História Redescobrindo o Amor - Capítulo 46


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony, Ian Somerhalder, Justin Bieber
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Drama, Romance
Visualizações 378
Palavras 1.661
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 46 - Como pode ser tão linda?


Pov Lauren

Não há disfarce que possa esconder por muito tempo o amor quando este existe, nem simulá-lo quando este não existe.

Tem dias que, por mais loucura que seja, te amo muito mais, e quando isso acontece, parece que o peito não vai aguentar, vai explodir, e caso um dia eu exploda, 
vai ser uma daquelas explosões bonitas de se ver: vou explodir amor.

- Tá calor aqui né? – Camila falou quebrando o beijo me fazendo rir. – Está muito calor. – Me deu outro selinho.

Em nenhum momento desde que decidi engravidar imaginei que quando Camila ficasse sabendo as coisas entre nós duas. Esperei por ela louca me xingando, falando que eu decepcionei ela e tudo mais. Mas não, Camila me surpreendeu mais uma vez sendo mais madura do que sempre.

- Podemos ir para o quarto que tal? – Perguntei sugestiva voltando a envolver o corpo da minha latina em meus braços. – Não sabe como estou com saudades de  sentir você... – Dei alguns beijos no pescoço de Camila e sabia que ela estava com os olhos fechados. – Vamos?

- Lo.. – Gemeu baixinho. – Não faz assim amor. – Pontos para você Lauren. Muitos pontos. – Você tem uma gravidez de risco, não podemos fazer isso.. você sabe. – ela estava praticamente sussurrando parei de beijar o pescoço da minha esposa e olhei para a piscina, sabia que estamos sendo observadas, Vero fazia alguns gestos obscenos enquanto ria sem Camila perceber levantei o dedo do meio para minha amiga.

- Eu vou te dar muito prazer e amor, você vai ser minha, eu não preciso que me toque para sentir prazer. – Falei olhando em seus olhos, e juro que eles poderiam queimar de tanto desejo. Ela tentou falar, mas não deixei dei mais um selinho antes de levantar e segurar sua mão. Sabia que Camila queria tanto quanto eu aquilo.

Não falamos nada até o quarto, ela seguia atrás de mim fazendo uma massagem devagar em meus ombros.

Quando enfim entramos no quarto, penetrei a boca de camila com minha língua e senti ela dar uma pequena arfada com o contato, fui lhe guiando com cuidado até a nossa cama.

Levei minha mão que até então estavam fazendo algumas caricias nas coxas da minha mulher até sua nunca e fiz um carinho sentindo Camila tremer na minha boca. Sorri separando nossos lábios e levando os para seu pescoço antes de distribuir alguns beijos.

- Eu amo suas reações aos meus toques, hoje eu quero te ver gemer tanto meu nome. - fiz com que Camila se deitasse e sentei na sua intimidade coberta. – Você é linda assim toda vermelha com vontade de transar comigo. – levei minhas mãos até seus seios e apertei fazendo com que ela gemesse baixinho.

- Laur.. estamos a bastante tempo sem transar, eu não posso te tocar então por favor não me tortura. – Ver sua voz em um sussurro desesperado me deu uma ideia. Dei uma rebolada em seu colo que vez minha esposa abrir os olhos. – Lauren, eu te imploro não faz isso. – Seus olhos estavam queimando de desejo.

Nunca foi tão bom ficar de camisola em casa o tempo inteiro. Ignorei os pedidos da minha mulher e continuei rebolando em seu colo enquanto apertava cada vez mais seus seios durinhos, eu engravido e os peitos dela que ficam maiores, ótimo para mim, conseguia sentir a calcinha do seu biquíni molhada mesmo sem ter entrado na agua.

- Você está molhada para mim? – Falei levando minhas mãos ao pescoço de Camila vendo assentir com um pouco de dificuldade.

Levantei meu corpo um pouco e apoiei o grande peso do meu corpo nos joelhos e fiz com que Camila levantasse um pouco seu tronco para que eu pudesse desamarrar seu biquíni. Sem protestar ela fez.

Não precisava falar nada, estava em um estado vergonhoso, com certeza Camila sabia que eu estava completamente molhada e não posso pedir para que ela me toque nem posso fazer isso sozinha.

- Não sabe como senti falta do seu corpo. – Apertei os seios de Camila fazendo gemer manhosamente. – Deixa eu fazer meu trabalho agora. – Sorri levando a boca aos seus peitos.

Levei meus lábios até o seio direito da minha mulher. Distribui alguns beijos antes de começar a sugar a carne quente, Camila não parava de se remexer e falar palavras desconexas. Levei minha mão livre até a boca da mulher já antecipando meu ato, prendi o bico rígido do peito de Camila entre os lábios e

Os gemidos de Camila pedindo por mais são como música para os meus ouvidos. Sorri sapeca e voltei a passar a língua pela linda e lisinha intimidade da minha esposa. Prensei o clitóris de Camila entre os lábios que vez ela se remexer ainda mais na cama.  Soltei o bico e comecei a chupar ferozmente, minha esposa levou as mãos a minha cabeça pressionando ainda mais contra seu seio.

Larguei o mamilo depois de algum tempo, foquei meus olhos no rosto já soado e corado da minha esposa. Sorri sacana e desci mais um pouco parando em frente a calcinha do biquíni da minha esposa.

Desamarei com cuidado a parte de baixo, Beijei a parte de dentro das coxas, primeiro a direita depois a esquerda. Camila gemia baixo, sabia que ela não queria fazer muito barulho por não ser nossa casa de Miami com isolamento de áudio. Levei meus lábios aos púbis, deixei uma leve mordida. Desci a língua um pouco mais chegando ao clitóris. Levantei o olhar e vi os olhos de Camila queimando sobre mim, comecei a chupar lentamente o nervo rígido.

As pernas de Camila me apertavam cada vez mais no seu sexo, deixei algumas lambidas fortes antes de começar a foder minha esposa com a língua. Camila estava quase e eu sabia. Parei meus movimentos vendo a fúria estampada no rosto da mulher.

- Lauren volta ai para baixo agora. – joguei um beijo no ar antes de colocar dois dedos sem aviso prévio no sexo quente. – Sua desgraçada, você ainda me mata, vai rápido por favor. – Ela praticamente rosnava.

Meu interior queimava de desejo, estava sentindo meu orgasmo vai chegar em questão de segundos então preciso fazer Camila gozar o mais rápido possível. Comecei a estocar ainda mais rápido, meu braço estava começando a tremer mas não vou parar. Ela começou a arquear a coluna, cerrou os olhos e sua respiração pesada. Abriu a boca e começou a tentar emitir algum som.

Senti o liquido quente começar a escorrer pelos meus dedos, mas continuei os movimentos, depois de mais algumas estocadas cheguei ao meu ápice vergonhosamente. Retirei os dedos de dentro da minha esposa e levei aos lábios, chupando antes de engatinhar um pouco na cama e tomar os lábios da minha esposa.

Era um beijo calmo e cheio de carinho. Explorei toda extensão da boca de Camila. Ela fazia um carinho leve nos meus braços. Beijar a minha pessoa favorita no mundo faz com que cada célula do meu corpo tenha reações inimagináveis.

Separei nossas bocas depois de algum tempo e me deixei ao lado da minha mulher. Ficamos em silencio ali abraçadas por algum tempo apenas curtindo uma a outra.

- Quer saber? – Camila estava regularizando a respiração ainda eu podia ouvir, minha mulher é maravilhosa. Continuei de olhos fechados com as costas na cama, meu braço estava um pouco dormente. Abri os olhos quando senti as mãos da minha esposa em cima da minha calcinha extremamente molhada.

- Fica quieta, você não vai fazer esforço, eu vou te chupar gostoso, você vai ficar quietinha, a única coisa que quero é que você goze gostoso dentro da minha boca. – Ela não esperou minha resposta e levantou um pouco mais minha camisola e puxou minha calcinha com carinho.

Eu queria recusar, mas não podia, sentia falta do toque da minha esposa, não era justo não poder sentir ela.

Camila cortou meu raciocínio quando começou a beijar minhas coxas sem avisos, puta que pariu Camila não me fode... que dizer me fode me fode muito. Tentei fechar as pernas para fazer com que ela fosse logo ao ponto e ela entendeu. Sabia que eu precisava daquilo.

Fechei os olhos e me permiti sentir os beijos da minha esposa por meu centro. Como sempre fazia. Depois dos beijos Camila levou seu dedo e pressionou a ponta do meu clitóris me fazendo gemer.

Não conseguia olhar em seus olhos enquanto ela fazia tudo por causa da barriga mas sabia que ela estava tentando ver minhas reações.

Camila estava dando alguns beijos e lambidas entre os lábios da minha intimidade até que começou a me foder com a língua forte.

- PUTA QUE PARIU. – Praticamente gritei. – Camila continua bem ai.

Durante as estocadas ela continuava aranhando minhas pernas. Já estou tremendo. Cada estocada faz com que minha sanidade vá para mais longe. Senti uma pressão no meu clitores e não consegui segurar por muito tempo. Até me desmanchar na boca de Camila.

 

(...)

 

- Como pode? – Perguntei para Camila enquanto ela terminava de vestir uma camisola limpa. – Não consigo entender.

- O que aconteceu? Está sentindo alguma coisa? – ela estava espantada, e tem coisa mais fofa que a cara de preocupada da Camila? Exatamente, não tem. – Eu não toquei em você tentando te machucar, eu não usei os dedos. Só língua, culpa não é minha, quer que eu chame o Renato?

- Como pode você ser tão linda? – ao ouvir isso minha esposa abriu um sorriso e subiu na cama antes de engatinhar até mim. – Serio, você é a pessoa mais linda do universo Camila.

- Para com isso. – Uma das minhas coisas favoritas do mundo é deixar minha esposa com vergonha. – Não me olha assim.

- Eu amo te olhar, você é tão bonita. – Fiz um carinho na sua mão antes que ela levasse a minha a sua boca dando um beijo delicado.

O amor é a poesia dos sentidos. Ou é sublime, ou não existe. Quando existe, existe para sempre e vai crescendo dia a dia.

 


Notas Finais


10 comentarios posto o outro :)
quem sabe role maratona hoje ou amanha............

deem uma olhada nessas 3 fics aqui
https://spiritfanfics.com/historia/survivor-10688413
https://spiritfanfics.com/historia/simplesmente-acontece-6261627
https://spiritfanfics.com/historia/corazon-partio-9294043


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...