seus lábios rosados onde movimentou seu dedo polegar sentindo sua maciez. Com timidez e meiguice, inclinou seu rosto até ao do outro e, lentamente, selou seus lábios em um selinho ansioso e demorado. 

Rapidamente, se afastou temendo o despertar de seu irmão, riu alegremente com a sensação prazerosa de seu curto beijo. Foi com total unilateralidade, mas muito bom.

Sentou em seus quadris, uma perna de cada lado em uma posição «M». Seu rubor aumentou, cobrindo seu rosto inteiro, parecia que entraria em combustão, quando, jurou, que sentiu uma leve ereção matinal sob as camadas do moletom e dos lençóis pretos.

Não, não, não.... Impossível.

Nunca, antes, isso aconteceu. Desde que se apresentou e foi proibido de dormir com seu irmão, Sasuke vai ao seu quarto e o acorda, alguns minutos, antes de seu despertador tocar, e aproveita para se aconchegar nele, como antigamente, antes de começarem mais um dia e, também, adora vê-lo a dormir. 

Tentou se ajeitar em seu colo, mas a protuberância parecia tornar-se mais evidente e um fraco gemido soou de Naruto. Uma parte de si estava envergonhada, no entanto, a outra parte, muito escondida, estava feliz.

Talvez pudesse...

Balançou sua cabeça repetidamente, tentando fazer os pensamentos e as ideias devassas desaparecerem de sua mente. Permaneceu imóvel esperando qualquer coisa acontecer e exalou em alívio, quando não. Decidido a cumprir com seu propósito principal, colocou suas mãos nos ombros largos de seu irmão e sacudiu, fortemente, seu corpo. 

– Acorde, Onii-chan! – berrou audível.

Lentamente, as orbes azuis marcantes se entreabriram e se fixaram no belo Ômega que sorria docemente, porém, se fecharam após um longo suspiro cansado.

Onii-chan! – gritou manhosamente sacudindo seu corpo – Acorde!

O Alfa soltou um resmungo cansativo e Sasuke, de repente, sentiu sua cintura esguia sendo puxada, com delicadeza e cuidado, juntando seus corpos que se encaixam perfeitamente, um no outro, sua cabeça caiu sobre seu peito duro e definido, ouvindo o reconfortante som de seus batimentos cardíacos.

– É cedo, S'uke... – comentou após uma breve verificação das horas – Agora... Dorme!

– Mas... – tentou argumentar.

Dorme! – ordenou.

Mãos calejadas afagam e acariciam, respectivamente, seus cabelos e suas costas cuja a tez está desnuda, tais toques são prazerosas e calmantes. Rendendo-se as suaves carícias, foi assolado por um sono repentino, mas bem apreciado.


(...)


Sasuke foi acordado por sons irritantes e desagradáveis de, talvez, portas abrindo e fechando, passos apressados ou movimentos excessivos. Era seu irmão que fazia toda essa barulheira. Corou após ver a roupa que traja, ou, quase a falta dela, apenas uma calça moletom preta e pelo contraste perceptível de seu membro, indica a ausência de uma cueca.

Era tão grande e grosso.

Rapidamente, agarrou e abraçou, com força, em um dos travesseiros entre suas pernas, escondendo-se neles e soltou um grito silencioso. Tão embaraçoso!

Inspirou e respirou fundo, sentado em cima de suas pernas, seus dedinhos delgados brincam com o tecido macio e fofinho de suas meias. Ergueu, vagarosamente, seu rosto ruborizado, confiante de que poderá encarar Naruto, sem fraquejar.

Ohayō¹, Onii-chan! – cumprimentou acanhadamente.

O Alfa Lúpus cessou seus movimentos e sorriu acaloradamente, aproximou de si e arredou os fios ébano grudados em sua testa selando um beijo afetuoso.

Ohayō, Otōto. – saudou – Te acordei?

Não! Não, Onii-chan. – mentiu.

– Que bom. – retirou sua mão dos cabelos negros, para a decepção do Ômega, tentou se distanciar, mas foi impedido.

– Espere... – ficou em frente de Naruto e nas pontas dos pés, pós as mãos em seus ombros firmes e bicou seus beiços carnudos na direita bochecha riscada, em um ósculo amoroso – Vou voltar para meu quarto, agora.

– Está bem. – acarinhou ambas as bochechas rechonchudas e coradas de seu amável irmãozinho.

– Até logo, Onii-chan! – despediu e saiu do quarto com um enorme sorriso dócil e contente.

Após fechar a porta, ficou cara à cara com seu Nii-san, que lhe ofereceu um olhar impassível e conhecedor, como se soubesse sobre seus pensamentos ocultos e obscuros.

Itachi e, todos naquela casa, estavam acostumados com essa visão, era constante pela manhã. Seus irmãozinhos tinha essa estranha rotina que virou, quase, um ritual diário.

Os dois irmãos Ômegas trocaram breves saudações cordiais antes de cada um seguir seu próprio caminho, o mais novo indo ao seu quarto e o mais velho exigindo que seu único irmão Alfa, fosse rápido e veloz em sua arrumação. 

Sasuke gargalhou divertidamente.

Ambos os seus irmãos mais velhos ingressaram na Academia de Polícia Militar de Konoha, tem duração de cinco anos e suas aulas são diurnas, das sete horas da manhã até às três horas da tarde, Itachi está no quarto ano e Naruto no segundo ano, além de cursar administração, na Universidade de Konoha, em curso noturno das cinco horas da tarde até às nove horas da noite.

Sasuke acha seu Onii-chan incrível por gerenciar suas atividades diurnas e noturnas em curto tempo de um dia, e ainda ser um dos melhores alunos da academia e de seu curso;

E suportar a pontualidade excessiva, e irritante, de Itachi.


(...)


Seis horas e quarenta minutos da manhã.

O Ômega mais novo dos Uchiha está deitado, de lado, uma perna em cima da outra, em sua cama sob os aveludados cobertores, brancos com florinhas de tom azul bebê, de algodão, com seu telefone, iPhone 13 Pro Max, vendo coisas aleatórias;

Quando toques na porta de seu quarto, despertaram sua atenção, ao abri-la, seu Onii-chan está lá, agora, completamente, vestido. Seu traje consiste em uma camiseta justa de mangas compridas e gola alta de cor preta, calças sociais e sapatos formais da mesma cor. A roupa acentua e favorece seu porte musculoso e ressalta, ainda mais, a bela cor de seus olhos.

– O que fazes aqui, Onii-chan? – indagou, mas, para si, sua pergunta soou, um pouco, errada, como se não quisesse sua presença, o que não é verdade – Não entenda mal, eu te quero aqui... Não bem assim... É que, eu... Só estou curioso. Isso! Só curiosidade.

– Eu sei, não precisa desse alarido todo, então, se acalme. – riu anasalado, seu Otōto era tão fofo – Eu só vim te despedir, S'uke.

– Oh! – exclamou.

Tão atencioso. 

O Ômega tem um mesquinho e péssimo hábito, quase uma necessidade, de quer saber onde e com quem seu Onii-chan está e isso é desde criança. E sabe que Naruto sabe disso e ao invés de repreendê-lo, o acalma e conforta como um bom irmão que é.

– Sim, mas antes, eu quero u... – tentou dizer, mas foi interrompido.

Naruto. Faça rápido ou vou deixar-te! – a voz irritada e impaciente de Itachi, ecoou do andar de baixo.

– Eu tenho meu próprio carro, mas ele insiste em me levar. – o Alfa sussurrou amargamente.

Se eu vir aí!

– É... É melhor v-você ir. – Sasuke aconselhou em risos.

– É. Mas antes, eu quero meu abraço de despedida. – disse com um sorriso travesso, braços abertos e sobrancelhas erguidas em sugestão – E...?

– Já que queres tanto. – como quem não quer nada, enrolou seus braços em volta da cintura definida e suspirou contente ao sentir braços fortes e firmes envolverem seu corpinho curvilíneo em um abraço apertado. Inalou profundamente, na esperança de sentir o aroma natural de Naruto, porém, não é perceptível, só pode sentir a doce fragrância de sua colônia masculina. 

Os feromônios preponderantes do Alfa Lúpus foram, ligeiramente, reduzidos, pelos inibidores de alta supressão e, completamente, contidos por si mesmo, visto que ao ir à sítios educativos ou de trabalho, como escolas, academias, empresas, entre outras, os Alfas e Ômegas devem usar supressores ou inibidores para garantir uma boa concentração, convivência, um bom funcionamento e outros.

Uchiha Naruto! – Itachi, novamente, berrou.

– Eu já vou! – gritou de volta.

Desça. Agora! 

Por Kami²! Como pode alguém ser tão pontual assim. – exasperou Naruto, interrompendo o abraço.

– Tenho à certeza, que em seu casamentoso, chegará antes do noivo. – o Ômega mais novo brincou, podendo imaginar isso, realmente, acontecendo.

– E ainda reclamará pela demora. – riu com o pensamento.

Sasuke não morrerá só porque você não deu uma simples despedida. – provocou e, por alguma razão, aquilo ofendeu o referido.

Ei! – fá-lo parecer um piralho mimado.

O que é verdade.

– Adeus, Otōto. – acariciou o céu noturno que eram seus cabelos.

– Adeus, Onii-chan. – vendo-o desaparecer de sua vista.

Fechou a porta, retornou para sua cama e pegou seu telefone.

São seis horas e cinquenta minutos.

Ainda faltam duas horas e quarenta minutos para ir à escola.

O que fará para passar tempo?

Revisar sua matéria, não precisa.

Mexer no telefone, entediante.

Imaginar vários cenários com Naruto, já faz isso, constantemente.

Talvez, um cochilo.


Notas Finais


[1] - Forma abreviada de bom dia.
[2] - Significa Deus.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...