1. Spirit Fanfics >
  2. Prometidos da Alcatéia >
  3. Seven

História Prometidos da Alcatéia - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Oii, voltei :3

A fanfic se chamava Promise of the pack, mas não sei qual foi o erro que cometi, que ao traduzir o nome dela estava ficando errado. Então conversei com o pessoal que esta no grupo da fic e disse que havia decidido mudar o nome dela e é o mesmo nome, apenas está em português. Espero que entendam :3

Estou atualizando em pela madrugada, socorro KKKK

O capítulo não está lá aquelas coisas, mas me esforcei para trazer atualização para vcs.

Boa leitura :3

Capítulo 8 - Seven


Fanfic / Fanfiction Prometidos da Alcatéia - Capítulo 8 - Seven

[LEIAM AS NOTAS DO AUTOR]

 

  Autora on

 

Changbin andava devagar encima das folhas secas, estava a uns dez metros de distância do acampamento e esperava calmamente pelo momento que poderia entrar ali. Em sua cabeça rondava a frase dita por JaeBum e seu lobo estava inquieto por aquilo, a única coisa que sabia era que devia salvar seu marido e levá-lo para o pai ômega que ficou na casa dos líderes no sul. Tinha muita vida em jogo ali se resolvessem atacar de fato o sul, mas em sua mente só se perguntava o porque de terem sequestrado Yongbok e o porque de ainda não terem atacado a alcateia do sul. Se fossem mesmo atacar já teriam feito e não esperariam tanto tempo para isso e muito menos se alojariam ali, onde era território do alfa Lee e tinha rondas nas barreiras do sul vinte e quatro horas por dia, deveria ser alguém que conhecia a formação dos sentinelas e que sabia dos furos de descanso dos homens, mesmo que a ronda fosse apenas de cinco metros dentro da floresta.

 

Sabia desses pequenos erros deles pois gostava de se aventurar ali e ir até o limite dela, que dava na casa dos Lee’s. Se acostumara tanto a entrar e sair da floresta que já sabia como andar ali e para onde seguir, já havia levado uns tabefes da parte de Bambam. Mas mesmo assim ele voltava, tinha algo ali que o atraia fortemente e não conseguia recusar isso a seu lobo.

 

Parou de caminhar e se virou em direção onde estava JaeBum e seus sentinelas, após ouvir um grito de raiva do mais velho que chamava pelos invasores. Como já haviam cercado o acampamento e os homens, todos os desconhecidos que estavam ali correram e se juntaram em frente dos sulistas como se estivessem a fazer uma barreira e ficaram em posição de ataque e ouviu o aparente líder deles pedirem para se retirarem.

 

Aproveitou a distração para se aproximar devagar por trás, se fizesse algum barulho seria pego e não conseguiria salvar Yongbok, entrou devagar no acampamento que estava úmido pela chuva e seguiu o cheiro fraco de seu marido enquanto andava no meio das barracas montadas. Entrou na barraca do meio que era de onde vinha o cheiro do ômega e viu seu marido desacordado amarrado em uma cadeira e um homem desconhecido a sua frente, não sabia quem era ele. Seus olhos mudaram de cor ao ver os braços do marido machucado e um pequeno sangramento na testa dele, haviam o desmaiado.

 

Olhou para o alfa a sua frente e suspirou pesado, estava com tanta raiva que era capa de matar aquele homem e quem mais entrasse em sua frente. O alfa menor puxou uma espada da bainha de sua calça e partiu para cima de si, Changbin que estava com a espada que JaeBum lhe dera fora rápido em se defender e revidar rapidamente os golpes. Começaram uma luta ali e depois de alguns minutos a espada do alfa menor foi ao chão e parou ao ouviu seu nome ser chamado pelo marido que havia acordado depois de ouvir o barulho alto de ferro se chocando, olhou rapidamente para o menor e viu o sorrisinho pequeno dele e sorriu para ele também, pelo canto do olhar viu o alfa tentar se aproximar de si e atingiu com a espada a cabeça do alfa que logo fora ao chão.

 

Rapidamente se aproximou do marido e passou a mão pelo rostinho sardento delicado dele e sorriu ao ver que ele estava bem, começou a desamarrar as mãos dele e seus olhos mudaram novamente para o dourado ao ver que os pulsos dele estavam roxos pela forma que fora amarrado, após soltar as mãos dele começou a desamarrar a corda que estava em seus pés e suspirou enraivecido. Levantou seu olhar ao sentir as mãos do marido acariciarem seu rosto e sorriu para o menor sentindo seu lobo se acalmar.

 

-Não precisa ficar com raiva, eu sabia que você viria.

 

Falou baixinho e Changbin queria dar na própria cara por ter deixado eles levarem o menor para longe de si, soltou a corda dos pés do menor que também estavam roxos e levantou-se esticando uma mão para ajudar o menor a levantar. Quando Felix levantou não esperava que suas pernas estivessem tão fracas e foi segurado pelo maior para não cair no chão.

 

-Você tá bem?

 

O alfa perguntou preocupado e o menor assentiu.

 

-Sim, elas devem estar dormentes por terem ficado tanto tempo na mesma posição.

 

Falou e deu um gritinho assustado ao ser levantado pelo alfa, que o segurou no colo. Suas penas estavam em volta da cintura do marido e suas mãos na nuca dele, sentiu o alfa afagar suas costas e sorriram um para o outro. Felix desviou seu olhar para o chão e viu o alfa desacordado e com um filete de sangue no rosto.

 

-Ele tá morto?

 

Perguntou levando seu olhar do alfa no chão para o marido e viu quando o maior começou a rir. Olhou para o maior com o sembrante sério e ele parou de rir tão rápido quanto havia começado.

 

-Não, ele só está desacordado mesmo, mas eu queria ter matado ele.

 

Falou fazendo biquinho pro menor e sentiu um tapa ardido em seu braço que estava desnudo.

 

-Não deve ficar matando as pessoas assim, eu estou cansado Binnie.

 

Falou com um bico nos lábios e encostou a cabeça no ombro do alfa que afagou os cabelos do menor e começou a andar para fora da barraca. Indo em direção ao líder Lee e seus homens.

 

 

 

Quebra de tempo.

 

 

 

O barulho alto de espadas acabou chamando a atenção dos homens que estavam do lado de fora, que acabaram se distraindo e virando para trás, esse pequeno tempo foi o suficiente para JaeBum puxar o que estava na liderança ali e colocou uma faca no pescoço dele.

 

-Entreguem-se ou seu líderzinho morre.

 

Falou com sua voz vacilando entre seu lobo interior e a sua própria. Os homens que tentaram lutar foram mortos pelas flechas disparadas pelos sentinelas sulistas e ao caírem ao chão assustaram os outros que jogaram suas armas e se ajoelharam no chão com a mão acima da cabeça. Os sentinelas do sul rapidamente prenderam os homens e ficaram segurando-os enquanto esperavam por Changbin e seu ômega.

 

O olhar de JaeBum era pesado encima dos homens que se sentiam desconfortáveis, o alfa Lee só desviou seu olhar quando viu o Seo se aproximar com seu filho nos braços. Andou rapidamente até Changbin e passou as mãos nas costas do filho e viu o sorriso de felicidade do menor ao lhe ver.

 

-Appa, eu estava com saudades.

 

Disse empolgado e o maior sorriu para o filho.

 

-Eu também senti sua falta filhote.

 

Disse e o mais novo sorriu para si antes de apoiar a cabaça nos ombros do marido e aparentemente começar a cochilar ali. Changbin olhou para o maior e sorriu também.

 

-Muito obrigada JaeBum, graças a você tenho meu ômega novamente.

 

Disse enquanto acariciava os cabelos ruivos do marido e sentia os suspiros geladinhos dele em sua nuca. O mais velho fez um aceno de cabeça e andou até seus homens que agora vasculhavam as barracas atrás de alguma pista e depois de algumas horas de busca de alguma pista ali, JaeBum ordenou que levassem os homens para a prisão em seus territórios e tratassem de enterrar os que foram mortos e que alguns ficassem ali desmontando tudo.

 

Changbin que estava sentado em um tronco caído com o marido dormindo no colo, levantou-se e se aproximou do Lee, que dava ordens aos seus sentinelas que já seguiam com os homens para seus territórios.

 

-Ele ainda dorme?

 

Perguntou olhando para o rosto do filho adormecido e abaixou seu olhar para a clavícula exposta dele vendo a marca recente do alfa mais novo ali.

 

-Quando você o marcou?

 

Perguntou enquanto olhava para o rosto sereno do mais novo e viu as bochechas dele avermelharem de leve.

 

-No primeiro dia de cio dele, a cinco dias atrás.

 

JaeBum concordou de leve, seu filho mais novo já estava casado não tinha o porque de fazer um barraco por Changbin telo marcado.

 

-Tudo bem, só não faça mal a ele ou deixarei que Christopher arranque a pele do seu corpo.

 

Disse e em menos de um segundo o mais novo concordou com a cabeça. Começaram a andar de volta para a alcateia e Changbin segurava seu marido fortemente nos braços que já estavam dormentes por estar o segurando a mais de três horas, enquanto andava com o mais novo nos braços se imaginou segurando seus filhos no braço e sorriu levemente por tais pensamentos. Queria que eles fossem tão bonitos quanto seu ômega, olhou para frente e viu que já estavam para sair da floresta e de longe pode ver YoungJae e Hyunjin na porta da casa.

 

Quando saiu da floresta o ômega mais velho veio correndo em sua direção, mas foi impedido de chegar até si por JaeBum que o puxara para um abraço apertado.

 

-Ele está bem meu amor, não perderemos mais nenhum filho.

 

Falou o menor olhou nos olhos do marido e sorriu, o alfa era tão bom para si e o amava tanto.

 

-Mas eu quero velo Bummie.

 

Falou com a voz manhosa e o alfa riu.

 

-Ele está dormindo meu amor, vamos deixá-lo descansar primeiro.

 

O menor assentiu e olhou para o Seo que estava parado a uns metros de distância deles e que acariciava os cabelos ruivos do menor.

 

-Hyunjin – Chamou o filho que não demorou em olhá-lo. – Leve Changbin até o quarto do Lix para descansarem.

 

Falou e o filho concordou chamando o alfa que o seguiu para dentro da casa, o levando ao quarto do irmão que não havia mudado nada, pois YoungJae se negava em mexer ali e tirar as coisas que o filho não havia levado consigo e fazia questão de limpar o comodo todos os dias.

 

Deixou o Seo enfrente a porta e se retirou rapidamente dali, não conseguia gostar dele. Changbin deu de ombros e abriu a porta do comodo e entrou no local e fechou a porta, o local ainda tinha o cheirinho bom de framboesa. Caminhou até a cama e puxou a coberta pesado da cama e deitou o menor devagar tentando não acordá-lo e o cobriu quando já tinha o deitado e o deixou dormir confortável e foi em direção a janela a abrindo e deixando o ar fresco entrar no local.

 

Andou até o menor novamente e passou a mão no rosto dele e suspirou, saiu do quarto e desceu as escadas desconfortavelmente. A casa não era sua e não tinha liberdade de ficar andando por onde quisesse. Foi até a sala e encontrou JaeBum com YoungJae conversando e quando notaram sua presença no local o olharam e o alfa ficou constrangido por atrapalhar o momento do casal.

 

-Não queria interromper, mas posso falar com você JaeBum?

 

Perguntou e o mais velho assentiu, beijou os lábios do mais baixo e foi até o Seo e foram para o lado de fora. Pararam em um lugar afastado e se encararam.

 

-Eu não acho que fossem atacar o sul JaeBum, sei que a um mês atrás vocês estavam na mira do leste, mas o sequestro de Yongbok foi por outro motivo tenho certeza.

 

Disse e JaeBum olhou confuso para o alfa mais novo, concordava com ele pois não tinha como menos de vinte homens e nunca passariam pelos sentinelas da floresta com vida, mas se atacar não era o objetivo deles, qual era?

 

-Não irei discordar de você Seo, mas não poderemos baixar nossa guarda. Eu cuidarei do meu território e da minha família e você deve cuidar de Felix nem que isto custe a sua vida, me ouviu?

 

Perguntou olhando no rosto do mais novo, poderia ser egoísta de sua parte dizer isso ao alfa, mas não aquentaria ver a dor e a tristeza novamente no rosto de seu ômega, perder um filho é difícil para qualquer um.

 

-Sim, eu protegerei Yongbok com a minha vida.

 

Disse e o Lee sorriu para si, Changbin era mesmo um alfa bom e era totalmente diferente de seu pai.

 

-Posso fazer uma pergunta JaeBum?

 

Falou olhando o mais velho que estranhou quando o olhar do mais baixo vacilou e assentiu.

 

-Pode sim, oque você quer saber?

 

O mais baixo olhou para o Lee e desviou novamente o olhar.

 

-Você disse que YoungJae não poderia perder mais um filho, oque quis dizer com isso?

 

Falou e o mais velho olhou surpreso para si, ele estava tão desesperado para levar Felix até seu ômega que nem se dera conta do que disse. Depois que a guerra havia acabado, YoungJae pediu para ele que os cidadãos e eles mesmos não comentassem sobre a perda do primeiro filho deles, pois aquele acontecimento não doía só em si, mas em seu lobo também e foi a única forma de aliviar aquela angústia e dor dilacerante que acometerá o menor.

 

-Quando seu pai atacou nossa alcateia em plena madrugada mesmo que já estivesse amanhecendo, conseguimos impedir que entrassem de fato na alcateia e matassem nossos cidadãos, enviei YoungJae com um sentinela de confiança para o esconderijo e enquanto estava com meus homens aqui defendendo meu território, seu pai um covarde que nem apareceu aqui, mandou dois homens atrás de YoungJae que estava grávido de três meses e que acabou perdendo nosso filho após ser jogado longe das costas de meu sentinela e também por ter sido literalmente pisado por um lobo maior que ele.

 

O olhar perdido do alfa mais novo indicava o quão mexido ele havia ficado com o relato do mais velho, o povo do norte não fazia ideia que aquilo tinha acontecido e seus pais também não de deveriam saber.

 

-YoungJae sentiu dores horríveis por meses e tínhamos medo dele não conseguir mais ter filhos, mais para nossa felicidade ele engravidou novamente e mesmo em dois anos em uma guerra que parecia nunca acabar nossa alcateia teve motivos para comemorar e festejar por dias. Mesmo YoungJae tendo complicações na gravidez de Christopher, ele conseguiu trazê-lo ao mundo e dar um motivo ao nosso povo não desistir de lutar pela alcateia e por suas vidas.

 

Terminou de contar e viu uma lágrima solitária escorrer pelo rosto do mais baixo e sorriu, era difícil um alfa chorar em frente ao outro. Changbin levantou seu olhar para o mais velho e se curvou pedindo perdão.

 

-Quero me desculpar pelos erros do meu pai com vocês, ele não tinha direito de atacar o sul e de matar seu filho.

 

Disse ainda na mesma posição e JaeBum se desesperou olhando o mais baixo, logo tratando de segurar seu braço e fazê-lo levantar. Olhou o rosto do alfa e pode ver que ele estava com raiva e triste por tudo que ouviu, seu pai era um ser horrível.

 

-Não precisa fazer isso Changbin, seu pai já pediu desculpas pelo ataque e é passado. E não precisa se desculpar por algo que você não tem culpa.

 

Disse e o mais novo concordou, viraram em direção a porta de entrada da casa e sorriram ao ver os dois ômegas ali, foram até eles e entraram na casa para jantarem. Sentaram a mesa e olhou para seu marido que ainda estava com rosto de sono e que agora já estava de banho tomado e de roupas trocadas, segurou a mão pequena dele por baixo da mesa e sorriram um para o outro.

 

Felix riu do marido que estava envergonhado por estarem jantando na casa dos sogros pela primeira vez e que também estava desconfortável pelos olhares pesados que recebia dos irmãos alfas do marido que ficaram com uma cara fechada depois de verem que o mais novo havia sido marcado. Mas bastou um puxão de orelha por parte de YoungJae para os dois pararem de lhe encarar e conseguirem jantarem confortáveis em meio ao silêncio.

 

Como os dois passariam a noite ali, pois já estava tarde para voltarem para o norte, ajudaram o ômega mais velho a limpar as louças sujas e depois de algumas horas subiram para o quarto do ômega e deitaram para dormir agarradinhos e com direito a vista do céu estrelado que o mais novo gostava tanto.  

 

 


Notas Finais


E ai, o que acharam? Comentem vossas opiniões, quero saber o que vocês estão achando da história.

Não deixem de entrar no grupo do Whatsapp, o link está nos capítulos passados.

Até semana que vem peoples :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...