História Power Of Energy - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Hayes Grier, Jack & Jack, Madison Beer, Magcon, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Personagens Jack Gilinsky
Visualizações 279
Palavras 2.050
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais uma vez fechando quase o dia e eu aqui postando, mas para aquelas que estão no grupo do Whats da fic , sabem que minha vida está uma correria sem limites.

Mas promessa é promessa, e hoje ainda é quarta-feira então está valendo. Terceiro dia de maratona finalizado, faltam mais dois!!!

Links importantes na notas finais.

Boa leitura minhas flores de jasmim...

Capítulo 9 - Leaked


Fanfic / Fanfiction Power Of Energy - Capítulo 9 - Leaked

@melanievanmiller: after 10 year, i miss u  

@sammywilk, @ oliviasmith, @jackgilinsky + 102.384 pessoas curtiram sua foto.

-Ver todos os 1.972 comentários-

 

Depois de todo aquela discussão que acabou com Madison gritando que nem uma maluca coisas que só ela entendia até Jack a carregar para fora da casa. Não teve como negar que aquilo, meio que, acabou com a festa, então Taylor avisou aos mais íntimos que amanhã ele daria uma pequena festa na piscina durante o dia para compensar.

Uma das amigas de Madison avisou que Jack havia ido embora sozinho e pedido um táxi para a namorada. Todos sabíamos que ele não tinha a menor condições de dirigir no momento, ainda mais irritado daquele jeito.

- Mel, eu preciso ir atrás dele. – Johnson falava nervoso. – Eu te dou dinheiro para um táxi depois, pode ser?

- Não precisa de dinheiro J, vai lá. – Eu disse tentando o acalmar.

- Eu levo ela, pode ficar tranquilo cara. – Sammy avisou o amigo, que só o retribuiu com o sorriso fraco e um “obrigado” sem som.

- Sammy, não precisa mesmo. – Tentei argumentar, mas acho que nada que eu falasse o impediria de pagar de bom moço.

- Não me faça implorar. – Ele insistiu e eu assenti com a cabeça me dando por vencida. Nós ficamos conversando por alguns minutos, até que resolvemos que nenhum estava com clima de festa para permanecer ali e ir para o carro.

Era engraçado que toda a minha relação no passado com Sammy se baseava em um único verão. Há uns dez anos minha avó achou válido eu viver a experiência de um acampamento durante as férias escolares. Durante um mês e meio eu dormi no paraíso de qualquer criança, aquele lugar era maravilhoso, as atividades duravam o dia todo, a noite todos se reunião em fogueiras. Aquelas coisas que pareciam acontecer somente em filmes.

Foi ai que eu conheci o Samuel. Primeiro dia ele me ajudou com as malas até o dormitório, já que o seu era o ao lado. Desde o primeiro momento ficamos amigos, o que rendeu um verão com um novo melhor amigo, mil histórias novas. Em uma das fogueiras, depois de quase trinta dias no acampamento, nós conversamos e ele me beijou. Vendo tudo hoje, é tão doze anos, mas nós tínhamos doze anos, era como o beijo do Troy e da Gabriella em High School Music 2, tudo parecia perfeito.

O fim do acampamento resultou no fim de qualquer ligação entre nós. Mas podemos dizer que Samuel foi meu primeiro amor de criança/verão. E nas últimas horas que nos reencontramos, era como se a mesma amizade daquela época revivesse.

- Está entregue mocinha. – Ele falou assim que parou em frente à minha nova residência.

- Muito obrigada. Você quer entrar? – Perguntei e ele pareceu pensar um pouco.

- Eu moro com o Hayes, e digamos que essa noite ele está acompanhado. – Conforme ele ia me contando eu ia arqueando as sobrancelhas, como se tentasse entender o que ele queria dizer com aquilo. – Então eu amaria perder uma hora dos meus ouvidos sangrando ao escutar coisas que não deveriam. – Ele terminou sua explicação e eu cai na gargalhada.

- Ele tem uma cara de tão anjinho, eu não quero pensar nele fazendo essas coisas. – Comentei saindo do carro e ele fez o mesmo.

- Esses são os piores. – Ele disse caminhando atrás de mim até a porta.

[...]

Nós víamos um episódio aleatório de Friends que passava na televisão em um canal qualquer, era visível que nos dois estávamos caindo de sono mas tentávamos lutar contra isso. O som do celular vibrando sobre a mesa de centro voltou a ecoar pela sala e a careta de Johnson voltou a iluminar minha tela.

- Oi anjo. – Disse meio sonolenta ao atender.

- Desculpa Mel, você estava dormindo? – Ele perguntou tranquilo do outro lado da linha.

- Não, eu estou vendo televisão com o Sammy. – Respondi me ajeitando no sofá. – Aconteceu algo?

- Não, eu não achei o G. – Ele comentou, fazia umas três horas que ele havia saído atrás do amigo. – Só queria pedir para que se ele aparecer por ai, me avisa tá?

- Pode deixar Johnson. Você procurou ele no County Museum? – Perguntei lembrando que ele sempre me falou que era o seu lugar favorito daqui.

- Não, ele nunca me falou desse lugar. – Johnson comentou.

- Eu não sei se ele pode estar lá, eu só lembrei dele falando de lá quando vocês se mudaram. Faz muitos anos J, é só um palpite. – Disse meio sem esperanças que ele pudesse estar lá de verdade, fazem cinco anos que ele havia me revelando tal escolha, em cinco anos muitas coisas mudam.

- Eu vou tentar. Boa noite pequena e se cuida. – Ele desejou e encerrou a chamada.

- Está tudo bem? – Sammy perguntou assim que bloqueei o celular.

- Sim, ele só não encontrou o Jack ainda. – Contei e ele deu um sorriso de canto de boca.

- Você ainda gosta dele né? – Ele perguntou passando a mão nos cabelos lisos e curtos, os deixando mais bagunçados do que antes.

- É claro que não, eu realmente não sinto nada. Só que ele sempre foi uma pessoa na minha vida, eu não quero que ele mal também. – Disse e assentiu com a cabeça, passando o braço pelo meu pescoço e me fazendo apoiar minha cabeça em seu ombro.

[...]

A claridade iluminava tudo ao meu redor, me fazendo praguejar por não ter saído ainda para comprar qualquer coisa que bloqueasse ao sol de invadir todos os cômodos dessa casa. Abri os olhos me deparando com braços me entrelaçando e pernas que impediam meu corpo de cair do sofá e se chocar com o chão.

Pisquei algumas vezes tentando entender o que estava acontecendo ali, olhando para cima e vendo Samuel dormindo calmamente enquanto eu estava no meio dele e da mobília. Tentei sair dessa posição com cuidado, mas falhei miseravelmente na missão, já que ele quase caiu com tudo no chão e acabou acordando assustado.

- Me desculpa. – Falei rindo pela situação. – Eu juro que tentei não te acordar.

- Tranquilo. Bom dia baixinha. – Ele falou sorrindo e ficando em pé ao lado do sofá.

- Bom dia. Me responde o por que nós dormimos no sofá, eu tenho três quartos nessa casa. – Perguntei antes de estralar o pescoço e o barulho se espalhar por toda a sala.

- Você estava encostada no meu peito e a gente estava conversando, e de repente você dormiu. Não quis te acordar, estava tão bonitinha dormindo. – Ele falou sorridente e me deixando completamente sem reação. – Ai eu só me ajeitei e acabei dormindo também.

- Ai que vergonha, deixa eu te fazer um café para compensar você ter dormido todo torto por minha causa. – Falei indo para cozinha.

Eu acabei fazendo um pequeno café da manhã, como já era quase onze horas ele me ofereceu uma carona até a casa de Taylor. Enquanto ele terminava de comer, eu fui até o meu quarto correr contra o tempo mais uma vez e me arrumar. Nós íamos passar no caminho na casa dele para que ele tomasse um banho e trocasse de roupas também.

[...]

Era quase uma da tarde quando chegamos na confraternização de Taylor e como de costume quase todos já estavam lá. Cumprimentei a todos e logo chegaram os mais atrasados que nós, Jack e Johnson, sozinhos.

- Cadê a quebra vibe? – Taylor perguntou se referindo a Madison e não aguentei, me rendendo a risada dos pessoais.

- Não faço ideia. – Jack respondeu pegando uma das cervejas do cooler a sua frente.

- Jack Gilinsky não sabendo onde está a namorada? Que mundo é esse que ela não manda mais mensagem a cada cinco minutos. – Sammy perguntou antes de me entregar o drink, eu apenas senti o olhar de Jack queimar sobre nós.

- Ex-namorada. – Ele falou cedo e todos se entreolharam surpresos.

- Deus ouviu minhas preces. – Cameron falou e todos voltaram a rir, incluindo Jack.

- Você que trouxe ela para o grupo, deveria se envergonhar disso. – Taylor falou ácido, acho que agora eu estava entendo o apelido de naja.

- Por isso eu era o que mais pedia perdão por esse erro. – Cameron respondeu não deixando a ironia de lado.

- Agora vamos falar de coisa boa. – Jack pediu e todos se animaram. – Festa hoje à noite, qualquer lugar, obrigada, primeira rodada minha conta. – Ele disse levantando a cerveja e todos comemoram.

Os garotos faziam uma competição interna de pulos na piscina, enquanto eu e Olivia apenas observávamos os corpos definidos babando. Quanto tempo esses garotos passavam na academia? Porque na época que eu namorava o Jack, não existia todos aqueles gominhos e músculos, eu posso afirmar isso. Ele veio nadando em nossa direção, saindo da piscina no momento em que chegou em nossa frente.

- Posso falar com você? – Ele perguntou passando a mão nos cabelos e deixando os pingos caírem no chão quente de sol.

- Eu vou na piscina. – Liv falou e saiu o mais rápido possível, caindo na água com uma sereia. Os olhares de Johnson sobre o corpo da morena me fizeram soltar uma pequena risada nasalada. Jack sentou na espreguiçadeira ao meu lado e começou a falar.

- Johnson me contou que você soube onde eu estaria. – Ele se me olhava no fundo dos olhos, me deixando um pouco nervosa.

- Eu só lembrei que você gostava de lá, achei que ele soubesse disso. – Disse colocando os óculos de sol de volta em meu rosto e deixando com que meu corpo queimasse com o sol.

- Só você sabia daquele lugar. – Ele contou baixo e por um segundo me senti mal por ter revelado isso a mais alguém.

- Eu não sabia, desculpa ter... – Tentei me desculpar, mas fui interrompida.

- Não precisa, se não fosse por isso eu provavelmente ficaria lá desmaiado de bêbado como um mendigo qualquer. Johnson me achou em uma situação deplorável. – Ele contou e eu voltei a o encarar.

- Você o que? – Perguntei me sentando na espreguiçadeira.

- Eu só sentei lá, comecei a pensar na vida e acabei dormindo. – Ele disse e me fez revirar os olhos.

- Sabe uma coisa que o Johnson me contou. – Perguntei e ele negou com a cabeça quieto para que eu mesma me respondesse. – Que você me tornou proibida para os outros garotos. Que merda é essa Jack?

- Sobre isso. – Ele falou soltando uma risada nervosa e coçando a nuca. – Eu conheço os amigos que eu tenho, e eu sei que eles não te merecem. Você merece alguém bom, e eles não sabem valorizar uma garota como você.

- E quem você é para achar isso? – Perguntei um pouco irritada com aquilo. Não que eu tivesse qualquer interesse de me envolver com algum dos garotos, mas eu achava ridículo essa proibição.

- Eu sei com quem você estava ontem à noite, Melanie. Eu conheço o Sammy há anos, ele não é mais o menino bonzinho do acampamento. – Ele falou segurando minha mão, me fazendo encarar Samuel do outro lado da piscina nos encarando tão sério como Taylor encarava o celular.

- Eu sou bem grandinha, acho que eu aprendi algumas coisas com você. – Falei tirando minha mão da sua.

- Mel, eu só não quero que você se machuque. – Ele disse cabisbaixo, eu até ia responder mas Taylor apareceu correndo.

- Dude, pelo amor de deus, fudeu mundo. – Ele disse e todo o batalhão veio junto com ele.

- O que foi? – Jack perguntou preocupado.

- Está todo mundo falando que vazou algo seu envolvendo alguma agressão na Madison. – Ele falava rápido sem desgrudar os olhos do celular.

- Como assim? – Johnson perguntou assustado.

- Você agrediu ela? – Eu perguntei irritada e ele apenas negou com a cabeça. No momento todos menos Jack olhavam seus celulares feitos louco atrás da informação.

- É sobre uma discussão que vocês tiveram. – Hayes comentou e meus olhos se voltaram a Jack que agora matinha a cabeça afundada entre os pulsos, apoiados nos joelhos.

- Estão falando que é uma agressão verbal. – Matt compartilhou.

- Eu acabei de receber o áudio. – Aaron avisou. – Vocês querem escutar?

- Coloca essa merda de uma vez. – Jack gritou sem tirar os olhos do chão.   


Notas Finais


E agora, coração fica como?? Me contem nos comentários!

O link do perfil do instagram da Mel: https://www.instagram.com/melanievanmiller/ - Ele será totalmente público, e se quiserem sugerir algumas ideias directs sempre são bem vindo. Lá vou avisar sempre que tiver capítulos novos!

A fanfic tem um grupo no whatsapp!!! Vou deixar o link caso alguma de vocês queiram entrar! Link: https://chat.whatsapp.com/90rwbINBIdHLsCNZXwKPQ3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...