História Stydia - Avassaladora - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Ethan, Isaac Lahey, Jordan Parrish, Lydia Martin, Malia Tate, Melissa McCall, Scott McCall, Stiles Stilinski, Theo Raeken
Tags Ação, Allison, Aventura, Brotp, Comedia, Drama, Hentai, Lydia, Otp, Romance, Scallison, Scott, Serie, Shoujo, Shounen, Stiles, Stydia, Teen, Wolf
Visualizações 292
Palavras 1.338
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


AAAAAAAAAAA (perdoem a empolgação, hehe)
Eu tô tão feliz com o crescimento e reconhecimento de Avassaladora, obrigada de verdade <3
Isso tudo é por causa de vocês *-*
Enfim, boa leitura.

Capítulo 21 - Cap.21


Fanfic / Fanfiction Stydia - Avassaladora - Capítulo 21 - Cap.21

Allison: – Estamos atrapalhando alguma coisa, gente? – Pergunta desviando o olhar e fingindo tossir.

Lydia se solta dos meus braços, me olha uma última vez e volta novamente para a sua maldita bolha.

Lydia: – Claro que não. Eu só estava sentindo o perfume barato daquela garota que entrou aqui. – Ela diz com desprezo, torcendo seu lindo nariz.

Eu continuo olhando para ela, quase que implorando para que me olhasse de volta e lembrasse que tínhamos algo para resolver.

Allison: – Eca. Você não é nada criterioso, Sti.

Scott me olha e percebe a decepção em meu olhar. Será tão óbvio assim o que Lydia anda fazendo comigo?

Scott: – Tá tudo bem, cara? – Me pergunta preocupado.

Ele sabia que não. Ele sabia que estava tudo uma grande merda por causa dessa maldita garota ruiva.

Stiles – Tô de boa, Scott. – Digo saindo da sala, me trancando no meu quarto como um covarde.

Foi isso o que eu virei? Um covarde masoquista doentio que faria qualquer coisa por ter pelo menos dois minutos da atenção de Lydia?

Só saio do meu quarto quando percebo que as garotas já foram embora. Scott está arrumando a bagunça que eles fizeram enquanto eu estava fora de casa.

Scott: – Quer conversar, mano?

Stiles: – Não sei.

Scott: – Vai por mim, conversar pode ajudar a entender um pouco a situação. – Diz ao sentar ao meu lado no sofá.

Mas o que tinha ainda para entender? Eu estava afim de uma garota que não queria nada comigo, isso já estava claro.

Stiles: – Não tem mais nada para entender, Scott. Lydia parece comigo em todos os aspectos. Ela não sente nada por ninguém. – Digo enfiando meu rosto entre minhas próprias mãos – Eu só queria ter certeza de uma única coisa agora.

Scott: – Eu sei o que você está tentando dizer, Stiles. Acha que é uma boa idéia vocês transarem só para saber até que ponto vocês se parecem de verdade? – Scott me conhecia melhor do que eu. Ele sabia que era isso o que eu estava pensando. Ele sabia assim como eu que isso era uma péssima idéia.

Lydia definitivamente voltou para sua bolha, protegida de qualquer tipo de sentimento. Ela voltou com aquela muralha construída com orgulho, egoísmo e frieza. Desde o dia em que a gente quase se beijou – que já faria dois meses – ela decidiu desaparecer da minha vida, como se cada momento que passamos juntos nunca tivesse existido.

Ela mal olhava na minha cara, mal respondia quando eu falava com ela. Aos poucos fui percebendo que já não tínhamos mais nada para resolver. Ela já tinha resolvido por nós dois. Aos poucos fui tentando preencher o vazio que ela deixou, mas era em vão.

Allison insistia em me dizer que Lydia andava ocupada com os trabalhos da faculdade e com as provas, e era por isso que ela já não andava mais com tanta freqüência com a gente.

Stiles: – Lydia não fala mais comigo, não parece mais no apê, não sai mais para comer com a gente e me evita em quase todas as aulas que temos juntos. Isso não tem nada a ver com trabalhos ou com as provas, Alli. Pode não parecer, mas eu reconheço uma rejeição.

Allison: – Ela só quer tempo, Sti. Ela só quer tempo para saber o que vai fazer em relação à você, em relação à amizade de vocês.

Stiles: – E para isso ela tinha que sumir, me evitar e me excluir da vida dela? – Digo puto, desesperado e rancoroso. O que eu me tornei por causa de uma garota?

Allison: – Que merda aconteceu com você, Stiles? Aliás, que merda aconteceu entre vocês dois? – Pergunta impaciente, tentando entender de verdade o que estava acontecendo.

Allison esperava por uma confissão, alguma declaração de que eu estava apaixonado por Lydia. Eu não poderia, eu não conseguiria assumir isso logo para ela, a melhor amiga da garota que está ferrando com a minha vida.

Stiles: – Ela era a minha melhor amiga, Alli. Ela era a única que conseguia entender meu caos. – Digo sincero.

Apesar de não assumir para Allison a paixão avassaladora que eu sentia por Lydia, eu tinha dito a verdade. Lydia era minha melhor amiga. Lydia era a única capaz de entender meu caos e de conseguir me acalmar em alguma situação de risco. Ela era capaz de me deixar tranqüilo mesmo quando estava prestes a surtar.

...

Scott: – Cara, a gente tem aula em quinze minutos. Vai logo tomar banho, cê ta um horror. – Fala ao jogar minha toalha no meu rosto.

Stiles: – Eu não vou, Scott. Digo por baixo da toalha.

Scott: – E porque não?

Stiles: – Porque é aula do Parrish. Ela vai estar lá.

Scott: – Ela quem? – Scott sabia perfeitamente de quem eu estava falando. Tiro a toalha do rosto e olho cético para Scott e ele começa a rir.

Scott: – Stiles, cara, cê não pode faltar aula por causa da Lydia. E outra coisa, a gente já está na metade do semestre e isso quer dizer que temos trabalhos para entregar.

Scott tinha razão. Eu não podia parar a minha vida por causa de uma garota estupidamente gostosa e egoísta.

Stiles: – Tudo bem, eu vou.

Scott: – Você tem sete minutos para tomar banho, se vestir e engolir alguma coisa. Se passar dos sete minutos eu juro que te largo aqui e vou sozinho no seu carro.

Apesar de ter tomado um banho de gato e ter comido apenas uma maçã, ainda cheguei atrasado na aula do Parrish.

Parrish: – Problemas com o despertador, Stilinski? – Todo MUNdo para o que está fazendo para me olhar. Até ela, a garota ruiva da janela.

Stiles: – Sim, ele não parava de tocar. O único jeito foi levantar. – Digo com um sorriso de canto de boca e me jogo numa carteira vazia ao lado da ruiva.

Alguns riem baixinho, outros fazem ruídos com a boca desaprovando minha atitude. Lydia só ergue uma sobrancelha, balança a cabeça em negativa e depois volta a sua atenção para o livro.

Parrish – Muito engraçado, Stilinski. Bom, como estava dizendo antes de ser interrompido, os trabalhos vão ser feitos em duplas e eu vou escolher cada uma.

X: – Isso parece coisa de colégio, Parrish. Porque a gente não pode escolher nossas duplas? – Pergunta uma garota no fundão da sala.

Parrish: – Porque eu não quero, simples assim. Como nós estamos na metade do semestre, eu já conheço grande parte da personalidade de vocês. E é exatamente por esse critério que vou escolher as duplas. Cada uma vai ser constituída por pessoas com a personalidade parecida ou até mesmo idêntica.

A sala inteira fica em silêncio, meio que sem entender o que Parrish queria dizer. Eu saquei logo de cara a merda que ia dar.

X: – Então vai ser fácil, ué. O ruim seria fazer dupla com uma pessoa totalmente diferente de nós. – Um garoto fala, exibindo um sorriso.

Parrish: – Na verdade, não. Para ser honesto é mais complicado fazer dupla com alguém que se pareça com você. Claro que isso vai depender da personalidade de cada um. Esse trabalho vai servir para vocês se testarem, testarem sua ética. Vocês vão ver que apesar de se parecerem um com o outro, se enxergarem às vezes um no outro, ainda terão divergências. E mais, vocês vão se surpreender quando eu começar a montar as duplas.

Encaro Lydia, em perguntando o que estaria passando por aquela cabecinha ruiva. E então ela se vira de lado, me flagrando enquanto a encaro. A expressão em seu rosto é tão linda, tão divina, que me esqueço de respirar por alguns minutos e só volto para o mundo quando Parrish me chama.

Stiles: – O que o senhor disse mesmo? – Pergunto ainda olhando para Lydia.

Parrish: – Eu disse que você fará dupla com a ruivinha.

Lydia voltou toda a sua atenção para a janela, escondendo seu rosto. Mesmo assim pude sentir a garota revirando seus enormes olhos de cor estranha. Era óbvio que íamos fazer a porra do trabalho juntos, ela sabia disso tanto quanto eu.

Lydia: – A gente já sabia, Parrish. – Ela diz, ainda olhando pela janela.


Notas Finais


Será se voltamos para estaca zero em relação aos sentimentos de Lydia Badgirl?
Será se vai dar certo esse trabalho em dupla?
Será se vão se matar?
SERÁ SE....?
Continuem acompanhando, babys <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...