1. Spirit Fanfics >
  2. Reviver >
  3. Extra

História Reviver - Capítulo 18


Escrita por:


Capítulo 18 - Extra


— Jason, você entendeu tudo o que eu falei? — Bruce perguntou como se estivesse usando a máscara de Batman.

— Aham... — O filho rebelde murmurou, se espreguiçando e logo depois apoiando os pés sobre o painel dos computadores da Batcaverna. Mal tinha passado das sete da manhã, aquilo era o melhor que Jason poderia dar a qualquer um – ao menos depois de dormir tão pouco e se entupir de porcarias doces.

— ... Então repita.

—  Damian com crise de pinscher de novo, você e Alfred levam ao médico... — Ele bocejou antes de continuar — ... Eu fico tomando conta do Dick, não colocamos fogo na mansão e todos ficam felizes para sempre. Acabou a história.

— Será que você pode ao menos fingir que está levando à sério!? Que se importa!? — Dick implorou, ainda tinha os olhos vermelhos por causa do choro. Estava procurando algo nas bases de dado do computador, o que não o impedia de se intrometer.

— Eu estou levando à sério, só acho que estão exagerando.

— Exagerando? — novamente, foi Batman quem falou.

— B... — Finalmente, Jason se endireitou na cadeira e olhou para o veterano mostrando o mínimo de seriedade — Pensa bem: deve ser tudo por causa daquele machucado na cabeça. Ele não tinha nada disso antes, é a única explicação. Só vão examinar ele, falar que é isso, passar algum remédio ou coisa assim e pronto.

— REMÉDIO, COISA ASSIM E PRONTO!? — Dick deixou o que estava fazendo de lado — Como você consegue falar uma coisa dessas!? Essa coisa vai estragar a vida dele e você simplesmente não se importa!? — O filho mais velho se aproximava do irmão pronto para fazê-lo perder a banca de “indiferente” nem que precisasse usar os punhos, mas bastou Bruce colocar a mão no ombro dele para o impedir.

— Pessoas epiléticas podem ter uma vida normal — o pai disse, resignado.

— Pessoas normais com epilepsia tem uma vida normal, B!

— E agora o Damian tem uma vida normal, cabeçudo! — Jason se levantou — Não estou falando que essa coisa toda é boa, mas... — Bocejou — ... precisamos aceitar...

— Por mais que pareça ruim agora — Bruce completou.

— Estão falando como se tivesse perdido as esperanças dele voltar ao normal! — Dick teimava, quase se permitindo quebrar mais uma vez e começar a chorar. A verdade é que toda a aceitação que tinha antes era apenas fachada, o que ele mais queria era ver o guri correndo por aí novamente vestido de Robin.

— Se ele tratar o machucado, ele volta ao normal! Qual parte disso está difícil de entrar nesse seu cabeção!? — Todd se aproximou dele — E se ele não voltar, bom pra ele.

— Como assim “bom pra ele”!?

— É melhor ele continuar sem memória!

— E também é melhor ele continuar com as crises!? Só falta você falar isso!

— Se ele continuar sem memória, não vai sentir falta de ser um Robin!

— PAREM! — O pai exigiu — ... Se realmente não tivermos o que fazer sobre as crises, elas poderão ser controladas. Com o tempo, caso Damian não recupere a memória, será melhor contar tudo à ele.

— B, o garoto vai surtar quando souber... — Jason disse angustiado. Ele queria ter o “pirralho fedido” de volta, mas o melhor era que tudo continuasse como estava, ao invés de Damian voltar pela metade e não conseguir lidar com tudo.

— É melhor que saiba por nós, aos poucos, do que um belo dia acordar e se lembrar de tudo...

— Vocês estão falando como se ele não pudesse voltar ao normal nunca mais! — Dick deixou uma lagrima escorrer — Ele é forte, aposto que nem mesmo é epilético e isso só aconteceu porque ele ficou nervoso demais...! — Ele passou as mãos pelo rosto — ... droga! Eu estive procurando sobre isso, eu sei que crianças podem ter se estiverem com febre...

— O único jeito de saber é levando ele ao médico.

Os dois rapazes se calaram. Não tinha o que discutir sobre aquilo, afinal, nem ao menos sabiam o que estava acontecendo com Damian... não sabiam nem mesmo o que tinha acontecido antes.

Morcego, Alfred já terminou de arrumar tudo... — Selina avisou ainda da escada, não se daria ao trabalho de descer tudo apenas para subir depois — Damian ainda está dormindo.

— Já terminei com os documentos, estou pronto! — Bruce suspirou, segurando com mais força a pasta com todos os exames médicos e tantos outros papéis que precisaria entregar ao médico especialista em Metrópole. Todos devidamente organizados, assim como alterados quanto às “causas”.

— Manda notícias... — Richard pediu, já estava um pouco mais clamo.

— E traz uns hambúrgueres... — Todd pediu, fingindo estar indiferente quanto a tudo.

— E vocês dois: se comportem — Dessa vez foi Bruce quem pediu algo, puxando os dois filhos mais velhos para um abraço, abraço este que foi retribuído até pelo filho rebelde.

A verdade é que o cavaleiro das trevas, o justiceiro que causava medo nos próprios monstros, não queria ir. Não queria descobrir se o filho tinha algo grave, não queria ver ele fazendo exames mais uma vez, não queria nem imaginá-lo deitado em uma maca e ligado à equipamentos, como tinha ficado por tanto tempo...

Bruce estava com medo, mas não deixaria transparecer. Não era apenas Damian quem precisava dele agora.

Morcego...! — Selina o chamou novamente, começando a subir as escadas.


Notas Finais


Como eu disse na nota anterior: pessoas com epilepsia tem uma vida normal, porém, devem seguir algumas regras básicas que todas as pessoas deveriam obedecer, como: dormir ao menos oito horas; evitar bebidas alcoólicas, estresse e muitos estímulos visuais; se alimentar bem e em intervalos curtos; etc.
De tudo isso, Damian costuma se recusar a dormir (o que sempre me faz imaginar que seja o motivo de ele ser tão pequeno) e apesar de ser vegetariano, normalmente se alimenta mal e fica intervalos longos demais sem comer. Tudo isso sem contar o estresse e o provável consumo de coisas proibidas para crianças.
Agora vamos adicionar a perda de memória nessa receita explosiva, que chega a ser um paradoxo: ele não pode se estressar porque desencadearia uma crise, mas vai ficar estressado por ter epilepsia. Ele não poderia ficar a noite em claro, pulando por aí até se acalmar...
Entretanto, como Jason falou, pode ser tudo devido ao machucado na cabeça. Algo tratável.
Falando no Jason, ele adora hambúrgueres.
E agora falando do Bruce: não, ele não costuma acompanhar suas crianças em idas ao médico (acredito que ele substitui exames de rotina por exames feitos na própria Batcaverna).


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...