História Se eu não te odiasse tanto assim. - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias My Boss My Hero
Visualizações 5
Palavras 939
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Literatura Feminina, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - A flor da pele.


Não consigo acreditar que já se passaram 2 meses, amanhã será a cerimônia do casamento, desde aquele dia na loja eu não vi mais o Daichi, bom, acho que foi melhor assim. Talvez eu tenha me precipitado, deveria ter dito não? Ou talvez eu esteja no caminho certo, não que o que a gente tá fazendo é certo mas... Ah meu Deus eu só quero pensar positivo, é só por um ano e ninguém vai se machucar com isso, ao contrário estamos todos se beneficiando. 

- Naomi, querida. Chegou algo pra você.

- Pra mim? 

Desço as escadas correndo para ver o que é.

- De quem é isso, mãe?

- Não sei, um rapaz deixou aqui na porta dizendo que era pra você.

Era um caixa comum de encomenda, eu abri e dentro dela tinha mais duas caixas, uma era bonita, tinha laço e tudo, abrindo encontrei um vestido branco, com detalhes de renda, um pano macio parecia incrivelmente confortável e era de comprimento médio. A outra caixa tinha um par de sapatos também da cor branca, era lindo, porém de salto e eu não era uma pessoa com talento pra andar de salto. Não havia mais duvidas de quem era aquilo, provavelmente alguém da família Saito tinha mandado, eles não iriam querer alguém com roupas de baixa qualidade casando com o Daichi.

- Tenho certeza que foi Daichi que te mandou, oh meu genro é tão cuidadoso. Estou tão feliz que decidiu se casar.

- E eu tive escolha? Talvez se eu não me casasse a senhora iria me odiar para sempre.

- É, talvez. 

Ela sorriu e saiu cantarolando pro lado do quarto do meu pai, deve estar indo fofocar com ele. Por um lado eu a entendo, sei que só quer o meu bem, sei que me quer ver feliz mas eu ainda não consigo entender como ela pode levar tudo isso na maior tranquilidade. 

Fui para meu quarto experimentar o vestido, pensei que talvez fosse ficar largo, mas coube certinho, parece que foi feito pra mim, e me pergunto quem comprou sabia exatamente minhas medidas, será que minha mãe já sabia disso e foi ela que passou pra alguém? Então ela já sabia que eu iria ganhar o vestido... não, ela não aguentaria guardar segredo. Bom, seja quem for, acertou em cheio. O vestido era realmente lindo, e deve ter custado horrores de dinheiro. O sapato também deve ter custado muito, mas é uma pena pois não irei usá-lo,  não quero levar um tombo ou torcer meu pé no dia do meu casamento. Eu devo ter uma coisa mais confortável pra ir e que esteja em boas condições.

- Naomi acorda! Naomi acorde agora! Daichi está aqui para levar você!

- O que? Como assim me levar? Ah meu Deus eu adormeci!? Mãe por que não me acordou!?

- Estou fazendo isso agora.

- Por que não me acordou antes!? Estou atrasada por sua culpa!

- Está atrasada mais ainda tem tempo para discutir comigo? 

- Ah mãe da um tempo, sai, sai, sai que preciso me arrumar. 

Eu havia perdido a noção do tempo, estava tão pensativa ontem a noite e acabei dormindo. Hoje é o dia que estarei me casando com o homem que jamais pensei em casar, apesar de ser um acordo entre a gente as outras pessoas não sabem disso, e eu terei que chamar de " Querido " na frente de todos, talvez essa será a pior parte. 

Tomei meu banho, coloquei o vestido, arrumei meu cabelo um pouco preso e o restante solto, passei uma maquiagem leve, e coloquei a melhor sapatilha que eu tinha. Olhei no espelho e eu estava perfeita, então falei para mim mesma que iria dar tudo certo. Desci as escadas e na sala estava Daichi me esperando, ele me olhou com ar de surpreso, deve ter pensando o quão linda eu estava.

-A onde que voce pensa que vai com essa sapatilha feia?

- É isso que vc tem a me dize!?

- Cadê o sapato que você recebeu?

- Eu não vou com ele, não sei andar muito bem de salto.

- Eu não paguei 1.400 reias em um sapato pra você não usar.

- Você pagou 1.400 reais em um sapato!? Você não tem bom senso?

- Pelo amor de Deus, vai colocar aquele sapato, eu não vou com você com essa sapatilha. 

- Pois você vai sim, me nego a ir com aquilo.

Daichi me olhou friamente e veio na minha direção, me pegou no colo e começou a subir as escada da casa, minha mãe apareceu para ver o que tava acontecendo e começou a nós seguir sem dizer nada.

- O que você tá fazendo!? Me põe no chão agora! Mãe por favor me ajuda!

- Desculpe a intromissão Sra Miura, mas pode me mostrar a onde fica o quarto de minha noiva?

Minha mãe o guiava enquanto eu gritava loucamente para ele me por no chão. Chegando no meu quarto ele me pois em minha cama, e viu a caixa com o sapato que havia me dado, pegou os sapatos e tirou minhas sapatilhas, eu me recusava a deixar ele calçar eles em mim, era como se estivesse ferindo o orgulho que me restava.

- Bem melhor assim, agora podemos ir.

- Você acha que só por que tem dinheiro pode fazer o que quer com as pessoas? 

- E você acha que só por que te chamo de porquinho pode agir igual um animal? 

- Quem tá sendo animal aqui é você!

-Sra. Miura desculpe o transtorno. Temos que ir agora, minha família está esperando nós. 

Ele é impossível, se acha o dono da razão, estou com vontade de dizer " não " na hora que me perguntarem se eu o aceito. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...