História Segundas Chances - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


VOLTEIIIIIII!
Espero que gostem

Capítulo 14 - Cpaítulo 14


Pv Arizona

Depois do show da Callie no aniversário de Meredith, não falei mais com ela só o essencial, ou seja só sobre Sofia, não ia permitir depois de tudo o que ela fez, que eu a perdoaria tão facilmente, ela tentou de várias formas conversar comigo, mas não baixei a guarda, decidi seguir em frente com o pedido do divórcio meu advogado George O’ Malley, já havia dado entrada na documentação não demoraria muito para os papeis saírem.

Eu amo a Callie do fundo do meu coração, ela sempre será o amor da minha vida, mas ela me magoou muito, não vejo mais um futuro para nós, precisamos seguir em frente mais separadas é o único elo que teremos em comum será Sofia. Além do mais tem a Carina, eu realmente gosto dela, ela e carinhosa, amiga, me faz sorrir feito boba, achei que eu não iria gostar de alguém depois da Callie, mais vejo que estava enganada consigo ver Carina em meu futuro, vamos ver o que acontece. Estava perdida em pensamentos quando meu telefone toca

-Alô? – disse

-Ciao Bella – disse Carina, com o sotaque inconfundível do outro lado da linha eu sei falar em Italiano então entendia perfeitamente o que ela falava

-Oi, como você está? – perguntei

-Melhor agora que estou falando com você – disse – Liguei para saber se você quer sair para jantar comigo hoje à noite, eu e você, um bom restaurante e um delicioso vinho.

-Eu adoraria Carina – respondi, com um sorriso no rosto

-Bem, passo para te pegar em sua casa as oitos – falou e senti que sorria durante a fala

-Estarei esperando, ansiosamente. - respondi

-Un abbraccio, perché il bacio ti darò in boca dopo (um abraço, pois o beijo darei em sua boca mais tarde) – disse e finalizou a chamada, fiquei rindo igual uma boba

-Ei que felicidade é essa? – perguntou April entrando na sala

-Carina me convidou para jantar – respondi – vamos sair as oito

-Hum, vejo que alguém está animada para sair com a italiana

-Sim, estou animada, eu gosto da Carina, ela é divertida, gosto da companhia dela

-Hum, só da companhia ou de algo mais – disse já fantasiando algo

-Disso também mais, não sei quer dizer, o beijo é bom, mais ainda não fizemos sexo

-Tudo tem a primeira vez não é? E Sofi, vai ficar com seus pais ou com Callie?

-Ela vai ficar na casa do Alex, vou leva-la, ela quer passar um tempo com os primos, disse que quer brincar com o Philip e Alice, e disse também que quer ir para casa da Dinda April, brincar com Harriet

-Só ela dizer o dia que vou amar tê-la comigo, bom só vim te entregar esses papeis, tenho algumas coisas para fazer, e sobre o encontro de hoje, não faça nada que eu não faria – disse debochando e saiu, a tarde chegou logo fui para casa, tomei um banho, peguei Sofia e a levei para casa do Alex

-Oi princesa – disse Alex a Sofia, ela pulou no colo dele e o abraçou apertado

-Oi tio Alex, cadê Philip e a Alice?

-Estão na sala, vai lá – Sofia saiu correndo para encontrar os primos

-Oi Zona – disse e meu abraçou

-Oi Alex – finalizamos o abraço – cadê a Jô?

-Ela está na cozinha, vamos lá

-Primeiro quero ver meus pequenos – eu disse e fui em direção a sala – oi meus pequenos

-Tia Ari – responderam e vieram me abraçar – estava com saudades madrinha – disse Philip.

-Eu também estava com saudades meu amor – beijei sua cabeça – e de você também pequena – disse fazendo cocegas em Alice, depois de conversar mais um pouco com eles fui em direção a cozinha

-Oi Jô – cumprimentei minha amiga com um abraço

-Oi Zona – respondeu e me deu um beijo no rosto – como você está?

-Estou bem, o que você está fazendo? – perguntei e comecei a comer umas batatas fritas que estavam no prato do Alex

-Alex pediu batata frita, então aqui estou – respondeu sorrindo para Alex

-Então Zona, preparada para o encontro – perguntou Alex

-Sim – respondi sorrindo – gosto da Carina, ela é linda, divertida, gosto da companhia dela

-E os papeis do divórcio já saíram? – perguntou Alex

-Ainda não, mais George disse que não vai demorar, sabe não é fácil, achei que passaria o resto da minha vida com a Callie, mais não era para ser sabe, preciso seguir em frente e ela também

-Você tem razão Zona, ambas precisam seguir em frente – disse Jô

-Bom, o papo está bom mais preciso ir para casa, tenho que me arrumar ainda – disse e fui em direção a sala – Oi crianças – disse tendo a atenção deles que estavam vendo desenho – Venham aqui dar um beijo na tia Zona – os dois vieram e dei um abraço e um beijo em cada um – Agora você mocinha – disse para minha filha -  Obedeça seus tios, a mamãe ama você – a enchi de beijos

-Eu também te amo mamãe – respondeu, me despedi do Alex e da Jô

-Amos vocês – disse à eles

-Nós também te amamos – disse Alex

Entrei em meu carro e fui para minha casa, quando cheguei meus pais estavam sentados vendo um filme “E o vento levou”, juntinhos, mamãe tinha a cabeça apoiada nos ombros do meu pai, tinha seu abraço em torno de suas costas, essa cena me deixou feliz, saber que mesmo depois de tantos anos meus pais ainda se amam, da mesma forma é maravilhoso, subi para meu quarto sem fazer barulho, ao subir as escadas vejo na parede uma foto onde estão meus pais, meu pais com sua farda de Coronel dos Fuzileiros Navais, ele é lindo mais quando vestia sua farda ficava mais lindo ainda, meu irmão é eu, Tim era dois anos mais velho que eu, e apesar de tantos anos que ele se foi eu sentia muito sua falta, ele era eu melhor amigo, sempre contávamos tudo um para o outro, ele foi o primeiro a saber que eu gostava de meninas, e eu fui a primeira a saber do seu primeiro beijo e da primeira vez que ele perdeu a virgindade, e claro que ele soube da minha também, mais agora pensando semana que vem fará 12anos que ele se foi, e essa dor jamais passara, lagrimas desciam pelo meu rosto, limpei meu rosto e terminei de subir as escadas e fui tomar um banho, estava escolhendo o que vestir quando minha mãe entra no quarto

-Oi querida, nem vi você chegar – disse e sentou na minha cama

-Você e o papai estavam entretidos vendo filme e eu não quis atrapalhar – respondi pondo uns vestidos na cama olhei no relógio e eram 19:00, tinha algum tempo.

-Que carinha é essa? – perguntou minha mãe – Estava chorando? O que foi?

-Sabe eu lembrei que semana que vem fazem doze anos que o Tim se foi – outra lagrima desceu pelo meu rosto

-Oh querida – minha mãe me abraçou – me lembrei também, não é fácil eu sei, principalmente para você, vocês eram unha e carne, mais esteja onde estiver, seu irmão está tão orgulhoso de você minha menina, ele está tão feliz pela mulher, filha, amiga e principalmente a mãe que você se tornou, e nossa ele ia amar tanto a Sofia, ela seria a princesinha do tio Tim.

-Sim seria – respondi e ela limpou minhas lagrimas

-Bom, chega de chorar, você tem um encontro e seu irmão quer que você fique feliz é não triste, e eu usaria o vestido preto – ela disse, me arrumei e fiz um maquiagem leve, coloquei meu batom vermelho, coloquei meu vestido e meu pai foi me avisar que Carina havia chegado, desci e quando à vi ela estava linda, com um lindo vestido vermelho e conversava animadamente com minha mãe

-Oi – disse a cumprimentando

-Oi bella – respondeu e me deu um beijo na bochecha – você está belíssima

-Você também está linda – respondi

-Vamos? – perguntou

-Sim – nos despedimos dos meus pais, e fomos para o restaurante, o trajeto foi de muita conversa e risadas, ao chegamos nos destino fiquei surpresa com o local, era uns dos restaurantes italianos mais badalados da cidade o Italianni – Uau, como você conseguiu uma reserva neste restaurante, soube que é difícil, arrumar um lugar sem agendar – perguntei a ela

-Vamos dizer, que eu sou irmã do dono desse restaurante – disse e me deu um sorriso

-Serio? – perguntei surpresa

-Seríssimo bella – respondeu – Vamos – me deu seu braço e caminhamos para dentro do restaurante, ela deu seu nome e fomos em direção a nossa mesa, fomos atendidos e pedimos o prato da casa, que pelo jeito era delicioso, e Carina havia pedido uma garrafa de vinho para nos

-Então estou te achando um pouco triste você está bem? – ela perguntou – não está gostando do encontro?

-Não, quer dizer sim, eu estou amando o encontro me desculpa, e que semana que vem vai fazer 12 anos que meu irmão morreu, é isso ainda mexe comigo – disse

-Ou, eu sinto muito, seu irmão deve ter sido um cara legal – falou

-Ele era, ele era meu melhor amigo – respondi

-Quantos anos você tinha quando ele morreu?

-Eu tinha vinte e dois, Tim era dois anos mais velho que eu – falei

-Nossa, ele morreu jovem, se não for intromissão como ele morreu? – me perguntou

-Bem, nós crescemos em uma família de militares, e sempre vivíamos nos mudando, e Tim desde de pequeno mostrou interesse em seguir a carreira do meu pai, então quando ele teve idade suficiente, ele nos contou que havia se candidatado para o exército, minha mãe pirou quando ele nos contou, ela pirou mais ainda quando ele disse que embarcaria em uma semana, e naquela semana nos fizemos de tudo juntos, saiamos, pegávamos as garotas, lembro que no último dia nós fizemos uma aposta boba, quem pegasse mais garotas naquele dia, pagaria pizza para o outro para o resto da vida, eu o deixei vencer eu só fiquei com uma garota, queria pagar pizza para ele para o resto da vida, se isso fosse fazer com que ele voltasse para casa vivo, para me cobrar as pizzas, no dia em que ele embarcou foi difícil, minha mãe não parava de chorar e meu pai se fez de forte, mais no fundo eu sabia que ele não queria que meu irmão fosse, bom e eu só pedi para ele voltar para casa inteiro e me ligar sempre que pudesse, foram cinco meses difíceis sem ele, nós nos falávamos sempre que podíamos, então lembro de um dia que o céu de Seattle estava mais nublado que o normal, fui para faculdade chequei em casa, minha mãe estava inquieta demais, perguntei o que ela tinha e ela respondeu que estava com uma sensação estranha, era noite quando o telefone da nossa casa tocou, meu pai atendeu então eu vi sua expressão mudar, naquela hora sabia que algo estava errado e minha mãe sussurrou o nome do meu irmão, quando meu pai desligou o telefone, ele sentou no sofá e falou o que havia acontecido, passei a semana inteira dormindo no quarto do meu irmão, chorando, o dia em que o corpo chegou nós fomos para o hangar, eu vi descerem o corpo do meu irmão em um caixão e tudo que nós recebemos foi uma bandeira, e eles disseram que não puderam fazer nada pois não havia médicos o suficiente para salva-lo – disse

-Eu sinto muito Arizona, de verdade – respondeu e pegou na minha mão

-Obrigado, mais vamos mudar de assunto, não estamos aqui para falar de coisas tristes – nesse momento nosso prato havia chegado e começamos a comer

-Bom, eu tenho uma novidade – ela disse

-Qual? – perguntei curiosa

-Estou me mudando para Seattle – falou e sorriu

-Sério? – perguntei sorrindo também

-Sério, me mudo oficialmente semana que vem, recebi uma proposta irrecusável, para trabalhar em uma grande empresa no setor financeiro, é isso quer dizer que você não vai se livrar de mim tão fácil assim, Arizona Robbins – disse com um sorriso safado no rosto

-E quem disse que quero me livrar de você, Carina DeLuca – respondi, a provocando, terminamos de jantar Carina insistiu em pagar a conta, e fomos dar uma volta pela cidade

-Sabe – disse parando de frente para mim – eu quero fazer algo, que estive com vontade de fazer desde que te vi descendo aquela escada – e foi se aproximando de mim

-E o que é? – perguntei alternando meu olhar, entre sua boca e seus olhos

-Prefiro fazer do que falar – e juntou seus lábios nos meus correspondi o beijo, nosso beijo era como uma dança sensual, era bom beijar Carina, paramos o beijo e Carina colou sua testa a minha

-Não vou me cansar de te beijar senhorita Robbins

-Não quero que canse - e nos beijamos mais uma vez, foi um beijo calmo e sem pressa

-Bem, já está tarde, vou te levar para casa, tudo bem? – perguntou

-Sim, tudo ótimo – respondi, na verdade achei que iriamos para algum hotel e nosso encontro terminaria em sexo, mais não disse nada, entramos no carro e a volta para casa também foi de conversas e risadas.

-Chegamos – disse me tirando dos meus pensamentos, ela desceu do carro e foi abrir a porta para mim – está entregue

-Muito obrigada pela noite, eu amei – disse olhando em seus olhos

-Eu também amei nossa noite – disse e me beijou, dessa vez o beijo foi sensual, sua mão foi de encontro a minha cintura me puxando mais para si, e meus braços rodearam seu pescoço, finalizamos o beijo, e ela me deu um selinho

-Eu adoraria pegar você agora, te colocar dentro do carro, te levar para o meu hotel, arrancar sua roupar e fazer amor com você até o dia amanhecer – disse sensualmente em meu ouvido, e quando ela disse isso, minha pernas bambearam – Mais você é especial demais, então quero fazer tudo certo – me olhou nos olhos e sorriu – Mais posso ganhar outro beijo – nos beijamos mais uma vez, e ela finalizou o beijo com selinhos

-Boa noite Carina – disse

-Buona notte bella, e dormi con gli angeli e sogni com me, per um giorno dormirai com me e sognarei com gli angeli (Boa noite linda, e durma com os anjos e sonhe comigo, pois um dia dormira comigo e sonhara com os anjos) – me deu um lindo sorriso entrou no carro e partiu, fiquei por uns minutos igual a uma idiota lá fora, pensando no beijo, no cheiro de Carina, mais fui tirada dos meus pensamentos pelo meu pai.

-Não vai entrar querida – disse meu pai

-Sim, já estou indo – entrei e fui direto para cozinha, e meu pai também foi

-Como foi o encontro? – perguntou

-Foi muito bom, Carina e uma mulher incrível, eu gosto dela – disse e me servi de café dando uma xicara para meu pai

-Percebi mesmo, você ficou igual uma boba vendo-a ir embora, se conheço como conheço você, você está começando abrir seu coração para o amor de novo, é isso e bom filha

-Sim pai, eu realmente estou me permitindo gostar de alguém de novo, e eu gosto da Carina, ela me faz sentir coisas que a muito tempo eu não sentia, mais eu quero resolver essa questão com a Callie primeiro.

-Faça aquilo que você achar o certo meu bem, mais não se prive de ser feliz, se for com a Carina ou com outra pessoa, se permita ser feliz e amar de novo Arizona, me prometa isso?

-Eu prometo papai – disse e ele me abraçou me deu um beijo na testa e foi dormir, fui fazer o mesmo fiz minha higiene pessoal, coloquei meu pijama e deitei em minha cama, recebi uma mensagem me desejando boa noite, sorri e respondi sua mensagem, acho que meu coração estava amando novamente e dessa vez eu iria permitir.

 

 

 

 


Notas Finais


VOLTO EM BREVE PEOPLE!
BJS DE LUZ.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...