História Psicopata 2 - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Candice Swanepoel, Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Candice, Jenna, Justin, Psicopata
Visualizações 79
Palavras 2.226
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus amores! Eu quero me desculpar porque eu tinha dito que ia postar na quinta, mas tive um monte de coisa pra fazer e só consegui terminar de escrever esse capítulo hoje. Enfim, eu espero que gostem, boa leitura!
Agradeço à cachos (EE) pelo bc <3

Capítulo 16 - Pyd


Fanfic / Fanfiction Psicopata 2 - Capítulo 16 - Pyd

"From the door to the wall, coffee table, girl get ready, I'mma put you down , all the way down. From the stove to the counter top, dining room table, are you ready? I'mma put you down. Up the stairs to my bedroom, light a few candles brace yourself, I'mma put you down, all the way down. On a plane, a train, an automobile doesn't matter, I'mma put you down, all the way down. And it don't make no sense to me baby, I'mma take it down on you babe, put you down. This will show you how much I love you, for my appreciation, I'mma put you down. 'Cause you deserve the best and nothing but the best, so I give you the best you've ever had, I'mma put you down. " (Justin Bieber featuring R. Kelly – PYD)

Jenna’s Point Of View

New York, NY

July, 2016

Quase dois meses se passaram desde que eu entrei na clínica. Neste momento, estou junto com Justin no escritório do Dr. Calvin, enquanto o psicólogo folheia minha ficha. Justin está apreensivo e segura minha mão com força.

▬ Vi que você requisitou para que Jenna passe o fim de semana fora, Sr... – ele olha para Justin, esperando que ele diga seu sobrenome.

▬ Bieber.

▬ Bieber? – ele pergunta e Justin assente. – Você, por acaso, seria Justin Bieber, o cantor? – assente novamente. – A minha filha te ama, poderia gravar um vídeo mandando um beijo para ela? – ele diz, sem demonstrar entusiasmo.

▬ Desde que o Sr. não divulgue o local onde esse vídeo foi gravado.

Dr. Calvin assente e Justin grava o vídeo. Depois, ele volta a se concentrar em minha ficha e diz:

▬ Então, Jenna, como se sente?

▬ Bem. Tão bem que eu poderia até ir embora.

▬ Você sabe que ainda temos aquele problema de agressividade para resolver. Assim que isto estiver resolvido você pode ir embora daqui de uma vez por todas, assim eu espero. Então Sr. Bieber, você se responsabiliza a cuidar de Jenna nesses dias? A não deixar que ela se aproxime de nenhum lugar com álcool e drogas? Responsabiliza-se por qualquer dano que ela causar? Saiba que ela está na fase final do tratamento e qualquer recaída pode fazer com que ela tenha que começar tudo de novo. Eu quero que você fique ao lado dela vinte e quatro horas por dia para que ela não tenha a possibilidade de cometer nenhuma recaída. – Justin assente e Dr. Calvin se vira para mim. – Jenna, você sabe que é uma adulta e que ninguém pode te forçar a ficar aqui. Mas é a fase final do seu tratamento e, se você realmente quer se curar, deve voltar na segunda-feira de manhã.

▬ Eu voltarei, Dr. Calvin.

▬ Ótimo. Eu já ia quase me esquecendo, vocês vão ter que ir na reunião dos Narcóticos Anônimos no domingo de manhã. – assinto. – Sr. Bieber, passe na recepção para assinar o termo de responsabilidade antes de sair, eu vou ligar lá para avisá-los. Tenham um ótimo fim de semana.

Saio da sala com um sorriso no rosto. Finalmente eu poderei sair um pouco desse lugar e me animar um pouco. Mal posso esperar pelo que vai acontecer nesse final de semana.

Justin me segue até o meu quarto e espera enquanto eu arrumo minhas coisas. Depois, passamos na recepção para que Justin possa assinar o termo. Despeço-me de Avery com um abraço e passo pelas portas da clínica, sentindo-me livre.

Justin aponta para a sua Range Rover SVAutobiography Long Wheelbase completamente preta. É a Range Rover mais luxuosa que existe e, sempre que eu via seus anúncios, ficava babando por ela.

▬ Não tinha um carro mais simples não? Vai chamar a atenção de todos desse jeito.

▬ Esse é o meu carro mais simples. – ele dá um sorriso e entra no veículo.

Sento-me no banco do carona e relaxo, enquanto Justin liga o som. Não percebia quanta falta eu sentia de andar de carro até estar dentro do carro dele. O movimento do veículo e a sensação de que eu estou indo para outro lugar longe daquela clínica me deixam completamente relaxada.

Assim que chegamos em sua casa, Justin estaciona seu carro e nós entramos no local. Não deixo de me surpreender com sua mansão, descubro coisas novas nela a cada vez que entro. Justin me explica que dispensou seus empregados pois estava se sentindo um rico esnobe. Agora ele só conta com uma equipe de limpeza duas vezes por semana e seu motorista quando ele precisar. Além de seus seguranças, claro.

▬ E então, o que quer fazer? Quer descansar um pouco, assistir televisão? – ele pergunta, se jogando no sofá.

▬ Tudo que eu menos quero é ficar dentro de casa. Estou querendo um pouco de ar livre. Vou tomar um banho e depois nós vamos sair.

Ele assente e eu pego minha mochila, subindo as escadas para o segundo andar. Entro no quarto já conhecido por mim. Vou em direção ao banheiro e encho a grande banheira. Depois, dispo-me e entro devagar na banheira, tomando cuidado para não me queimar. O relaxamento é imediato. Estou acostumada com os chuveiros de água morna na clínica, para mim, essa banheira é o paraíso.

Deixo meu corpo todo descansar e aproveito para submergir meu rosto. Assim que termino de me limpar, esvazio a banheira e saio da mesma, enrolando-me em uma toalha. Vou até o quarto e abro minha mochila, pegando uma troca de roupa para vestir.

Passo um perfume e faço uma maquiagem leve, calçando um par de tênis pretos em seguida. Desço as escadas e vou até a sala, onde encontro Justin sentado no sofá jogando XBox. Ele também já está arrumado e o cheiro de seu perfume pode ser sentido de longe.

Ele desliga o videogame assim que me vê. Levanta-se e me elogia, perguntando-me, em seguida, se podemos ir. Assinto e nós vamos em direção à sua garagem, entrando em sua Range Rover novamente.

Ligo o som do carro e "Into You" da Ariana Grande começa a tocar. Canto baixinho e logo Justin começa a me acompanhar. Ficamos os dois cantando alto dentro do carro, sem nos importar se alguém está vendo.

Justin dirige rápido e para em frente de uma mansão. Não é tão grande quanto a dele, mas mesmo assim é enorme. Pergunto a ele onde estamos e ele dá de ombros. Descemos do carro e Justin toca a campainha do local. Em instantes, vejo Jeremy e Pattie abrirem a porta com um grande sorriso no rosto.

Vou até eles e abraço os dois ao mesmo tempo. Logo, Justin se une a nós. Meus olhos se enchem d'água, pensando que isso é tudo que eu sempre quis: minha família unida novamente.

Desfazemos o abraço e eu faço de tudo para não deixar as lágrimas caírem. Olho para o ambiente, prestando atenção em cada detalhe. A sala de estar é enorme, com suas paredes brancas e móveis marrons. No meio da sala, se encontra um lustre enorme afixado ao teto. Vejo muitos quadros, a maioria deles réplicas das pinturas mais famosas do mundo. Ao fundo, duas escadas levam ao andar superior da casa.

Os dois pedem para que entremos. Vamos em direção à sala de jantar, onde a mesa já está posta para o nosso almoço. Servimo-nos do maravilhoso gnocchi de Jeremy, enquanto conversamos sobre tudo que eu estou vivendo na clínica e sobre o que eles estão fazendo no seu dia a dia.

Logo que terminamos de almoçar, Pattie diz que tem algo para mim. Pede para que eu suba as escadas e entre na primeira porta à direita, e assim o faço. Abro a porta e encontro um quarto exatamente como era o meu quando nós morávamos na outra casa.

O quarto é muito maior que o outro, claro, mas as minhas coisas são as mesmas. Minha cama, minha cômoda, minhas decorações. Permito-me desabar, sentindo as lágrimas escorrerem pelo meu rosto. Sento-me em minha cama, mas logo sinto que estou em cima de algo. Levanto-me e tiro um envelope que estava embaixo de mim. Vejo que é uma carta com o meu nome escrito nela. Reconheço a letra de Pattie.

"Jenna,

Quero que saiba que, apesar de tudo, você sempre será nossa filhinha querida. Eu nunca poderei me desculpar pelo que fiz, mas espero que algum dia nós voltemos a ser como antes.

Nós nunca desmontamos o seu quarto e nunca desmontaremos, o trouxemos para a nova casa da mesma maneira que estava na antiga. Espero que você nos dê a honra de usá-lo novamente.

Com amor,

Pattie."

Olho para o quarto mais uma vez antes de sair e fechar a porta. Seguro a carta com força em minhas mãos, enquanto desço as escadas para ir até a sala. Pattie vê as lágrimas em meu rosto e nós nos abraçamos com força. Percebo que ela também está chorando quando seu corpo começa a tremer.

Olho para Jeremy e Justin e vejo os dois também com lágrimas nos olhos. Separo-me de Pattie e seco minhas lágrimas. Sentamo-nos no sofá e voltamos a conversar, mas às quatro da tarde, Justin me chama para ir embora.

Despeço-me de meus pais e entramos em seu carro novamente. Justin me leva até o Central Park. Escuto os cantos dos pássaros e aprecio a leve brisa bater em meu rosto. Sinto-me completamente livre ali, tendo todo aquele espaço para andar e toda aquela natureza ao meu redor.

Entretanto, muitas pessoas começam a reconhecer Justin e a correrem atrás dele. Como estamos sem nenhum segurança, corremos até o seu carro e vamos embora. Assim que chegamos em casa, Justin sugere que devemos ir para a piscina. Vou até o quarto colocar o meu biquíni e, quando volto, encontro Justin dentro da piscina.

Acompanho-o e nós começamos a nadar. Justin pega refrigerante para nós dois e nós bebemos na beira da piscina, enquanto conversamos sobre a loucura que aconteceu no Central Park. O assunto acaba e logo Justin diz:

▬ Quero falar com você sobre o que aconteceu naquele dia. – ele diz.

▬ Não se preocupe com isso, Justin, não existe nada para se falar.

▬ Existe sim. – olho para ele, esperando que continue. – Eu quero de novo.

Seus lábios se chocam aos meus com desejo, antes que eu consiga pensar em qualquer coisa. Meu coração dá um salto e eu me deixo levar. Nossas línguas se movimentam em perfeita sincronia e eu coloco minhas mãos em sua nuca, puxando levemente alguns fios de cabelo.

Nosso beijo se intensifica e eu sinto suas mãos desamarrando meu biquíni. Justin joga a peça para fora da piscina e chupa um de meus seios, enquanto aperta o outro. Ele tira a mão de meu seio e a coloca dentro da minha calcinha, começando a me masturbar. Gemo baixinho, jogando minha cabeça para trás. Ele dá um sorriso safado ao ver minha expressão de prazer.

Justin intensifica seus movimentos e continua a chupar meus seios. Estou cada vez mais excitada e sinto que ele também. Ele volta a beijar a minha boca e eu sinto seu membro duro roçando em minha intimidade. Abaixo sua bermuda e começo a masturbá-lo, mesmo com a água dificultando meu trabalho.

Depois, coloco seu membro na minha entrada e ele me penetra. Sinto meu corpo todo se arrepiar. A sensação da água entre nossos corpos faz tudo ficar melhor. Os gemidos saem cada vez mais altos e eu arranho suas costas enquanto ele me invade com força.

▬ Eu sou completamente viciado em você. – ele diz, rouco, entrando em mim mais uma vez.

De uma vez, ele separa nossos corpos e sai da piscina, fazendo um sinal para que eu o siga. Ele termina de tirar sua bermuda e entra em casa completamente pelado. Sigo o rastro d'água que ele deixou e o encontro deitado no sofá. Sem dizer nada, sento-me em seu rosto e começo a chupá-lo. Ficamos num maravilhoso meia nove e eu aprecio cada segundo. Sua língua me sugando de uma maneira que eu não imaginava possível. Meu corpo inteiro treme de prazer.

Levanto-me e Justin coloca uma camisinha. Sento-me em seu membro e começo a cavalgar, ouvindo seus gemidos roucos. Aperto minhas paredes vaginais contra seu membro e ele segura minhas mãos com força.

Meus gemidos ficam cada vez mais altos e Justin decide trocar as posições. Ele se levanta e eu apoio meus braços no sofá, empinando-me. Ele se movimenta rapidamente dentro de mim e arranha minhas costas. Logo, ele puxa meu cabelo e sussurra em meu ouvido:

▬ Eu quero te foder em todos os lugares dessa casa.

Essa é minha deixa para gozar. Sinto o líquido escorrer por minhas pernas e meu corpo relaxar. Segundos depois, Justin goza também. Nós dois nos jogamos no sofá, exaustos, mas ele diz, entre risos:

▬ Espero que não esteja cansada, essa casa é enorme. – dou uma risada.

▬ De jeito nenhum. Pronto para a segunda rodada?

Fazia tempo que eu não sentia tanto prazer. Justin consegue me satisfazer de uma maneira que nenhum outro homem consegue. Passei muito tempo transando com homens diferentes, mas eu não sentia nada. Justin me deixa de pernas bambas apenas com uma palavra. Justin foi e continua sendo a razão dos meus orgasmos.

Ele sorri e me puxa em direção às escadas. Eu não posso evitar sorrir também. 


Notas Finais


Eu quero começar pedindo desculpas pelo hot, a inspiração pra escrever cenas desse tipo tá pouca, então me desculpem. Quero avisar também que as próximas duas semanas vão ser bem puxadas, por conta do semestre acabando e tal. Tenho um monte de trabalhos para entregar e estou meio atrasada com tudo. Por esse motivo, eu não vou postar amanhã. Vou fazer de tudo para postar na outra segunda-feira, a do dia 20. Peço desculpas por isso.
É isso gente, não deixem de comentar. Beijos e até mais <3
Cronograma: https://docs.google.com/spreadsheets/d/14W69a27Bx-KODNY_U2K8qVzb8HMqcSntqaqjG1nnsI8/edit#gid=0


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...