1. Spirit Fanfics >
  2. Parallel Line (Tzukook) (Bangtwice) >
  3. Capítulo 8 - The audition

História Parallel Line (Tzukook) (Bangtwice) - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Eu estou viva! Me dediquei imenso a escrever este capítulo! Acho que até é o mais longo que eu escrevi até agora! Por favor me perdoem por ter sumido durante tanto tempo e darei meu melhor para continuar escrevendo! Aliás achei algumas ideias que me permitiram que a história que eu imagino se assemelhe cada vez mais à história que eu escrevo e muito muito obrigada por todo o apoio e mensagens incríveis que tenho recebido, vocês significam o mundo para mim!

Capítulo 18 - Capítulo 8 - The audition


Fanfic / Fanfiction Parallel Line (Tzukook) (Bangtwice) - Capítulo 18 - Capítulo 8 - The audition

No último capítulo de Parallel Line…

 

°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~

‘’Tzuyu-ah tô indo!” – fala o garoto finalmente se apercebendo que era eu a chama-lo.

A porta é aberta e é substituída por uma cara de espanto por parte dos dois lados.

‘’Jungkook?!”

‘’Titia?!”

‘’Esperem… VOCÊS SE CONHECEM?!” – falo incrédula, provavelmente mais alto do que seria suposto

 

°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~

TZUYU POV

‘’Jungkook meu anjo! Quanto tempo sem ver você, está esperando o quê?! Venha dar um abraço bem quentinho na titia!”- apesar da sua aparência e reação bastante calma e alegre, consigo perceber que a mesma estava a conter as lágrimas, tal como Jungkook. Aqueles dois estavam a falar de uma história muito mal contada para mim mas, como menina educada que sou, deixei ambos abraçarem-se e matarem saudades um do outro sem problemas, ainda que procurasse uma resposta para tudo aquilo. Não podia deixar de sorrir pelo contentamento das duas partes, pelo que observei, minha mãe vê Jungkook como um filho e, por sua vez, o Kook vê minha mãe como alguém muito próximo dele, como um familiar. Mas…se minha omma age como omma de Jungkook, então isso nos faz…meios irmãos? Não não não! Isso já é demais! Acabe com isso Tzuyu!

“B-bem…desculpem interromper o momento mas…o que raio está acontecendo?” – pergunto ainda meio confusa pela situação perante meus olhos. “E como assim titia?! Somos primos Kookie?!” – pergunto novamente incrédula e talvez até com certo receio da resposta de minha mãe. ~Por favor que eu e o Jungkook não sejamos familiares!~ - penso para mim mesma.

Pelos vistos tudo o que minhas perguntas e reações fizeram nas duas almas caridosas em minha frente foi um ataque de riso que para mim seria tudo menos engraçado!

“Nada disso filha! Você e o Jungkook não têm grau nenhum de parentesco, foi apenas um apelido carinhoso que este pestinha decidiu me dar quando ainda era uma criancinha!” – fala minha omma logo soltando uma risada leve e se separando do abraço entre ela e o príncipe.

“Continuando, faz muito tem-…”

“Omma isso pode esperar! Preciso fazer uma coisa de máxima importância com o Jungkook! Guardamos a história para depois!” – interrompo minha omma logo segurando na mão de Jungkook e começando a correr em direção à escola.

“Tzuyu! Jungkook! O príncipe precisa de voltar para Tristan! Algo terrível pode acontecer!”- fala minha omma um tanto alto para que ambos escutássemos e Jungkook, apenas por ouvir o nome daquele reino abranda segurando com força minha mão e olhando para baixo. Dava para perceber eu o assunto ainda o incomodava e era sensível.

“Jungkook-ah, olhe para mim.” – falo segurando o rosto dele com minhas mãos acariciando de leve as bochechas dele.

“Eu estou aqui e nunca deixarei de estar. O que você fez não foi um erro, você abriu passagem para seus sonhos e não tem nada de mal nisso. Resolveremos isso depois, tudo voltará ao normal e eu sempre o ajudarei custe o que custar.” -falo calmamente sorrindo gentil para o garoto. Por alguma razão desconhecida eu me sinto responsável por ele aqui nesse mundo. Ele agora faz parte de minha vida, para minha felicidade, e sinceramente mesmo que pudesse não trocaria isso por nada. Com o pouco tempo que estive com este príncipe consegui perceber que ele é diferente de qualquer outro garoto que eu já conhecera e nesse momento faria tudo ao meu alcance para o ajudar e proteger, se bem que imagino que ele faria o mesmo por mim.

O olhar do mais velho se levanta do chão olhando com ternura e admiração os meus…estamos tão próximos. Aqueles olhos cintilantes, aqueles lábios rosadinhos, a tentação para o beijar naquele momento era enorme! Mas o que ele faria? Ele de certeza que não gosta de mim dessa maneira. Não sou bonita comos as princesas que conhecia em seu reino, não sou divertida como a Sana…eu não tenho nada que o fizesse ter sentimentos por mim, ainda que meus se tornem mais e mais óbvios para mim cada dia que passa.

Interrompendo meus pensamentos e perguntas momentâneas, Jungkook se aproxima de mim apenas uns centímetros até que os seus lábios tocam meus de leve. Não era um beijo, definitivamente não era um beijo mas aquele selinho quase fez com que meu coração saltasse de vez…Jungkook acabou de me beijar?! Era a única coisa que minha cabeça agora processava.

Agora sorrindo, o mais velho segura novamente minha mão agora interlaçando seus dedos nos meus e continuando a corrida para a escola na tentativa de conseguirmos achar o diretor.

“Cada dia que passa você fica mais perfeita em meus olhos, princesa.” – fala o garoto ao meu lado fazendo com que minhas bochechas já rosadas se tornassem vermelhas, dando até a aparência de que estaria com uma febre bastante forte. Enquanto falou a bendita frase, Jungkook nem olhou para mim, apenas sorriu de leve e continuou olhando o caminho em sua frente.

°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~

JUNGKOOK POV

Assim que continuamos correndo, Tzuyu me explicou o mal entendido das aulas e que teríamos de ser o mais rápidos possíveis já que o diretor poderia sair da escola a qualquer momento. Não tardou até eu e minha princesa passarmos os enormes portões da escola e nos dirigirmos ao escritório principal. Pelo caminho passamos por vários corredores onde ainda uma grande quantidade de alunos se situava provavelmente para atividades ou saídas de grupos. Estranhei bastante quando ocasionalmente, e com ocasionalmente quero antes dizer uma enorme quantidade de vezes, garotas acenando ou mando beijos…eu as conhecia de algum lado? Se bem me lembro não e eu me considero uma pessoa que não se esquece facilmente das coisas. Decido ignorar e continuar seguindo minha “guia” que anda em direção a um local bem aberto, com uma enorme quantidade de mesas e comida. Não consigo deixar de reparar que em uma mesa situada bem no centro do refeitório onde se encontravam bastantes meninas, uma delas reconhecendo como minha amiga Sana! Decido acenar para ela e para as outras garotas da mesa já que deveriam ser suas colegas ou amigas logo vendo Sana se levantando provavelmente para me cumprimentar.

“Ani Saninha! Estou ocupado, nos falamos depois!” – falo alto o suficiente para minha amiga me escutar não deixando de reparar no sorriso gentil e contagiante que minha princesa retribuía para as meninas.

SANA POV

Eu e as meninas ainda estávamos animadamente falando da escola, da vida, dos amores não correspondidos, um montão de coisas, aquelas garotas eram simplesmente do melhor que há nesse mundo e mesmo as mais velhas, Nayeon, Jeongyeon e Jihyo nos tratavam muito bem e foram simpáticas carinhosas desde o início. Pelo que percebi, as três já são amigas desde pequenas e sempre se mantiveram inseparáveis! Jihyo foi a “criadora” de toda a ideia das cheerleaders explicando que a ideia surgiu pois todas as escolas tinham uma equipe de torcida para jogos importantes menos aquela! Para além disso segundo ela existem bastantes concursos para as meninas que apoiam os times de basquetebol e futebol o que me fez ficar ainda mais entusiasmada que antes! Nayeon é a típica apaixonada por moda e maquilhagem! Assim que soube que poderia usar uniformes extremamente fofos que segundo as palavras exatas “seduziriam o coração frágil e cego” do seu crush que pelo que sei está no time de basquetebol, no entanto, ela insistiu que não revelaria quem seria o “seu futuro marido” e “pai dos seus filhos”, ela parecia ter um plano já bem elaborado do seu futuro e nos revelou que o seu sonho era abrir um salão de beleza no centro de Seul! Por último, Jeongyeon me pareceu uma pessoa extremamente simpática e divertida, no entanto, com um temperamento bastante complicado. Pelas histórias que fui escutando a personalidade da menina se assemelhou bastante à de um amigo que o Taehyung oppa me falara. Hummm…era Yoongi o nome dele? Penso que sim, mas de qualquer das maneiras eles me lembraram um do outro, será que se conhecem? E por falar em Tae oppa, já estou ficando com saudades daquele alien maravilhoso! O que será que ele está fazendo? Queria estar com ele…

Meus pensamentos são interrompidos assim que um rosto, aliás dois rostos familiares aparecem na cafetaria. Aquele não é o Jungkook e lá a Tzuyu com ele?!

Aceno para ambos que logo me avistam e retribuem os sorrisos. Me preparava para me dirigir a eles, no entanto, Jungkook fala que estariam fazendo algo de extrema importância, o que me faz recuar e assentir para eles fazendo um “fighting” ainda que não soubesse de que assuntos se tratavam.

Assim que me sento de novo na mesa, as meninas que faz uns segundos acenavam gentilmente para o casal me olhavam agora sérias.

“Quem era aquele Deus Grego?”- falam maior parte delas se referindo definitivamente ao Jungkook.

“Calma calma e pára o baile que a festa ainda não chegou à rua! Eu sou fiel a meu marido!” – fala Nayeon assemelhando-se a uma avó usando aqueles ditados populares que na realidade ninguém entende muito bem, logo arrancando risadas de todas nós.

“Eu também sou comprometida, mas tenho de admitir que ele é lindo! Tzuyu sua traidora!” – fala Momo indignada.

“Eu achei ele bonito sim mas não faz muito meu género não, parece um neném, tem mais carinha para ser meu filho do que namorado.” – fala Jihyo que logo é bombardeada com olhares de desaprovação de Jeongyeon.

“Você é a única realmente comprometida aqui no meio dessa gente toda! Você não pode nem olhar para outros meninos! Jihyo é verdadeira traidora aqui! Estou desapontada!” – fala Jeongyeon meio que “brava” com Jihyo, parecendo mesmo a sua mãe.

“Aquele menino que passou se chama Jungkook e ele é novo aqui, pelo que sei se tudo correr bem ela começará a estudar aqui ainda essa semana!” – falo sorrindo simpática esclarecendo as dúvidas das meninas.

“Mas isso ainda não explica o porquê de minha amiga não me ter falado desse serzinho tal de Jungkook e de repente chegam aqui de mãos dadas! Eles namoram por acaso? O que raio essa menina anda escondendo de mim?! De caminho me fala que se vai casar e ter três filhos! Meu coração não aguenta isso meu deus do céu! Eu sou diabética!” – fala minha prima de uma maneira extremamente exagerada com se fosse uma avó em estado terminal de saúde que, por razões desconhecidas se lembrou dos problemas.

“Tem certeza que você não é diabética pelos doces que come Momorango?” – pergunto rindo juntamente com as meninas.

“Não acredito que acabou de falar isso Sana! Primeiramente eu sou diabética ao melzinho dos casais! Segundamenre, pelos vistos estou rodeada de traidoras! Quem será a próxima que irá se revelar?!”

“Momo, você é literalmente a rainha do mel! Já se escutou a falar sobre seu crush supremo da vida? Pois, bem me parecia! Você é fofa mesmo sem querer! E outra coisa…tenho quase a certeza absoluta sintética analítica que a palavra “segundamente” não existe.” – falo ainda rindo leve.

“É uma palavra sim senhora! Em meu dicionário existe e isso é o que importa! E agora se me dão licença tenho que ir apreciar a beleza do crush.”- fala Momo se levantando com seu saco desportivo da aula de dança.

“Ainda não faltam 40 minutos para sua aula de dança, Momoring?” – pergunto meio confusa.

“Repara que eu falei que iria apreciar a beleza do crush e não ir na aula de dança! Ele está treinando basquetebol e eu irei assistir e levar um lanchinho para ele!” – fala a menina saindo alegre da mesa dando alguns pulinhos e rodopios pelo seu caminho.

“Caramba, me custa admitir mas aquela menina é incrível! É fofa até demais, é bonita, sabe dançar e ainda leva lanchinhos para o menino que ela gosta?! Se eu fosse o tal garoto pedia logo em casamento.” – fala Nayeon com um sorrisinho de coelho também demasiado fofo.

De repente chega uma menina correndo para a nossa mesa com a respiração meio ofegante provavelmente da corrida e assim que dou um bom olhar nela percebo que é uma menina de minha turma, Kim Dahyun! Já falamos várias vezes e ela é um doce de menina! Se bem me lembro ela tem uma irmã que também pertence na minha sala!

“Dahyunnie porquê a demora?” – fala Jihyo olhando Dahyun.

“Eu e uns amigos estávamos tirando fotos e dançando tanto que acabei por perder a noção do tempo hehe” – responde Dahyun rindo meio sem jeito.

“E onde está a Chae?” – pergunta Jeongyeon com curiosidade. Talvez essa tal de Chae seja a irmã de Dahyun!

“Se bem me lembro ela ficou na sala de aula pois precisava de ajuda para o dever de casa! Penso que ficou com o Jihoon…”- mal termina Dahyun de falar.

“Khe?! Jihoon e Chaeyoung?! Estudando sozinhos em uma sala?! Meu Woozi gnomo de jardim está crescendo! Isso eu tenho que ver com meus olhos!” – diz Jeongyeon agora correndo em direção de minha sala me deixando totalmente confusa.

“Para explicar as coisas para você Sana, a Jeongyeon sempre achou que Chaeyoung e o Jihoon fizessem um casal lindo pelo simples facto de ambos serem baixinhos. Provavelmente agora estará tirando algumas fotos pela janela de sua sala para usar futuramente como blackmail para qualquer um deles. Por vezes acho que a felicidade de Jeongyeon se forma a partir do desespero dos outros. – revela Jihyo me fazendo rir demais, aquela Jeongyeon era qualquer coisa de espetacular.

Após mais uns minutos de conversa todas nós decidimos voltar cada uma para seu local. Dahyun foi atrás de Jeongyeon que atormentava a sua irmã, Nayeon foi observar o crush por trás dos cacifos e Jihyo foi se comer com o namorado em um caninho qualquer. Enquanto que eu apenas me dirigi para o meu cacifo para colocar os livros das aulas de hoje mas estranhamente achei uma pequena notinha colada na parte da frente. Conferi inúmeras vezes se aquele seria mesmo o meu cacifo e sim era aquele por isso supus que aquela nota fosse para mim também. O papel lia: “Não consigo evitar ter cada vez mais saudade…”. A nota não estava assinada e não havia nada na caligrafia que me permitisse descobrir o autor da mensagem. Guardo o papel com cuidado em minha bolsa e sem conseguir evitar sorrio verdadeiramente feliz. Parecia uma história de amor tal como nos filmes…

MOMO POV

Assim que decidi sair da mesa das meninas para ir para junto do Hoseok oppa vou me dirigindo até ao local, que neste caso seria o campo de basquetebol onde o mais velho estaria treinando. Quando chego vejo que Hobi treinava como sempre, mas não consigo de deixar de reparar em uma menina do lado dele. Eu não conhecia ela de lado nenhum, talvez fosse da classe dele? A menina era de cabelos loiros bastante curtos e era bem bonita…seria a namorada dele?! Por favor me fale que não!

Continuo me questionando enquanto observava eles de longe. Ela tinha trazido um lanchinho para ele tal como eu! O que eu faço?! Decido vencer a timidez e me dirigir ao Hoseok, afinal nós somos amigos, sim amigos…

Começo andando até lá em passos lentos muito pelo contrário da maneira como vim faz poucos minutos atrás. A menina de cabelos loiros começa a sair da beira dele e podia jurar que ela me olhou de lado! Que mal educada! Eu apenas dei um sorriso simpático para ela!

Me sento do lado do garoto não olhando ele nos olhos e apenas fico ali debatendo se deveria falar algo ou até mesmo entregar o lanchinho.

“Momo, o que se passa? Não se está sentindo bem?” – fala ele colocando uma mão nas minhas costas e acariciando o local.

“A-ani oppa! Está tudo ótimo! Humm…quem era aquela menina?” – pergunto finalmente dirigindo meu olhar ao seu logo corando pela proximidade.

“Aquela menina é de minha classe! Seu nome é Choa, você não deve conhecer ela hehe. Ela é muito simpática e gentil! Acredita que ela me trouxe um lanchinho?!” – fala ele entusiasmado e sorrindo bastante.

“Q-que bom oppa!” – falo com um sorriso meio falso já que aquilo não me animava nem um pouco.

“Mas precisa de algo anjinha?” – se dirige a mim com aquele sorriso que anima qualquer um. Meu coração ainda dispara quando ele me chama por esse apelido carinhoso hehe. Quando ainda eramos pequenos fizemos uma apresentação em uma escola onde metade do grupo se vestia de branco e outra metade de preto. Fiquei com as roupas brancas e desde então ele decidiu que “anjinha” seria o meu apelido, já que se assemelhava às minhas roupas.

“B-bem…a verdade é que eu tinha trazido um lanchinho para você também mas já que a Choa já lhe deu penso que não será preciso!” – rio leve ainda escondendo minha tristeza apesar de a situação não ter sido tão grave assim.

Me levanto do banco onde estava sentada com ele me preparando para ir embora quando sinto ele segurar minha mão.

“Se você ainda tiver o lanchinho eu amaria dividir ele com você!” – fala sorrindo novamente o que me animou de imediato.

Retiro o lanchinho de minha bolsa que nesse caso seriam umas bolachinhas que minha irmã me ajudou a fazer no fim de semana, já que decidiu visitar. Obviamente pedi para fazermos a mais já com o objetivo de as levar no dia seguinte para o Hobi.

Dividimos as bolachas que trouxe enquanto ríamos se assuntos meio bobos mas eu realmente estava muito feliz.

“Momo, isso estava bom demais! Nem acredito que você trouxe para mim! Lhe vou conceder o direito a um desejo, como agradecimento! Pode pedir qualquer coisa que queira, nesse momento sou o génio da lâmpada, HOBI!!” – fala ele fazendo uma dança meio estranha que parecia indiana tentando hipnotizar uma cobra.

“Qualquer coisa? Sendo assim…de agora em diante você apenas pode comer os meus lanchinhos! Não aceita de mais ninguém!” – falo com um biquinho.

“Será que minha Momorango está com ciúmes?”

“A-ani!” – me levanto.

“Certo, certo!” – fala se levantando também me abraçando por trás fazendo com que eu me tornasse um morango de verdade.

“V-vamos, a aula vai começar!”

“Aigoo que a Momo está coradinha!”

“Eu vou morrer…”

“Morre não Momorango!”

“Momorango!”

“Acorda sua boba!”

“Não sou boba!”

“É sim senhor!”

“Sou não!”

“É sim!”

“Vamos para a aula e parar de discutir isso seu bobo!”

“Vamos sua boba!”

E assim nos dirigimos para a aula de dança!

JUNGKOOK POV

Depois de passarmos as meninas corremos mais um pouco até que chegamos ao tal escritório do diretor da escola. Tzuyu bate na porta do mesmo e entra pedindo permissão enquanto segurava minha mão.

“Desculpe incomodar diretor, mas eu gostaria de fazer uma pergunta! Será que meu amigo poderia fazer a audição?” – pergunta ela educada se bem que não acho que “amigo” seja aquilo que sou para ela! Eu sou bem mais que um amigo!

“Na verdade, vocês chegaram mesmo a tempo! Estava indo agora para a sala de audição para assistir a alguns vídeos que alguns alunos enviaram! Podem vir podem vir!” - fala o diretor bastante gentil.

Assim eu e Tzuyu seguimos o diretor até uma sala meio isolada da cafetaria provavelmente para ser mais silencioso. A sala era consideravelmente grande e era bastante moderna, continha uma mesa de um dos lados, junto um celular que era maior do que um celular normal, mas mais pequeno que a televisão. (Sim, era um computador kkk.)

“Aqui é a sala de audições, estaria pronto para fazer a sua nesse momento?” – pergunta o mais velho amigável.

“S-sim senhor!” – respondo meio nervoso. É verdade que pratiquei bastantes vezes ainda hoje mas mesmo assim não consigo evitar!

“Diretor, será que eu poderia ficar para assistir? Prometo não incomodar!” – pergunta minha princesa em um tom gentil para o diretor.

“Claro que sim, Tzuyu, confio em você!” – responde sorrindo.

Tzuyu vai até o aparelho provavelmente colocar a música que eu elegi para cantar e dançar ocasionalmente sorrindo para mim o que de certa maneira me deixava menos nervoso com a situação.

“Pode se apresentar por favor? Nome, idade, cidade natal…”

Conseguia reparar pelas paredes revestidas em vidros transparentes alguns alunos se juntando provavelmente para assistir. Talvez seria parte da audição também? Atuar sobre pressão? Não importa! A Tzuyu está aqui comigo e isso é o que importa!

“Fighting, Jungkook-ah!”

 

TZUYU POV

Coloco a música pronta a tocar no computador e logo me encosto na parede atrás do diretor para assistir melhor à sua atuação, logo ele começa a se apresentar…

“Annyeong, meu nome é Jeon Jungkook e venho de Busan! Bem…eu decidi me juntar a essa escola pois…”

Ah não! O que ele vai falar?! Ele não pode dizer que queria entrar na escola porque queria passar tempo comigo! Aigoo! Jungkook use seu talento por amor de Deus!

“Eu decidi me juntar a essa escola pois desde sempre fui ensinado em casa com um tutor e achei que seria divertido e diferente experimentar algo novo! Para além disso quero melhorar minhas habilidades aqui nessa escola! Tenho amigos aqui por isso estou muito ancioso por poder estudar com todos eles e melhorar!”

Wow. É a única coisa que consigo falar nesse momento, wow. Isso aqui realmente não é uma resposta feita ou falsa! Isto aqui é uma resposta vinda do coração e eu não poderia estar mais orgulhosa de meu príncipe!

“Muito bem Jungkook, pode começar!” – fala o diretor escrevendo algumas notas em uma folha de papel logo colocando a música.

Assim que começo a escutar a música uma expressão de confusão me preenche…Jungkook dançava ainda melhor que antes, eu sei que ele praticou bastante, mas, a dança dele tinha outro nível, poderia até se fazer passar por um dançarino profissional sem problema algum! Uns segundos depois, ele começa a cantar. Não tenho palavras para descrever o que estava escutando. A voz dele era perfeita. O tom perfeito, a altura perfeita, toda aquela apresentação estava sendo uma perfeição. Alguns passos de dança até mudaram, será que foi ele que mudou? Ele se esforçou tanto para isso…de certa maneira fico feliz por ter podido ajudar ele mesmo que em coisas simples assim.

Olho um pouco para o lado, na direção do diretor e até mesmo a expressão dele era surpreendida tal como a dos alunos que se juntavam cada vez mais em volta da sala sem fazer um único ruído que pudesse de alguma maneira perturbar a atuação.

(Eu não falei, mas a música que Jungkook está cantando é a 2U)

Até a pronuncia estava incrível naquela audição, se bem que aquilo de audição não tinha nada, parecia mais um concerto! Já soube de alunos que tentaram entrar e apens por um pequeno erro custou-lhes a vaga nesta escola de sonho. O diretor é muito amigável, mas também muito exigente, se achar que não tens talento, simplesmente te reprova a audição!

Passados uns dois minutos Jungkook termina a audição se curvando para o diretor como agradecimento por ver e escutar e logo arruma seus cabelos agora um pouco molhados o fazendo parecer extremamente sexy, MAS isso não é a altura para estar pensando isso!

Para a surpresa de todos, o diretor subitamente se levanta da sua adeira começando a bater palmas com um sorriso no rosto sendo seguido por bastantes alunos que assistiram a essa obra de arte, incluindo eu, que estava tão ou mais maravilhada que os outros.

“Quando consegue começar a estudar, meu jovem?” – pergunta o diretor ainda sorrindo.

Jungkook agora sorria fazendo meu coração se derreter completamente por ele, qualquer um conseguiria perceber a felicidade dele e eu também não conseguia esconder a minha. Logo que o diretor termina de falar corro para os braços de Jungkook o abraçando no momento ignorando todos os olhares, especialmente das meninas que se roíam de inveja.

“Eu sabia que você conseguia!” – falo ainda o abraçando.

“Obrigado por acreditar em mim Tzuyu-ah! Não tenho como agradecer! Mas eu acho que mereço um prémio!”

“Um prémio? E o que seria?” – pergunto meio confusa.

“E que tal…se você me der um beijo? Eu dei um em você de manhã! Tenho todo o direito do mundo não acha?” - sussurra ele bem perto do meu ouvido sorrindo de canto me fazendo corar no momento.

“C-claro que não! Olha a quantidade de gente que tem aqui agora!”

“Isso significa que mais tarde você me vai dar?” – pergunta ele com o mesmo sorriso de canto de uns segundos atrás. Logo me separo do abraço enquanto falava “pabo” e o deixava ir ter com o diretor enquanto saía da sala lhes dando alguma privacidade. Mal coloco os pés de novo no corredor percebo os olhares todos em mim, alguns confusos, outros de pura inveja! Eu sei que o Jungkook é lindo, talentoso, tem uma voz perfeita e corpo de deus grego mas meninas, ele já tem a quem pertencer! Eu já falei que esse príncipe é meu! Também não esperaria que elas compreendessem já que eu nunca alei isso em voz alta ou então morreria de vergonha!

Passados uns minutinhos Jungkook sai da sala sendo instantaneamente cercado por inúmeros alunos impressionados pelo talento do jovem garoto. Seguro de imediato a mão dele enquanto corria rindo com ele, já voltando para casa, eu realmente estava tão feliz por poder partilhar esse momento com essa pessoa tão especial para mim.

Chegando em casa somos recebidos por minha mãe que nos tinha estado esperando enquanto assistia qualquer novela na televisão da sala.

“Chegamos omma!” – falo animada.

“Bem vindos, meus anjos! E então o que de tão importante tiveram que fazer?”

“Eu fui fazer uma audição para entrar na escola da Tzuyu, titia!” – fala Jungkook sorrindo de orelha a orelha.

“Jungkook, meu querido…você precisa voltar, seu reino precisa de você…”

“Eu não quero!” – fala agora em um tom sério.

“Filha, por favor poderia deixar eu e o Jungkook conversarmos?”

“S-sim, claro!” – dou um leve aperto na sua mão como sinal de conforto e subo as escadas para o meu quarto, no entanto continuei atrás de uma parede escutando tudo o que iriam falar. Não que não confiasse em minha mãe, eu confio mas eu quero e preciso de ajudar o Jungkook, essa é minha missão agora.

“Jungkook-ah, antes de falar algo mais, eu não o forçarei a nada, não sou ninguém com direitos para o fazer, na verdade ninguém tem o direito de fazer isso. Mas por favor pense em seu reino, sua omma me chamou, ela falou que algo terrível aconteceria sem você!”

“Eu não quero ir, não quero ir, não quero ir! Eu quero ficar aqui com a Tzuyu! Se eu voltar ninguém me vai compreender, todos me irão odiar e eu serei a causa de todas as brigas do reino! Meu appa me vai obrigar a casar com uma princesa gananciosa qualquer que eu não amo nem um pouco! Vou ficar trancado na sala do trono que será minha prisão! Você não entende titia?! Minha vida foi controlada e se eu voltar será controlada de novo!” – Jungkook falava com a sua voz fraquejando por vezes soluçando ocasionalmente, conseguia perceber que o mesmo estava chorando.

Espreito um pouco por trás da parede e vejo minha mãe o abraçando enquanto fazia carinho em seus cabelos deixando ele chorar e libertar as frustrações.

“Jungkook…Tristain, Tristain foi ameaçado por Duskior. Eles seriam capazes até atacar seu reino, sua família, pessoas inocentes…, pense neles Jungkook!”

“Mande eles pararem o tempo.”

“J-jungkook você sabe que isso não é possível não sabe?”

“Claro que é possível e meus pais sabem muito bem disso. Ou eles param o tempo ou eu não volto! Eu sei que é ser egoísta mas eu quero poder ser egoísta pelo menos uma vez em minha vida. Por favor me ajude a falar com minha omma.”

“C-certo…” – minha mãe retira do seu bolso aquilo que parecia ser um espelho idêntico ao meu, no entanto, bastante menor, que logo começa a brilhar e revela o rosto de alguém desconhecido por mim.

“Omma!”

“Filho! Ainda bem que consigo falar com você! Você precisa de voltar!” – fala a suposta omma de Jungkook com certa esperança em seu tom de voz.

“Ani, eu não voltarei assim sem nada nem menos.”

“Como assim o que quer dizer?”

“Pare o tempo.”

“O quê?”

“Pare o tempo.”

“Jungkook eu não posso fazer isso!”

“Claro que pode! Use a jóia do reino!”

“Mas porquê, meu filho?”

“Eu…eu amo minha vida aqui…será que seria pedir muito ter mais um tempo? Eu só queria ser feliz e eu finalmente o sou agora! Tzuyu me ajudou! Eu finalmente tenho amigos agora e já aprendi tantas coisas novas! Sabe omma, eu descobri que amo cantar e dançar, entrei em uma escola daquelas que nunca consegui estudar e aqui é tudo tão diferente! Eu só quero mais uns meses para ser feliz, por favor! Eu sei que estou sendo egoísta mas eu prometo ajudar em tudo o que puder!- fala Jungkook com lágrimas escorrendo novamente pelos olhos cintilantes.

“Muito bem…eu farei isso. Eu te amo muito.”

“Eu também te amo omma, amo o appa, a Ha Neul, eu amo todos vocês!” – fala limpando as lágrimas.

“Mas quem é a Tzuyu?” – pergunta a omma dele confusa.

“Tzuyu? Tzuyu é a menina com quem eu vou casar!” – fala ele limpando as lágrimas e sorrindo pela primeira vez desde o início daquele argumento.

“Eu não entendi muito bem mas, vou fingir que sim…bom, aproveite bem o tempo, lhe darei 6 meses. Por favor volte são e salvo. Eu te amo muito, meu filho.”

“Vou aproveitar sim omma, eu te amo.”

Jungkook entrega o espelho para minha mãe que logo se despede dele com um abraço caloroso e sai pela porta que logo é trancada. Assim, Jungkook começa subindo as escadas para meu quarto para o qual logo corro e me deito na cama, fingindo dormir. O príncipe entra no quarto silencioso vendo que eu estava “dormindo” e se deita do meu lado me abraçando por trás como era habitual. O garoto do meu lado cai em sono profundo em apenas alguns segundos e eu logo me viro olhando aquele rosto perfeito sorrindo involuntariamente.

“Com que então eu sou a menina com quem você se vai casar? Não imagina o quão feliz eu ficaria com isso…descanse bem que amanhã começará uma nova parte da sua vida, prometo sempre dar o meu melhor. E já agora, vou aproveitar que está dormindo para falar que amo você. Seria muito rápido? Acredite ou não foi amor à primeira vista ainda que tentasse negar como a menina teimosa que sou, mas essa é a verdade, eu te amo.” – sorrio logo lhe dando um selinho tal como o que ele me tinha dado essa manhã.

Sorrio novamente e o volto a abraçar enquanto fazia carinho no rosto dele.

°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~°~

No dia seguinte acordo com o irritante som do despertador indicando que já seriam horas de ir para a escola.

“Jungkook-ah.” – chamo suavemente enquanto mexia na bochecha dele com carinho.

“Hmmmm?”

“Vamos levantar, temos que ir para a escola.”

“Mas eu estou tão bem aqui, e além disso hoje você que me abraçou…”

“Vamos vamos, eu posso dar carinho para você sempre que quiser, seu bebé.”

Logo ele abre os olhos, cobrindo a luz do sol com o braço e finalmente se levantando.

Nos vestimos, tratamos de nossas higienes, tomamos o pequeno almoço e depois de pegar minha mochila, saio de casa trancando a porta.

“Tzuyu-ah, eu não preciso dessas coisas todas também?” – fala se referindo de todos os materiais escolares que ele sabia que eu tinha na mochila.

“O diretor falou que as suas coisas estariam prontas por hoje! Seus livros, seu uniforme e seu equipamento de educação física, por isso não se preocupe! Apenas temos de pagar!”

“Eu pago com uma jóia!”

“Não seria demais isso?”

“Ani, eu tenho muitas mais, sem problemas!”

Logo chegamos na escola, Jungkook recebendo os olhares habituais mas sinceramente não ligando muito.

“Tzuyu-ah, eu ficarei na sua classe não é, não é?” – fala que nem uma criança.

“Sim sim, eu falei que tinha pessoas que você conhecia em minha classe e o diretor aprovou você entrar! Vou poder estar com você o dia todinho!”

“Ebaaaaa!”

O primeiro local a onde nos dirigimos foi ao escritório do diretor onde Jungkook poderia obter todas as coisas necessárias. Chegamos, pegamos nas suas coisas e Kookie realmente deixa uma jóia em cima da mesa do diretor que o fica olhando meio estranho. De seguida lhe mostro o caminho para os cacifos onde deixamos alguns livros que não seriam necessários para o dia de hoje e, por sorte, consegui achar um cacifo bem pertinho do meu, para Jungkook! Depois de tratarmos de tudo, começo andando em direção da sala já que o sinal já estava quase tocando.

Assim que chegamos me sento em meu lugar habitual e falo para o Jungkook se sentar no lugar da Momo, ela é um boa amiga, de certeza que não se importaria, e além disso o máximo que ela fará será me chamar de traidora e quando eu lhe oferecer comida é como se nada tivesse acontecido em primeiro lugar.

Passados dois minutos Momo chega na sala juntamente com mais alunos e me olha incrédula.

“Sua traidora! Pensei que éramos amigas!”

“Momo, nós somos amigas!”

“Você me trocou pelo menino bonito de ontem!”

“Eu nunca trocaria você por nada desse mundo! Esse é o Jungkook, vai ver que vocês se vão dar muito bem no futuro!”

“É um prazer conhecer você Momo-ah!” – fala Jungkook que estica o braço para cumprimentar a menina.

“O prazer é todo meu, Jungkook!” – fala Momo sorrindo também. Será que já esqueceu?

Minha amiga logo se dirige para uma mesa bem perto da nossa onde se encontrava uma menina sentada sozinha.

“Desculpa, mas será que eu poderia me sentar? Sou a Momo!”

“Ah sim claro! Meu nome é Mina! Você também é japonesa não é Momo?”

“Sim sou! Que bom! Vamos ser boas amigas nós, tenho a certeza!”

E assim as duas meninas começam falando bastante animadamente em japonês já que era a sua língua mãe e de certeza estariam mais confortáveis falando nela. Estranhamente Jungkook parecia entender o que elas falavam mas decidiu não falar talvez por tiidez?

Logo consigo avistar na porta um rosto familiar, aliás, dois rostos familiares, Eunha e Yeri.

“Tzuyu você já sabe do que eu sou capaz!” – fala Momo enquanto deitava olhares alternados para as meninas que tinham entrado e para mim definitivamente se referindo ao seu supremo Momo kick e Momo punch.

Sorrio gentil para ela logo me virando para Jungkook.

“Kookie, cuidado, essas meninas são meio…obececadas por você.” – falo baixinho em seu ouvido e ele logo assinte sorrindo para mim.

“OPPA”

“E aqui vamos nós…” – falo para mim mesma.

“Você é novo aqui, não é? Meu nome é Yeri! Gostaria de passar mais tempo com você! Que lhe parece almoçarmos juntos essa semana hum? Ah, eu vi sua audição ontem! Você foi tão lindo e sexy que nem dá para acreditar!” – fala Yeri em um tom esganiçado tentando de aproximar o máximo possível de Jungkook, já estava quase deitada em nossa mesa…aquele menina não tem vergonha na cara?

“B-bem..eu..-“ – Jungkook tenta falar logo sendo interrompido por Yeri.

“Aigoo que ele é tímido! Que fofo!”

Logo chega o professor de literatura que tal como a maior parte dos professores daquela escola era bem legal e simpático, mandando de imediato a Yeri se sentar corretamente em sua mesa, tal como Eunha.

“Bom dia alunos! Hoje temos um novo colega que fará parte da vossa turma por esse ano escolar! Por favor venha aqui se apresentar!” – fala o professor chamando Jungkook que logo se levanta e dirige a ele.

“Annyeong! Meu nome é Jeon Jungkook e sou de Busan, espero me dar bem com todos vocês!” – fala com um sorriso caloroso. Provavelmente depois de escutarem a sua apresentação e verem sua carinha, vários alunos perceberam que essa era o menino autor da audição que se tornou um assunto “viral” na escola. Quem não assistiu ao vivo, assistiu depois em vídeo e todos reconheciam o seu talento evidente. Era possível escutar-se alguns sussurros de todos os cantos da sala: “Então aquele é o Jungkook?”; “Ele é bem bonito também!”; “Olha aqueles dentinhos de coelho, que fofos!”; “Também sou de Busan, que coincidência!”.

“Já conhece a escola Jungkook-ah?”

“A-ani, na verdade ainda não conheço não.” – fala meio sem jeito o deixando extremamente fofo.

“Bom, sendo assim…alguém gostaria de mostrar a escola para o Jungkook?”

Um número bastante considerável de mãos se levantou naquele instante já que para além de ser uma oportunidade para perder aulas, quem que não gostaria de passar um dia com o Jungkook? Definitivamente a mais vistosa foi obviamente Yeri, que levantou sua mão com a velocidade da luz enquanto falava bastante alto “Me deixe!” “Eu mostro!” “Oppa eu ajudo!”

“Estaria tudo bem por você se a Yeri lhe mostrasse a escola?” – fala o professor para Jungkook que não parecia muito confortável pela situação.

“Será que poderia ser outra pessoa, professor? Eu gostaria que a Tzuyu me mostrasse se não fosse um incomodo!” – fala ele sorrindo para mim e eu apenas faço o mesmo retribuindo.

“Isso não é justo!” – fala Yeri indignada enquanto Eunha a consolava.

“Eu teria muito gosto em mostrar a escola para você, Kookie!” – me levanto indo para perto do Jungkook, segurando a mão dele e o levando para fora da sala de aula.

“Não é nada contra você Yeri! Eu apenas escolhi a Tzuyu pois a conheço um pouco melhor e me sentitia um pouco mais confortável, desculpe!” – fala ele educado como sempre.

Assim que saímos da sala não consigo evitar rir do que o garoto me falou no momento.

“Definitivamente é algo que eu tenho contra ela!” – fala ele bufando com um biquinho nos lábios muito fofo.

“Eu protejo você da Yeri e da Eunha, Kookie, não se preocupe!” – rio leve começando a andar pelos corredores da escola.

“A personalidade dela me fez lembrar minha suposta noiva!” – fala ele ainda bufando.

“Sua noiva?”

“Não se preocupe, eu nunca me casaria com ela, nem que me obrigassem!”

“Mas e se tivesse que casar com ela para ser o rei e governar seu reino?”

“Nesse caso eu não seria rei!”

“E se não se vai casar com ela, se vai casar com quem?”

“Com você obviamente! Que pergunta é essa! Você é tecnicamente minha noiva desde que eu cheguei aqui!”

Eu não acredito que ele falou mesmo isso! Pensei que ontem enquanto falava com a sua omma aquilo fosse apenas uma desculpa. Eu só posso estar sonhando, sim, isto é tudo um sonho muito realista!

“Já agora, princesa, obrigado pelo selinho! Durmi muito melhor depois!” – fala ele dando uma piscadela com o olho enquanto ria de leve. E-ele estava acordado?!

“Se você estava acordado porque não me avisou?! Eu falei coisas muito embaraçosas ontem seu pabo!”

“O que você falou ontem? Eu não ouvi!”

“C-como assim não ouviu?! Eu apenas lhe dei um s-selinho depois de falar tudo! Como que não escutou?!”

“Aigoo Tzuyu-ah! Eu estava perdido de sono! Simplesmente não escutei! O que você falou?”

“Nada!”

“Me fala!”

“Não!”

“Me fala!”

“Nunca!

A certa altura já nos estávamos rindo às gargalhadas no corredor apenas nos divertindo.

Agora que me lembro…será que aquela história toda de parar o tempo é mesmo verdade? Será que resultou?

“Tzuyu-ah.”

“Sim?”

“Eu sei que ontem de noite você me estava escutando por detrás da parede…sua boba!”

“V-ocê viu?!”

“Claro que sim! Já falei que sou uma pessoa bem atenta!”

“Então…a história de parar o tempo, resultou?”

“Não tem como saber ao certo mas…eu acredito em minha omma. Acredito também em meu appa e minha irmã…eu sinto que eles conseguiram e fizeram isso por mim! Prometo que os ajudarei assim que meu tempo aqui terminar!”

“Primeiro, seu tempo aqui não vai terminar! Você vai ficar comigo para sempre quer queira quer não! Segundo, eu vou com você! Não importa se temos que quebrar barreiras, levar uma nação inteira de guerreiros e gladiadores, pelo menos eu irei com você!”

“M-mas, Tzuyu-ah, é perigo-…”

“Não aceito não como resposta! Eu vou porque quero e meu dever e desejo agora é proteger meu príncipe custe o que custar! Vai proteger sua princesa também?” – sorrio gentil para ele.

“Eu sempre vou proteger você.” – me responde sorrindo também.

“Vamos continuar a visita?”

“Claro!”


Notas Finais


Obrigada do fundo do coração por lerem até aqui e espero que continuem a me apoiar e a comentar, talvez até divulga a fanfic para que possa crescer cada vez mais e mais! Muito obrigada mais uma vez e nos vemos no próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...