História Sex(y) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias The GazettE
Personagens Aoi, Ruki
Tags Aoi, Aoiki, Lemon, Ruki, Shiroyama Yuu, Takanori, Takanori Matsumoto, The Gazette, Yuu
Visualizações 72
Palavras 645
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Relevem pq é o primeiro lemon que eu posto, galero.

Boa leitura ❤

Capítulo 1 - Único


Já se passava das 20:00 da noite quando Yuu chegou em casa. Tinha trabalhado até mais tarde essa noite, estava estressado, mas logo o ambiente acolhedor o acalmou.

Procurou por Takanori na cozinha, na sala e na varanda, então constatou que o menor estaria lá em cima.

Subiu as escadas com passos leves pela madeira que deixava a casa com um ar mais sofisticado, como diria o namorado, até chegar na porta do quarto de ambos.

A mesma estava encostada, e o moreno estranhou, pois normalmente Takanori o esperava e se jogava em seus braços assim que o via, mas dessa vez não.

Estranhando aquilo, empurrou a porta levemente até que pôde ver. Takanori o esperava na cama iluminada apenas pelo abajur de cor amarelada, que deixava tudo mais quente. Estava deitado, nu, com as pernas abertas e totalmente exposto, e ao ver o namorado o observando, desceu a mão ao próprio membro soltando um gemido convidativo.

Sentiu seu corpo se aquecer e, soltando a gravata, se debruçou sobre o menor que ainda se tocava.

-Não quer ajuda, Taka?

Teve como resposta um gemido mais alto e um olhar que o fazia abandonar a sanidade, mas Takanori não havia parado e então, apenas gargalhou de forma animalesca antes de tirar a gravata de vez, subir com certa violência sobre o menor e puxar seus braços para amarrá-los.

-Do meu jeito, meu amor.

-Seu jeito é mais delicado que mocinha de novela.

-Uma mocinha de novela não te foderia até você não conseguir andar mais, e é isso que eu vou fazer, Takanori.

Com o menor já amarrado, começou a tirar as próprias roupas, peça por peça, enquanto via o olhar faminto sobre a ereção ainda coberta pela boxer, que foi tirada por último de modo lento e torturante para o que assistia.

-Sabe Taka, você merece isso, não acha?

-Sim...

-Então duas regras, você vai ficar amarrado e fazer só o que eu mandar. Regras não podem ser quebradas.

Dizia de forma séria com a voz rouca, enquanto apertava levemente o pescoço do outro com a mão.

-De quatro. E não fale nada.

Segurando um sorriso, Takanori apoiou os braços amarrados na cama e levantou a bunda, deixando-se mais exposto do que antes. Sentiu um peso sair da cama, certamente Yuu teria levantado, mas logo voltou e além disso, pôde também sentir a dor do cinto que batia com força em suas nádegas.

Uma.

Duas.

Dez vezes.

Aguentou as dez chibatadas sem dizer nada, mas as lágrimas escorriam pelo rosto em silêncio.

-Agora, preciso de uma coisa.

-O que quiser...

-Preciso que você grite meu nome igual a vadia que você é, enquanto eu te fodo, sim?

Takanori foi surpreendido logo com dois dedos nada gentis em si, deixando gemidos abafados escaparem, e quando sentia a dor diminuindo, a mesma aumentou de forma que se sentia rasgando.

Sem esperar, Yuu entrava e saia de dentro do namorado, que gritava e gemia seu nome em meio a xingamentos e dor. E assim ficaram por um tempo, até que a força das estocadas foi diminuíndo e a voz de Takanori dizendo algo que desse pra entender se fez presente.

-Você não ia me foder, Shiroyama? Faz isso direito então!

Dito isso, se arremessou como pode contra o moreno, que, depois de distribuir outro tapa em sua bunda, começou novamente a se enterrar mais fundo e puxar os cabelos do loiro.

A cama balançava, e os sons se tornavam eróticos misturados com os gemidos dos dois e os gritos mais altos de Takanori. Ambos respiravam ofegantes e suavam, e não bastou Yuu acertar um ponto mais fundo do menor mais algumas vezes que ele já se desfez abaixo de si. Sentindo seu membro ser comprimido, puxou os cabelos do namorado com mais força e chegou ao ápice, logo se deitando ao lado de Takanori, e ficando surpreso quando o mesmo se jogou em cima de si, rebolando devagar.

-Eu posso não conseguir andar, mas acho que consigo fazer isso de novo.

Aquela cama por pouco não quebraria aquela noite.


Notas Finais


Desculpem qualquer erro ai, ou se estiver uma merda rçrçrç


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...