1. Spirit Fanfics >
  2. Racing For Love - KakaIru >
  3. O começo de tudo.

História Racing For Love - KakaIru - Capítulo 2


Escrita por: _anabe

Notas do Autor


Voltei para alegria de poucos, se preparem para surtos pq agr esse romance começa com tudo. Enfim, aproveitem esse capítulo ♡♡


----> Glossário:
– Boxes: é o local onde a equipe toda trabalha nos carros (garagem) e onde ocorre os pit-stops.
– Grid de largada: local demarcado com espaços que ficam posicionados os carros antes da largada.
– Pole position: é o piloto que larga na primeira posição.
– Pit-stop: é onde ocorre as paradas no boxes, por exemplo é quando acontece as trocas de pneus ou de qualquer outra peça danificada durante a corrida.
– Paddock: é a enorme área composta pelos boxes, salas de imprensa e camarotes.
– Parque fechado: local no qual os carros ficam estacionados após as classificações ou corridas para serem fiscalizados.
– Pit-wall: é o muro que separa a área dos boxes e da pista, é onde fica as cabines de comunicação ficam com os engenheiros, chefes das equipes, estrategistas etc.
– Motorhome: é o trailer/casa onde abrigam os membros das equipes e pilotos.

Capítulo 2 - O começo de tudo.


– Gran Premio Del Made in Italy e Dell'Emilia Romagna


Era uma noite de sexta-feira bastante quente em Ímola, na Itália. Kakashi e Iruka haviam recém chegado no hotel a qual estavam hospedados. A sessão de treinos do dia foi bastante intensa, parecia que nada estava dando certo nos ajustes de ambos os carros até então. E isso estava deixando o Hatake extremamente cansado com isso. 

O Hatake decidiu por conta própria ficar até mais tarde no autódromo, junto com seu engenheiro Yamato e os mecânicos da equipe resolvendo os problemas do motor e a potência do carro. Havia pedido para Iruka ir para o hotel caso ficasse bastante cansado, mas o homem fez questão de esperar por ele para voltarem juntos.  

O cansaço físico já começava a tomar forma em seu corpo, as últimas três semanas de corridas o tinha desgastado demais. Apesar de ter vencido todos os GP's até o momento, sentia que estava dando tudo de si tanto fisicamente e mentalmente em cada corrida.  

Estava com um novo rival à altura, e pelos rumores que havia visto, a equipe Akatsuki veio realmente com tudo para vencer o campeonato deste ano. Principalmente com seu novo piloto prodígio, Itachi Uchiha. Era menino novo, possuía em torno de seus 20 anos, mas era bastante talentoso. Fazia parte da família Uchiha, uma das famílias mais talentosas dentro do automobilismo, o que explica bastante de onde o dom foi herdado.  

Mas apesar dessa nova rivalidade surgindo entre a antiga e a nova geração, estava extremamente satisfeito com seu retorno para as pistas. E não só ele, mas todos do time e a mídia automobilística que só falava de seu retorno e suas vitórias na pista a todo momento. Foi comparado até com seu pai, Sakumo, na época que estava em sua melhor forma.  

Mas no momento Kakashi se encontrava na dúvida, se iria ou não para o jantar com seus amigos pilotos a qual foi convidado. Queria passar um tempo a sós com Iruka – não que ele já não passasse, mas agora era diferente –, nas últimas semanas havia botado em prática as dicas que Kushina havia lhe falado, e tem sentindo uma certa aproximação maior vinda do moreno.  

— Você vai no jantar daqui a pouco, né? — O Umino perguntou tirando o platinado de seus pensamentos.  

— Não sei, não queria deixar o Pakkun sozinho. — mente, passando as mãos pelos cabelos recém cortados.  

— A Rin disse que ficaria com o ele caso a gente fosse. — assegurou se virando sorridente para Kakashi, os olhos quase fechados por conta do sorriso.  

O platinado suspirou levemente afetado, o jeito leve e ingênuo de Iruka o deixava cada vez mais apaixonado pelo homem não podia negar esse fato.  

Dava para perceber no jeito do rapaz o quão feliz ele estava sabendo que iria sair. Apesar de estar com muitas dores no corpo, Kakashi iria para o jantar só para continuar vendo esse bendito sorriso que tanto gostava de apreciar.  

— Tá bom. — confirmou com um pequeno sorriso, recebendo uma pequena comemoração do brasileiro. — Então se não quiser se atrasar é melhor ir se arrumar logo.  

Iruka nem esperou o piloto terminar de falar e foi correndo para seu quarto se arrumar. Kakashi apenas soltou uma pequena risada com a empolgação do moreno. Tomou um banho bastante demorado, queria tirar todo o suor cansaço, poeira da pista presentes ao longo do dia.  

Se sentia completamente renovado, uma nova pessoa. Estava bastante quente para a época do ano, mas nada que se comparasse com o verão carioca, então decidiu botar uma calça jeans e uma camisa preta simples de veludo complementando com algumas jóias prateadas. Não ligava tanto assim para roupa como Kakashi, que até para ir em um lugar simples ia com as suas melhores roupas de grife.  

Porém sua maior dúvida é se deixaria os cabelos – que não via um bom corte faz alguns meses – soltos ou não. Estava em frente ao espelho da sala analisando as várias maneiras de deixar o cabelo arrumado e se assustou ao ouvir a voz de Kakashi dar vida no cômodo.  

— Deixa eles soltos, você fica bonito assim. — Kakashi disse ao adentrar o quarto e percebeu o corpo de Iruka se assustar com a sua voz. — Qual dessas camisas eu uso? — perguntou chamando à atenção para si.  

Iruka se virou para a direção do piloto, tomando mais um pequeno susto ao ver ele sem camisa no meio da sala. Meu Deus, pensou.  

O olhou de cima abaixo apreciando cada detalhe da roupa, das pequenas tatuagens ao longo do tórax, a cicatriz em seu rosto que dava um toque mais sexy, era como um truque de hipnose que não o deixava olhar para outro lugar que não fosse o corpo malhado do homem. Não sabia muito o que dizer e tinha toda certeza que nem prestou tanta atenção no que o Hatake havia dito.  

— O-o que? — Perguntou gaguejando enquanto  voltava para realidade.  

Kakashi soltou uma risada maliciosa discreta, observou cada momento em que o corpo de Iruka reagia à sua presença, o suspiro profundo ao reparar seu peito nu, as olhadas bem atentas. O Hatake sentia sua pele pegar fogo somente como a forma que o moreno o olhava.  

— Qual das duas? — Indagou novamente, mostrando as duas camisas que segurava em mãos, uma preta com alguns escritos japoneses e uma totalmente transparente com uma pintura renascentista estampada na frente.  

— A transparente. — Iruka respondeu sem pensar duas vezes e recebeu um sorriso maroto em troca.  

— Tá, só vou terminar aqui e já vamos. Me espera. — soltou uma piscadinha, saindo logo em seguida da sala.  

O Umino finalmente pode soltar o ar que nem ele mesmo sabia que estava segurando. Ele estava surtando internamente, desde quando ele sentia tantas coisas a respeito do piloto? Tantos sentimentos que ele nem imaginava, que vieram à tona de repente. Sempre o achou lindo e extremamente charmoso, isso é fato, mas agora um sentimento abrangente tem crescido dentro de si.  

Fez uma nota em sua mente que precisava conversar com Kurenai a respeito disso, estava extremamente confuso.  

Enfim ambos terminaram de se arrumar, Kakashi deixou Pakkun com Rin, que se despediu tristemente do pequeno avisando que em breve voltaria. Como estavam hospedados no mesmo hotel e no mesmo andar o Uchiha os acompanhou para o famigerado jantar.  

Decidiram deixar o carro de lado e foram andando até a pizzaria que era relativamente perto do hotel a qual estavam hospedados. Os três conversavam tão animadamente que nem perceberam que havia chegado. Kakashi rapidamente avistou dois rostos conhecidos, sentados numa mesa grande do lado de fora do restaurante.  

— KAKASHI! — o piloto ouviu o grito ser proferido em sua direção e se arrependeu amargamente de ter olhado para o seu melhor amigo Guy, que acenava animado.  

— Puta que pariu. — xingou alto o suficiente para que ambos os homens ouvissem. Iruka somente soltou uma risada contida, com o palavrão sendo acompanhado do sotaque russo bem presente.  

Kakashi odiava chamar atenção por onde passava – mesmo sendo uma tarefa difícil, afinal era importante dentro e fora do esporte –, mesmo em seus dez anos no automobilismo ainda tinha bastante dificuldade de lidar com o público e toda idolatria que se formou ao seu redor.  

Foram caminhando tranquilamente para dentro do restaurante, parando algumas vezes para tirar fotos com alguns fãs que tomavam coragem para falar com o Uchiha e o Hatake.  

— Existe um mundo em que você é menos escandaloso Guy? — O platinado pergunta ao chegar na mesa em que estava sentado. — Aliás boa noite Asuma.  

O barbado apenas acena com a cabeça.  

— Não Kakashi esse mundo não existe, boa noite para você também. — Guy responde revirando os olhos de maneira dramática que ele sempre fazia. 

— Vai ser só a gente hoje? — questiona o Uchiha se sentando na cadeira e já olhando o cardápio de pizzas.  

— Aparentemente sim, e nem sei que milagre é esse que vocês três não chegaram umas duas horas depois do horário marcado. — Asuma comenta franzindo o cenho confuso.  

— Vocês três nada, me tira dessa. — Iruka argumenta, mas sem conseguir convencer ninguém e principalmente o Hatake que somente ergueu uma sobrancelha debochada em sua direção.  

— Iruka não tem essa, a partir do momento que você começa a andar com o bendito Kakashi, você se atrasa sem nem perceber. — Obito admite enquanto recebia um olhar de descrença vinda do piloto russo-japonês.  

Desde criança Kakashi, Obito e Guy eram amigos. Foram praticamente criados os três juntos por conta da amizade entre os pais de cada um. Após a morte do seu pai e com a mudança do platinado para o Japão, os três acabaram perdendo contato um com o outro. Kakashi havia se fechado completamente para as amizades que tinha, se encontrava em um estado bastante depressivo, foi nessa época que o Hatake teve uma das piores crises por conta da baixa imunidade. Perder seu pai foi um dos piores acontecimentos que Kakashi presenciou em todos seus 27 anos.  

Porém, anos mais tarde, o platinado voltou a se encontrar com os dois velhos amigos. Durante as muitas corridas de fórmula 3 que disputavam na Europa em sua adolescência, Kakashi além de conhecer Guy e Obito, conheceu também Asuma. Rapidamente os quatro ficaram bastante próximos, passando até a viajar juntos quando ficavam de férias. Kakashi sempre foi o mais tímido e fechado do grupo todo.  

No começo foi difícil para o Hatake interagir com os rapazes, eles eram muito diferentes entre si e bastante animados, mas ao longo dos anos cada um foi se adaptando da sua maneira e a amizade foi durando por longos anos até se encontrarem novamente na Fórmula 1. Era como se o destino os unisse sempre.  

Após algumas rodadas de pizzas e inúmeras cervejas tomadas – e sucos também –, a conversa fluía bastante animada. Mesmo Iruka não conhecendo todos à fundo, tinha a sensação que eram amigos fazia longos anos.  

— Iruka, Kakashi já te contou a história de como ele ganhou essa cicatriz? — Asuma indaga, fazendo todos os pilotos presentes na mesa soltarem uma gargalhada menos o Hatake que suspirou revirando os olhos.  

— Não, pelo amor de Deus não conta essa história. — Kakashi nega, escondendo o rosto nas mãos.  

Era uma das longas histórias que o piloto mais sente vergonha de contar.  

Iruka por sua vez achava adorável a forma como ele ficava envergonhado. E se encontrava minimamente curioso para saber a história. 

Se virou para o Hatake, fazendo sua melhor cara de cachorro arrependido possível.  

— Por Favor Kakashi? — Implora com um biquinho - Prometo que fica só entre a gente. — termina colocando a mão firme na coxa do piloto que fica paralisado, não esperava por esse toque tão de repente.  

Como ele iria negar um pedido desse assim? Não tinha como, mas ele tinha que negar, não se renderia tão facilmente.  

Se virou inteiramente para o brasileiro, olhando profundamente em seus olhos castanhos, sem quebrar o contato visual em nenhum segundo. Um arrepio forte percorre todo o corpo de Iruka. Sentia que o homem tentava o provocar de muitas maneiras possíveis desde o início do ano, e o Umino sabia que ele estava conseguindo com muita facilidade o afetar.

O platinado sorriu maliciosamente ainda o olhando, segurou a mão de Iruka que estava repousada em sua coxa até alguns segundos atrás. Estava completamente gelado e trêmula, como se estivesse nervoso, e Kakashi sabia muito bem o motivo.  

O Hatake mesmo não deixando transparecer sentia que a qualquer momento seu coração explode de tanta paixão. Era como se uma bolha se criasse em volta dos dois e nada do lado de fora poderia atrapalhar esse momento. Passaria horas e horas ali, somente observando Iruka, desde seus cabelos extremamente lisos, seus olhos castanhos num brilho intenso, sua cicatriz no nariz que achava um charme único, até sua boca a qual beijaria à qualquer momento só para sentir o sabor que seus lábios continham.  

— Não, vai precisar de muito mais para me convencer. — Diz com a voz firme, dividindo o olhar entre a boca de Iruka e sua mão trêmula.  

Iruka sorriu, se era isso então entraria no jogo de provocação do piloto também.  

— Então é esse tipo de jogo que você gosta Hatake? — sussurrou apenas para que o homem ouvisse, que acenou discretamente.  

Iruka apenas retirou a mão, voltando para realidade. Desacreditado com o que havia acontecido no momento. Se encontrava levemente em êxtase. 

O Hatake também se virou para a mesa no mesmo segundo, e recebeu cinco olhares curiosos e no mínimo sorridentes em sua direção. Os três tinham a total noção da sexualidade do platinado, ele quis deixar bem claro para seus amigos próximos isso, e eles ficaram felizes em saber que Kakashi havia encontrado um novo interesse amoroso após anos de decepções. Mesmo o platinado não ter dito isso com sua própria voz, mas suas atitudes com o brasileiro já explicita bastante coisa. 

— O que foi? — perguntou  

— Nada...— os três rapazes responderam em uníssono. Como se não tivesse percebido o clima bastante óbvio da cena que aconteceu diante deles.  

— Vocês viram alguma coisa? — Guy perguntou com um sorriso divertido em seu rosto. Recebendo um aceno negativo dos outros dois homens. 

Kakashi e Iruka, riram completamente envergonhados. 

O grupo conversou por mais alguns minutos e se despediram cada um indo para seu hotel. Tinham que acordar cedo no dia seguinte, ainda mais por ter a classificação de grid logo pelo início da tarde.  

Apesar de não conseguir se expressar muito bem, Kakashi ficou extremamente feliz de passar algumas horas com seus amigos, após um ano praticamente afastado de todos. E ainda mais com Iruka ao seu lado, sentia que tinha que compartilhar todos esses momentos felizes de sua vida junto com ele.  

                                      

                                      

                                      

                                       •  

No dia seguinte no autódromo estava um verdadeiro caos, após o terceiro treino livre pela manhã, Kakashi junto com a equipe finalmente conseguiram fazer os acertos para o carro, mas ainda não se sentia tão confiante assim.  

Faltava pouco menos de quinze minutos para o início da classificação que definiria o grid de largada. Iruka andava de um lado para outro desesperado pelo paddock* somente seguindo o Hatake que estava concentrado e cumprindo as poucas ordens que o mesmo pedia. Ambos se encontravam agora dentro dos boxes* da equipe junto com os engenheiros chefes e mecânicos. Avistou Minato bastante concentrado na cabine de estratégia na área do pit wall* conversando com Rin, a engenheira estrategista da equipe. 

O loiro evitava ao máximo conversar com seus pilotos para não o deixarem mais apreensivos ainda, ele como ex-piloto sabe como ninguém o quão ruim é ficar nervoso antes de uma classificação importante. Então apenas os observava tranquilamente de longe, confiava bastante na capacidade de Obito e Kakashi em fazerem os melhores tempos e largarem na primeira fileira do grid.  

Kakashi apenas suspirou profundamente antes de dirigir a palavra ao seu engenheiro Yamato.  

— Tenzo, onde estamos mais rápidos? — Pergunta enquanto terminava de fechar o macacão preto e colocar o fone de comunicação.  

Yamato que estava sentado em frente aos computadores apenas mostrou os gráficos de velocidades presentes na enorme tela para o platinado, que prestava bastante atenção como se fosse uma aula tentando decorar tudo.  

— No caso o carro fica mais rápido aqui nas retas principais entre as curvas 1 e 2, na 7 e 9 e na zona de DRS* na 17 até 19. — Aponta para cada lugar do gráfico da pista para que Kakashi possa identificar.  

— Tá bom, e nas curvas de alta velocidade? Sinto que o carro estava se arrastando um pouco nessas partes. — Aponta para o gráfico na tela do computador mostrando exatamente os pontos de incômodo. 

— Nas curvas realmente o carro tá pecando muito, o que eu posso te aconselhar é focar nas retas onde está mais rápido mesmo — Yamato lamenta, não tinha muito o que ele fazer naquele momento. 

Kakashi suspirou profundamente, enquanto olhava a transmissão oficial da Fórmula 1 mostrando os boxes da equipe Akatsuki. 

— E Itachi, está mais rápido onde? Consegue essa informação? 

Yamato assente, abrindo a aba do computador a qual se encontrava as anotações que fizera ao longo de todos os treinos. 

— Justamente na parte em que estamos mais lentos. O carro deles está bem mais superior que o nosso aqui na Itália. 

Iruka observava ao longe aquela conversa. Entendia apenas um pouco mais que o básico de como as configurações do carro funcionavam e achava interessantíssimo aqueles tipos de conversas. E achava ainda mais interessante a atenção que o platinado recebia sempre que falava em conjunto com sua pose séria...era ainda mais atraente. 

— Tá bom. — O platinado suspirou seu semblante se encontrando ainda mais sério, teria muito que trabalhar no carro durante toda a classificação. 

— Apenas confie em si mesmo, você é rápido e sabe disso use ao seu favor. Vai dar tudo certo Kakashi, agora vai lá e faz a pole position pra gente — O moreno o encorajou, percebeu pela expressão corporal do piloto o quão nervoso e inseguro ele estava, o que se tornou ainda mais constante com a volta do homem.  

Tenzo não era tão mais velho quanto Kakashi, ambos estavam praticamente na mesma faixa etária. Se conheceram ainda na época que Kakashi corria pela Fórmula 2 e Yamato sempre achou o adolescente um gênio que não seria superado tão cedo. Quando o platinado foi anunciado que correria pela Anbu, fez questão de falar diretamente com Minato para ser engenheiro principal do piloto.  

Quando soube, o Hatake havia ficado extremamente feliz por ter Yamato ao seu lado. 

E a partir daí ambos ficaram ainda mais íntimos e conhecidos pelo público por sempre terem os rádios mais aleatórios durante os treinos, desde músicas que o engenheiro colocava até receitas que Kakashi compartilhava com Yamato – e o público que assistia também.  

O Hatake terminou de se arrumar colocando a balaclava preta, que protegia todo o cabelo platinado e parte do rosto deixando somente os olhos à mostra e o capacete personalizado com alguns raios azuis e roxos, o logo da equipe e seu principal patrocínio que vinha da marca nipônica Undercover, a grife de moda à qual fazia parte. 

Quando confeccionou seu capacete para o ano, decidiu fazer uma pequena homenagem com o autógrafo de seu pai escrito na lateral. Entrou no carro calçando as luvas e apenas esperando o início da classificação começar.  

Estava completamente concentrado enquanto meditava, contava de um até cem respirando calmamente, tentava o máximo possível esvaziar a mente antes de correr na pista. Abriu o olho percebendo uma certa aproximação de uma pessoa específica no carro sem ser os mecânicos ao redor. Olhou para o homem moreno de cabelos presos num coque, se encostar no halo.  

— Kakashi...— Iruka o chamou baixinho, mesmo com o barulho do motor e um falatório na garagem se sobressaindo bastante, o piloto conseguiu o ouvir. — Se você pegar essa pole...mais tarde tenho uma surpresa pra você. — Revela, soltando uma piscadinha e se afastando logo em seguida do carro preto, voltando a se sentar ao lado de Yamato para assistir a classificação.  

Kakashi por sua vez se encontrava sem reação e apenas soltou uma risada desacreditada por baixo do capacete.  

"Era começo da primeira parte da classificação, conhecida como Q1, que durava 18 minutos. Apenas os 15 melhores tempos passavam para a etapa seguinte.  

Foi uma disputa acirrada entre a dupla Anbu, contra o novo prodígio Itachi. Sempre que passavam pela linha de chegada cada um marcava o seu melhor tempo na pista, o que deixava o público ali presente e o restante das equipes do grid totalmente impressionadas e eufóricas. E era somente o início de uma longa classificação. 

Na segunda etapa, foi tranquilo para os pilotos. Durava apenas 15 minutos e somente os 10 melhores tempos passavam.  

E no terceiro e último, a classificação duraria somente 12 minutos e definiria a posição dos dez primeiros na hora da largada. Kakashi havia posto o jogo de pneus mais macios, era seu tudo ou nada para fazer a volta mais rápida largando em primeiro e tentar quebrar o Recorde da pista.  

Mesmo com o carro não estando nas melhores condições, fazia de tudo para tentar se igualar aos carros da equipe rival. 

Estava em segundo na classificação e faltavam 2 minutos para terminar. Era sua última chance. Itachi já havia começado sua volta mais rápido e fazia todos os melhores setores da pista até o momento.  

O Hatake passou pela linha de chegada abrindo sua última volta. Vinha fazendo o primeiro setor roxo – mais rápido –, abaixando alguns milésimos do líder Itachi. O segundo setor mais rápido, e começaria o terceiro. Até que sentiu que perdeu o controle do carro de repente.  

O pneu traseiro havia furado, por pouco ele não bateu o carro no muro, mas conseguiu segurar freando bruscamente."

— Kakashi! Tá tudo bem? — Escutou o rádio da equipe sendo preenchida pela voz de Yamato que o chamou rapidamente para saber como o piloto estava.  

— Tá tudo uma merda Tenzo. Ficamos aonde? — perguntou sentindo a adrenalina se esvair de seu corpo dando lugar a frustração, por não ter conseguido alcançar seu objetivo principal. 

Yamato suspirou levemente sentindo o peso na voz do piloto antes de dizer.  

— P2 e P3, Itachi ficou com a pole.  

— Desculpa galera, realmente tentei o meu melhor...— lamentou, seu tom de voz sendo cabisbaixa. 

Apenas foi guiando o carro devagar pela pista levando até os boxes. Que puta azar ele teve durante todo o fim de semana. Não sabia, mas sentia que se não fosse pelo pneu iria fazer a volta mais rápida e largaria tranquilo na corrida do dia seguinte.  

Estava frustrado e chateado, se dependesse dele ele não daria entrevistas e nem falaria com ninguém depois desse fiasco que foi o final dessa classificação.  

                                  •

                                  •

                                  •

                                  •  

Já se passaram algumas horas desde o final da classificação, a noite já começava a tomar forma na cidade italiana. Iruka se encontrava no segundo andar do Motorhome da equipe junto com Kakashi. Estava agoniado, fazia quase uma hora que o platinado se encontrava totalmente calado. Se encontrava no sofá encolhido enquanto lia algum livro. O Hatake gostava de se distrair, fugir um pouco da realidade, lendo quando ia mal após uma classificação ou corrida, principalmente seus livros favoritos que continham algum conteúdo erótico a qual gostava bastante.  

Iruka suspirou fortemente observando o homem, ele não sabia o que fazer, principalmente quando o piloto tinha essas crises de silêncio que duravam uma eternidade.  

— No que você está pensando? 

O homem apenas olhou para Iruka balançando a cabeça negativamente, um sorriso melancólico tomando conta de seu rosto. 

— Nada...nadinha — Suspirou, abaixando a cabeça escondendo o rubor em suas bochechas. Tentava a todo custo convencer Iruka de que sua mente estava tranquila, sendo em vão. 

— Você tá muito calado, o que houve? — insistiu se aproximando calmamente do maior que ainda estava encolhido no canto do sofá. Mesmo o Umino já sabendo o motivo do piloto estar tão quieto, queria ouvir dele. 

O Hatake respirou profundamente antes de responder. 

— Tudo que podia dar errado hoje comigo deu Iruka. E eu tô extremamente chateado com a minha performance hoje, são essas pequenas coisas que me fazem questionar bastante minha performance pilotando. — Comenta bastante cabisbaixo e seu tom de voz se tornando melancólico. 

— Para Hatake! Eu realmente não consigo ouvir isso tudo que você está dizendo de si mesmo. — balançou a cabeça de forma negativa discordando do platinado. 

— Desde criança Iruka, fui ensinado a me cobrar bastante para conquistar o que eu quero e eu não me sinto preparado para agir normalmente numa situação dessas. — confessa, continuando o assunto ignorando o que o moreno disse. Era um gosto amargo para Kakashi ter que admitir tudo aquilo em voz alta. — Se eu tivesse...  

— Não Kakashi, não tem um "e se"! — Iruka apenas o cortou. Não queria ver uma pessoa tão espetacular como Kakashi ficar se rebaixando dessa forma tão depreciativa. — Você foi extremamente fantástico hoje, e não é culpa sua que o pneu furou, acontece e eles tão levando para análise para descobrir o motivo de ter acontecido, você sabe bem disso. — comenta relembrando o homem.  

Um breve silêncio constrangedor se instalou entre ambos. 

— Se você visse o piloto e vou mais além, a pessoa espetacular que você é Kakashi... — murmurou. 

— Obrigado Iruka...— Se virou na direção do moreno, o envolvendo num abraço caloroso. O Umino não teve tempo de reagir, não esperava que Kakashi se aproximasse tão de repente dele assim.  

Era um abraço caloroso e quente. Conseguia sentir perfeitamente o coração acelerado de Kakashi batendo contra seu peito, assim como o seu. O perfume cítrico do homem exalando uma sensação de lar, fazia tempo que não se sentia assim antes. E a mesma coisa aconteceu com Kakashi, era como se aquela bolha que envolvia os dois havia voltado e ambos se encontravam naquele mundo somente deles.  

— Pelo o que especificamente? — Iruka finalmente conseguiu dizer devolvendo aquele abraço.  

— Por ser essa pessoa incrível e paciente que você é, acho que já disse mil vezes mas obrigado por tudo mesmo. — Sussurrou na orelha do moreno, que se arrepiou com a voz calma e baixa do maior, o apertando ainda mais no abraço descansando sua cabeça no ombro do homem. 

Iruka não fazia ideia de onde estava tirando tanto autocontrole para não beijar o Kakashi ali mesmo.  

Ambos foram calmamente se afastando do abraço tão caloroso. Viu Kakashi com o corpo e feição mais leve e relaxada, era como se ele precisasse muito daquele tipo de toque físico. Como forma de agradecimento, Iruka apenas deu um beijo demorado no canto da boca do Hatake, que apenas sorriu abertamente.  

Os dois já nem sabiam mais o que estava acontecendo com eles. Chegaram num consenso sem dizer absolutamente nada que apenas deixariam acontecer. 

— A próxima vez que eu te ver triste consigo mesmo, eu te faço correr 15km por uma hora — diz, seu semblante ganhando um tom sério que fez o Hatake rir em resposta. — Eu tô falando muito sério Kakashi... 

— Tá tá...e a surpresa? — Perguntou inocentemente, ignorando novamente a ameaça melodramática do mais novo. 

Iruka balançou a cabeça negativamente.  

— Quem sabe amanhã caso ganhe a corrida ou na próxima, vamos ver. — propôs dando de ombros — Agora, vem cá, eu sei que o quanto você tá cansado então deita a cabeça aqui no meu colo.  

Pegou um dos travesseiros presente no sofá o colocando em suas pernas, batendo levemente indicando onde o piloto deitaria.  

O Hatake sem pensar duas vezes, apenas deitou como o Umino havia pedido e rapidamente sentiu ambas as mãos trabalhando em uma massagem no seu cabelo.  

Demorou poucos minutos até que o piloto finalmente pegasse no sono.  

E Iruka ficou lá, acariciando os cabelos prateados enquanto mexia no Twitter, estava curioso para saber as reações da galera em relação à classificação. Viu gente elogiando o fato do Itachi ter feito a pole, não podia negar que o Uchiha mais jovem pilotava demais. E viu também muitas pessoas exaltando e se solidarizando com o Hatake, postando fotos com textos. Sentia seu coração quente com esses pequenos atos dos fãs do esporte automobilístico.  

Escutou a porta da sala ser aberta, revelando  a figura de Minato, Rin e Obito. Os três se surpreenderam ao ver a cena de Kakashi deitado no colo de Iruka enquanto dormia, o Umino rapidamente fez gestos de silêncio para não acordar o platinado.  

Eles pegaram algumas coisas e antes de sair da sala Iruka recebeu uma piscada nada discreta vindo da mulher espanhola que sorria abertamente. Apenas riu revirando os olhos desacreditados. Alguns minutos se passam até que o Umino caia no sono também. Agora ambos se encontravam dormindo calmamente na sala.  

No dia seguinte pelo começo da tarde, o autódromo de Ímola se encontrava um verdadeiro caos, faltavam um pouco mais de meia hora para o começo da corrida. Todas as arquibancadas estavam cheias, recheadas com torcidas diversificadas. Inúmeras câmeras televisivas passeavam em meio a pista, registrando cada pequeno momento das equipes e dos pilotos enquanto se preparavam. 

Todas as equipes se encontravam na pista arrumando as configurações dos carros e os arrumando no grid de largada. Kakashi fazia um treino para praticar reflexo junto de Iruka.  

— Você está mais tranquilo? — Iruka perguntou, enquanto jogava bolinhas na direção do homem.  

— Tô um pouco, bem melhor do que ontem.  

Iruka gostava de ver o homem mais positivo possível, essa corrida tinha tudo pra ser uma vitória dele e acreditava nisso. Já assistiu de perto ele largar de posições mais abaixo e ainda assim conseguir ganhar. 

Fez todos os procedimentos, vestiu o macacão preto da equipe por inteiro, o fone de comunicação, o capacete e entrou no carro calçando as luvas e colocando o volante no lugar. O Hatake se encontrava concentrado até demais, escutava apenas a torcida eufórica gritando seu nome no fundo.  

— Kakashi, tudo certo aí? — Ouviu a voz de Yamato no rádio.  

O platinado suspirou profundamente.  

— Sim...  

Às três horas da tarde em ponto, e todos os carros saíram para dar a volta de apresentação na pista para aquecer os pneus.  

Kakashi estava extremamente concentrado, pensando nas principais estratégias que a equipe havia lhe passado e em dar tudo de si na pista, como vem dando nas corridas anteriores.  

As luzes vermelhas foram ligando uma à uma até se apagarem e finalmente o ronco dos 20 motores do grid ganharam vida na pista Italiana. 

Volta 1  

Na largada Kakashi pula para frente passando Itachi na primeira curva que foi bastante disputada entre os dois pilotos, ganhando a liderança da prova.  

Volta 24  

Alguns carros já começaram a fazer as primeiras paradas para trocas de pneu. Os dois pilotos da Akatsuki já haviam parado, enquanto os da ANBU vinham numa estratégia de somente uma parada na corrida. Arriscada, ambos sabiam muito bem disso, mas queriam ganhar tempo o máximo possível na pista.  

— Plano A Hatake — A voz de seu engenheiro ecoou pelo rádio, sugerindo a estratégia da equipe.  

— Tô sentindo os pneus ficarem bastante quentes, mas consigo aguentar mais algumas voltas. — Avisou, com o motor do carro sobressaindo um pouco sua voz na rádio.  

— Ok, você ganhou uma diferença de vinte e sete do Itachi, Obito vem logo atrás de você. Tem alguns retardatários na frente mas não se preocupe. 

— Certo. 

Volta 33 

Uma batida envolvendo dois carros acontece e a bandeira vermelha é acionada na prova. Aconteceu entre o carro 11 de  Might Guy e 18 de Kisame Hoshigaki. A batida entre os dois pilotos foi bastante feia quebrando toda a frente e a lateral do chassi de ambos os carros, mas nenhum dos dois se machucaram gravemente.  

A corrida foi interrompida por alguns minutos, os carros voltaram em uma fila para o boxes para aguardar a retirada dos dois carros batidos e a limpeza da pista. Kakashi por sua vez aproveitou que não tinha parado ainda e ganhou um pit stop* de graça, trocando o composto de pneus.  

— Eles estão bem? — Perguntou preocupado, principalmente para saber como seu amigo estava.  

— Aparentemente sim, saíram andando tranquilamente do carro. — Yamato respondeu. — Vamos ter uma outra largada do jeito que o grid está no momento, então cuidado você vai largar do lado sujo da pista. — Comentou com o platinado.  

Alguns minutos se passaram e a corrida iria recomeçar com uma segunda largada. As luzes vermelhas novamente se apagam e dessa vez o garoto Uchiha toma a liderança que era de Kakashi, já abrindo 1 segundo na pista. Realmente o carro dele estava muito mais superior e rápido e isso estava pesando um pouco em cima do Hatake. 

Volta 63  

Era a última volta e a disputa entre os dois estava bem acirrada, ninguém tinha certeza qual dos dois iriam vencer. Os dois saíram lado a lado na última curva que dava visão a reta da bandeira quadriculada, abriram o DRS* para ganhar mais velocidade e...  

A vitória ficou nas mãos do menino Uchiha que passou com poucos metros de diferença do Hatake, conquistando sua sexta corrida na Fórmula 1. E Obito vinha logo atrás completando o pódio do dia.  

— Foi por muito pouco Kakashi, por uns metros de diferença. Mas bom trabalho você correu muito hoje. — Yamato adentrou o rádio parabenizando o Hatake.  

— Obrigado Tenzo e equipe, apesar de tudo eu tô satisfeito com a minha performance hoje. Trabalhamos muito bem. — Comenta alegre mesmo a voz estando cansada. 

— Você fez a volta mais rápida e Obito terminou em P3, foi um ótimo dia para equipe hoje.  

— Parabéns por hoje Hatake, uma corrida e tanto! — A voz de Minato ganha vida no rádio.  

— Obrigado Coroa!  

Os três carros voltaram para o parque fechado se aliando nos totens de primeiro, segundo e terceiro lugar. Mesmo não ganhando foi uma ótima corrida para o Hatake. Saiu do carro e foi diretamente parabenizar e elogiar Itachi, que ficou extremamente feliz. O rapaz nunca iria imaginar que um pentacampeão como Kakashi, iria o elogiar após uma corrida perdida.  

A dupla da ANBU, subiram no pódio juntos e jogaram a chuva de champanhe especialmente no novato que estava subindo no ponto mais alto do pódio naquele momento. Apesar de não ter ganhado, Iruka sentia um grande orgulho do Hatake após aquela corrida, principalmente ao perceber que o mesmo não se encontrava nada frustrado. Sabia que aquela pequena conversa do dia anterior havia feito algum sentido para o piloto. 

Após inúmeras entrevistas e fotos com a equipe, e principalmente saber como estava o estado de seu amigo após batida – O que foi um alívio para o Hatake ver que o piloto estava extremamente bem sem nenhum arranhão –, ele já estava de volta para o hotel.  

Kakashi e Iruka se encontravam completamente mortos de tanto cansaço do dia. E só queriam cair na cama e descansar, finalmente. Após essa corrida teriam duas semanas de folga para descansar e repor as energias gastas.  

— Quer assistir alguma coisa, enquanto tomamos sorvete? — O platinado sugeriu ao avistar Iruka deitado no sofá de forma relaxada. 

Sempre após as corridas os dois escolhiam alguma coisa para assistir seja uma série ou filme, até mesmo reality shows apenas para falarem mal, e tomavam sorvete. Isso se tornou uma rotina sagrada entre os dois.  

— Pode ser, mas eu escolho o que assistir.  

— Tá bom, mas que seja algum programa bobo necessito falar mal de algo — comentou divertido, fazendo Iruka soltar uma risada contida. 

Kakashi foi até o frigobar da sala e pegou dois potes de sorvetes que havia pegado escondido no restaurante da equipe antes de voltarem ao hotel. Um de baunilha para si e outro de chocolate com menta para Iruka. 

Ficariam ali sentados no sofá bom tempo, o vento frio da cidade italiana adentrando a sala enquanto, comentavam sobre um reality show aleatório que Iruka havia achado pelos canais italianos, sempre achavam interessante saber o que tinha na programação local.  

Kakashi nem conseguia prestar atenção na televisão a sua frente, para ele tinha uma coisa muito mais interessante e bonita de se assistir do que um programa qualquer, e era Iruka Umino.  

O platinado se encontrava encostado no canto do enorme sofá, observando minuciosamente cada jeito do moreno. Como os cabelos soltos e úmidos – a qual particularmente adorava – balançavam cada vez que ele soltava uma risada. Os músculos se sobressaiam pela camisa de algum time brasileiro que o homem usava. Os lábios carnudos se abrindo a cada colherada do sorvete, Kakashi apenas conseguia imaginar aquela boca em outro lugar.  

Iruka era a personificação do deus grego Adônis, tudo que ele fazia, seu jeito era perfeito aos olhos do Hatake. E ele não aguentava mais não beijar aquela boca que tanto almejava.  

— Eu não acredito, como essa mulher consegue ser tão burra que não enxerga o quão escro-  

— Iruka...— o platinado o cortou.  

O Umino se virou para a voz que o chamava e viu o Hatake colocar o pote em cima da mesa de centro e começar a se aproximar lentamente do moreno. Iruka não sabia o que estava acontecendo, se encontrava hipnotizado observando toda a movimentação lenta e calma que Kakashi fazia. 

Kakashi aproximou a mão direita tocando de uma maneira leve o rosto macio do brasileiro. Passou o polegar pelo queixo até chegar nos lábios um pouco sujo com o sorvete. Passou o dedo levemente entreabrindo os lábios rosados, Iruka suspirou levemente. Era uma sensação gostosa ser acariciado dessa forma. Era como se o Hatake conhecesse perfeitamente a forma de lhe tocar, sem ao menos ter feito isso alguma vez. 

— Kakashi...— suspirou, sua voz sendo baixa e fraca. 

A mão esquerda do Hatake subindo pela sua nuca, puxando levemente os cabelos ali presentes. Kakashi se aproximou ainda mais ficando a poucos centímetros do rosto do moreno, os olhares se encarando com tanta intensidade. As respirações erradicas se misturando, era aquele momento. O platinado quebrou finalmente a distância que havia entre eles, passando a língua no canto de seus lábios lambendo os resquícios de sorvete ali presente.  

Estava sendo extremamente difícil para o piloto também, como necessitava beijar logo mas assistir o moreno sendo provocado, e principalmente implorando por si estava sendo ainda mais excitante. 

— Me responde uma coisa, deixaria eu te beijar agora? — sussurrou, sua voz sendo baixa e firme. 

— Hatake por fav- 

— Me responde! — cortou-o autoritário. 

— Sim.. 

Iruka soltou um suspiro pesado, ele já não estava pensando em mais nada naquele momento só queria que Kakashi o beijasse logo sem nenhum empecilho. Sentiu os lábios do Hatake raspando lentamente nos seus, fechou os olhos sentindo aquela sensação, as respirações se misturando.  

Era o momento perfeito, estavam quase se beijando até ouvir o latido alto de Pakunn interrompendo o clima. Ambos haviam se assustado se afastando rapidamente um do outro, cada um indo para os extremos do sofá completamente envergonhados. Parecia que o cachorro se manifestou apenas para que aquele momento não acontecesse.  

Kakashi olhou seriamente para o próprio cachorro, como ele pode ser tão traíra assim com ele?  

Olhou para Iruka, que continuava a tomar seu pote de sorvete segurando o máximo para não rir, o que estava sendo uma tarefa bastante difícil para o moreno. Seu rosto se tornando cada vez mais avermelhado. 

O clima de constrangimento estava tão grande que nem Kakashi conseguiu segurar a seriedade por muito tempo, soltando uma gargalhada. Não tinha o que fazer, Pakunn estava agindo somente pelo seu instinto. Iruka o acompanhou também na gargalhada, rindo até não aguentar mais.  

O clima que estava constrangedor rapidamente se transformou em um leve, à sala do apartamento se enchendo de risadas. 




Notas Finais


pra quem chegou no final, espero que vocês tenham gostado de verdade e DESCULPA pelo capítulo tão enorme, só percebi quando terminei de escrever. Até o próximo capítulo que já já tá chegando viu ♡

fun fact rápido: Iruka é carioca e vascaíno, consequentemente Kakashi tbm é Vasco.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...