História Por mais 10 mil anos - Capítulo 2


Escrita por:

Visualizações 28
Palavras 3.823
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Que animação! Me sinto tão elétricx com esse universo alternativo, gosto do conceito de ligação de almas e instintos de companheiros. Lembrando que a dinâmica galra será 100% fora de como é no desenho o e o idioma deles vou criar da minha cabeça, ou seja será uma bagunça, porém vou me esforçar para sair algo coerente, as palavras são meio que um mistura e inversão das palavras do inglês com português, uma loucura que só eu compreendo.

Palavras e frases no idioma galra vai estar traduzidas nas notas finais, então é NECESSÁRIO VER AS NOTAS FINAIS se quiser entender algumas conversas.

Keith está bem diferente do original nessa fic, mas tenho a desculpa de que o lado galra dele enfim está agindo livremente por estar entre seus iguais, então não estranhem um Keith inseguro e manso, esse baby sofreu muito e só quero enchê-lo de amor!!

Tenham uma boa leitura!

Capítulo 2 - Pensamentos e significados ocultos


 

Keith entra na nave do qual iria ser levado para o Comando Central, o soldado mais forte assume controlhe da nave enquanto o mais magro se pôs a disposição de Keith para se assegurar do total conforto ao humano. Keith ficou em silêncio apreciando a visão do espaço enquanto viajava, a visão das estrelas desse ponto de vista que nunca pode experimentar tão vivamente antes lhe enchendo os olhos com beleza. Então uma súbita vontade de pilotar essa nave surge, desvia o olhar para o painel de controlhe do outro lado lado da sala do qual o soldado controlava com habilidade e se pergunta se deixariam ele tentar pilotar caso pedisse, aqueles controles e botões diferentes com escritas que não compreende lhe parece um grande desafio, e Keith adora desafios. O soldado notando que Keith tinha a atenção no painel de controlhe da nave resolve questionar para ter certeza que seu futuro imperador esteja satisfeito com o que for que ele queira.

 

"Vossa majestade precisa de algo?" Pergunta prestativo e Keith pensa bem se fará o pedido ou não, seria divertido aprender a pilotar àquela nave, mas também não acha que iriam permitir isso, a forma que lhe tratavam como se ele fosse um deus dizia ao Keith que não achariam apropriado ele pilotar uma nave quando há dois soldados indicados para isso, sem contar o fato de que isso irá fazê-lo demorar mais ainda para ver Zarkon e tudo que Keith mais quer agora é conhecer o imperador galra não importa o sacrifício.

 

Então quando está pronto para responder Keith recebe uma descarga de emoção muito maior que das outras vezes, ele automaticamente se curva na cadeira, os dedos de seu pé se fechando com força, suas sobrancelhas se curvando para cima enquanto sua expressão é de puro êxtase, a mente nublada e sem qualquer resquício de racionalidade, Keith já não tem idéia do acontece ao seu redor, ele apenas se foca em não desmaiar depois desses sentimentos intensos lhe tomarem.

 

"Senhor, chegamos no Comando Central" O soldado que pilotava a pequena nave anuncia e Keith apenas concorda com a cabeça não confiando em sua boca para falar qualquer coisa nesse momento de completo entorpecimento.

 

Keith logo busca ficar de pé para poder sair dali, porém não consegue se equilibrar adequadamente e tropeça, para sua sorte o soldado ao seu lado lhe segura pelos ombros impedindo sua queda e ele ajuda Keith a se dirigir para fora da nave. Isso lhe lembrou de uma das poucas coisas que Kahpu contou sobre comportamento galra, o toque entre pessoas desconhecidas ou sem intimidade é algo que raramente ocorre e quando há o toque os galras apenas mantém o contato na região dos ombros e braços, eles nunca tocam outro alguém que não possuem intimidade por outra região a menos que estejam em luta ou se o momento requer obrigatoriamente o contato em outra região, é considerado assédio o toque de desconhecido em uma área que não seja os braços e ombros. Agora se for alguém você tem intimidade ou faz parte de algum ciclo seu, então o toque é algo quase essencial, o abraço ou esfregá-se no outro é algo super comum e necessário, galras são seres extremamente sociais e sensitivos então o bom desenvolvimento do ciclo e o contato diário com ele é essencial para garantir a saúde mental de um galra, eles são incapazes de viverem sem ciclos e caso algum galra chegue a esse ponto ele pode acabar se suicidando. Um galra solitário é um galra morto.

 

Keith nem tem certeza porque agora focou tanto no que Kahpu lhe disse sobre toque galra e sua importância, talvez ele esteja apenas tentando se focar em algo para se distrair dessa leve dormência em seu corpo.

 

Quando Keith sai da nave para o hangar do Comando Central ele não esperava que o lugar fosse tão enorme e estivesse tão cheio como agora. Diversos galras estavam ali, todos ajoelhados no chão e curvados prestando respeito, Keith se pergunta se todos param suas tarefas apenas para reverenciá-lo e o garoto não pode deixar de se sentir alguém grandioso por isso. 

 

No entanto, um tanto distante dali havia os dois únicos seres em pé, pela distância Keith não sabia como ter certeza, mas pode chutar que o quem está usando uma manta de capuz que cobre o rosto é Haggar, Kahpu lhe disse algumas coisas sobre a druida, enfatizando que Haggar é alguém de extrema importância e poder, que pode agir de forma rude com ele por ter mais liberdade para isso do que deveria e que ela era a âncora do Imperador. Keith não tem certeza do que pensar da druida, afinal mal a conhece, porém já pode sentir certa apatia por ela parecer ser alguém tão importante ao Zarkon, não gostou da forma que pareceu que eles tinham um relacionamento íntimo quando Kahpu falou,  obviamente é só um ciúme bobo que ele nunca irá confessar.

 

Com a aproximação Keith já foi recuperando seu a habilidade de andar e o soldado que o ajudava lhe soltou se juntado aos outros e se curvando na reverência de todos, o humano se sentiu um pouco nervoso com isso, ser o centro de tanta atenção é desconcertante e agradecia por não estar grogue, pelo menos não faria nada vergonhoso ou pareceria bobo na frente de tantos seres.

 

Com a distância estando bem menor agora ele podia observar melhor o outro galra em pé, ele é mais alto que a maioria do qual Keith conheceu e provavelmente maior que todos os outros aqui, usava uma armadura vermelho escuro e cinza escuro quase preto com um detalhe em um luminoso roxo no peito da armadura, esse galra lhe olhava com um sorriso caloroso e Keith imediatamente soube que era ele seu tquizarp, era ele o homem do qual dedicaria sua vida de agora e diante, e Keith não podia se sentir mais feliz por isso, ele sem dúvida alguma estava se apaixonando a primeira vista.

 

Assim que percebe seu tquizarp, Keith se apressa para alcançar Zarkon, o clima ao seu redor parecendo ficar leve e calmo, ele já não sabia onde era seus sentimentos e onde era os do Zarkon, dentro de si uma bagunça de sensações, o coração acelerado e o humano pode jurar ouvir seu pulso cardíaco de tão forte que está. Quando alcança o Imperador galra Keith tem sua cintura sendo agarrada por ele e se sente derreter de ante um calor confortável que se espalhou por seu corpo a partir de onde Zarkon tocava, era um calor delicioso e apaixonante, nada carnal ou superficial, é agradável e tranquilizante, traz algo que Keith não tem um bom tempo. Paz.

 

Keith abraça Zarkon e se aconchega no aperto, ouve uma risada baixa do mesmo e a mão livre do imperador segue para segurar o rosto do humano, o fazendo lhe olhar nos olhos, pela diferença berrante de tamanho Keith teve que levantar muito o rosto e Zarkon teve abaixar demais para que um pudesse ver o rosto do outro com clareza. A mão de Zarkon fazendo um carinho doce em seu rosto com muito cuidado, o imperador galra tinha medo de machucar alguém tão lindo e precioso como o garoto, e com tanto receio se mantém bem atento à suas garras para não machucar acidentalmente o humano. 

 

"Seja bem-vindo meu amado tquizarp" Zarkon diz baixo e carinhoso, lentamente abaixa a cabeça mas para antes que suas testas se choquem, queria que Keith tomasse a decisão de ter o contato, é importante para si saber que seu tquizarp está de acordo com o relacionamento deles, mesmo que pareça uma decisão muito precoce de acordo com as noções humanas.

 

Mas Keith não decepciona e fica na ponta dos pés para que possa alcançar Zarkon e quando as testas de ambos se juntam uma corrente elétrica passa pelo corpo de ambos, o sentimento de felicidade e paixão sendo compartilhado entre eles- mesmo que inconscientemente por parte de Keith-, e um pensamento de eterna paz alcançando as almas cansadas de ambos. A ligação entre os dois estava selada e maldito seja o infeliz que tentar romper algo tão puro e perfeito como isso. 

 

"Meu senhor todo poderoso" Uma voz feminina e forte se faz atrás de Zarkon que sabia que ela não estava se referindo a ele.

 

O imperador mesmo relutante termina o contato, esteve tão fixado no pensamento de que tem seu companheiro eterno finalmente em seus braços que esqueceu de todo o resto, então abre espaço para que Keith veja Haggar mas em momento algum solta a cintura de seu tquizarp apenas reposicionando a mão para um posição mais agradável. Assim que Keith olha para a druida ela se curva exatamente 90° graus e estendeu a mão pedindo para que o humano reconhecesse sua existência, e ele mesmo incomodado com o fato dela ter sido a âncora do Zarkon não se permitiu desprezá-la, de todo jeito ele deve tudo a ela por não permitir que Zarkon estivesse solitário até hoje, se estava aqui o conhecendo foi porque ela esteve aqui para o ancorar. Então pousou sua mão na dela e segurou firme esperando que isso mostre que ele está feliz por ter ela ali, Haggar voltou para sua postura normal parecendo surpresa com o toque de Keith, era gentil porém forte, quase com se tentasse agradecê-la por algo e não se impediu de oferecer um pequeno sorriso alegre para o humano.

 

"É uma honra finalmente tê-lo waakajip entre nós vossa majestade imperial" Haggar diz em um tom neutro, porém realmente feliz mesmo que não demonstrasse tanto isso em sua expressão.

 

Keith ficou em dúvida quando ela pronunciou um waakajip não traduzindo isso para ele e sentiu Zarkon aperta sua cintura nesse momento, ele podia sentir através da ligação entre deles que seu tquizarp ficou tenso e incomodado como o que Haggar falou, então Keith faz uma nota mental sobre buscar mais tarde o que significava a palavra se ele ainda lembrar dela.

 

"Por favor olhe para todos seus seguidores pedindo para que o senhor grandioso os reconheça" Haggar diz estendendo a mão em um movimento ao seu redor onde tinha diversos seres ali esperando ansiosamente pela primeira palavra de Keith a eles.

 

Só agora lembrando dos galras todos ajoelhados esperando seu reconhecimento, notou o tom da druida saindo do neutro para um enigmático e Keith se questiona o que há ali que ela sabe e ele não, graças à sua natureza desconfiada ele não pode deixar de perceber que havia algo oculto em suas palavras, até mesmo Kahpu tinha dito coisas além do que realmente era, as duas pareciam usar a desculpa de que ele era o tquizarp do Imperador para que possam falar dominações exageradas sem poderem ser acusadas de estarem querendo dizer mais do que diziam, e isso é algo que Keith vai descobrir como driblar, o humano já está mais do que comprometido em descobrir o que eles pareciam querer tanto contar quanto esconder dele.

 

Porém uma questão sobe para Keith, seria muito improdutivo ir em cada um dá seu reconhecimento, são muitos ali e ficaria horas e horas para reconhecer até o último galra. Zarkon vendo a hesitação do humano limpa a garganta em um som alto para chamar a atenção dele.

 

"Você tem que levantar a palma da mão para eles e dizer 'eu os vejo' em seguida"Zarkon explica levantando a palma da mão exatamente como o humano deveria fazer.

 

"Obrigado"Keith agradece oferecendo um sorriso doce para Zarkon que fica bobo com o carinho que sentia transpassar na ligação. Keith se vira para os galras e levanta a palma da mão. "Eu os vejo"Diz alto esperando ter soado firme e vê pouco a pouco eles se levantarem, via animação e alegria em cada um. Keith se sentia tímido em receber tanto sorrisos entusiasmados, não está acostumado com tantos sorrisos puros e atenção mansa sendo dirigidos para si, geralmente os sorrisos eram falsos ou tinham segundas intenções, e a atenção era maliciosa ou invejosa como se quisessem o devorar vivo ou simplesmente matá-lo.

 

Eles o cumprimentavam, vez outra eles falavam em outras linguas da terra surpreendendo Keith por conhecerem tantos idiomas de um lugar tão extremamente distante dali, ele é claro os respondeu como podia se sentindo animado por poder treinar todos os idiomas que conhecia, dificilmente Keith conseguia conversar com as pessoas em árabe ou mandarim, eles estavam mais interessados no inglês ou na língua da moda.

 

Zarkon não se impediu de sorrir encantado para como Keith aos poucos foi se sentindo confortável e mais solto para as interações, normalmente teria barrado tanta interação com o restante do povo por não ser algo exatamente indicado para alguém de alto status como ele, mas ver como isso alegrava seu tquizarp o tornou incapaz de interromper a alegria dele, o cheiro dele evidenciando seu conforto ao se espalhar a seu redor convidando aos galras pra se aproximarem, claro que Keith não tinha noção de que sem querer estavam chamando os galras para uma aproximação amigável e segura, e Zarkon se questiona curioso sobre como o garoto não sabia de suas ações e instintos naturalmente galras, o imperador sabia que ele não era apenas um humano, principalmente por ser impossível para seres não-galras poderem sentir e/ou manipular o elo emocional entre eles, essa é uma característica que somente galras ou meio-galras possuíam. O pequeno teste que Kahpu fez com Keith na nave dela e as informações que ela lhe enviou foi o suficiente para esclarecer isso.

 

"Xipoh ta dom kito, naaro zecta kurazi zecta panazo roo" Haggar comenta baixo para somente o imperador ouvi enquanto observava Keith com carinho escondido por de baixo de sua expressão fria.

 

"Gango, teno pee dom beahnt. Kura nacrep luuqua hitco un nitsse, no ief cup nacrepzo revlieeh cup inm xi tosp yddivojip" Zarkon responde igualmente baixo em seu idioma não querendo correr o risco que falar alto e claro algo que Keith  não deveria saber ainda, algumas coisas deveriam ser mantidas sem segredo até que não oferecessem risco. Tinha os galras proximos que podiam o ouvir graças às audições sensíveis e potentes, mas sabiam que deveriam focar no sons fora da conversar particular, pois além de ser sem educação ouvir conversa alheia é uma conversa do Imperador, seria suicídio furtar informações assim por mais inútil que seja o conteúdo da conversa.

 

"Ohnev teza zecta odut lliwbezo dem. Un quepa fo ypozs soid tá gihal pycompare dna grandfo. Jac busma berior xi goa pouseoz dna vilsome xirroh ta grafa pxi tquizarp tiçohalf dna wire zacrif "Haggar diz deixando escapar alegria e confiança em sua voz para convencer Zarkon do que dizia.

 

Sabia melhor que qualquer um o quanto ele está receioso sobre o futuro, então decidiu distraí-lo disso e quem melhor para isso que seu tquizarp? Haggar silenciosamente se dirige ao Keith, de todo jeito ela teria que interromper a interação do garoto com sua espécie, se não parar isso ninguém mais vai, Zarkon parece muito encantado em apreciar cada centímetro e segundo das diversas faces e tons de voz que Keith fazia, e o meio humano provavelmente não pararia por conta própria até falar com todos e isso levará um tempo muito grande para um meio humano aguentar sem sentir fome ou sono. Então alguém consciente deveria tomar as rédeas agora.

 

"Me senhor" Haggar chama Keith dando alguns passos para perto dele automaticamente os galras se afastaram sabendo que seu novo imperador não teria mais tempo para continuar com eles. "Aconselho que descanse, deve ter sido um dia cheio e emocionante, mereces um descanso" Haggar diz sabendo ler Keith como ninguém, ela conseguia ver que ele estava cansado pelas pálpebras um pouco caídas e a forma que ele ficava mudando o peso do seu corpo de uma perna para a outra. Quando Keith parece estar pronto para contrariar sua opinião ela interrompe "Sei que deve ter muitas dúvidas e curiosidades, mas guarde para o dia seguinte quando estiver bem alimentado e disposto, aliás seu completo bem estar é o que o imperador deseja" Haggar diz convincente e inclui Zarkon como jogada final sabendo que isso faria Keith repensa sua teimosia imediatamente.

 

Zarkon ergue a sobrancelha para Haggar de ante o jogo baixo dela e segura sua diversão da cena para que não passe através da ligação para Keith e ele perceba que ela estava tentando manipulá-lo, na verdade decide ajudar Haggar, não seria como se estivesse mentindo de todo jeito, afinal de fato quer cuidar do seu tquizarp, sabia que Keith estava cansado, mas também sabia que sua teimosia e curiosidade o levaria até o limite.

 

"Vamos ter um bom jantar e em seguida seguiremos ao nosso aposento para que durma, é importante que esteja bem para quando formos lhe explicar como será de agora e diante sua vida conosco" Zarkon diz puxando Keith para seus braços que instintivamente começa a esfregar sua mão nos braços do Imperador galra para deixar seu cheiro nele, Zarkon não evitou sorrir e passar sua satisfação para Keith por seu ato.

 

Keith não queria ter que acabar seu dia logo, havia ainda tanta coisa para perguntar e ver, eram tantas questões hipotéticas e loucas para fazer, mas também sentia o cansaço e tinha Zarkon querendo cuidá-lo, como poderia negar algo a ele depois de lhe falar em tom tão caloroso e ainda tinha o fato do 'nosso aposento' que Keith torcia para não ter entendido errado. Okay, talvez deve ser um problema o porque de tudo que foi dito essa foi a única coisa que Keith filtrou e considerou 100%, e não, ele não está pensando em coisas pervertidas sobre dormir na mesma cama que Zarkon, mais sim sobre um lugar apenas deles, um lugar seguro e confortável, perfeito para os dois passarem sua vidas juntos. E sim, parece estranho esse pensamento precoce até para Keith, não é normal que ele queira marcar Zarkon com seu cheiro ou marcar seu quarto todo para transformá-lo em um bom ninho e okay, Keith está seriamente questionando seu cérebro pois a palavra 'ninho' não deveria ter soado em sua mente com possessão e muito menos com tanta naturalidade, mas ele não sabe como controlar a si mesmo e seus atos estranhos, ele sempre focou e viu o mundo de uma forma diferente dos outros humanos, tinha sorte de ser habilidoso e fisicamente atraente ou então ele teria tido um vida pior ainda na terra, ser esquisito fazia sua vida social ser praticamente nula, mas sua força e beleza pelo menos impedia que ele fosse totalmente tratado mal. Porém confessa que dês que entrou na nave de Kahpu vez alguma foi julgado ou tratado mal por algum ato incomum, na verdade descobriu que muitas das suas estranhas manias são normais aqui, isso o fazia se sentir aceito e bem vindo de uma forma que nunca foi capaz de se sentir antes, era como se finalmente tivesse achado o lugar a qual pertence. Então não teve medo de seguir seu estranho cérebro quando lentamente esfregou sua mão no braço de Zarkon, ele lembra que Kahpu comentou rápido logo após eles dois firmarem o ciclo de amizade algo sobre esfregá-se em outro galra, mas não lembra qual foi o significado que ela contou. 

 

"Okay, então va-----vamos indo" Keith concorda mas acaba bocejando de sono durante a fala e fica corado de vergonha pois isso entregou ele completamente.

 

"Você está muito cansado para ir para ir para sala de jantar, vamos para o quarto e peço que tragam sua comida" Zarkon decide fazendo uma nota mental de tentar envergonhar Keith mais tarde, ele fica tão fofo com as bochechas vermelhas, é uma cor rara fascinante que somente alguns híbridos adquiriam em seus momentos de vergonha ou raiva.

 

"Se queria levá-lo para a cama bastava dizer Zarkon, não precisa arranjar desculpa" Haggar diz com um pequeno sorriso travesso escapando e Keith podia sentir diversão exalando dela.

 

Keith imediatamente cobre o rosto com vergonha do que foi dito, mesmo que tenha sido brincadeira ainda é uma grande insinuação e isso fez o pequeno pensar sobre Zarkon lhe desejar de tantas formas diferentes. Porém seus pensamentos não ficaram nisso, Keith rapidamente encara Zarkon quando ouve um som de engasgo soar dele, o tão grandioso e poderoso imperador galra agora estavam completamente envergonhado com as bochechas alcançando um tom mais claro quase branco, Keith não pode deixar de admirar o quão inofensivo e fofo seu tquizarp parece agora, então faz uma nota mental para tentar envergonhar o galra mais tarde, poder causar essa fofa reação e apreciar as bochechas ganhando tons mais claros acabou de se tornar definitivamente sua meta agora. 

 

"N-Não diga bobagens" Zarkon diz tentando não gaguejar completamente e como uma criancinha teimosa contrariada ele sai andando emburrado.

 

Obviamente Keith riu ao ver Zarkon agir de forma tão infantil ao ser provocado, deixa um obrigado para a druida por lhe proporcionar esse momento único de seu tquizarp e recebe um curto aceno dela ema resposta, logo começa a seguir o imperador junto de Haggar que ficou respeitosamente três passos de distância atrás do Keith. Não demora muito até que Zarkon diminua a velocidade dos passos para que Keith o alcance, quando estão lado a lado o meio humano enrosca os braços no braço direito de Zarkon voltando a sentir aquele calor reconfortante outra vez e deixa outro bocejo escapar por seus lábios, ele tinha fome, mas estava com tanto sono e esse calor agradável apenas lhe fazia querer dormir ali mesmo não importa se estava de pé no meio do corredor ou não. Zarkon podia sentir o cansaço do Keith ficando maior, então com delicadeza e calma pegou o garoto nos braços.

 

"Apenas descanse" Zarkon diz pousando a cabeça do seu tquizarp em seu ombro, ouviu resmungos do garoto mas ele apenas se aconchegou melhor e se deixou enfim dormir.

 

"Zarkon" Keith diz tão baixo como um sussurro e o galra lhe olha mostrando que está prestando atenção. "Obrigado por me achar. Estou feliz" diz lentamente caindo no sono, mas não dorme antes de levantar a cabeça de forma preguiçosa e deixa um beijo na bochecha do imperador galra.

 

Haggar observa Zarkon paralisar de ante o ato do sonolento Keith e abre um sorriso sincero, ela não se impediu de desejar outra vez para os céus para que tudo ocorresse bem, Keith é mais importante para todos eles do que o garoto possa imaginar, como ela queria poder sentar junto dele sob as Gardneiras e poder contar para ele tudo que aconteceu nesses 10000 anos sem sua presença, porém sabe o risco de suas ações e com um suspiro triste guarda para si sua esperança, o coração da druida se apertando com o desejo de ter seu ciclo de volta.

 

E em silêncio a druida e o casal de tquizarps seguem para os aposentos reais, ambas as mentes ansiosas pelo futuro e pela chance de terem de volta o ser mais importante da vida deles.


Notas Finais


------------TRADUÇÃO----------

Waakajip = novamente

Diálogo Zarkon e Haggar:

H: Xipoh ta dom kito, naaro zecta kurazi zecta panazo roo/ Ele é tão pequeno, confesso que esperava que fosse maior.

Z: Gango, teno pee dom beahnt. Kura nacrep luuqua hitco un nitsse, no ief cup nacrepzo revlieeh cup inm xi tosp yddivojip/ Verdade, no entanto continua tão belo. Espero conseguir cumprir com o destino, não sei se conseguiria viver se eu o perder definitivamente.

H: Ohnev teza zecta odut lliwbezo dem. Un quepa fo ypozs soid tá gihal pycompare dna grandfo. Jac busma berior xi goa pouseoz dna vilsome xirroh ta grafa pxi tquizarp tiçohalf dna wire zacrif/ tenho certeza que tudo ocorrerá bem. O amor de vocês dois é algo incomparável e grandioso. Veja nosso império quão poderoso e incrível ele é graças ao tquizarp mestiço e seu sacrifício.

.
.
.
.

Eu planejava esclarecer uma coisa ou outra, mas sou fodidamente preso em suspense então deixei escapar umas coisas e não expliquei o que quer realmente dizer, e nem vou :v algumas coisas estão guardadas para um futuro distante, mas já podemos esperar para ver Kahpu no próximo capitulo(cara eu amo ela) e cenas de casal meloso (porque eu já li tanta desgraça Zeith que não aguento mais, quando chegar no momento tenso dessa história vou chorar para uma caralha)

Espero que tenham gostado e se tem algo que esqueci de traduzir por favor me digam, obrigadx por acompanhar minha fic!♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...