1. Spirit Fanfics >
  2. Recomeço no mundo trouxa >
  3. Capítulo 11

História Recomeço no mundo trouxa - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - Capítulo 11


Fanfic / Fanfiction Recomeço no mundo trouxa - Capítulo 11 - Capítulo 11

Ao tocar o ombro do bruxo Hermione o sentiu encolher, ela então se agachou na frente dele e de forma delicada retirou as mãos tensas dele do rosto.

-Severus! Olha para mim.

Snape levantou o rosto para mirar Hermione. Seus olhos estavam vermelhos e as lagrimas continuavam insistindo em cair.

- Eu lamento muito por sua mãe. – Ela o abraça tentando o confortar.

- Hermione... não precisa sentir pena de mim, pode ir embora, me deixe sozinho. É sozinho que sempre estive e assim que sempre vou ficar...

- Eu não irei embora! Não agora. Eu vim aqui para gente conversar e nos entender. – Hermione passava os dedos de forma delicada no rosto dele limpando as lagrimas. – Mas, diante do que vi e do estado que você esta, acho melhor você descansar.

Hermione se levantou e puxou Snape pelo braço e ele a olhou confuso, no entanto, não esboçou reação.

- Deite aqui no sofá. – Hermione se sentou e pediu que Snape deitasse. Ela colocou uma almofada sobre as coxas e ajeitou para que ele deitasse com a cabeça em seu colo e assim ele fez mesmo estando um pouco receoso com a atitude dela.

Hermione adentrou os dedos nos cabelos de Snape, fazendo um carinho tranquilo que fez com que ele fechasse os olhos e sentisse cada movimento daquelas mãos de anjo, ele suspirou e se permitiu relaxar.

Não demorou muito para que Snape adormecesse sob os carinhos da jovem.

Hermione passou a analisar a face dele, o semblante ainda sustentava um pouco de tristeza e a respiração era profunda.

 Seus pensamentos a levou a varias conclusões:

Snape foi uma criança que não teve o carinho e o amor do pai, e que tanto ele quanto a mãe sofriam na mão de um covarde violento. Aquilo era realmente algo traumatizante para uma criança ter que conviver em um ambiente familiar completamente devastado, sem amor, sem carinho, sem paz. Presenciar a mãe ser agredida diariamente e ainda ser surrado sem qualquer motivo, até porque não há motivos para tamanha violência de quem na verdade deveria dar proteção a família. Tudo que viu na memória de Snape era algo muito triste. Snape ter que ver a mãe morta e ainda matar o próprio pai por ter sido o causador da morte da mulher que lhe deu a vida.

Hermione não condenou o fato de Snape ter matado aquele ser desprezível que era o seu pai, se tivesse feito antes, talvez sua mãe ainda estivesse viva, estaria ao lado dele e ele talvez não tivesse sido tão sozinho.

A bruxa passou horas e horas envolta a pensamentos sobre a vida de Snape, que dormia sob sua vigilância.

Pouco depois sentiu sono e cochilou.

Já era madrugada quando Hermione despertou com Snape se mexendo e falando coisas sem nexo, então ela percebeu que ele estava tendo um pesadelo.

- Severus? . – Hermione o chamou para que acordasse e se livrasse do pesadelo.

Ele acordou atordoado e confuso, se levantando do colo dela.

-Hermione... – Ele olhou para o relógio na parede e viu que já era madrugada. – Não percebi que dormi, me desculpa por te deixar desconfortável sentada nesse sofá... Pode ir para meu quarto e dormir, eu fico aqui no sofá e amanhã a gente pode terminar a nossa conversa.

Hermione apenas assentiu e foi para o quarto dele.

Ao se deitar na cama, sentiu o cheiro dele impregnado nos lençóis e travesseiro. Se aconchegou e dormiu novamente.

Ao amanhecer Snape preparou um café da manhã e ficou a aguardar Hermione na cozinha.

Hermione ao chegar na cozinha se deparou com a mesa pronta e o café passado na hora, olhou para Snape que deu um sorriso meio tristonho ao vê-la.

- Bom dia Severus!

- Bom dia Hermione! Espero que tenha conseguido dormir bem.

- Consegui dormir sim.

- Preparei esse café da manhã, espero que seja do seu agrado.

- Obrigada!

Assim que terminou de comer Hermione decidiu retomar a conversa da noite anterior.

- Me desculpe por ter invadido sua mente ontem, eu não deveria ter feito.

- Sem problemas, eu só me perdi em memórias quando você supôs que eu poderia ter te agredido.

 Snape fecha o semblante desconfortavelmente.

– Só quero que saiba que eu jamais faria isso! Eu lamento profundamente por ter me descontrolado e agredido seu amigo. Sei que não foi certo e confesso que fiquei com ciúmes de vê-lo te abraçando e fiquei cego de raiva por isso...

 Snape direciona o olhar para Hermione a fitando dentro dos olhos.

– Eu te peço perdão por ter te ofendido, sei que te machuquei, mas, espero que me perdoe... Não irei implorar para que continue sendo minha namorada, sei que não tenho o direito de insistir que fique comigo, só espero que me perdoe... – Snape hesita antes de continuar a falar... – Sei que tem pouco tempo que nos estamos ou estávamos namorando, mas, eu já posso te afirmar que... que eu te amo... Eu não sei gostar pouco, o que sinto é sempre intenso, seja ódio ou amor... Eu te amo Hermione...

 Snape abaixa a cabeça, mas, antes que Hermione começasse a falar alguma coisa ele ainda continuou. – Sei que você veio aqui ontem para terminar, e eu entendo... e não precisa dizer nada... Só pode ir, pode ir embora, não precisa justificar...

Hermione não consegue conter as lagrimas com tudo que Snape fala.

- Severus, a gente prometeu que não iriamos abandonar um ao outro, eu te prometi e você me prometeu. Eu não vi aqui para que terminássemos. Eu fiquei muito magoada com o que você fez, agredir o Niki foi muito ruim e me ofender foi pior ainda... Niki é uma pessoa maravilhosa, muitas pessoas tem preconceitos por ele ser homossexual e por isso ele tem poucos amigos... Ele não tem raiva de você, pelo contrario, ele me convenceu de vim aqui falar com você ontem, pois ele viu que eu estava sofrendo por estar longe de você... Ele sabe que a gente se ama... – Hermione respira fundo e continua. – É obvio que eu perdoo você Severus, mas, eu espero que seu descontrole nunca mais aconteça e que de hoje em diante você confie em mim, na minha palavra, eu não irei te trair e nem irei mentir para você. E eu também já amo você Severus, você me fez sua naquela noite especial que tivemos e pretendo ser eternamente sua Severus Snape.

Os dois se levantam e se abraçam forte. Snape a ergue a colocando sentada na mesa e a beija ferozmente a apertando forte contra seu corpo como se sua vida dependesse daquilo.

O desejo de possuírem um ao outro ali mesmo encima da mesa da cozinha era imenso, Hermione estava com as pernas enlaçada na cintura do bruxo sentindo a ereção dele roçando sua intimidade ainda sob as roupas.

Antes que perdesse o controle, Hermione afasta Snape sem ser rude com ele.

- Temos que trabalhar Severus. – Ela olha para o relógio e vê que já esta quase atrasada para ir para o ministério. – Tenho que ir e acho que você também. – Ela desce da mesa ainda se enroscando no corpo dele que a pressionava por contato.

- Tudo bem! Mas posso te buscar na universidade a noite? Snape a  pergunta com receio dela o negar.

- Claro! Bom que você aproveita para pedir desculpas pessoalmente ao Niki. – Ela o olha para ver se ele iria ficar contrariado com a ordem, mas, ele não esboça negativa.

- Certo. As 21:00 já estarei lá aguardando vocês saírem. – Snape a puxa para um último beijo. – E mais uma vez me perdoe pelo que fiz de errado.

 

Continua....



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...