História Perdido em seu olhar - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Inuyasha, Kaede, Kagome, Rin, Sesshoumaru
Tags Continuação, Final Alternativo, Sesshoumaru, Sesshyrin
Visualizações 67
Palavras 1.332
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Minna sei que estavam ansiosos e lá vai mais um capítulo ^^

Capítulo 8 - As lentes da alma


Fanfic / Fanfiction Perdido em seu olhar - Capítulo 8 - As lentes da alma

 

Já haviam se passado muitas horas e Rin não poderia mais esperar, já criara uma fenda no chão de tanto andar de um lado para o outro. O que Sesshoumaru estava pensando em deixa-la esperando por ele todo esse tempo? Será que desistira de encontra-la? Ou pior, está com vergonha de receber uma humana em seu Shiro? Mas se esse fosse o caso ele não permitiria sua entrada.  Quando a garota decide não mais esperar e sair da sala para procurar o Lord ela mesma um vento frio atravessa-lhe a nuca e um arrepio tomou conta dela, se virou e fitou o trono que estava agora pouco iluminado, menos majestoso e mais assustador, pois já estava próximo do anoitecer.

Uma sombra parecia a observar atrás das cortinas azuis que formavam uma moldura para o trono, ela estava paralisada, uma onda de terror começou a lhe tomar e uma energia tão opressora e poderosa quase a fez ficar de joelhos, usava todo o seu poder de miko para resistir, Rin acreditava que se ela fosse uma humana comum poderia ter sido esmagada pela presença misteriosa. A sombra se aproximava lentamente mostrando assim seus primeiros traços, era uma figura belíssima mas de uma energia maligna tão forte que Rin não sabia o que pensar, a única coisa que lhe restou fazer foi lutar contra um medo aterrador e não demonstrar traço algum de fraqueza afinal estava em um ambiente que toda a sua raça era considerada inferior e a isso ela não se submeteria. 

-Então depois de anos finalmente pude conhecer a protegida do grande Lord Sesshoumaru.- O youkai não abria os olhos ao falar, sua fala era calma porém controlada, continha uma frieza e Rin não entendia o que estava acontecendo ali ou quem poderia ser aquele que lhe falava.

Ela o analisou por um momento, ele era alto, magro, pálido e alvo como a neve, tinha os cabelos em coloração degradê do preto no topo da cabeça até o total prateado nas pontas dos longos cabelos, sua postura era de um nobre e sua energia de um youkai que poderia ter séculos de existência.

-Ora que desvantagem, pelo jeito você sabe quem sou mas eu não faço ideia de quem você seja. - Rin não queria mas seu corpo automaticamente se contraiu e deu um passo para trás com a aproximação súbita do estranho youkai.

-Perdoe meus péssimos modos milady, pode me chamar de Karasu, - fez uma reverência exagerada- Sou o primeiro general e concelheiro do nosso nobre Lord.

Nesse momento Rin segurou a respiração, não podia ser coincidência aquele encontro e não duvidava que seu senhor nem ao menos soubesse de sua presença. Ela elevou o olhar ao rosto alvo e impassível de Karasu e sorriu docemente fazendo seu teatro, para conseguir tempo quem sabe.

-É um grande prazer conhece-lo Karasu-san, sua fama o precede, então está com meu senhor desde que ele retornou às Terras do Oeste? - Rin por um momento achou que ele iria cair nesse papo furado e ela conseguiria formar a energia necessária na ponta dos seus dedos para dar apenas um golpe e fugir daquele lugar, mas pareceu que não foi discreta o suficiente. 

-Vejo que já está pensando em nos deixar mais cedo. - ele se aproximou ainda com os olhos fechados e cochichou aos ouvidos da pequena - Mas está cedo para isso, afinal esperei você por todos esses anos...

Rin estava petrificada e não entendeu a ultima parte mas com um sopro próximo ao seu nariz ela se desfez nos braços do general que a carregou no colo desmaiada e frágil. O mesmo se encaminhou para as masmorras levando a garota consigo, a deixou em uma cela retirando suas vestes, após tranca-la estalou os dedos e a mesma despertou imediatamente.

-O quê! Espere, onde estou? O que fez comigo? Onde está o meu kimono?!- Rin estava desorientada, confusa por ter desmaiado do nada e sem a parte exterior do kimono.

-Você é nossa convidada de honra, espero que aprecie nossos melhores aposentos e logo voltarei para vê-la. Por favor se contenha, afinal não há como fugir daqui, não com vida. - nesse momento ele envergou os lábios no que poderia ser um maquiavélico sorriso e a deixou sozinha com milhares de pensamento e confusões.

Ela só sabia de uma coisa, precisava sair o quanto antes dali. 

...

Na outra extremidade do Shiro havia um Lord que estava entretido em milhares de papéis e burocracias que abarrotavam sua sala de reuniões, cansado de tudo aquilo decidiu sair para tomar um ar. Ao se sentar no parapeito da sacada que ficava de frente ao jardim principal repleto de árvores e fontes ornamentais foi tirado de seu encontro com a lua, sua tão adorada lua brilhante, por uma figura de presença familiar.

-Vejo que os papéis ainda o vencem em batalha - sorria com os lábios e olhos fechados.

-O que quer Karasu?

-Bom, temos uma visita inesperada...

-Fale logo, não tenho tempo para suas bobagens.

-É que a visita seria de seu interesse meu senhor. - Karasu se aproxima ainda mais de Sesshoumaru e o toca no ombro - Uma humana quer ver-lhe meu senhor.

Sesshoumaru ignora totalmente o toque do insolente servo e se surpreende com a noticia, apesar de Sesshoumaru não exteriorizar o que sente o general sabia que havia mexido com o emocional do seu Lord.

-Onde ela está?

-No salão principal meu senhor. - Karasu se inclina para reverencia-lo e depois se retira.

Sesshoumaru estava parado, não sabia a quem esperava, estava confuso, ansioso porém animado, poderia até dizer estar feliz se esse sentimento não fosse humano tirando-o o interesse. A quem ele esperava? Quem ele queria ver? Porque iria querer receber essa humana? Humanos são insetos. Que humana se atreveria a adentrar o seu Shiro?

Ao chegar no salão se deparou com uma jovem humana que sorria para ele e foi correndo ao seu encontro o abraçando, a garota usava um kimono laranja e branco e tanto os seus cabelos como olhos eram castanhos. O cheiro dela estava misturado a um cheiro que o confundia, era de alguma forma nostálgico mas sem referencias de quem pertencia, estranhamente ele não sentiu nada por ela a não ser nojo, tinha vontade de rasgar-lhe ao meio com suas garras pela audácia da aproximação sem seu consentimento, não sabia quem era ela e o porque daquilo tudo.

-Basta! - a empurrou- O que quer humana?

-Lord Sesshoumaru sou eu! Não se lembra de mim? Sou eu a Rin.

-Não conheço nenhuma Rin, diga logo o que quer antes que eu perca minha paciência criatura insolente. 

A garota começou a temer por sua vida quando viu o Lord Daiyoukai se enfurecer diante de si, ela então continuou fazendo o que fora ordenada, sorriu meigamente para ele que já não iria aturar mais daquele incomodo.

Sesshoumaru a agarro pelo pescoço a jogando contra a parede fazendo a menina arfar, a garota começou a chorar e entrou em desespero quando viu o Daiyoukai se aproximar.

-Meu Lord o que irão pensar em ver-lhe com cheiro de uma humana? - Karasu estava na outra ponta da sala apenas analisando o ocorrido mas agora instigando o orgulho do seu Lord. 

Sesshoumaru ficou com os olhos vermelhos em sua evidente ponta de transformação, estava com ódio daquelas palavras do subordinado, suas garras já estavam extremamente salientes e pingando veneno, enfiou as garras da mão direita no peito da pobre menina que gritou e esperneou até não sentir mais seu corpo e o veneno tomar conta de si a tirando o brilho dos olhos.

-Vão pensar que até na morte os humanos são imprestáveis.- Sesshoumaru limpou suas garras no própria roupa da moça já sem vida e saiu visivelmente incomodado com o ocorrido. 

Karasu agora ria vitorioso e sentia que todos esses anos de treino e manipulação não foram um desperdício, agora até a própria Rin poderia estar de frente à seu mestre que ele a dividiria ao meio.

 


Notas Finais


Minna, o que será que ta acontecendo com nosso Sesshy! :(


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...