História Porquê eu?! - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bissexualidade, Depressão, Drama, Romance, Vida Escolar
Visualizações 8
Palavras 1.816
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Esta história relata a vida de muitos pré-adolescentes, adolescentes e jovens-adultos que se sentem «longe da sociedade».
Apesar de não ter como objectivo ofender ninguém a história apresenta uma «leve» critica da sociedade que, infelizmente, ainda é muito opressora.
Obrigada. Espero que gostem. Próximo capitulo em breve!

Capítulo 1 - A Mudança


Fanfic / Fanfiction Porquê eu?! - Capítulo 1 - A Mudança

Prólogo

Como tudo na vida, esta história tem início e fim, e como não seria racional começar pelo fim... Aqui vamos... Do Início!
Bem... Vocês sabem como os humanos gostam de ser maus uns para os outros... Humanos tendem em ser pessoas, não digo horríveis, mas bem perto disso. Talvez por inveja, vingança remorsos. E os adolescentes? Quase tão maus como as crianças... Supostamente à medida que se vai crescendo vai-se aprendendo a lidar com a vida e a viver em sociedade, mas nós sabemos que não é bem assim e, infelizmente, hoje em dia ainda muitas pessoas sofrem devido a isso, tal como, Mel. A Melissa, (ou Mel para os amigos mais chegados) era uma garotinha de 15 anos, ela sempre chamou muito a atenção das pessoas, pois andava sempre alegre e com roupas coloridas, era a pessoa mais otimista do mundo, sempre com um sorriso de orelha a orelha. Tinha longos cabelos castanhos e uns olhos cor de amêndoa tão brilhantes que parecia sempre que estava a viver o melhor dia de sua vida e a verdade é que para ela era quase isso, ela vivia cada dia como se fosse o ultimo, sempre alegre e pronta a ajudar e a divertir-se. Era uma menina bem extrovertida, o que não parecia novidade para as outras pessoas pois ela tem mais quatro irmãos.
A Débora, irmã mais velha com 18 anos, uma menina bem rebelde que não estava nem aí para os outros só queria saber mesmo era de jogar Baskete ou futebol, sempre de T-shirt e com um estilo, segundo a sua mãe, "pouco feminino". Ao contrário das suas irmãs, Deb, alcunha dada pelos irmãos, tinha o cabelo cacheado e num castanho quase ruivo que irradiava toda a escola e que deixava Maria com raiva.
Maria, a segunda irmã mais velha. Apenas com 16 anos, Maria conseguia ser a pessoa mais chata e mesquinha de todas. Ela adorava falar mal das pessoas e mentir a todos sobre a sua vida, umas vezes dizia que tinha comprado uma casa na praia, outras vezes que era tão rica que até conhecia o Cristiani Robaldi, um grande jogador de futebol. Ela adorava tudo o que tinha a ver com maquilhagem e com "roupinhas Tumblr" e odiava ter que partilhar quarto com as suas irmãs, «Quero ter o meu próprio estúdio, com um closet e lusinhas a volta da cama!» , dizia ela. 
Os restantes eram o Louis e o James, nomes inspirados numa série que a mãe deles adorava quando era criança, a série fala de dois gémeos inquietos e que estão sempre a pôr-se em confusões, exatamente como Louis e James.  Louis tinha cabelo castanho escuro e uns olhos verdes que herdara do pai, já James tinha o cabelo ruivo e cacheado e uns olhos bem castanhos. Embora pela sua aparência fosse difícil afirmar que eram gémeos, psicologicamente eles eram iguais, parecia que falavam por telepatia. Ambos adoravam fazer tudo o que não podiam, metiam-se sempre em confusões e nunca paravam quietos. Com apenas 11 anos eles já eram bastante inteligentes e isso ajudava-os imenso quando ao invés de estarem a estudar ficavam a noite toda a jogar video-games sem os pais saberem. 
 Bom.. mas vamos lá! Dia 17 de Maio, sexta-feira... O dia em que o feliz e maravilhoso "mundo de Mel" se transformou num pesadelo, o dia da mudança.

 

A Mudança

TRIN TRIN TRINNNNNNN
Toca o despertador, 7 da manhã. As três irmãs levantavam-se para se preparar para ir para escola enquanto sua mãe preparava um grande pequeno-almoço e o pai tentava abrir a porta do quarto dos dois gémeos que se trancaram lá dentro para não terem de se levantar cedo.

Pequeno-Almoço tomado, dentes escovados, roupa vestida, era hora de ir para a escola! 
-Esperem meninos! -Gritava a mãe, uma mulher linda e magra com longos cabelos castanhos claros e uns olhos brilhantes e radiantes de felicidade, enquanto tentava despedir-se de seus filhos, os gémeos já tinham entrado no autocarro parece que hoje na escola iam a um museu e isso dava-lhes uma ótima oportunidade para se meterem em sarilhos, Deb já tinha saído quis ir mais cedo para a escola para jogar basket antes das aulas, Maria esperava apressadamente que as amigas chegassem, ia de carro porque «Chegar a escola de autocarro é uma vergonha» e Mel, a única que sempre dava um beijo de despedida a sua mãe, hoje saiu apressada. -Boas aulas! -Gritou enquanto o autocarro ia avançando na rua.

«Meninas hoje depois das aulas no café do Robie's? Não me posso ir embora da cidade sem beber um ultimo batido de frutos vermelhos e natas. Vocês sabem que vai ser difícil encontrar um café com batidos como os do Robie's»   
Laura e Bárbara, as duas melhores amigas de Mel, leram o bilhete e acenaram afirmativamente com a cabeça. Elas conheciam a Mel desda cresce, eram quase como irmãs. Laura uma menina loira de olhos azuis, algo que Mel adorava, embora achasse um pouco clichê, ela até era bem simpática mas era um pouco tímida e bem certinha era a melhor aluna da escola, ao contrário, Bárbara, que era bem rebelde. Bárbara tinha uma pele muito morena e uns olhos quase pretos, era de origem africana o que sempre a agradou pois dava-lhe «um avanço», ela tinha o maior rabo da escola e claro que isso era tema de conversa no balneário da equipa de futebol masculina e na feminina muitas vezes tambem, pois todas as raparigas tremiam de inveja quando ela usava roupa justa e por conseguinte gozavam com ela e ofendiam-na, mas Bárbara era uma menina bem direta e que ao invés de se preocupar e martirizar com as piadinhas ela ofendia também, o que lhe dava um "lugar premiado" na sala do diretor.
        As aulas acabaram e como tal as três amigas foram até ao Robie's. Sentaram-se num canto do café, onde haviam duas mesas, ambas livres. 
-Meninas eu vou embora amanhã e estou com muito receio do que pode acontecer. Eu não conheço ninguém lá...
-Oxeee... Mas os teus irmãos não vão?! Vocês não são uns cinquenta? Conheces muita gente! -Diz Bárbara interrompendo de forma irónica. O número de irmãos que a Mel tinha era sempre tema para risinhos pois sempre que se juntavam parecia um acampamento medieval. 
-Vá não fiques assim, Mel. Nós vamos visitar-te! ou vens cá tu?! Vai tudo correr bem! E tens sempre internet caso queiras conversar. -Disse Laura com um sorriso nervoso na cara, ela não acreditava que tinha que se separar da sua amiga. 
Mel encostou-se ao banco e puxou o seu batido de frutos vermelhos e natas enquanto contemplava o vazio da mesa à sua frente e imaginava como seria a sua casa nova, ela imaginava uma casa pequena e acolhedora, como sempre teve, com poucos quartos e sem espaço para tanta gente. Mas havia no fundo do seu coração esperança para que fosse uma experiência divertida, afinal conhecer pessoas novas é sempre giro... 

No dia seguinte...
-Ó MÃE VISTE A MINHA CHAPINHA? -Gritava Maria do seu quarto.
- Já está na mala! E a tua maquilhagem também! -Respondeu apressadamente Grace, mãe, que já não conseguia ouvir mais a sua filha a gritar.
Estavam todos muito atarefados e stressados a tentar arrumar as ultimas malas para a viagem. Mudar de casa com tantas pessoas não é tarefa fácil, mas lá conseguiram e agora é hora de partir!

-Um, Dois, Três, quatro... - Contava Grace enquanto se inclinava para os bancos de trás do carro, para contar os seus filhos. - Ok! Podemos seguir viagem, está tudo!

Enquanto os gémeos chateavam o pai enquanto loucamente perguntavam Já chegámos? ou Falta muito?, Deb ria-se da cara de Maria que tentava pintar os seus lábios, com o seu novo batom da Birmix, enquanto o carro dava solavancos ao andar pela estrada. Mel estava limitava-se a fitar o vazio enquanto pensava para si como seria a sua vida longe das suas amigas e se iria conseguir fazer novas amizades. 
A viagem de carro demorou cerca de 2 horas, quando lá chegaram o pai ainda quis dar uma "voltinhas" com o carro - É para mostrar a cidade! - dizia, embora todos soubessem que ele simplesmente não sabia o caminho para casa e que por isso dava umas 13 voltas a cada rotunda. Por isso, 2 horas e meia. 
Quando chegaram à nova casa a mãe mostrou onde seria o quarto de cada um e pediu que desfizessem a mala. A casa tinha dois andares. No andar debaixo ficava a cozinha, a sala, uma pequena casa de banho, e a sala de jantar com vista para o jardim dos vizinhos. No andar de cima eram os quartos, o quarto da Débora e da Maria, que reclamavam loucamente com a mãe por terem de partilhar o quarto e, logo ao lado, o quarto dos gémeos, com uma casa de banho a dividir. Em frente era o quarto da Mel que se maravilhava por finalmente ter um local onde pudesse descansar sem ter de ouvir constantemente as suas irmãs a discutir e depois um corredor que dava até ao quarto dos pais. O quarto dos pais era o maior, com uma suite e banheira de hidromassagem, tinha também um closet, algo que deixou Maria furiosa. 
As crianças desfizeram as malas e foram conhecer a cidade com o pai, menos Melissa. Melissa decidiu ficar em casa com a mãe a arrumar o resto das coisa. O quarto de Melissa tinha uma enorme janela, algo que ela sempre quis ter em seu quarto, ela achava aquela janela uma fonte de inspiração, quer dizer, mais ou menos, porque aquela janela dava, também, para o quintal dos vizinhos, mas ela não se importava. Mel estava a acabar de arrumar as suas coisas quando se lembrou de ligar às suas amigas. Elas tinham um grupo de bate-papo no Whatsspapo, uma aplicação de mensagens, e sempre falavam por lá, então, Mel enviou para lá uma mensagem

Meninas já cheguei! O meu computador ainda não está montado, por isso video-chamadas ainda não são possíveis. Mas está tudo bem comigo e espero que com vocês também! RESPONDAM RÁPIDO OK???! 
Beijos! PS: Tenho um quarto só para mim! Yeahhhhhh

 

A mensagem não foi visualizada e já se passaram 3 horas! -Pensava Melissa um pouco desiludida.- Bem... eu vou dormir. Amanhã quando acordar já devem ter respondido! Tenho a certeza! 

A casa inteira estava a dormir, excepto Mel, que estava deitada na cama a fitar o teto do quarto. A pensar como seria na escola e porque suas amigas não lhe tinham respondido. A casa estava silenciosa, só se ouvia o barulho do vento a bater contra as janelas. "Era quase um novo dia e Mel ainda não dormia!" (N/A: Até rimei!)  Ela estava muito ansiosa pela sua nova vida e ao mesmo tempo preocupada pelas suas amigas. Fechou os olhos. Caiu, finalmente, num sono profundo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Próximo capitulo em breve...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...