História Porque você me viu naquela noite ? - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Porque Você
Visualizações 83
Palavras 1.389
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 11 - Um pouco de meu passado


Shigatsuky ak

Eu me pergunto porque ela deceu no porão, porque eu não matei ela ? Estava tudo pronto, tinha seu fino pescoço em minhas mãos, então porque ? Eram dúvidas que eu não conseguia responder, ainda mais de cabeça quente, eu estava puto da vida, mandei ela não mexer em absolutamente nada, então porque aquela puta pegou essa maldita foto ? 

- Vadia ! - Falei para mim mesmo, eu tinha saído de casa, deixando um aviso para ela, as ruas como de costume estavam vazias, eu estava calmo por fora, mais por dentro estava uma algazarra de ódio e vontade de matar.

Me sentei em um banco, que estava em um pequeno parque, estava friu, e tinha pouca neve sobre o banco, coloquei minha mão direita no bolso, e tirei de la a fotografia, fiquei a olhando e analisando atentamente. 

Anos atrás 

- Mamãe ! Onde estamos indo ? - Perguntou meu primo, olhando para sua mãe que estava na frente da minha.

- Estamos indo tirar uma foto ! - Ela disse sorrindo para ele, depois olhou para minha mãe e sorriu também, eu estava ansioso.

Quando chegamos, minha tia segurou na minha mão, me levando para tirar a foto, mais minha mãe a impediu, assim me puxando com força até ela.

- Qual o seu problema Himy ? - Perguntou minha tia, minha mãe a olhou torto, eu estava quieto, e meu braço ainda estava sento segurado pela minha mãe, mais meu primo, um ano mais novo que eu foi ao meu lado.

- Ele não vai tirar foto com você! - Ela disse apertando meu braço ainda mais, e meus olhos começaram a aguar, minha tia notou e tentou ir até mim, mais minha mãe me puxou de novo.

- Himy você tá machucando ele ! - Ela disse apontando para o meu braço, minha mãe me soltou com força, me fazendo cair de barriga no chão, onde ela estava segurando ficou uma grande mancha vermelha, eu ia chorar, mais minha mãe logo chamou minha atenção. 

- Shigatsuky ! Não chore ! Você não é uma garota ! - Ela disse, eu me sentei no chão, mais logo recebi um tapa no rosto, fazendo meu rosto, virar, minha tia novamente tentou fazer algo, mais minha mãe me levantou com força - Vamos Shigatsuky ! Não iremos tirar, merda de foto nenhuma ! Não precisamos disso ! - Ela falou me arrastando atrás dela.

- Mais mamãe ! Eu quero tira --- - Mal terminei a frase e levei mais um tapa, eu olhei para trás e meu primo segurava a mão da minha tia com força.

- Não se preocupe Shigatsuky logo você tira foto comigo e com o Shigatsumy ! - Minha tia disse com um sorriso de leve no rosto, me fazendo sorrir.

Passou alguns dias, e veio a notícia que minha tia, primo e meu tio tinham sidos assassinados e os corpos ficaram irreconhecidos, com várias partes de seus corpos separados, fui ao velório, os caixões estavam fechados, eu estava imóvel e sem expressão, mais acabado por dentro, já minha mãe estava com um minúsculo sorriso no rosto.

Voltando ao presente 

- Sua puta ! Espero que você queime no inferno Mãe ! - Falei olhando para o céu e guardando a foto no bolso, até que vi uma coisa que me chamou a atenção, uma garota que eu chutava ter uns 10 - 12 anos, sendo abusada por quatro homens, meu sangue ferveu, pois uma coisa que eu abomino, è estrupo, como saio preparado de casa, peguei meu canivete do bolso, e caminhei lentamente até eles.

- Ei garoto ! Oque você está olhando !? Quer dar para gente também é ? Pode vim ! Pois hoje estou aceitando até homens ! - Um deles falou com um sorriso nojento no rosto, e com seu membro de fora.

- Solte a garota !

- Quem você pensa que è para falar isso ? polícia ? - Um deles disse sorrindo, eu sorri maníaco para todos, que tiraram seus sorrisos do rosto.

- Não sou da polícia ! Muito pelo contrário ! Sou fugitivo deles des de que me tornei um psicopata que adora deixar suas vítimas em pedaços ! - Falei e sorri com um sorriso enorme para eles.

Um se proximou de mim, peguei meu canivete, e rasguei toda sua boca, que deu para ver seus dentes laterais, logo outro se aproximou tentando me acertar um chute, mais me esquivei, e logo dei um soco em seu rosto, com o canivete entre meus dedos bem em seu olho, assim furando, girei o canivete e arranquei um de seus olhos fora, o mesmo caiu no chão com a mão no olho, eu sorri, mais quando olhei para frente os outros dois estavam correndo, mirei meu canivete em sua garganta, quando joguei, acertei, fazendo atravessar sua garganta, e logo o cara caiu morto no chão, corri até o próximo, logo o alcancei e o grudei na parede, o mesmo estava com muito medo.

- Que feio !Abandonando seus amiguinhos ! Você tem que aprender que amigos se ajudam viu ! - Falei sorrindo para ele.

- Por favor ... Não me machuca ! - Ele disse chorando, eu o segurava pela garganta, tirando seus pés do alcance do chão. 

- Quando aquela garota pediu, você escutou ? Acredito que não ! Então por que eu teria piedade de você ? Mais e se eu pagasse com a mesma moeda ? Qual seria sua reação ao sentir um membro no seu ânus ? Com muita força ? Em ? Mais lixos como vocês ! Merecem mais que isso ! - Falei ainda com um sorriso psicopata no rosto, ele fazia que não com a cabeça, levantei meu braço, mirei em seu perito, e atravessei minha mão no mesmo, arrancando seu coração fora, qur pulsava em minha mão cheia de sangue, apertei até que estourei como uma bexiga, e o cara já estava morto, o deitei no chão e comecei a arrancar seus braços e pernas, e comecei por seu membro, carreguei os pedaços até os outros que ainda estavam caidos, arranquei primeiramente meu canivete de seu pescoço, e depois o desmontei também, carreguei seus pedaços junto com o outro, até o terceito, o mesmo estava no chão ainda com a mão no olho que eu arranquei, que estava caído no chão, ele ainda estava vivo, então foi ainda mais divertito, cortei lentamente seu membro fora, o fazendo gritar muito de dor, depois de tirar, coloquei a mão com o canivete no buraco, e comecei a arrancar tudo que tinha dentro, bem de vagar, depois de um tempo tirando, notei que ele já estava morto, então o desmontei, e carreguei junto com os outros dois, quando cheguei ao último, apenas o desmontei rapidamente, pois hoje estava com preguiça de fazer muita coisa, quando estava com o pedaço de todos, joguei no meio do parque, peguei um fosforo que guardo na minha blusa, como eu disse mais cedo, eu sempre saio preparado, taquei fogo e fiquei olhando aquele belo e lindo momento. 

Me esqueci da garota, então caminhei até ela, a mesma estava imóvel e ainda nua, eu a encarei, e notei que ela estava com um pouco de medo.

- Se vista ! - Falei dando de costas para ela, mais antes de me virar, ela fez que sim com a cabeça.

- Obrigada moço ! - Ela falou baixo, eu parei de andar, e logo me virei para ela, a mesma já estava vestida e de pé. 

- Não me agradeça ! Você viu oque fiz ! E espero que isso morra aqui ! Se não te mato sem excitar, e fasso com seu corpo, a mesma coisa que fiz com os deles ! 

- Okay ! - Ela disse e saiu correndo, eu me virei de novo, e caminhei até minha suposta casa.

Quando cheguei a porta estava um pouco aberta, eu falei para aquela retardada para não deixa ninguém entra, inútil mesmo, quando entei não olhei para frente, fechei a porta, e quando olhei para frente vi um homem, segurando com uma faca apontada no pescoço da Mitsumy.

- Olá Shigatsuky ! Quanto tempo ! - Ele disse sorrindo para mim, eu o encarei com ódio. 

- O que você quer Jikito ? - Falei ainda parado na porta.

- Apenas vim visitar meu lindo e velho namorado ! - Ele disse sorrindo. 



Notas Finais


Espero que tenham gostado =^-^=
Fiquem com Rikudou !!
E até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...