História Os Mercenários - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Criminal Minds, Os Mercenários
Personagens Aaron Hotchner, Alex Blake, Chefe de Seção Erin Strauss, Chefe de Seção Mateo Cruz, David "Dave" Rossi, Derek Morgan, Dr. Spencer Reid, Elle Greenaway, Emily Prentiss, Jason Gideon, Jennifer "JJ" Jareau, Kate Callahan, Penelope Garcia, Personagens Originais
Tags Criminal Minds
Visualizações 17
Palavras 1.924
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente.
Acho que a maioria de vcs já me conhecem.
Eu vou explicar porque estou fazendo está fic.
Bom... Um amigo meu de desafiou . Disse que era impossível eu conseguir fazer uma fanfic de Criminal minds , que os personagens são matadores de aluguel. Bom... Tá aí.
E pessoal eu peço a vocês que me ajudem, pq essa fanfic precisa passar de 3.000 visualizações. Será que consegue?

Estou contando com vocês.

https://youtu.be/6Zbw86Xts5Q

Gente esse link é da trilha sonora da fanfic.

Capítulo 1 - O1- O começo de tudo.


Esses caras não vão parar de atirar na gente?-Pergunta JJ ofegante, e depois atira contra os atiradores que estavam nos cercando.

Eu estava nervosa. Minhas balas não iam durar muito tempo.

-Eu e Tara vamos tentar avançar. Nós dêem cobertura- fala Luke.

- Não Alves. As balas não vão aguentar. Precisamos pedir reforço- grita Emily no meio de tanto barulho.

- Você tem um plano melhor?-Perguntou ele olhando pra Emily é depois pra mim.

- Abaixem as armas seus federais!- grita um dos caras que está atirando contra nós.

- Nem pensar. Pra você atirar em nós?- pergunta Hotchnner.

- Se vocês não largarem as armas, seu amigo federal vai pelos ares- grita o homem. Quando ele diz isso eu percebo que Spencer não está em lugar nenhum. Olho em direção ao homem, é me desespero. Ele está com uma arma apontada para o meu Spencer. Logo todos ficam sem saber o que fazer.

Laiara Gonzalez off*

Alguns Anos antes...

Muitos de nós acham nossos empregos difíceis... Isso é um fato. As pessoas muitas vezes olham para vidas dos outros, é pensam que pra eles tudo é mais fácil. Acredite, não é. Você vê um pessoa bem vestida ou com um bom carro, é já pensa que ela teve ganhar dez mil vezes mais que você. Em alguns casos pode até ser... Mais em outros não.

O que você faria se lhe oferecessem um emprego que você ganharia bem, mais teria que matar pessoas para isso, você aceitaria?

Alguns sim , outros não.

Mais as pessoas que eu irei falar não tiveram escolha.

Como assim não tiveram escolha?

Cada um de nós nasce para seguir um profissão que gostamos ou que somos bons. E assim que os Expendables do governo eram escolhidos. Eles são bons demais para não seguirem essa profissão.

Alguns dessa história só seguiram essa profissão , por acaso. Mais que tal começarmos com isso.

Quarta-feira, 09:20 hrs. Quântico , Virgínia.

- Bom dia senhor Axerold- diz Karol assistente de Axerold, diretor da MDG( Mercenários Do Governo), mais que trabalha na CIA e no FBI.

- Bom dia Karol. Hoje é o dia dos Expendables virem - falou ele se sentando em sua cadeira.

- Sim senhor. Já separei cada um. Vou ligar para eles dando a hora para virem. Já separei as missões de cada um- falou Karol um pouco rápido, mais séria.

- Ótimo- fala ele sem olhar para ela, mais mexendo em uns arquivos em sua mesa.

- Senhor lembrando que a diretora Alexandra estará aqui para falar com cada um dos Expendables- falou ela da porta da sala.

- Obrigado por me lembrar- diz ele olhando na direção dela.

Depois que ela saiu, ele deu uma olhada em cada tarefa que ele teria que dar para um Expendable.

Casa da família Garcia...

-Um... Dois... Três. Pronta ou não Sophie, lá vou eu- fala Penélope começando a andar pela casa.

Garcia e sua filha de cinco anos , Sophie, estão brincando de esconde-esconde.

Penélope vai procurando cada cantinho da casa. Ela escuta a risadinha da filha , é vai em direção ao barulho.

Chega na sala é vê os pés da filha atrás da poltrona, ao lado do sofá.

- Onde será que essa menina se meteu. Acho que ela tá lá em cima- fala Penélope enquanto vai na ponta dos pés, em direção a poltrona- ACHEI!- fala ela pegando a menina e enchendo de beijos.

- Aí mamãe... Daqui a pouco você vai me matar de tanto carinho- fala a menina rindo.

- Você tem toda razão Sophie. Então o que você quer no café da manhã?-Perguntou Penélope colocando a menina numa cadeira da mesa , perto da cozinha.

Elas escutam o barulho da porta da frente se abrindo, é ficam felizes em ver quem era.

- Oi Sophie- fala a pessoa cheia de sacolas.

-Oi Alexis- fala Penélope, enquanto Sophie só falta pular na tia.

- Maninha, eu aproveitei que como você estava em casa, para fazer as compras do mês- fala ela deixando as compras em

cima da mesa, é colocando Sophie no colo.

- Ótimo, porque provavelmente eu vou viajar essa semana- fala Penélope mexendo na geladeira.

- Eu sei disso- fala Alexis colocando Sophie no chão. A menina vai em direção a sala, para assistir desenhos- O pai dela ficaria orgulhoso-fala Alexis olhando para Garcia.

- Eu sei. Gustave era louco por Sophie. E eu sei que seja lá onde ele estiver, ele está protegendo ela- fala Penélope segurando o colar, que o seu falecido marido a deu quando eles começaram a namorar.

- Eu tenho orgulho de você Maninha. Não importa como seja seu trabalho, mais você conseguiu dar uma ótima vida a Sophie desde da morte de Gustave- fala Alexis sorrindo.

- Eu espero que valha mesmo . Porque esse emprego cada vez vai ficando pior- diz Garcia passando a mão nós cabelos loiros- E falando no inferno- fala ela pegando o celular.

Viu que era uma mensagem.

" Garcia preciso que venha ao meu escritório hoje às 13:20.

Não se atrase.

Axerold"

- Que foi Penélope?- Perguntou Alexis curiosa.

- Axerold me avisando de uma reunião- fala Penélope suspirando, é colocando o celular na bancada de mármore.

- As vezes eu me pergunto como você consegue- fala Alexis abrindo a geladeira é tirando uma garrafa de água.

- Acredite... Não é fácil- fala Penélope voltando a fazer o café da manhã.

Apartamento De Emily Prentiss

Emily Prentiss On*

Hoje eu acordei de bom humor. Cheguei ontem de noite da minha missão. Não foi tão difícil como eu pensei, mais também não tão fácil. Esse trabalho sempre será assim.

Já recebi um mensagem de Axlforde para ir até o escritório deixar a maleta com os códigos russos da última missão.

Então resolvi colocar uma blusa azul clara, uma calça social preta, um blazer preto e é lógico que um salto preto para completar. Passei um maquiagem básica.

Fiz meu café , coloquei comida pro Sergio- meu gato- que já estava morrendo de fome.

Tenho certeza que quando eu receber meu pagamento da última missão, Axlforde vai me dizer que eu já tenho outra.

Depois de tomar café, vou lavar a louça. Depois pego minha bolsa, a maleta com os códigos, coloco um sobretudo e saiu.

Hoje o dia está bem frio , mais do que o normal na Virgínia.

Vou até o estacionamento do meu prédio, logo vejo meu carro: Uma Mercedes Benz preta. Tiro as chaves da bolsa e destravo o carro. Coloco a bolsa e a maleta no banco do carona é ligo o carro.

As ruas hoje estão um pouco mais agitadas que o normal. Vai por eu ter passado um mês fora , está fazendo eu achar que as coisas estão mudadas.

Logo vejo o prédio da MDC. Estaciono na frente do prédio, é saio do meu carro. Logo a recepcionista me reconhece é me deixa passar sem problemas.

Entro no elevador um pouco nervosa. Logo chego no meu andar . O elevador se abre e eu saio.

Vejo a secretária do Axlforde e vou falar com ela.

- Bom dia Karol- falo colocando a maleta em cima do balcão da mesa dela.

- Bom dia agente Prentiss- fala ela com um sorriso- A senhorita hoje vai ter que esperar um pouco para entrar. O senhor Axlforde está falando com outro Expendable, junto com a diretora Alexandra- logo meu sorriso se desfaz. A Alexandra era pessoa que eu menos queria ver hoje.

Ela já foi uma das melhores Expendables , mais agora fica dando palpite nas nossas missões.

- Senhorita Emily, bote se sentar ali-fala Karol me tirando dos meus pensamentos . Ela me apontou uma das cadeiras que ficam na frente da sala do Axlforde.

Me sento, é espero.

Dar para escutar a conversar dentro da sala de Axlforde... E percebo que está uma confusão.

Parece que o mercenário que está lá dentro não está nada feliz.

- Eu fiz tudo certo Axlforde. Matei o Fernando Laris - escuto o nervosinho falar irritado.

- Mais não matou só ele. Matou também o Carlos Ravenna- escuto Alexandra falar batendo na mesa. Ela está furiosa.

- Ele era igual ao Fernando. Deveriam estar me agradecendo- escuto o homem falando furioso.

- Agente Morgan, eu sei que você fez seu trabalho bem. Só que não precisava matar o Carlos Ravenna. Mais tudo bem. Mais por causa disso, você vai passar duas semanas sem trabalhar em campo- escuto Axlforde falando calmo.

- Duas semanas?! Há ... Eu mereço- escuto o tal de Morgan falar. Não falar não... Gritar.

- Ou é isso ou será demitido e rebaixado- fala Axlforde ainda calmo. Será que ele tá falando assim para tentar acalmar os outros dois da sala? Acho que sim.

- Tudo bem. Mais espero não receber mais sermão- Disse o cara mais calmo.

- E eu espero não ter mais motivos para lhe dar - escuto Alexandra falando firme.

Alguns segundos depois escuto o barulho da porta se abrindo. Olho para o homem que tanto estava irritado lá dentro. Ele é moreno, careca, musculoso, bem bonito. Mais não é meu tipo.

Ele me encara e depois sai andando em direção ao elevador.

- Há... Emily. Entre por favor- Escuto Axlforde falando comigo , mais me tirando dos meus pensamentos.

Levanto , e entro na sala.

- Olá agente Prentiss- Fala Alexandra assim que me vê.

- Oi Senhora- respondo o mais educada possível.

- Desculpe fazer você esperar. Estávamos resolvendo outros assuntos- Fala Axlforde se sentando na cadeira , atrás da grande mesa de vidro que me separa dele é da bruxa, da Alexandra.

- Eu entendo completamente- digo um sorriso fraco.

- Trouxe a encomenda?- pergunta Axlforde me analisando.

- Com certeza- Digo já pegando a maleta- Está aqui. Todos os códigos que me pediu- Falo colocando a maleta na mesa .

- Ótimo trabalho agente Prentiss- fala Alexandra séria- Aqui está seu pagamento- fala ele me entregando um envelope . Abro e logo vejo meu pagamento lá dentro.

- Mais você tem outro trabalhinho agente- fala Axlforde sorrindo sinico.

- Eu já estava estranhando- falo com um sorrisinho- O que é dessa vez?- pergunto indo logo ao ponto.

- Você irá para El Salvador. Mais não sozinha. Vai ajudar um outro mercenário na missão dele- fala Axlforde.

Eu não gosto muito dessa coisa de dar reforço pra outro mercenário... Mais é a vida.

- Do que se trata?- eu pergunto olhando primeiro para Alexandra e depois para Axlforde.

- A uma semana em El Salvador , uma das melhores lojas de carros foi roubada. Levaram mais de 22 modelos de carros. A algumas semanas atrás, em Paris outra loja de carro foi roubada. Levaram 25 modelos. A Interpol é a CIA acham que os carros foram usados para um leilão ilegal, comando por um grupo chamado " The Powers". Eles roubam os carros e vendem para traficantes ilegais- Fala Axlforde me dando uma pasta com todos os detalhes.

- Então vocês querem que eu e outro mercenário consigam os carros de volta?- pergunto já sabendo a resposta.

- Exatamente- Confirma Axlforde.

- Bom... Eu posso saber com quem eu vou trabalhar?- pergunto curiosa. Porque ninguém merece dar apoio a um mercenário que não faz o trabalho direito.

- Ele se chama Aaron Hotchnner. Trabalha no FBI a alguns anos. Depois da morte da esposa, virou um mercenário. Você ele iram se encontrar amanhã , na frente do Pentágono. Quando o encontrar , irá entregar essa maleta a ele. Aqui tem : Passaporte, endereços de contas bancárias, o nome do hotel onde vocês iram ficar, e outras coisinhas a mais- fala ele me entregando outra maleta.

- Ja posso ir ou tem outra coisa?- pergunto já querendo dar o fora da lá.

- Pode sim agente Prentiss- Responde Alexandra.

Saiu da sala nada contente com essa historinha de dar reforço pra alguém. Mais se eu vou ser paga pra isso. Então tudo bem.

Emily Prentiss Off*


Notas Finais


Gostaram? Por favor comentem bastante e espalhem a fanfic por aí.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...