História Sem Escolha - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Pristin, Red Velvet, Seventeen
Personagens Eunwoo, Hong Jisoo "Joshua", Irene, Jeon Wonwoo, Kyungwon, Lee Chan "Dino", Mingyeong, Nayoung, Pinky, Seulgi, Seungcheol "S.Coups", Yebin, Yeri
Tags Irene, Minkyebin, Rena, Roa, Seulgi, Seulrene
Visualizações 186
Palavras 4.262
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção, LGBT, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais uma vez e me acabei fazer um capitulo absurdamente grande, por isso será dividido em dois. Amanhã sai a segunda parte.

Boa leitura ~

Capítulo 14 - Sem escolha - XIV


- Seulgi…. - Yaebin chama pacientemente olhando para a irmã que parecia paralisada, se não fosse por seus olhos piscando. - Seulgi… - A jovem solta um demorado suspiro cutucando a bochecha da irmã, mas sem muita reação. - Seulgi, eu sei que a Irene é linda, mas eu estou com fome. - A loira encarou a irmã, que continuava sentada na cadeira ao lado da sua cama, com a sacola com os depósitos de comida que Irene havia feito para loira em mãos, mas estava perdida observando a assassina encostada na janela do quarto com o telefone no ouvido. - Eu posso te garantir que a Irene é linda até mesmo sem esse terno, afinal de contas eu já tomei banho com ela quando era jovem…

 

- Vocês o que?! - O tom de voz se elevou fazendo Irene virar para a dupla com um olhar ameaçador, fazendo Rena apontar para Seulgi em sua defesa, a mais alta rapidamente se desculpou com um sorriso sem graça. Apenas quando a mais velha se virou para a janela de novo a dupla suspirou com alívio. - Vocês realmente ba-banh…?

 

- Na verdade, não. Eu nunca banhei com a Irene, mas pelo menos funcionou para você olhar pra mim. Eu to com fome! - A loira resmungou apontando para a comida, fazendo Seulgi finalmente se tocar o que fazia, a abrir as pequenas vasilhas de comida colocando sobre a bandeja de Yaebin. - Você ainda não se acostumou com o fato de estarem namorando? - A loira perguntou rindo baixinho até pelo olhar tímido que a mais alta lhe lançou coçando a nuca meio sem jeito.

 

Fazia uma semana que a loira havia acordado no hospital, nesse meio tempo acabou descobrindo que suas mestres iniciaram um romance depois do fim do seu sequestro. O que foi um alívio para Yaebin, porque Irene tem sido a âncora que mantém Seulgi depois de todos os acontecimentos. Yuha ainda estava a solta e realmente parecia ter se tornado um fantasma, ninguém conseguia achar nenhum vestígio dela. Era por conta disso, que imaginou que não tinha alta do hospital, seus ferimentos estavam melhores, os ferimentos abertos já estavam cicatrizando, alguns hematomas estavam quase invisíveis e os piores já eram possíveis de serem cuidados em casa, mas ainda assim estava naquele quarto, com segurança reforçada por todo prédio, especialmente no seu andar.

 

Como era de se esperar Yuha sendo uma deserdada ou sem honra, como a Pledis prefere chamar, agora seu nome era um tabu na maior parte do tempo em que Nayoung, Wonwoo e especialmente Seulgi estavam com ela. Só falava sobre aquilo com Minkyung e Irene, e para a sua surpresa com Yeri quando veio lhe visitar escondida da irmã, por causa das ameaças nada simples que sofreu depois que conheceu no seu primeiro encontro com a maknae.

 

- Você devia chamá-la para um encontro… Vocês estão juntas a quase um mês, Seul. - A loira sussurrou enquanto comia, era fácil ver a irmã mudar de cor quando se falava sobre esse relacionamento. Era o único momento que Seulgi parecia a irmã urso que tanto amava, fora quando estava com Irene ou conversando com Yaebin, ela estava sempre com o olhar vago, ela ainda estava sofrendo com a decepção que Yuha havia trago a sua família. - Vocês sempre tão falando de trabalho ou trabalhando… Isso não é legal para um relacionamento, ainda mais no começo. Não quer que ela fique entediada com você, certo?

 

- Cla-claro que não! E-eu realmente gosto dela. - Um sorriso tímido escapou dos lábios da mais alta, fazendo a loira se divertir enquanto devorava seu almoço, que era muito melhor que qualquer comida de hospital, mesmo um luxuoso como aquele. -  Mas não é tão fácil assim, e-eu não tenho muito jeito com relacionamento.- Era notável que as orelhas da mais alta estava sem jeito com a conversa, achava aquilo adorável na irmã, talvez estivesse preocupada se o relacionamento fosse com outra pessoa diante da inocência da sua irmã urso com namoro, mas Irene era tranquila e compreensível o suficiente de ter paciência com a sua irmã desajeitada. - Sem dizer que é mais fácil falar do que fazer, você e a Roa já foram em algum, por exemplo?

 

- Tivemos um, mas a sua chefe não teve muita sorte, ela fez exatamente tudo que não se deve ter em um encontro. - Seulgi piscou algumas vezes parecendo atenta demais na conversa agora. - Tivemos nosso almoço interrompido… Eu conheci o seu quase noivo, fui chamada de mal vestida e um “servo” que não sabia se comportar diante dos importantes. Depois a garota dela deu um piti porque descobriu que tinha uma herança, ai ela passou o resto do dia louca… Então a sua chefe não conseguiu nada. - Seulgi pareceu fazer algumas notas mentais o que fez a mais baixa sorrir, era bom ver a irmã se dedicar a esse relacionamento. - Leve ela num restaurante que vocês se sintam confortáveis e acolhidos… Conversem sobre coisas que agrade as duas e que não envolvam Pledis, falem sobre vocês, se conheçam melhor, se ainda é possível.

 

- O que vocês estão falando? - As irmãs se surpreenderam quando Irene simplesmente brotou atrás de Seulgi já envolvendo os braços em volta da mais alta deixando o seu queixo apoiado no ombro alto, fazendo Seulgi ganhar diversos tons de vermelho, a loira chegava a suspeitar que se estivessem em um desenho animado a sua irmã derreteria só pelo contato pele a pele.

 

- Eu estava falando o quanto a chefe de vocês não conseguiu trazer uma boa impressão no primeiro encontro. E ela tava me falando dos planos para vocês… - Yaebin ignorou os olhos arregalados da irmã mais velha e continuou comendo.  

 

- Nós temos planos, Seul? - Irene virou o rosto para encarar a namorada que parecia um robô paralisado, especialmente com aquela proximidade toda. A loira teve que segurar o riso com aquilo, chegava a se perguntar se Irene realmente não notava o modo sem jeito da namorada com tamanha proximidade, ou se aquilo era apenas para provocar o adorável urso. - Agora eu realmente fiquei curiosa…

 

- E-eu tava pen-pensando se...você não queria…. ehr..  Bem… Ir num en-encontro comigo… Algo como almoçar comigo… Amanhã? - Seulgi olhava de soslaio diversas para a namorada, mas não se atrevia a fazer isso mais que alguns segundos, já que sempre que os olhos das duas se encontravam a Kang mais velha começava a gaguejar. A loira realmente teve que encher a boca de comida para evitar a risada.

 

- Oh, um encontro…? - Irene não escondeu a surpresa com a iniciativa desajeitada da mais alta, acabou sorriso um pouco mais, mas logo lembrou de algo. - Eu adoraria, Seul. Mas… - Os olhos negros da Bae recaem sobre a loira, que não demora para entender o motivo.

 

- Se o problema sou eu, pode ficar tranquila… Basta pedir pro Wonwoo vim no lugar. - A jovem coloca a tigela vazia na bandeja, com um pequeno sorriso malicioso nos lábios. -  Ele está inconformado que perdeu para mim nas cartas, está louco para uma revanche. Ficou resmungando a tarde toda que era impossível um gangster que se preze perder para uma médica no jogo de cartas. - O tom orgulhoso da loira fez o casal ali rir.

 

- Você pode ser uma médica, mas foi criada por mim, eu nunca deixaria você despreparada para um bom jogo de cartas, especialmente quando sua vida é rodeada de membros da Pledis. Não me perdoaria se você perdesse num jogo de cartas, amaciando o ego de um gangster chorão. - Irene disse com certo orgulho, fazendo as Kangs se entre olharem e rirem, sem dúvida o orgulho de independência que a loira adquiriu tinha muita influência da assassina de olhos negros. - Só cuidado com as apostas, Binnie. Soube que o Wonwoo é muito chato quando se trata de cobrar…

 

- Chato? Não precisa se preocupar com isso, eu posso lidar muito bem com o Wonwoo… Não esqueça que eu lido diariamente com Kim Minkyung, mais irritante que ela é impossível, acreditem em minhas palavras. - Seulgi repreendeu a loira por chamar a sua chefe assim, Irene apenas riu já que o trio estava ciente que desde que Yaebin acordou a morena está ainda mais grudada a médica, fazendo questão de dormir no hospital todas as noites. - Não irei te decepcionar, Unnie, nem mesmo se preocupe com Wonwoo. Apostamos armas da última vez, agora ele vai me dar pistolas gêmeas e coldres personalizados.

 

- Vocês apostaram armas no jogo de cartas?! - Seulgi perguntou sem acreditar no que acaba de ouvir, a loira deu de ombros e concordou. - Tudo bem que isso vindo do Wonwoo  e a sua obsessão por armas, pode até ser algo previsível, mas você?!

 

- O que? Qual o problema de ser armas? Melhor que dinheiro, não? - O casal se olhou surpreso com a resposta da loira que parecia confusa. - Sem dizer que eu andei pensando esses dias, eu preciso de um arsenal melhor do que só a minha semiautomática… A Stone tem pistolas gêmeas legais, ela disse que comprou com o Wonwoo. Então eu me aproveitei desse amor dele por armas e ganhei dele no jogo. Agora eu quero apostar em uma coleção nova de facas, já que eu perdi meu lindo canivete, então preciso repor.- O sorriso orgulhoso surgiu nos lábios de Yaebin, mas logo notou o olhar assustados das suas mestres. - O que…?

 

- Nada só que… Isso foi tão… Kim Minkyung. - Irene disse pensativa, fazendo a loira erguer a sobrancelha, cruzando os braços sem acreditar no que acabou de escutar.

 

- Como é que é?

 

- Céus, está acontecendo tudo que eu sempre temi… Minha irmã tá virando uma gangster. - Seulgi coloca as mãos no rosto fingindo desespero, Rena se limita a revirar os olhos e dar um tapa na cabeça da irmã, que ao tentar revidar recebeu outro tapa agora de Irene que lembrou Seulgi que a jovem Kang estava machucada. - Isso mesmo, Seulgi, você só pode cuidar de mim. - A jovem recebeu um olhar intimidador, mas não durou muito já que Irene se sentou no colo da namorada começando a guardar os depósitos vazios na sacola térmica, fazendo Bear ganhar um tom tão avermelhado que Yaebin ficou tentada em ligar o monitor cardíaco ao seu lado, especialmente quando timidamente a Kang urso passou os braços em volta da cintura de Irene, escondendo o rosto em suas costas. Nesse momento a jovem queria ter certeza se a irmã não estava prestes a ter um infarto.

 

- Sabe, no fim eu concordo, você precisa mesmo de um conjunto de armamento novo, devia fazer alguns fundos falsos nos seus móveis, para guardá-los, posso providenciar isso se quiser. - Irene disse distraída, terminando de fechar a sacola térmica, colocando ao lado da cadeira de Seulgi antes de se deixar acomodar melhor no colo da vermelha Seulgi.

 

- Oh, por favor… Eu realmente não pude ver nada da minha mudança ainda. - Irene concordou com surpresa, mas logo abriu um sorriso buscando o celular e parecendo mandar uma mensagem. A loira não podia culpar a dupla ao seu lado pela surpresa com o seu comportamento, a Yaebin de meses atrás odiava ter que portar uma arma de fogo e usava o canivete para escapar de uma bronca de Irene, mas agora era totalmente diferente. Depois que Roa apareceu no seu apartamento, ela passou a ficar envolvida com a alma da Pledis e não podia mais ter a sua vida antiga de volta. No fundo, por mais difíceis que esses últimos dias estivessem sendo, estar com toda a equipe de Roa realmente era algo mais divertido e único. - Unnie… - Yaebin chama atenção da dupla e logo sorri um pouco mais.

 

- Faça de mim uma médica gangster.

 

-----------

 

- Eu não acredito que eu vou ter que te dar um conjunto completo e personalizado de facas de arremesso com as mesmas diretrizes dos conjuntos que eu vendo pros Bae, você tem noção o quanto eles são detalhados, complicados de fazer e caros? - Wonwoo pergunta assim que Yaebin sai do consultório no neurologista que acompanhava ela por todos esse dias, para ter certeza que a jovem não tinha nenhuma sequela das batidas que sofreu na cabeça.

 

- Você ainda tá falando disso? Não reclame tanto, Wonwoo. Até porque foi você que deu a ideia de uma nova aposta, e bem, eu achei que você tinha se conformado depois de perder cinco partidas posteriores a da aposta. - A loira provoca enquanto os dois andam calmamente pelo corredor de volta para o quarto em que estava. - E ainda mais quando você sabe que eu fui treinada por uma Bae. Como você quer eu lide com algo inferior ao que eu fui treinada? Tenho certeza que Irene não iria gostar…

 

Wonwoo ia argumentar, mas muda de opinião ao ouvir o nome da mestre de Yaebin, ele simplesmente arruma a postura e limpa a garganta. - Ok, não é como se eu aceitasse ter a fama de um fornecedor que trouxe algo abaixo da qualidade do que o meu cliente precisa. - A loira ergueu a sobrancelha com a mudança repentina de discurso e começa a rir. - O que? É verdade! Sem mencionar que não é como se eu pudesse entregar algo perfeitamente bom, afinal de contas você é especial ago-... Yaebin? O que foi? - Wonwoo percebe que a loira havia parado de uma vez.

 

- Aquele não é… - A jovem aponta com a cabeça para um homem que realmente não esperava ver novamente na sua vida, o quase noivo de Roa. Ele estava andando acompanhado acompanhado de mais dois homens. Wonwoo olha com curiosidade a cena e logo dar de ombros, volta a caminhar.

 

- Aquele lá? É o S.Coups, ele é o herdeiro direto da família Choi, eles estão tentando firmar uma relação mais próxima com os Kims, apesar que os Kangs não gostam nem um pouco dessa proximidade. Eu não os culpo de não gostar, sempre parece que os Choi estão loucos para ficar no lugar dos Kangs como braço direito dos Kim. - O negociador explica enquanto eles estavam indo do lado contrário aos homens de terno. - Porque essa curiosidade repentina? Você por acaso conhece?

 

- Infelizmente sim… - Yaebin suspira ao responder, ainda tentando controlar a sensação de incômodo que a presença de S.Coups lhe trouxe. Notou o mais alto lhe olhar com surpresa e acabou suspirando. - Ele fez uma proposta de casamento para Roa, mas o pai dela recusou… Ele foi praticamente se ajoelhar para Roa pedir para casar com ele depois da recusa do Sr. Kim. - A boca de Wonwoo caiu ao ouvir aquilo, especialmente por não ter ficado sabendo daquilo.

 

- Como você soube disso? - O homem perguntou incrédulo quando entraram no elevador, logo escolhendo o andar que desejavam, olhando para a loira com uma clara curiosidade sobre o assunto.  

 

Yaebin se apoiou contra a parede metálica de frente para o homem mais alto  e apontou para o próprio pescoço onde um famoso cordão de raposa com as pedras azuladas estava repousado novamente. - Foi no dia que ela me marcou… Estávamos almoçando e ele chegou e fez a sua cena.

 

- Isso não parece ser uma cena agradável de ver, ainda mais no dia que se torna propriedade de um Kim. - Wonwoo brincou fazendo a loira revirar os olhos, antes de saírem no andar correspondente, passando por alguns seguranças no caminho. - Apesar de que isso não seria nem a primeira e possivelmente nem a última vez que acontece, não até que ela se case… Com todo o respeito a sua marcação. - O mais alto acrescentou quando percebeu o olhar da loira, e sorriu.

 

- O que quer dizer com isso? - Yaebin pergunta ao parar repentinamente na frente do homem, parecendo intrigada com a “normalidade” com que disse aquilo.

 

- Isso acontece com frequência no NU’EST. - Ao notar a confusão da mais nova, o homem sorriu pegando seus ombros girando para o lado oposto, para continuarem seu trajeto. - NU’EST é um clube de luta clandestino que pertence a um dos tios de Minkyung.

 

- Ah claro, porque uma boa máfia que se preze sempre tem que ter um clube da luta clandestino, só falta me dizer que também tem uma boate que é bem mais do que parece, com uma passagem secreta para alguma coisa misteriosa e ilegal…  - A loira comentou com ironia, tamanho o clichê que era visto nos livros e filmes de máfia, especialmente nos americanos.

 

- Bom, na verdade existe… - Wonwoo fala devagar avaliando a expressão de Yaebin, notando a jovem revirar os olhos com a notícia, mas agora que o homem se diverte com a mudança de expressão da mais baixa. - E se chama Pristin e pertence a sua dona. Nele existe um andar secreto chamado de Black Widow… - Os olhos da loira se arregalam com a informação, fazendo o homem rir, a jovem realmente foi pega de surpresa com a notícia.

 

- Céus, me diga que o Black Widow não é um bordel…

 

O homem podia sentir a tensão da médica com o seu pedido, mas não podia dizer que não entendia, não seria bom para o ego de ninguém saber com a sua namorada é uma cafetina e teria milhares de mulheres aos seus pés, mesmo que ela tivesse uma legião de homens e mulheres aos seus pés independente disso. - Não, é um cassino clandestino, mas tem strips nas sextas feiras… - Yaebin faz uma careta com aquilo, mas logo o homem se apressa em se explicar. - Não é que eu vá lá jogar e assistir… É que muitos dos nossos clientes adoram aquele lugar… Mulheres e bebidas no andar de cima, adrenalina dos jogos e dos desafios no andar de baixo.

 

- Prefiro não pensar muito sobre isso, obrigada. - A loira se deixou entrou no quarto sendo acompanhada de perto pelo amigo negociador. - Mas o que a Minkyung tem haver com o NU’EST? Ou ela é dona desse também?

 

Wonwoo se acomodou na cadeira ao lado da cama, enquanto Yaebin se espreguiçava, mas logo soltou um resmungo pelas as dores que ainda sentia nas costelas que impossibilitaram muito seus movimentos ainda.

 

- Bom, a Roa vai com frequência lá nas noites que acontece algo da Pledis que foi apelidado de NUEST War ou NUEST W, que é o dia que local é fechado apenas para os membros da Pledis ou possíveis aspirantes a serem. Nesse dia eles lutam entre si, buscando status ou dinheiro fácil. Acontece que tem alguns ganhadores eufóricos com as suas vitórias, ousam se arriscar em pedir Roa em casamento ou apenas uma saída casual. Normalmente as respostas são bem provocadoras, humilhantes ou ela os desafia em algo que quem de fato conhece ela,  sabe que é impossível de conseguir. Como por exemplo, um ganhador depois de 5 partidas, pediu ela em casamento, ela disse que aceitaria se ganhasse de Irene… Bom acho que até hoje deve ter osso dele ainda precisando crescer de novo… - Pela feição de Wonwoo, Yaebin preferiu evitar teorias do que a sua mestre fez. - No fim, meio que se tornou uma atração do dia do W. Ou era… já que agora ela tem sua própria raposa para cuidar.

 

A loira se encostou na janela ainda sem saber como se sentir em relação a isso, não é que ela e Minkyung fossem algo de fato para exigir algo da mais alta. Tudo que tinham eram suas provocações, as palavras possessivas de Roa e um colar que tinha mais significado do que realmente sabia.

 

- Como a vida é irônica, viu? - A loira foi despertada do seu mundo começou a falar, deixando a jovem perdida. - Eu tô falando de você, Yaebs. Você ficava debochando de mim por achar a Roa um espetáculo e olha quem está marcada como dela agora… - O homem riu enquanto a jovem se limitou em suspirar, não tinha muito como negar aquilo. - Eu realmente me surpreendi quando soube que era você a garota o qual, Kim Minkyung havia marcado. Eu sempre soube que tinha seu charme, você realmente não falha na beleza dos Kang, mas ao ponto de seduzir a Roa… Meus parabéns.

 

Yeabin ignorou o homem rindo e jogou o próprio travesseiros nele, o que só arrancou uma gargalhada do homem. - Em minha defesa só devo dizer que enquanto vocês pareciam zumbis babando pra cima dela…Ela que veio me provocar e dá em cima de mim.  Segundo, eu nunca neguei que ela era linda. Eu só estranhava essa veneração que vocês têm por ela, porque a Minkyung é bem irritante em grande do tempo.

 

- Mas ainda assim você se tornou dela… Quase se mataram no primeiro dia, agora são capazes de matar para ficar junto, sem dúvida você se meteu num romance bem clichê de máfia.- O homem riu antes de atender o celular, já Yaebin tinha que concordar com a fala do homem, estava realmente vivendo uma situação que nunca pensou ser possível na vida, especialmente na sua. - Oi, Stone. Você trouxe pra gente?! Pra Yaebin… E só vai deixar eu comer porque a Seulgi disse? Nossa, quanto amor da sua parte Stone… Ok, tô descendo. - O negociador levantou da cadeira guardando o celular. - Você podia ficar doente com frequência, sabia? Só assim pra mim ter oportunidades únicas na vida, Stones trouxe salgados feitos pela mãe de Irene… Sempre ouvi falar que são divinos, mas só alguns têm oportunidade. Obrigado, Yaebs!

 

A loira revirou os olhos ao ouvir aquilo antes de começar a rir. - Compre café pra gente. - O homem assentiu antes de sair do quarto. Sra. Bae era como sua filha do tipo mãe coruja quando pode, no início não gostava da responsabilidade que a sua filha assumiu em cuidar de Yaebin, mas quando começou acompanhar o crescimento da jovem acabou mudando de ideia e transformando em uma pessoa bem atenciosa com ela. A loira se sentou na cama, quando a inquietação de ver S.corpus ainda lhe incomodava, a ponto de pegar o celular e ligar para uma certa Satan.

 

- Ô estou emocionada em receber uma ligação da minha cunhada favorita. A que devo essa honra, Yaebs? Pensou na minha proposta de dar um susto na Minky?

 

- Não, Yeri. Eu prezo pela minha vida, mesmo sendo uma irregular. - A loira se acomodou melhor na cama ouvindo a risada de Yeri do outro lado da linha. - Na verdade tem algo me incomodando, por isso que eu te liguei.

 

- Aconteceu algo? A Yuha apareceu ou algo assim? - Foi notável a mudança de atitude da mais nova, por um lado ficou tocada com a real demonstração de preocupação da maknae, isso fez lembrar do comentário de Minkyung que nunca tinha visto Yeri tão à vontade com alguém tão rápido como foi com a loira, mesmo que isso significasse o dobro de provocações por parte da Satan.

 

- Não, pode ficar tranquila, até mesmo porque eu dificilmente fico só pra ela se atrever a algo. Mas o que eu queria saber é… O que você sabe sobre o S.Coups? Ele tem irmãos?

 

- O quase ex noivo da Minky? Yaebin você não tá pensando em trair minha irmã, não é?  Ainda mais com aquele robozinho do papai que é mimado feito o inferno. - A jovem ficou surpresa com a reação negativa ao homem que quase casou com a sua irmã.

 

- Claro que não, Yeri. Sua irmã é irritante as vezes, mas nunca passou na minha cabeça trair ela. - Pode imaginar o sorriso malicioso que surgiu nos lábios da maknae, mas preferiu ignorar antes que a jovem estivesse espaço para provocar. - Acontece que ele veio no hospital hoje… E bem, me incomodou o modo como ele me lembrou alguém…

 

- Alguém? Quem? Algum ex? - Mesmo sabendo que a maknae não iria ver a jovem loira negou com a cabeça, enquanto ouvia o barulho de digitação rápida em teclado. - Pode ser apenas uma impressão, eu estava com muita dor para raciocinar bem, mas ele me lembrou um dos homens do meu sequestro… - A médica ouviu o barulho de teclado cessar por um momento, no instante seguinte ele era ainda mais rápido que antes. - Mas pode ser apenas uma impressão ruim…

 

- Talvez… - A Kim mais jovem disse distraída enquanto continuava a digitar. - Bom, ao que parece você está enganada, ele é filho único. Nem tem primos próximo ou algo do tipo. - Aquela resposta por algum motivo deixou a loira um pouco decepcionada, talvez o fato dela não gostar do homem tenha feito aquela associação com os seus sequestradores.

 

- Entendo, então realmente foi um delírio meu, de qualquer maneira obrigada pela ajuda, Yeri.

 

- Tudo pela a minha futura cunhada. - A maknae brincou, mas a loira teve a impressão de que a mais nova estava séria do outro lado da linha. - Terei que desligar agora, prometo que irei te visitar na hora que eu puder. Inté, Yaebs. - Antes mesmo que a loira pudesse se despedir a ligação terminou.

 

- Será que eu disse algo errado? - A loira se perguntou sem entender a mudança de comportamento da mais nova, mas no fundo aquilo lhe deixou em alerta.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...