História Our Little Accident - Jikook - Capítulo 27


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bagtanboys, Bts, Jeonjungkook, Jikook, Kookmin, Lemon, Parkjimin, Smut, Yaoi
Visualizações 1.332
Palavras 2.492
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura! Leiam as notas finais!! Muitas obras novas para vocês!

Me sigam também em meu perfil laiwonderland

Links nas notas finais!

Capítulo 27 - Best of Me II


Fanfic / Fanfiction Our Little Accident - Jikook - Capítulo 27 - Best of Me II

Você é minha salvação, você é meu escudo 

Eu apenas preciso de você 

Você tem o melhor de mim 

Eu preciso de você 

Então, por favor, não me deixe 

Você tem o melhor de mim 


Estava chovendo 

Estava nevando 

Mas toda infelicidade parou 

Você trouxe o céu para mim 

Não fale tão facilmente 

Porque sem você, não há eu 

Você é o melhor de mim 

O melhor de mim

Jimin POV'S 

Já havia se passado um bom tempo desde que eu e Jungkook havíamos voltado de Busan, infelizmente por conta da viagem e um acúmulo absurdo de trabalho por conta da aparente Tour que fariam no final do ano, o Jeon malmente vinha dormir em casa.

Claro, eu ficava triste pois ter ele me abraçando na hora de dormir e me ninando até eu pegar no sono era a melhor parte do meu dia. Exagero? Talvez. Dá um desconto, tô grávido e sensível.

Se você está se perguntando sobre como ficamos depois que voltamos eu te digo. Nada mudou e isso, para mim, é algo maravilhoso se comparado ao que vivemos até aquele estágio de nossas vidas.

Tudo eram flores e eu ficava igual um idiota namorando meu anel de namoro, o quanto bobo eu sou?

Muito, talvez. Mas eu só queria que o tempo parasse e que ficassemos daquela forma, mas nem tudo é lindo e a vida segue o baile.

Não ter Jungkook em casa durante tanto tempo me deu algo a se pensar. Afinal, ele tinha o trabalho dele e na minha mente eu só pensava em como seria no futuro. Eu não abriria mão do meu trabalho igualmente, pois apesar de tudo, eu aprendi a amar o que fazia e sabia o meu sofrimento até conseguir chegar onde cheguei dentro do hospital. Quantas noites sem dormir eu passei ou o quanto chorei porque um professor idiota havia me marcado e me dado nota menor do que devia, apenas para ter o gosto de me ver na recuperação.

Nossa, que anos sombrios foram aqueles, mas eu tinha boas memórias também como a primeira vez que fomos no hospital para observar tudo e conversa com os pacientes, ter tempo de conhecê-los e nossa, a sensação havia sido incrível. Eu não queria abrir mão da minha vida profissional mesmo amando meu filho mais que tudo.

Mas o medo me deixava ansioso e ao mesmo tempo eu sabia que eu e Jungkook precisaríamos ceder um pouco ou acabaríamos não vendo nosso filho crescer e isso, eu jamais deixaria ocorrer.

Suspiro e balanço a cabeça, melhor eu pensar no agora e deixar isso para quando o bebê nascesse. Ainda tínhamos tempo para falar sobre isso. Me assusto quando ouço a campainha ressoar no ambiente e vou até a porta depois de ver quem era pela câmera.

— Seu traidor! Depois de tudo que eu fiz por você! Como pôde ir ver seu novo melhor amigo primeiro do que eu?! — Sue diz logo quando abro a porta e acabo rindo da cara de maluca que ela faz, descabelada e bolsas escuras abaixo dos olhos por ter passado a semana dando plantão. — Isso! Ria mesmo, por que vou arrancar seu cu com ajuda dos cachorros da minha tia da próxima vez. Fica o aviso, parça.

— Também senti sua falta, gata. — digo a abraçando forte, bom tanto quando consegui com a barriga daquele tamanho.

— Você é tão malvado... — ela diz chorosa. — Me deixando de lado nessa fase da sua vida, como se eu não fosse nada.

— Me perdoa? As coisas andaram tão loucas nos últimos tempos...— me sinto mal por saber que tinha uma pitada de verdade naquilo. Sue era minha melhor amiga da vida e eu havia deixado ela de escanteio por um tempo.

Eu a amava e isso não mudou, mas eu era o errado da história e isso não se faz com um amigo tão importante.

— Tô de TPM e sem dormir, acabo sentimental demais, você sabe. Não o culpo por nada Minnie, apenas senti sua falta demais esses dias. — ela me abraça enquanto estávamos agora no sofá de casa.

Ela sorri carinhosamente e a conhecendo bem eu sabia que ela nunca me magoaria proposital mesmo triste e isso me fazia pior.

— Você sabe que te amo não é? — faço um bico fofo e aeygo, ela acaba rindo.

— Seu interesseiro. Sim eu trouxe chocolate, o que seria da sua vida sem mim? Puff. — ela diz e tira da bolsa dela a barra e sem aguentar acabo soltando um gritinho afeminado tamanho era minha fome de chocolate naquele momento.

— Você é a melhor! — a digo me lambuzado de chocolate.

— Cadê o gostosão? — ela pergunta se referindo ao Jungkook.

— Você não sabe o quanto querida, ele tá na empresa e cheio de trabalho. O suficiente para nem vim para casa por uns dois dias. — sou irônico no início, mas término com pesar.

— Isso não se faz com a coleguinha na seca. — ela solta um muxoxo. — Tenho certeza que é só por agora, depois vocês vão ficar cheio de amor um com o outro pela casa e se comendo com o fogo que você tem.

— Calada! — coro relembrando a última vez que fizemos e sentindo um calor subir. — Não vou mentir não, mas até na calma ele me enlouquece, o poder daquele pau não é de Deus.

Sue solta uma risada alta e estridente.

— Falando nisso, entrou um gostosão lá que tá deixando todo mundo louco para ter um pedaço. O nome dele é...Ahm... como é mesmo ?— ela fala consigo e acabo rindo por saber como ela era terrível com nome. — Ah! É Jung KwonHo!

Levanto a sombrancelha na hora e ela arregala os olhos como se lesse minha mente.

— Mas que merda! É sério? O mesmo de Busan? Droga! Nem creio nisso! — ela diz chocada por notar finalmente que era meu ex.

— Nem me diga. Estou imaginando voltar com esse traste lá, eu ouvi que ele iria para o hospital, mas não imaginava que seria tão rápido assim, já sei que vai ser um inferno. — digo e ouço o som da porta se abrindo e fechando e logo Jungkook aparece.

Sorrio no mesmo momento e pulo do sofá como se não ouvesse uma terceira pessoa no recinto ou uma melancia gigante como barriga.

O Jeon sorri assim que me vê também e me abraça como dá, dando beijinhos por meu rosto que me fez rir.

— Ainda estou aqui pombinhos! Não joguem na minha cara o qual só eu estou. — Sue diz com um bico gigantesco e acabo rindo.

— Oi, Sue. Como vai? — Jungkook a cumprimenta bem cordial, eles ainda não tiveram a chance de se tornarem amigos, algo que eu precisaria mudar.

— Na seca e você garanhão? — ela diz despojada e Jungkook acaba rindo.

Esquece o que eu disse, Sue tem seu próprio jeito de fazer amizades.

— Estou bem servido, obrigado. — ele diz em resposta e me olha malicioso me fazendo corar e esconder o rosto em seu pescoço.

— Com uma abóbora gigante dessas de dianteira o planeta todo estaria servido. — ela faz piada e dou língua para ela.

— Ah, essa abóbora aqui só eu como. — Jungkook resposta no mesmo nível e reviro os olhos.

— Vocês são horríveis. — finalizo e ambos riem de mim.

Droga, sempre sou a piada.

**

Após rimos e conversarmos e claro, comermos bastante ou pelo menos eles comerem quase toda a dispensa enquanto eu chupava o dedo de fome, era a hora que eu iria ao hospital para a consulta mensal e até um pouco em atraso. Aquele mês eu deveria tomar algumas vacinas, tirar sangue para exames diversos e veríamos se o bebê não tinha anomalias ou algo do gênero.

Eu estava um pouco nervoso, pois sabia que no final estaria extremamente cansado após tudo e morto de fome, é claro. Quem aguenta passar uma manhã sem comer como eu?

Por sorte eu fui distraído pelos dois até dar o horário da consulta e exames. Aquela seria a primeira vez que Jungkook iria numa consulta comigo e mesmo cansado por não ter dormido muito durante a semana ele queria ir ao invés de descansar e isso me deixou comovido.

Por fim, deixamos Sue no hospital e fomos ao consultório e claro, eu estava morto de medo de me bater com o Jung pelo corredor. Deus me livre!

Assim que chegamos eu fui logo encaminhado para retirar sangue e Jeon me acompanhou sem querer me deixar sozinho em momento algum e isso me deixou ainda mais apaixonado por ele.

Já disse que mesmo médico eu odeio agulhas em mim? Pois é, eu odeio!

Tive três tubinhos de sangue tirados e os dois braços carimbados por conta que havia sido um combo com três tipos de vacinas em só uma que me deixou choramingando muito nos braços de Jungkook que, mesmo escondido pela roupa que costumava vestir para não o reconhecerem ele, me deu muito carinho e não me soltou enquanto esperávamos na sala de atendimento nossa vez. De vez em quando ele tirava a máscara apenas para me encher de beijinhos e eu amava isso.

— Park Jimin. — a secretária chama e me levanto sendo encaminhado para sala onde faria a ultrassonografia.

A mesma médica dos meses anteriores assim que me viu sorrio e se levantou para nos cumprimentar.

— Ora! Temos um novato aqui. — ela diz brincalhona e Jungkook ri.

— É um prazer. — ele diz enquanto me ajuda a me sentar na mesinha.

— Como estamos hoje? — ela pergunta sorridente e eu retiro a blusa me deitando.

— Hm...ando com um pouco de dor na coluna, as tonturas diminuíram mas ainda as tenho. Ah, e o que dizer sobre querer ir no banheiro a todo momento. — digo e término com um bico enquanto ela despeja o gel gelado em mim, ela ri um pouco das minhas falas e eu seguro a mão de Jungkook que estava do meu lado.

— Não tenho muitos conselhos para te dar já que é médico também, mas se a dor na coluna piorar eu receito um medicamento. — ela diz e aceno. — Vamos agora ver esse bagunceiro.

Rimos e ela pega o equipamento começando a passar pela barriga enquanto olhavámos para tela em nossa frente que aos poucos tomava forma.

— Oh! Ele cresceu tanto! — sorrio feliz por isso e Jungkook tenta desvendar o que aparece na tela, acabo rindo. O explico rapidamente com a ajuda da médica os formatos e Jungkook logo entende.

— Batimentos estão ótimos, nenhuma deformidade, e para nossa sorte parece estar com as penas abertas. — ela diz e desliza o equipamento até certo ponto da barriga e arregalou os olhos.

— Oh! Ali está, meu anjinho! — digo emocionado e acabo chorando e Jungkook limpa minhas lágrimas mesmo sem entender. — Nosso garotão vem por aí.

Por um momento Jungkook parece em choque e em seguida seus olhos se enchem de lágrimas como o meu, o puxo para um selo de lábios rápidos e sorrimos cúmplices.

— Oh, então você é o pai? — pergunta a médica supresa. — Perdão, achei que o outro homem que sempre vinha com você era o pai da criança.

Sinto Jungkook ficar tenso ao meu lado e fico sem saber o que dizer.

— Sim, esse é o pai. O outro é apenas um grande amigo. — explico e ela sorri em entendimento e me ajuda a limpar a barriga do gel antes de colocar a blusa.

Jeon fica quieto ao meu lado, sua expressão de alegria se resume em um olhar distante que me deixa triste. Será que ele estava magoado pela fala da médica?

Não tinha muito o que eu pudesse fazer, passamos tempo demais brigando entre nós e ele que perdeu uma parte da gravidez por conta disso, eu me sentia mal por isso.

— Vamos para casa, amor. — o digo o beijando e sinto o mesmo relaxar, depois de pegar as fotos da ultrassom, saímos do hospital.

— Estou exausto e com fome. — digo manhoso dentro do carro e ele segura minha mão quando paramos no sinal.

— Prefere que eu cozinhe ou compramos almoço? — me pergunta e o beijo rapidamente antes que ele volte a dirigir.

— Ver você cozinhando não tem preço. — digo malicioso e ele acaba rindo.

— Safado. — diz sorrindo sacana e apertando minha perna.

Ah, lá estava o fogo de novo.

Uma pena que a fome era muito grande para maiores safadezas no momento.

Por ter passado tanto tempo sem comer acabei ficando na cama deitado, meu estômago roncava alto e eu estava tonto. Gentilmente ao invés de me fazer ir até a cozinha Jungkook trouxe para mim até o quarto.

Que namorado maravilhoso esse que eu tenho.

— Obrigado — digo de boca cheia e o Jeon ri beijando minha testa enquanto eu devorava o prato de macarronada que ele fez, como era um dia quente ele aproveitou para abrir um pouco a porta de vidro que dava para o quintal e o ar fresco preencheu o quarto.

— Como se sente? — me pergunta ao sentar na cama e pegar a bandeja de mim e por ao nado da cama.

— Satisfeito. Obrigado por me manter alimentado. — agradeço e o abraço quando ambos estamos deitados na cama. — Você vai voltar para a Bighit?

— Hoje não, tirei o dia para descansar e ficar com um gatinho manhoso e faminto que ando criando. — ele brinca e acabo rindo.

— Bobo. — o digo e levanto o rosto dando de cara com ele, aproveitando a posição para me dar um beijo mais profundo enquanto acariciava minha barriga por debaixo da blusa de botões que eu estava usando dele por ficar confortável em mim.

— Você sentiu isso? — ele se separa de mim de repente de olhos arregalados e o olho confuso.

— O que? — pergunto e ele suspende de vez a blusa se sentando na cama, coro por estar apenas com aquela blusa e cueca.

— Ele mexeu amor! Juro que senti! — me diz animado e coloca a mão na barriga com cuidado, acariciando com carinho. — Mostra pra deu Appa garotão!

Como se realmente entendesse o pai, em seguida eu vejo uma elevação na barriga, era ele se movendo sob a mão grande do pai.

Jungkook me olha emocionado, nosso anjinho apesar das piruetas diárias não se movia quando alguém colocava a mão ou falava com ele, era a primeira vez e com Jeon.

Pela primeira vez ele era o primeiro em algo relacionado ao nosso bebê, mesmo tendo perdido a primeira compra, a primeira ultrassom, e diversos momentos anteriores ali estava ele.

A primeira vez que seu filho se movimentou foi sob sua mão e eu consegui ver no olhar de Jungkook o quanto significava aquilo, principalmente depois da consulta e palavras da médica.

Eu tinha quase certeza de ele se culpou naquele momento por ter perdido tanto.

— Ele te ama Kookie, essa é a forma dele dizer isso. — exponho meu pensamento e selamos nossos lábios como confirmação.

Pelo resto do dia foi regado de carinho, amor e muita conversa por parte de Jungkook com o bebê.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e por favor, favoritem e comentem!!
Foi postado uma shortfic com a @Sweetnatie e nossa, tá MT maravilhosa de linda ela! Vcs precisam dar uma olhada! Ah, ela é ABO!!
Link: https://www.spiritfanfiction.com/historia/love-the-way-you-lie-13864504

Venho aqui também divulgar uma estória linda que foi postada a muito pouco tempo e que vem trazer uma crítica dura sobre a vida de um idol. Ela foi feita em comemoração aos 1k de o.l.a então é todinha de vocês! Esperamos que vocês gostem e não julgue antes de ler, dê uma chance a ela 💞
Link: https://www.spiritfanfiction.com/historia/all-of-me--jikook-13901965

Quero  aproveitar também para avisá-los da oneshot — How U Dare — postada no aniversário da unnie Thais, espero que possam dar uma olhada ela está um arraso 🌚
Link: https://www.spiritfanfiction.com/historia/how-u-dare--jikook-13868593

Meu aniversário está chegando também e já quero deixa-los avisados que vai vim outra bem bombástica 😂😂😂 se preparem! Para saberem quando for postado por favor me sigam @laiwonderland! Não vai custar nadinha T.T tô querendo MT seguidores ;-;
Link: https://www.spiritfanfiction.com/perfil/laiwonderland

Beijos de morango e até o próximo! 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...