1. Spirit Fanfics >
  2. Save Me >
  3. Acredito que alguns tapas lhe tirem de um transe complexo.

História Save Me - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura para queles que gostaram e que não gostaram...da minha história😊

Capítulo 3 - Acredito que alguns tapas lhe tirem de um transe complexo.


Fanfic / Fanfiction Save Me - Capítulo 3 - Acredito que alguns tapas lhe tirem de um transe complexo.

Dubai: 16:12AM

Dt: 01/05/2027

Dia: Sáb


E eu que pensei que só, Mac, séria capaz de fazer coisas loucas, ou outras coisas do tipo, mas não. O mundo está cheio de homens espertos, não confiem naqueles que pelo rosto já da pra perceber que são espertos.

A vida ela é injusta as vezes, mas em outras ocasiões não são. A muitas maneiras dela lhe agradar de alguma forma, já pelo outro lado, preste bem atenção o que ela preparou para mim. Nunca na minha vida já se passou pela minha cabeça que um dia aconteceria uma coisa dessas comigo.

- Eu poderia levar na brincadeira essa pergunta que você me fez, mas tem coisa que gosto de levar na brincadeira quando se trata de sexo - arregalo os olhos quando escuto dizer aquilo. O mesmo ao se sentar na poltrona do avião olha para me como se quisesse me devorar viva. Me puxando de uma vez fazendo-me deitar de barriga para baixo em suas coixas - você sabe por que eu vou fazer isso?

Meus neurônios se disparavam em uma velocidade infinita, não sábia se era o certo responde-lo. Ele poderia me bater se dissesse algo de errado. Pelo jeito que está olhando para mim, até minha língua se recusa a fazer movimentos bruscos para sair qualquer tipo de som.

- Não - respondo morrendo de medo. Por que mesmo ele está fazendo aquilo comigo? O que eu fiz de errado.

- Mas outro resposta que eu não queria ouvir, mas pra me tudo bem - o mesmo começo a massagear minha bunda com a palma da sua mão, em seguida dando uma palmada com um pouco de força - preciso que você me responda outro vez o por quer que estou fazendo isso?

Tava com medo de responde-lo outro vez errado e ele me dar mais outro tapa daquele.

- Se eu responder errado, você vai me dar outro tapa? - com medo, essa era a palavra que me definia em todos os tipos de sentidos. Sensível era algo que eu estava me tornando perto dele, se não saísse dali, eu iria jurar que poderia me tornar uma submissa ou algo do tipo.

- Isso minha bela dama. Quero uma resposta complexa saindo de sua boca, não algo que seja repuguinante ou que faça meu celebro me alertar a dar outro tapa em sua belíssima bunda - caracterizando tudo que ele acabou de falar, a perto que eu entendi era a que ele iria me bater se abrisse a boca outra vez. Então está na hora de jogar o jogo dele.

- Que é errado se fazer de tonta na frente de uma pessoa que está querendo lhe mostrar algo diferente do que só trabalho? - pergunto porque não tinha mas nada para dizer pra ele.

- Vamos se dizer que você chegou perto da resposta - ele me tira de suas coxas me fazendo sentar em seu colo - olha bem para mim. O que realmente você acha que eu sou? - vixi... Tá ai uma pergunta complicada de se responder em só uma palavra só, porque eu tenho varios modus para descrever ele.

- Olha, não quero ser chata ou algo do tipo, mas você pra me parece ser uma pessoa bastante estranha, porque nem um outro cara se atrevel a fazer uma coisa dessas comigo. Pra ser mas sincera foi o meu primeiro beijo, tá - saio do seu colo deixando o mesmo sem palavras. Olho pela janela do avião e vejo os outros amigos dele vindo para cá - que isso que acabou de acontecer aqui não saia daqui, está me ouvindo? - olho séria para ele - não quero ser vista como péssima influência - saio dali indo para meu posto.

- Oi! - levo um baita de um susto quando me viro e vejo, Mac, logo atrás de mim - desculpe, não queria assustar você - o mesmo faz uma cara carismática sorrindo um pouco.

- Não, sem problemas - fasso cara de morta porque estava bastante cansada e não via a hora de chegar em um lugar fixo - por que você tava demorando tanto para voltar pro avião?

- Ah, na volta acabei me encontrando com os passageiros. Eles são bem legais quando se trata de conversas sobre coisas aleatórias, e riem muito.

- Aposto que aquele idioto mandou eles pararem o, Mac, para poder se aproveitar de mim - digo tudo em voz baixa.

- Que? Falou alguma coisa?

- Não, não. Só tava pensando em voz alta - disfarço sorrindo mas morrendo de raiva por dentro - vamos cuidar logo com isso, quero poder descansar o máximo possível quando chegarmos lá - falo com a voz cansada.

- Você quem manda - o mesmo entra dentro da cabine depois fechando a porta.

Pego o microfone e começo a falar para que os passageiros colocassem os cintos de segurança. Minha voz saio um pouco arrastada no final, mas pedi desculpas em seguida.

Indo pro meu lugar colocando os cintos de segurança bocejo por uns segundos.

O tempo tinha se passado só faltava alguns minutos para o avião pousar, essa era a última vez que iria passar pelos meninos perguntando se ele iriam querer mais alguma coisa.

Ao passar por lá, percebo que quase todos eles estavam dormindo, só dois deles ainda estavam acordados. Ao perguntar se um deles queria alguma coisa o mesmo disse que não, que estava tudo bem, quando viro meu olhar pro outro lado, percebo que a outra pessoa que está acordado é a mesma pessoa que me atacou hoje mais cedo.

Não tinha nem uma vontade de passar por ele e perguntar se queria alguma coisa, então acabo passando direto, mas ao mesmo tempo que fasso aquilo, sou puxada de volta pela minha saía.

- Não vai me perguntar se eu não vou querer alguma coisa também? - ao olhar para trás, vejo o mesmo me encarando com sua mão ainda segurando minha saía.

- Não preciso, porque eu não quero saber a resposta - tento sair mas não consigo, porque sou puxada novamente - para... Por que você insiste? - o encaro já com raiva.

- Porque eu posso - fala um pouco mais alto - olha, eu não quero ser grosseiro, mas você está dificultando as coisas para mim - acho que ele está tentando me testa.

- Ah! Agora você está dizendo que eu sou o problema, interessante - falo como se estivesse afim de querer saber dos problemas pessoas dele - não me leve a mal tá, mas tenho trabalho a fazer - saio dali me soltando dele voltando para o meu posto.

Ao voltar para meu posto, começo a pensar do por que ele está querendo tanto algo comigo. Tá na cara que entre eu e ele não pode rolar absolutamente nada, ele é um cantor famoso e eu só sou uma pessoa normal. Isso é praticamente loucura e impossível.

Fico olhando pro teto quando sou surpreendida por alguém me abraçando por trás, meu corpo se arrepiou todo quando sentir os braços dessa pessoa entrelaçaram meu corpo.

- Não vem me dizer que não gostou do beijo que eu lhe dei, e que também está pedindo por mas - o mesmo cochicha em meu ouvido me deixando mas arrepiada do que já estava - o que me diz? - me viarando de uma vez fazendo com que eu ficasse de frente para se, o encaro sem parar e sem ter o que dizer - você quer outro beijo, S/N? - sussurra em meu ouvido.

Começo a pensar em que resposta eu deveria dizer para ele, minha cabeça está de um jeito que nem para raciocinar eu conseguia. Que chato era está naquela situação, não sabia o que realmente deveria dizer para ele, por um lado eu queria muito beija-lo, mas pelo outro não. Não queria que passasse dos limites depois daquele primeiro beijo. Era um desejo meu.

A única coisa que eu conseguia pensar era o que realmente ele queria comigo, não queria decepciona-lo, mas essa era a verdade que se encaixava em minha cabeça de uma maneira stressante.

- Desculpa, mas não posso - me afasto dele tirando suas mãos de minha cintura - eu não posso fazer isso, e também você pode está cometendo um grande erro em tentar querer alguma coisa comigo - falo sem pensar - você poderia por favor voltar para o seu lugar? Já tá quase chegando a hora de pousamos - digo sem olhar em seus olhos tentando desfasar o que realmente estava sentindo.

Sinto o mesmo saindo de onde estava, quando levanto o rosto percebo que o mesmo não está mas perto de mim. Fiquei com um pouco de pena por eu ter o tratado daquela forma.

Pensamento: Será que fiz a coisa certa?

O avião tinha pousado, e todos que estavam nele tinham se despeço do mesmo. Mac, e eu saímos pela saída principal, os meninos tinham que sair por outra parte do aeroporto porque havia uma multidão de fãs estéricas em todo aeroporto. Foi um inferno conseguir sair daquele lugar, mas deu certo.

- Você tem que ir pro seu apartamento agora? - Mac, me faz uma pergunta que praticamente já está na cara qual iria ser a resposta - tá, já sei. Até outro dia, S/N - o mesmo se despede de me com um abraço depois pegando um táxi.

•••

Ao chegar em meu apartamento vejo que o mesmo está do mesmo jeito que deixei, coloco mimha bolsa em cima do sofá e caminho até a cozinha.

Em todo esse tempo que fiquei acordada, fiz um bocado de coisas que estava planejando em fazer quando voltar para os Estados Unidos, terminei tudo bem rápido, pois não eram tantas coisas assim.

Quando terminei de tomar banho, pego um pa de pesças intimas depois vestindo junto a um pijama, deito na cama já apagando as luzes se preparando para outra noite como todas as outras, noites que eu implorava para que não aconteça. Essa era as horas que me sentia mas triste, mas não podia fazer nada, por algum motivo estou pagando algo do meu passado que nem sábia o que era de verdade.



Notas Finais


1°: Por que a, S/N não quer ficar com o coelhinho?
2°: Por que coelhinho tanto quer alguma com ela?
3°: O que ele exatamente viu na, S/N?
4°: Por que a, S/N tem tanto medo quando se trata de dormir?
5°: Alguma coisa me diz que isso entre eles ainda não acabou. O que vocês acham?

Deixem nos comentários as respostas de vocês, por favor 😘 Até a próxima...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...