1. Spirit Fanfics >
  2. Sempre Ao Seu Lado ( continuação de Minha Melhor Amiga) >
  3. Felicidades E Segredos

História Sempre Ao Seu Lado ( continuação de Minha Melhor Amiga) - Capítulo 65


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pessoal.
Como têm passado?
Aqui estou com mais um capitulo para ajuda-los a passar por este tempo de quarentena. Divirtam-se.

Capítulo 65 - Felicidades E Segredos


 Depois de cumprir alguns compromissos de trabalho Jennifer passou pelo shopping, queria fazer algumas compras antes de voltar para seu escritório. Ao passar em frente a uma loja de artigos para bebês ficou encantada por um vestidinho na vitrine, era branco e bem rodado com várias florezinhas de renda na saia e mangas. Suspirou pensando em quando teria sua bebezinha decidiu que entrar na loja não faria mal, não resistiu então comprou o vestido e outras peças das quais gostou. Pegou as sacolas com suas compras e saiu da loja esquecendo que alguém poderia vê-la, mas estava animada demais para se preocupar com paparazzi irritantes. Ao chegar em seu escritório encontrou uma grande caixa de presente sobre a mesa, colocou as sacolas sobre o sofá e pegou o pacote desatando a fita vermelha. Havia um lindo vestido de seda rosa de alça e com um belo decote em forma de coração, além de um par sandálias combinando e um colar com um pingente de estrela. Pegou o cartão que estava junto lendo-o: “Para a fada mais linda do mundo, te espero esta noite. Com amor, Michael”, sorriu beijando o papel sentiu o perfume de Michael.

 A noite em Neverland a residência principal estava calma com poucos funcionários circulando, mas logo eles iriam se recolher para darem privacidade ao casal.  Michael estava parado a beira da piscina se certificando de que tudo estava pronto, usava uma calça preta e uma camisa social branca com as mangas dobradas até o cotovelo. Observou a mesa que havia sido posta do lado de fora para seu jantar romântico com Jennifer, enquanto os funcionários colocavam os pratos e bebidas no aparador próximo. Depois de deixar tudo pronto os dois homens se despediram antes de sair o deixando sozinho, tudo estava perfeito a luz de velas havia uma música suave e flores sobre a mesa. Caminhou pela beira da piscina enquanto a esperava parou tirando uma caixa de joias do bolso, mal podia esperar para vê-la chegando sentia-se como um adolescente de novo. Foi tirado de seus pensamentos pelo som da porta que dava acesso a piscina abrindo, ergueu os olhos vendo Jennifer descer as escadas usando o vestido que tinha lhe mandado. Ela usava uma maquiagem suave e parecia um pouco tímida com a situação estava linda, seus cabelos estavam presos com um único cacho caindo sobre o rosto delicado.

 -Você está linda. –Michael disse antes de beija-la.

 -Você também. –E olhando em volta completou. –Isso é incrível.

 -É tudo para você. –Afirmou segurando sua cintura. –Essa noite é só nossa.

 -E os meninos?

 -Mandei todos para Los Angeles sob os cuidados de minha mãe e Rebbie. –Explicou sorrindo. –Os veremos amanhã de manhã.

-Não me diga que temos a casa inteira só para nós dois. –Disse deslizando os dedos pela gola da sua camisa.

 -Estamos completamente sozinhos. –Afirmou segurando-a contra. –Não tem ninguém para te ouvir gritando.

 -Vai me fazer gritar é? –Perguntou colocando os braços ao redor de seu pescoço.

 -Está nos meus planos. –Afirmou beijando seu pescoço. –Além de fazer outras coisas.

 -Primeiro vamos jantar. –Disse observando a mesa posta. –Estou faminta.

 -Eu também. – “Só que de outra coisa” completou em pensamento enquanto iam em direção a mesa.

 Michael puxou a cadeira para ela serviu duas taças de vinho antes de sentar, propôs um brinde a sua noite perfeita ressaltando que esta estava apenas começando. Jennifer sentou-se encantada pelo local repleto de flores e todo iluminado a luz de velas, Michael havia criado um verdadeiro cenário de conto de fadas sob as estrelas. Era absolutamente perfeito como tudo que Michael se dispunha a fazer, observou o homem incrível que tinha na sua frente se deu conta de que a cada dia se apaixonava mais por ele. Michael também estava feliz amava de fazer qualquer coisa com Jennifer, gostava do seu jeito alegre e divertido sempre o fazendo rir se sentia relaxado na sua presença. Como não havia empregados ele mesmo serviu o jantar crepe imperial com aspargos, apesar de não ser seu prato favorito queria lhe proporcionar todo o luxo e requinte que merecia. Seria capaz de comer até pedras preparadas por Jennifer se isso a fizesse feliz, por sorte nunca precisou dar este tipo de prova de amor ela sempre havia cozinhado bem. Conversaram sobre assuntos leves e riram ao se lembrar de algumas coisas do passado, estavam se divertindo juntos como não faziam há um bom tempo. Estava sendo uma noite incrível e o melhor de tudo é que aquele era só o começo, Michael tirou a caixa de joias do bolso e a abriu revelando um par de brincos de brilhantes.

 -Vi eles em uma loja e lembrei de você.

 -Michael eles são lindos. –Disse tirando os brincos que usava e colocando-os. –O que acha?

 -Maravilha. –Falou acariciando seu rosto. –Os brincos também ficaram bonitos. –Completou a fazendo sorrir.

 -Você é incrível. –Se inclinou beijando-o.

 -Vem cá. –Disse se levantando ao interromper o beijo.

 -Onde vamos? –Se ergueu segurando sua mão.

 -Nadar. –Falou já desabotoando a camisa.

 -Não pode estar falando sério. –Disse vendo-o tirar a camisa e a calça logo em seguida.

 -Claro que estou. –Lhe deu um selinho antes descer as alças de seu vestido. –Você prometeu tentar coisas novas.

 -Mas aqui fora? –Perguntou segurando o vestido sobre os seios.

 -Não se preocupe. –Disse segurando seu queixo antes de beija-la. –Estamos sozinhos aqui ninguém vai te ver. –Completou deslizando o vestido por seu corpo deixando-a de calcinha.

 -Só posso está ficando louca. –Afirmou abraçando-o. –Você primeiro garotão. –Concluiu antes de beija-lo.

 -Vem. –Disse entrando na piscina ficando com agua até a cintura. –Você vai gostar.

 -Não acredito que você me convenceu a fazer isso. –Falou o seguindo para dentro da piscina.

 -Está gelado! –Reclamou ao sentir a agua fria contra sua pele ao entrar.              

 -Não se preocupe. –A abraçou. –Eu te esquento.

 Michael a segurou pela cintura colando seu corpo ao dela tomando seus lábios com doçura, pressionou seu peitoral contra os seios nus sentindo os mamilos rijos contra a pele quente. Já podia sentir seu membro pulsando dentro da cueca ansioso por estar dentro dela, mas não iria fazer isso agora queria aproveitar cada gota de prazer que tinha a oferecer. Desceu a mão que estava em sua cintura até seu bumbum apertou-o fazendo-a gemer, Jennifer deslizou as mãos sobre seu peito nu se aproximando ainda mais dele. A sensação de ter o corpo dela arrepiado contra o seu aumentou mais a rigidez de seu membro, deslizou os dedos pelos seus cabelos soltando-os sobre seus ombros. Jennifer colocou os braços ao redor de seu pescoço beijando-o acariciando sua nuca, o enlaçou com as pernas sentindo sua intimidade pulsar contra sua ereção. Gemeu baixo contra seus lábios enquanto ele a pressionava contra seu corpo, aumentando ainda mais o atrito entre suas intimidades separadas apenas pelas roupas intimas. Sentiu dois dedos a invadindo gemeu alto segurando firme em seus ombros para não se afogar, enquanto Michael acariciava sua intimidade de maneira lenta e torturando-a.

 -Ah Mike! –Jennifer gemeu alto arqueando a coluna. –Eu preciso de você.

 -Calma meu bem. –Disse encarando seu seus empinados. –Relaxe e aproveitei tudo o que tenho a me oferecer.

 -É isso mesmo que quero fazer. –Disse tocando seu membro sobre o tecido.

 -Gostosa. –Afirmou beijando seu pescoço. –Estou louco para estar dentro de você.

 Ao sentir que ela prestes a explodir Michael retirou os dedos de sua intimidade e a fez recuar se apoiando na borda rasgou a calcinha que ela usava se livrando da cueca que usava em seguida. Observou seu rosto delicado com os olhos brilhando assim como os brincos de sob a luz da lua, deslizou o dorso da mão por sua face antes de voltar a beija-la de maneira faminta. Ergueu uma de suas colocando-a ao redor de sua cintura penetrou-a de uma só vez, provocando um grito de prazer e surpresa começou a estoca-la devagar beijando seus lábios e pescoço. Logo aumentou os movimentos fazendo seus corpos se chocarem a cada investida, rebolou contra seu quadril a prensando contra a parede de concreto. Recuou deslizando sua intimidade escorregadia antes de investir novamente em seu interior, sentiu-a aperta-lo ao atingir o êxtase enquanto cravava as unhas em suas costas com força. Michael ainda investiu algumas vezes antes de também atingi-lo apertando-a contra si, afastou os cabelos de seu rosto beijando sua testa e lábios.

 -Eu te amo. –Disse encarando-a com ternura.

 -Eu também te amo. –Falou antes de beija-lo. –Como consegue ser tão maravilhoso meu amor, nem parece ser real.

 -É tudo por sua causa. –Disse beijando sua mão. –Você desperta o melhor em mim.

 -Você é um anjo. –Afirmou abraçando-o.

 Depois de recuperarem o folego subiram para o quarto porquê Jennifer estava com frio, após tomar um quente foram para a cama continuando o que haviam começado na piscina. Fizeram de todas as formas possíveis até que Jennifer ficou cansada demais para continuar, enquanto ela dormia Michael a observava sem conseguir conter o sorriso de alegria. Aquela tinha sido uma das melhores noite de sua vida não só por causa do sexo, mas por que pode passa-la ao lado da mulher que amava mais do que tudo no mundo. Se dependesse dele teria continuado amando-a até o dia amanhecer talvez até de tarde, mas não seria certo força-la além de seus limites só para ter mais prazer. Jennifer mudou de posição encostando as nádegas contra ele fazendo seu corpo despertar, mordeu o lábio pensando que assim seria difícil deixa-la descansar. Deslizou a mão sobre sua barriga imaginando que seu filho já poderia estar sendo gerado ali, nada o faria mais feliz do que vê-la carregando uma semente de seu amor.

 -Está sonhando acordado? –Jennifer perguntou cobrindo sua mão com a dela.

 -Pensei que estivesse dormindo.

 -E estava, mas acordei com uma coisa me cutucando. –Disse pressionando seu bumbum contra o membro dele.

 -Eu estava aqui quietinho. –Se defendeu rindo. –Foi você que começou. 

 -Amor você conhece alguma Chaniqua Robson... Johnson? –Não conseguia lembrar o nome.

 -Chaniqua Anderson. –Disse ficando tenso.

 -Essa mesmo. –Confirmou. –Você conhece?

 -É uma atriz meu pai foi agente dela. –Falou tentando soar calmo. –Por que pergunta?

 -Li uma entrevista dela falando que vocês costumavam se encontrar. –Disse se virando para ele.

 -Isso não faz sentido nós nunca tivemos nada. –Afirmou apertando seu antebraço. –Eu mal a conheço.

 -Então ela nunca foi ao seu apartamento?

 -Não, nunca. –Disse com firmeza. –Ela não era nem minha amiga.

 -Mas teve uma vez que eu te liguei em Nova York e uma garota atendeu. –Lembrou depois de refletir.

 -Deve ter sido alguma empregada ou uma amiga, isso foi há tanto tempo que eu nem me lembro. –Afirmou se sentando na cama.

 -Então você nunca teve nada com aquela cantora?

 -Não.

 -Nem com nenhuma outra?

 -Claro que não. –Afirmou segurando suas mãos. –Você não confia em mim?

 -Confio, mas é que...

 -Então não faz sentido você ficar pensando bobagem. –A interrompeu. –Jenni você sabe como são essas revistas ela deve ter inventado isso para chamar atenção. –Explicou acariciando seu rosto. –Talvez a revista tenha inventado a entrevista inteira só para vender mais.

 -Você tem razão não faz sentido dá ouvidos a este tipo de coisa. –Disse apoiando a cabeça em seu ombro.

 -Jenni você sabe que é a única que eu quero. –Afirmou abraçando-a. –Não preocupe sua cabecinha com bobagens.

 -Me desculpe querido não devia ter pensado que seria verdade.

 -Está tudo bem. –Disse a aconchegando contra seu peito. –Não pense mais nisso. –Pediu sentindo seu sangue gelar.

 Os dias seguintes foram de expectativa para Michael para saber se Jennifer havia engravidado, estava ansioso para voltar a ser pai mesmo não tendo preferência torcia para terem uma menina. Jennifer também estava ansiosa para ser mãe mal podia esperar para ver sua barriga crescer, seu coração acelerava só de imaginar a reação de Michael quando acontecesse ele amava crianças. Estava sentada na borda da banheira pensando em como Michael iria ficar feliz com outro bebê, enquanto esperava pelo resultado do teste de gravidez sobre a pia do banheiro. Do lado de fora Michael esperava ansioso pelo resultado mal podia se conter tamanha ansiedade, estaria junto com ela se Jennifer não tivesse exigido ter um pouco de privacidade. Foi uma decepção para os dois quando o teste deu negativo não tinha sido daquela vez, mas tentaram se manter otimistas aquela tinha sido apenas a primeira tentativa.

 Michael achou que seria uma boa ideia cuidarem da saúde dos filhos que já tinham, enquanto esperavam pela chegada do novo bebê que estavam planejando. Além disso era uma forma de garantir que teriam um ambiente saudável para recebe-lo, por isso agendou uma consulta para Anthony com um terapeuta infantil. Depois de muito relutar Jennifer acabou concordando em leva-lo para uma consulta, apesar de não se sentir nenhum pouco à vontade com aquela situação sabia que era o melhor. Durante todo o trajeto Jennifer manteve Anthony no colo distraindo-o com um carrinho, queria que experiência fosse o menos traumática possível apesar de não saber como fazê-lo. Assim que chegaram eles foram recebidos pelo doutor Habbit em seu consultório no centro, depois de uma conversa o deixaram a sós com Anthony para que pudesse examina-lo. Sentados juntos na sala de espera Michael e Jennifer aguardavam ansiosos pelo fim da consulta, naquela sala silenciosa os minutos se arrastavam tanto que o som do relógio ecoava pelo local.

 -Senhor e senhora Jackson. –Habbit disse ao abrir a porta. –Poderiam entrar?       

 -Claro. –Michael disse se levantando sendo seguido por Jennifer.

 Eles entraram na sala com uma estante repleta de brinquedos e jogos de tabuleiro, na parede ao lado desta ficava uma parede com todos os certificados e diplomas do terapeuta. Todo o lugar era pintado em cores claras e com poucos moveis confortáveis, sua atmosfera era aconchegante para deixar os jovens pacientes à vontade no ambiente. Apesar do ambiente confortável Jennifer não conseguia ficar à vontade naquele lugar, afinal estavam ali para saber se tinha alguma coisa errada com seu filho. Percebendo sua preocupação Michael segurou sua mão lhe transmitindo segurança, indiferente do que acontecesse precisava estar ali para apoia-la não importava o que acontecesse. Anthony brincava sobre um tapete no centro da sala montando blocos de madeira, ele estava tão entretido que nem reagiu a presença dos pais ou não pareceu nota-los. Habbit se acomodou em sua poltrona lhes indicando duas cadeiras em frente a sua mesa, Jennifer apertava a alça de sua bolsa nervosa aguardando pela conclusão do médico.

 -Então doutor? –Jennifer perguntou. –Como está Anthony?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Será que Michael esconde alguma coisa?
E Anthony como estará?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...