História Quando nos Vênus, juro a Marte - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Professor Faraize, Rosalya
Tags Alexy, Amor Doce, Armin, Castiel, Lysandre, Nathaniel
Visualizações 86
Palavras 4.010
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá gente, nem vou tentar justificar minha ausência (já começando kkkkkk). Provas gente, terceiro ano é tensooo.
Obrigada a todos que estão acompanhando a história, vou tentar postar com mais frequência. Não desistam de mim!
Boa leitura pessoal!

Capítulo 22 - Acampamento?


Fanfic / Fanfiction Quando nos Vênus, juro a Marte - Capítulo 22 - Acampamento?

Alexy on

 

Rosalya: Tudo pronto?

Alexy: Já nasci pronto meu amor.

Rosalya me esperava em frente minha casa no seu carro. A manhã estava linda, o céu claro não dava nenhum indício de chuva e isso era bom. Enquanto eu jogava minhas últimas malas no banco traseiro ela se remexia no banco, parecia agitada. Ela estava linda como sempre, vestia um vestido básico para o campo, mas mesmo assim estava nas regras: na cor rosa como o combinado. Em seu estilo vitoriano ela continuava parecendo uma menina, seu sorriso emanava juventude. Em momentos como esse eu questionava duramente minha sexualidade.

Abri a porta me jogando no banco enquanto colocava o cinto. Meus pés se dirigiram ao seu volante e ela começou a me dar alguns tapinhas me olhando e rindo.

Rosalya: Nada folgado o senhor.

Alex: Nem um pouco… bom, talvez um pouquinho só.

Rosalya: Não esqueceu nada?

Alexy: Nadica de nada.

Rosalya: E o Armin?

Alexy: Ele já deve ter saído, não encontrei em lugar nenhum algum rastro dele.

Rosalya: Deve estar escondido em algum lugar pra não ter que ir.

Alexy: Duvido muito.

Rosalya: E eu posso saber o porquê?

Pela primeira vez na vida eu testemunhei Armin ficar feliz em ter que ir para um acampamento. Sempre quando crianças mamãe nos deixava em algum nas férias, e ele era o primeiro a voltar pra casa mais cedo, sempre inventava alguma desculpa ou fazia de tudo pra o expulsarem. Mas dessa vez eu sabia o porquê de seu entusiasmo.

Alexy: É Laysa o nome dela. Acho que deve ter a visto na sua festa com ele. Pelo jeito as coisas estão sérias entre os dois. Armin animado pra ir em um acampamento… Nunca achei que fosse viver pra ver isso.

Rosalya: Como assim, ela vai pro acampamento? Ela é da nossa escola? Não me lembro de ter a visto antes.

Alexy: Não, não da nossa escola. Ela estuda no Liberty, pelo jeito eles vão acampar uma semana depois do início do nosso. Parece que vai ser no mesmo lugar que a gente.

A garota do meu lado começou a dar pulinhos gritando de alegria. Olhei pra ela como se estivesse olhando para uma louca, e agora realmente eu achava que estava olhando para uma.

Rosalya: Vai não me olha com essa cara. Pensa bem Alexy, duas ou mais escolas juntas em uma acampamento. Sem muitas regras nem nada…

Agora eu entendia onde ela queria chegar. Depois que a noite caia em nosso acampamento a regra era clara: Com responsabilidade “tudo” era permitido. É claro que haviam muitas exceções, mas como até agora nenhum insistente havia sido relatado nada ia contra nossa diversão.

Alexy: Oooh, esse acampamento vai dar o que falar.

Rosalya: Alexy, você vai ver, esse será o melhor ano. Lembra a última vez que as outras escolas foram pra lá?

Alexy: É claro que eu lembro. Tomara que aquela garotas estejam lá esse ano.

Rosalya: Desta vez a diversão é nossa. Alexy olha aí se as bebidas estão todas dentro da bolsa.

Me inclinei para o banco traseiro pegando a bolsa (mala) da Rosa. Dentro dela haviam várias e várias bebidas.

Alexy: Acho que a senhora esqueceu a água.

Rosalya: Não tá vendo água aí? Pra mim isso é água...

Alexy: Vamos logo senhorita catuaba. Não quero chegar atrasado e ter que me sentar ao lado de pessoas indesejáveis no ônibus.

Rosalya: Compreendido, vamos logo azulado.

Alexy off

 

Clary on

Aquela manhã estava uma completa loucura. E mal sabia eu que iria ficar mais.

Após conseguir arrumar todas as minhas coisas, com muita dificuldade por sinal, estava parada no estacionamento da escola observando os alunos chegarem aos poucos. Era raro ver um ambiente animado como esse nas manhãs de segunda.

O meu grande problema com as malas era nunca saber o que levar para uma viagem ou um passeio. Na minha cabeça eu sempre poderia precisar de alguma coisa, então tudo era importante pra levar.

Com uma leve investigação no meu guarda-roupa pude ver que se não fosse a ajuda do alexy e da Rosa com a nossa ida ao shopping eu estaria perdida. Mas agora estava mais tranquila, meus pensamentos começaram a vagar até que o carro da Rosa foi estacionado ao lado do meu.

Alexy estava com ela, os dois formavam uma dupla imbatível. Era impossível ficar séria ao lado dos dois.

Alexy: Claryyy meu amor, quase eu não durmo de curiosidade.

Ele abriu a porta e veio correndo me abraçar. Logo foi seguido por Rosa e os dois agora me prendiam como se eu fosse a salsicha do sanduíche deles.

Rosa: Quero saber tudo!

Alexy: Já pode ir abrindo essa boquinha aí.

Clary: Contar tudo o que gente?

Rosa: Clary não adianta vir se fazer de boba agora.

Alexy: Exatamente, não vai adiantar.

Rosa segurou minha mão direita e a levantou. Ali agora se encontrava minha aliança de compromisso com o Castiel.

Rosa: Quero dizer isso. Como foi a noite?

Clary: Ah gente, foi incrível. Não sei nem como descrever isso pra vocês…

Alexy: Nós queremos os detalhes, saiu tudo bem?

Rosa: É claro que queremos, quase não consigo dormir ontem de tanta curiosidade.

Clary: Bom, depois do fracasso que foi o jantar na casa dele, eu saí e fui andar um pouco, espairecer as ideias, quando cheguei percebia que a porta da cozinha estava aberta. Fiquei com medo e fui dar uma olhada pra ver se tava tudo bem. E foi onde ele quase me matou de susto e me fez a surpresa.

Rosa: mas você não desconfiou de nada Clary?

Clary: O pior que não Rosa. Foi a melhor surpresa da minha vida.

Agora estávamos os três dando pulinhos e se abraçando no meio do pátio.

Alexy: Que bom meu amor.

Clary: Sim Alexy, e por falar nisso ele me contou da ajuda dos dois, quero matar vocês e ainda sim abraçar. Obrigada gente.

Alexy: não nos agradeça agora, depois a gente vai cobrar, mas olha quem chegou.

Olhei para a direção em que o mesmo olhava e vi Castiel, ele estava com o seu estilo de sempre só que sem sua  jaqueta o que dava um ar mais de despojado. Lindo como sempre. Olhei em seu dedo e a aliança estava lá. Senti um pouco de felicidade por ver que ele estava conseguindo superar tudo.

Ele veio até mim levantando meu queixo e me dando um beijo leve na boca.

Clary: Bom dia Cassy.

Castiel: Bom dia Clarissa.

Ele dizia com certo sarcasmo por conta de seu apelido.

Castiel: Como foi a noite ontem, dormiu bem?

Ele me olhava com seu sorriso de canto. A noite passada tinha sido uma das mais loucas de toda minha vida. Depois do pedido de namoro a gente tinha aproveitado cada centímetro da casa (literalmente). Em momentos como esse agradecia minha tia estar trabalhando fora. Eu estava acabada de cansaço essa manhã. Mas não iria deixar ele ganhar nessa.

Clary: A minha foi ótima, e a sua?

Castiel: Ah sabe, nada de mais. Tudo normal como sempre. Cansada?

Clary: Não. Por que eu estaria?

Ele começou a rir me puxando para seu peito. Foi nesse momento que um som alto de microfone sendo ligado soou. Me assustei assim como vários alunos. Eu reconheceria aquela voz em qualquer distância, espaço ou tempo.

Diretora Shermansky: Olá e um bom dia todos. Aqui quem fala é sua diretora.

?: Como se ninguém soubesse de quem é essa voz chata.

Alguém se manifestou alto demais e acabou arrancando alguns risos, sendo ouvido por todos, inclusive pela diretora que agora fuzilava o olhar no meio da multidão de alunos tentando encontrar o culpado.

Diretora Shermansky: Quem foi o engraçadinho? Se eu pego você moleque, eu…

Professora Delanay: Direita, por favor.

Diretora Shermansky: Mas bem, pouco me importa. Quero agora que vocês se dividam por turmas. Alunos do primeiro ano, se dirijam para o primeiro ônibus e assim sucessivamente com as duas outras turmas. Mas antes de vocês se mexerem quero que escutem alguns recados. Professor Faraize, por favor.

Ela disse passando o microfone para o homem ao seu lado, que parecia um pouco nervoso em ter que falar com aquela pequena multidão.

Professor Faraize: Bom dia alunos, como vocês sabem, todos os anos esse evento acontece aqui na escola, quero agradecer todos que aqui estão presentes, e pedir que entreguem os formulários aos responsáveis que estarão na entrada dos ônibus de cada um.

Castiel passou o braço por minha cintura e me puxou para mais perto dele. Ele aproximou a boca de minha orelha e sussurrou baixinho.

Castiel: Agora as coisas vão ficar interessantes. Escute as regras. A gente quebra cada uma delas todas as vezes. Uma em específico você vai gostar de quebrar.

Professor Faraize: As regras continuam as mesmas de sempre. Pra quem não era aluno da escola iremos às passar novamente. Primeiro: Vocês estão divididos por sexo em cabanas com cinco alunos em cada. Não será permitido nenhum menino ou menina dentro das cabanas de seu sexo oposto, cabendo a penalidade de expulsão.

Os cochichos começaram de todos os lados pelo pátio, alguns alunos até sorriam e brincavam com a expressão de desconforto do professor.

Alexy: Acho melhor vocês reverem essas regras ultrapassadas suas professor. Fala sério, hoje os tempos são outros, evoluir é bom pra qualquer um.

Rosa: Minha mana precisa dormir com a gente, não é Clary?

Eles falavam alto chamando atenção de alguns alunos que riam, eu não resisti e acabei os acompanhando. Um aluno que parecia ser do segundo ano com cara de encrenca, que estava rodeado de garotos acabou levantando a mão.

Professor Faraize: Sim Douglas?

Douglas: Eu espero que vocês sejam no mínimo sensatos e não façam a idiotice de colocar qualquer hetero na mesma cabana desse cara ali.

Ele disse apontando para o Alexy, que acabou sendo segurado pela Rosa pra que não avançasse no menino. Já Faraize estava vermelho, sem reação. Os amigos do idiota riam sem parar dando tapinhas no seu braço. Nunca havia presenciado tanta idiotice no mesmo lugar em tão pouco tempo.

Alexy: Primeiro que homofóbicos como você nem deveriam existir. Sua mãe tem orgulho do saco de merda que ela criou? Por que a minha tem de mim.

Douglas: Como é que é viadinho? Você acha que tá falando com algum boiola que come esse seu rabo?

Ele se levantou e começou a caminhar em direção ao Alexy.

Rosa: Quem você pensa que é pra falar assim com o meu amigo seu pedaço de merda ambulante?

Agora estava tudo numa confusão só. Comecei a avançar para ajudar meus amigos, e Castiel veio logo atrás de mim. Os Alunos ao redor começaram a abrir uma roda em volta de nós.

Agora esse Douglas estava a poucos passos do Alexy e da Rosa.

Douglas: Já tá na hora de alguém ensinar o que é ser homem pra você viadinho.

Comecei a avançar mais rápido quando Castiel me segurou. Me virei para reclamar mas ele já havia passado na minha frente e corria até o Alexy. Corri atrás ficando ao lado da rosa, e formamos uma barreira na frente do alexy. Castiel agora segurava o garoto pela gola da camiseta.

Castiel:Acho melhor você pedir desculpas pra ele, pegar suas coisas e ir embora daqui.

O garoto o empurrou soltando de seu aperto.

Douglas: Se não o que? Aaaaah não me diz que é isso. Não acredito que logo você Castiel. Não me diga que o viadinho aí conquistou seu coração, até aliancinha tá usando agora galera. Mas vem me diz, quem come quem?

Castiel começou a rir despreocupado, e então avançou com tudo em cima do garoto com um soco bem no olho direito dele. O garoto caiu no chão assim que os professores chegaram para separar.

Castiel: E só pra você saber, a gente faz troca.

Ele se aproximou da gente e abraçou alexy pelo ombro.

Castiel: Tudo bem com você cara?

Alexy: Tudo, obrigada Castiel.

Castiel: Não liga pro que esse babaca falou não.

Ele veio até mim e eu e rosa o abraçamos. Ela caminhou até Alexy que ria observando os professores mandando os garotos e o Douglas pegarem as coisas e ir embora.

Clary: Já te disse como você é meu orgulho?

Castiel: Não, mas nunca vai ser tarde.

Dei um selinho demorado nele que sorria pra mim. Pouco a pouco a multidão voltou para seus lugares e eles conseguiram a falar novamente.

Professor Faraize: Sinto muito por todos terem presenciado uma cena dessas. Nossa escola repudia todo e qualquer tipo de preconceito. Vocês ficaram surpresos com as atividades de hoje. E senhor Alexy, antes de entrar no ônibus eu quero falar com você em particular. Castiel, não importa a situação, se controle senhor. Continuando com os avisos galera. Segundo: durante alguns dias vocês terão atividades temáticas para serem realizadas, então estejam preparados. Terceiro, e não menos importante, qualquer ato de violência cometido no local também poderá ser punido com expulsão. Então estejam espertos. Nunca tivemos nenhum problema relacionado às regras durante os eventos, espero que este ano continue assim. Agora peço que se dirijam a seus respectivos ônibus em ordem. Obrigado pela atenção de todos.

Clary off

 

Rosa on

Rosalya: Era disso que eu tava falando meus queridos.

A viagem havia durado algumas muitas horas, quando chegamos ja fui logo correndo para estender as pernas.  Esse lugar continuava lindo como sempre, na verdade ficava cada vez mais bonito. Eles chamavam aquilo de acampamento mas era mais uma colônia de férias na praia.

O campus do lugar era formado por cabanas, elas eram separadas por um enorme salão onde fazíamos as refeições e festas. Alguns quilômetros depois estava o prédio onde os professores e assistentes ficavam e mais a frente estava o mar.

Alexy: Cada ano que passa esse lugar fica melhor.

Clary: Espera, mas a gente não ia pro campo? Quando pediram roupas de banho eu não imaginei que fosse o mar mas sim uma piscina.

Alexy: É só você encarar isso aqui como um piscinão.

Rosalya: Costume deles falar campo porque eles nos levam alguns dias realmente pra acampar, mas a maior parte das férias nós passamos aqui.

Clary: Oh que maravilha, então decidiram fazer suspense? Eu quase nem trouxe roupa de banho.

Alexy: Fique tranquila gatinha, eu e Rosa cuidamos disso pra você.

Alexy falava passando os braços pelos ombros de Clary que olhava brava para nós. Castiel vinha um pouco atrás com as malas nos braços todo irritado.

Clary: Não sei se fico feliz ou com medo disso.

Alexy: Relaxa e aproveita gata, se você não gostar tenho certeza que o seu namoradinho vai.

Castiel: Mas vocês decidiram morar aqui? Pra que isso tudo de roupa?

Rosalya: Nunca se sabe quando vamos precisar de alguma coisa realmente importante Castiel.

Clary que estava rindo se virou brava para ele.

Clary: E o senhor não pensou que fosse interessante me dizer que estávamos vindo para o mar?

Castiel: Não adianta nada ficar brava comigo, foram os dois aí que me fizeram jurar não falar nada.

Alexy: Gente preciso falar um negócio ali rapidinho, já volto.

Rosalya: Gente vocês estão reclamando das coisas erradas. Por exemplo, alguém aqui já parou pra pensar que vamos ter que aguentar a Ambre e as amiguinhas até aqui nesse paraíso.

Eu dizia apontando para o grupinho de garotas que reclamavam sem parar dos insetos e sei lá o que mais.

Clary: Acho que achamos a cobra do Jardim do Éden então.

Começamos a prestar atenção no grupinho de garotas que era seguido por Nathaniel.

Li: Ambre, Charlotte e eu já voltamos, vamos pegar o resto das malas.

Nathaniel: Ambre, estamos em uma praia, como assim você quer ar condicionado?

Ambre: Por favor né Nathaniel, ninguém merece derreter num lugar desses.

Nathaniel: Mas nem tá calor assim. E outra, dentro das barracas a noite eles ligam o ar. Você não aguenta esperar um pouco só?

Ambre: Nathaniel você me cansa com essa sua ladainha.

Castiel: Esse cara é um babaca, é normal ser irmão dessa daí.

Parece que Castiel não foi muito sutil no que disse e Nathaniel acabou escutando.

Nathaniel: Algum problema comigo Castiel?

Castiel: Oh, nenhum, apenas a sua presença infestando o ar que respiro.

Nathaniel: Se quiser a gente pode resolver isso agora mesmo.

Castiel: Olha só pessoal, a loirinha tá abusada.

Clary: Castiel, Nath, podem parar por aqui.

Ambre: Aí meu Deus, alguém cala a boca dessa garota.

Rosalya: Tá louca, acha que tá falando com a sua mãe Ambre?

Ambre: Olha só a estranha querendo se meter na conversa alheia. A última vez que fui comprar um vestido, foi seu namoradinho que fechou o zíper pra mim. Estou com saudades daquelas mãos no meu corpo, acho que vou repetir a dose qualquer dia desses.

Esse foi o pingo da água pra mim, pulei em cima da garota que se debatia debaixo de mim. Sentia algumas mãos me puxarem mas continuei puxando o cabelo dela que gritava e tentava arranhar meu rosto.

Alexy: Gente é treeeeetaaa, cadê o meu balde de pipoca?

Armin: Pelo jeito esse lugar vai ser melhor do que eu pensava.

Castiel: Alexy, Armin já que chegaram, ajuda aqui!

Alexy: É a Rosa? Não Castiel deixaaaa!!!! Vaaai Roooosaaa!!!!

Diretora Shermansky: MAS O QUE É QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI?

Parei de puxar o cabelo da garota e me levantei, a diretora tentava abrir caminho por meio dos alunos que agora estavam aglomerados em nossa volta.

Ambre: Aaaaah, olha o que está vaca fez no meu cabelo!!! Eu paguei caro por esse penteado luxuoso sua piranha. Você sabe o que é isso?

Ambre estava toda desarrumada, cabelos pra cima e com a cara de louca dela de sempre. Não consegui conter o riso, Clary e Alexy me acompanhavam.

Diretora Shermansky: Será que posso saber o que está acontecendo aqui senhores?

Ambre: Essa vagabunda platinada pulou em cima de mim igual uma louca do nada, olha o que ela fez com o meu cabelo!!!!

Diretora Shermansky: Senhorita Rosalya?

Rosalya: Bem, eu-u eu…

Alexy: Ela só tentou ajudar a Ambre senhora. Ela tava com uma baratona cabeluda enooorme no cabelo, com o coraçãozinho bom que a Rosa tem ela só quis tirar pra ela. Se bem que se fosse eu nem teria conseguido distinguir uma da outra, então acho que a Ambre deve um obrigado pra Rosa.

Diretora Shermansky: Não acredito que vocês fizeram essa confusão toda por causa de uma barata. Haha, meninos vocês fazem confusão por cada coisa.

Ambre: Não acredito que você tá acreditando nessa história. Você é cega ou o que?

Diretora Shermansky: Ambre já chega, venha comigo agora mesmo, a senhora vai responder por algumas coisas. Agora segura o Totó.

Ambre seguiu a diretora com os cabelos todos para o ar, e com o cachorro nos braços dando alguns gritinhos.

Ambre: AAAAAAH, vocês me pagam!!!!!

Rosalya: Alexy você é incrível!

Eu disse pulando e abraçando o garoto.

Alexy: Eu já sabia monamur.

Professor Faraize: Peço a atenção de todos agora. Vocês devem seguir para o salão e se sentar em uma das mesas para que passemos o planejamento e os lugares onde vão estar durante o restante das férias. Obrigado!

Rosa off

 

Castiel on

O salão estava diferente do ano passado. O que era normal, todos os anos eles mudavam a decoração do local.

Me sentei com Clary e seus amigos em uma das mesas enquanto os outros estudantes iam chegando. Alguns professores e organizadora estavam no palco se organizando para passar as ladainhas de sempre.

Me aproximei do ouvido da Clary e disse baixinho, fazendo ela se arrepiar.

Castiel: Eu vou te trazer aqui qualquer madrugada dessas. Pode ter certeza que você vai gostar.

Clary: Eu não dou muito de quebrar regras. Você sabe…

Ela disse me provocando, toda vez que fazia isso ela ficava muito fofa.

Castiel: Sim eu sei. Mas eu sou, então..

Me aproximei dela e dei um selinho em sua boca. Nunca iria me cansar disso.

Professor Faraize: Atenção todos agora. As listas dos dormitórios / cabanas de vocês já são com os seus respectivos professores. Os meninos ficaram comigo e as meninas ficaram com a professora  Delanay.

Ele começou a dizer a barraca dos caras, até que chegou a nossa turma é eu comecei a prestar atenção.

Professor Faraize: Cabana 50: Armin, Alexy, Kentin, Nathaniel, Lysandre e Castiel.

Droga, logo com a loira do banheiro.. mas pelo menos lysandre iria estar lá. Procurei ele que estava sentado ao meu lado.

Lysandre: Mais um ano consecutivo juntos irmão.

Castiel: Já pode pedir música no fantástico.

Clary: Sinto muito alexy, Você não prefere pedir para mudar?

Alexy: não Clary, quero mostrar que eu consegui superar. Está tudo bem de verdade, não precisa se preocupar.

Clary: Lys, por favor, não deixa o Castiel e o Nath se matarem lá dentro.

Lysandre: Pode deixar Clary. Vou cuidar do seu ruivinho.

Castiel: Ninguém precisa cuidar de mim, eu sou a lei aqui.

Rosalya: É agoooooraaa, tomara que a gente fique junto Clary!

Professora Delanay: como é de costume as últimas cabanas ficam reservadas para os alunos do último ano.

Depois de alguns minutos veio o resultado das garotas.

Professora Delanay: Cabana 49: Peggy, Melody, Bia e Violette. Cabana 50: Rosalya, Clarissa, Iris, Priya, Kim. Como já dito pelo professor Faraize, espero que todos respeitem as regras, principalmente nas noites e horas livres pois vocês não estarão acompanhados por nenhum de nós. Agora peço que se dirijam para suas respectivas cabanas e arrumem suas coisas. O jantar vai ser servido às 19:00 horas. Obrigada pela atenção.

Clary se despediu me dando um beijo leve na boca, segui com o lysandre para a porta de nossa cabana.

 

Castiel off


 

Clary on

Rosalya: Gente, cadê a Iris que não volta com essa bendita chave?

Estávamos paradas nos 4 na frente da cabana a uns 15 minutos, Iris havia ido procurar as chaves com a professora e até agora nada de aparecer.

Iris: Eu tô aqui Rosa, tava uma confusão só lá.com a professora, um monte de gente querendo trocar de cabana.

Priya: Coitadinhos, eu conto ou vocês contam?

Clary: Contar o que?

Kim: Ninguém consegue mudar de cabana, não com a Delanay. Acho que nunca vi ninguém…

Iris: E provavelmente nunca vai ver.

Rosalya abriu a porta e nós entramos. Por fora a cabana parecia ser normal, bonita mas normal. Por dentro aquilo parecia um palácio, estava tudo muito lindo e era enorme.

Haviam cinco camas no local espalhadas próximas a um guarda roupas. Apenas uma era de casal.

Rosalya: Desculpe priya e Kim, mas a de casal fica comigo e com a Clary. Não quero ver ninguém se pegando aqui e eu chupando o dedo.

Kim: Tudo bem guria. Isso eu e ela resolvemos fácil.

As garotas trocaram um olhar cúmplice, todas nós começamos a rir. Após arrumar todas as roupas chegou a hora da janta e nos dirigimos para o salão.

Castiel já estava lá com os garotos. Pelo jeito estávamos atrasadas pois já tinha gente no palco falando.

?: … Agora vou passar pro professor de vocês, ele vai explicar melhor.

Nós paramos na entrada para ouvir antes de nos dirigirmos até as mesas.

Professor Boris: E agora vou apresentar a você meus dois ajudantes desse ano. Um deles vocês conhecem bem, pois é um colega, e meu sobrinho. Por favor subam.

Quase cai dura no chão quando vi quem estava ao lado dele.

Dake: É muito legal participar podendo contribuir com a escola e a segurança de mais colegas.

Ele dizia isso olhando fixamente o Castiel, que estava claramente se segurando. Logo depois seu olhar se fixou em mim e ele me deu uma piscada nada discreta.

Professor Boris: Agora você minha querida.

Se antes eu havia me surpreendido, agora eu estava em choque.

Kalley: Olá amigos, meu nome é Kalley. Eu não sou daqui, estava apenas de férias, mas acabei conseguindo um intercâmbio. E quando Dake me ofereceu a vaga, logo aceitei. Espero me divertir muito junto com vocês!

Ela olhava pra mim com um sorriso sarcástico no rosto.

Clary: Só pode ser brincadeira.

 

Clary off


Notas Finais


Bom pessoal, por hoje é isso.
Estou sumida assim por causa da escola gente, muitas provas e trabalhos. Ninguém nunca me disse que o terceiro ano ia ser difícil assim... 😂😩
Mais uma vez agradeço a cada um que tem favoritado, comentado e acompanhado a história. Vocês são incríveis!
O que estão achando da história? Devo deixar o foco só na Clary, ou continuar dividindo entre as perspectivas dos outros personagens?
Essa Kalley não dá sossego nunca...

Sobre o Douglas e qualquer um que seja igual a ele:
https://goo.gl/images/bz3J4j

Cassy bulinando a Clary:
https://goo.gl/images/s779bp

Clary observando a vaca da Kalley:
https://goo.gl/images/f2X6nm

Eu aparecendo depois de dias como se nada tivesse acontecido:
https://goo.gl/images/cZ3Eed

Vocês aguentando minhas desculpas:
https://goo.gl/images/S95JJY

Obrigada gente, beijos e até mais! ❤️❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...