História Sweet Doom - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Personagens Originais
Tags Blackpink, Bts, Hot, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Rap Monster, Rose, Suga, Taehyung
Visualizações 101
Palavras 2.337
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi bebês, tudo bom? Kkkk
Opa, eu sei que disse que ficaria sem postar capítulo, mas... NÃO ME AGUENTEI!
E quanto ao hot que prometi, não se preocupem, será postado em breve.
Notei que chegaram leitores novos, não se acanhem, podem vim conversar comigo, eu juro que não mordo. Kkkk
Bem-vindos meus novos bebês e...
FIQUEM A VONTADE PARA OUVIR BST!
BOA LEITURA!

Capítulo 18 - Sangue, suor e lágrimas


Point of vision Hoseok



Assim que tive a certeza de que Byeon estaria segura, corri na direção em que senti aquele cheiro indesejável. Eu conhecia muito bem aquele cheiro e me arrependi na mesma hora de não ter matado Danna. Se eu tivesse dado um fim a sua vida, eles não estariam aqui e Byeon não estaria correndo perigo.

Atrás do prédio, os Lee já estavam esperando por mim. Olhei furioso para Danna que estava ao lado de Min-cha. Ela deu um sorrisinho irritante e eu não contive um rosnado. Eu já podia sentir meu lado lobo pulsar em minhas veias, mais uma provocação e eu provavelmente me transformaria e pularia em cima daquela sangue-suga maldita.

Olhei para os meninos, especialmente para Namjoon. Ele parecia estar como eu, à um fio de perder o controle dos próprios instintos.

Me aproximei do irmão mais velho dos Lee, o Ji-Hun. Ele estava com os olhos vermelhos e a respiração pesada, prestes a atacar à qualquer momento.

_ O que você quer? - Minha voz saiu em um tom rouco.

_ Há boatos de que uma humana andou tendo conhecimento sobre nós, e como você conhece as regras, sabe que nossa raça não tolera isso. É uma regra e foi quebrada, viemos estabelecer a ordem perdida. - Ji-Hun disse, lambendo os lábios. Aquilo atiçou ainda mais meus instintos.

_ Vocês vieram à toa, então. Porque não vão passar por nós.

_ Está achando que me intimida?

Estalei o pescoço em um movimento rápido, podia sentir meu lobo transparecer em meus olhos.

_ Eu só quis dizer, que vocês não vão levar ninguém hoje e nem nunca. Não vão levá-la.

_ Mas ela é um perigo para nossa existência, ela precisa ser eliminada e eu farei questão de chupar todo o sangue da garota até a última gota. - Ele abriu um sorriso sacana e eu podia sentir minha raiva tomar conta de mim.

Senti uma mão no meu ombro e vi que era Jin, ele estava aparentemente bem mais calmo que eu.

_ Hope, ele está querendo te provocar. Mantenha a calma.

Assenti e recuei, ficando próximo dos meninos. Observei que Danna se aproximou do mais novo Seo-Jun e começou a falar com ele.

_ Seo-Jun, eu posso lhe garantir que a garota está pelos arredores. Ela não iria muito longe e não ficaria distante de Hoseok. - Eu queria esmagar a cabeça daquela garota.

_ O senhor quer que eu a procure? - Min-Cha se ofereceu ao terceiro irmão Ye-Jun.

Na mesma hora que disse isso, Jungkook deu um passo à frente com os olhos avermelhados. Min-Cha recuou no segundo seguinte.

_ Diga-nos onde está a garota e nós não machucaremos vocês. - Ji-Hun ordenou.

_ Nunca vai tocar nela. - Rosnei.

_ Estamos em maior número, acabaremos com vocês se lutarmos. - Namjoon disparou.

_ Mas eu não quero lutar com vocês, afinal, não será preciso. - Ele deu um sorriso de canto e olhou para a janela do quarto de Byeon. Droga, ele sentiu seu cheiro.

_ Se você tentar se aproximar dela... - Minha raiva aumentava, estava à ponto de explodir.

_ Áurea... A última vez que a vi ela estava morta. Ela ainda tem um cheiro delicioso. - Ele lambeu os lábios. - Diga-me, o sangue dela também é bom como seu cheiro?

Aquilo foi o que restava para eu me descontrolar. Senti a fúria percorrer meu corpo e a vontade sedenta de sangue se apropriou de mim. Transformei-me em lobo e fui para cima dele, fazendo-o tombar no chão. Fiquei por cima de seu corpo e olhei-o nos olhos, pude ver o medo neles. Mesmo assim, ele não se rendeu e agarrou-me com uma força sobrehumana, jogando-me no chão. Levantei antes que ele pudesse tentar me atacar e avancei nele, mordendo sua perna esquerda. Senti o gosto amargo de seu sangue e senti prazer naquilo. Ele gritou de dor e novamente me agarrou, dessa vez me derrubou no chão me prendendo pelo pescoço. Droga. Me debati na tentativa de tentar me soltar, mas foi inútil.

Voltei a ser humano e pude sentir suas unhas fincarem em minha garganta. O sangue escorreu por esta e vi o quanto isso o deixou satisfeito.

_ Seu merda, a Áurea vai morrer novamente. E dessa vez, eu irei matá-la.

Suas palavras me trouxeram o ódio. Antes que eu pudesse tentar ativar meu lado vampiro e me defender, vi Yoongi pular em cima de Ji-Hun, derrubando-o e o tirando de cima de mim. Suga lhe deu um soco e o sangue escorreu pelo canto da boca de ji-Hun.

_ Seu covarde! Precisa de seu amiguinho para se defender? - Ji-Hun gritou.

_ Cala a boca, otário! - Suga disparou, pegando-o pela camisa e o jogando contra a parede.

Min-Cha correu em sua direção e vi ela se agachar ao seu lado, acariciando o rosto de Ji-Hun. Foi a vez de Ye-Jun nos olhar enfurecido, percebi que Namjoon já estava com os olhos dourados, bastava pouco para ele perder seu controle.

_ É melhor vocês irem embora. - Jin lhes avisou.

Ye-Jun e Seo-Jun recuaram, percebendo que estavam em desvantagem. Danna parecia não compartilhar do mesmo sentimento de rendição e encarava Jungkook furiosamente.

_ Ir embora? - Ela deu um sorriso de canto. - Não sem antes morder um biscoito.

_ Você não vai querer fazer isso. - Jungkook se pronunciou.

_ Por que não?

_ Eu a mataria.

Ela riu.

_ Isso que iremos ver.

Ye-Jun tentou segurar-lhe, mas ela foi rápida e disparou contra Jungkook um chute mal sucedido, ele desviou dela com facilidade e agarrou-lhe pelo pé que ainda estava no ar. Com um baque, ela foi jogada contra o chão e Jungkook lhe segurou pelo cabelo, agilmente mordendo seu pescoço. Ela se debateu, mas era inútil. Um minuto depois, Jungkook a largou sem vida e sem sangue algum em seu corpo.

Ye-Jun olhava para aquilo com os olhos arregalados e Jungkook o encarou, o desafiando.

_ Você é o próximo? - Ele perguntou, lambendo os lábios.

Ye-Jun recuou junto com os dois irmãos e Min-Cha, que tinha uma expressão triste e assustada.

_ Vocês venceram essa, mas saibam que isso não vai ficar assim. - Seo-Jun ameaçou.

Eles se viraram e correram em uma velocidade impressionante, sumindo de vista em segundos.

Suspirei de alívio e olhei para onde os meninos olhavam. Danna.

_ Precisamos nos livrar do corpo. - Yoongi concluiu.

_ Deixa que eu conseguirei fazer com que se pareça um suicídio. - Jin se aproximou do corpo dela.

_ Hope. Vá encontrar a Áurea. - Jungkook disse e eu assenti.

Me virei e corri com todas as minhas forças para encontrar ela. Ninguém mais iria tirá-la de mim, eu não permitiria que ela morresse mais uma vez. Eu a protegeria com todas as minhas forças, com a minha própria vida.


[POV'S HOSEOK OFF]



(...)



Point of vision Gabi



O pânico parecia ter passado. Jimin havia saído de perto da janela e Lisa havia parado de murmurar feitiços. Eles olharam para mim e Gio, pareciam aliviados.

_ Acabou. - Jimin deu um passo na direção de Gio, tocando-lhe a bochecha de forma carinhosa.

_ Vai ficar tudo bem agora? - Ela perguntou.

_ Por enquanto, sim.

Ela colocou sua mão sobre a dele, fechando os olhos e suspirando.

_ Ainda não é seguro pra você e pra Byeon que andem sozinhas, precisaremos estar sempre perto de vocês. - Ele beijou-lhe a testa e soltou sua mão da dela. Logo após, direcionou seu olhar a Lisa. - Fique aqui, eu irei fazer uma ronda na faculdade para saber se os Lee realmente foram embora.

Ela assentiu com a cabeça.

_ Tome cuidado, Jimin. - Gio disse e ele deu um pequeno sorriso a ela como resposta.

_ Eu tomarei.

Após dizer isso, saiu do quarto. No mesmo instante ouvi passos apressados estalando no piso. A porta se abriu repentinamente e meus olhos brilharam ao vê-lo.

_ Hoseok. - Chamei-o.

Ele estava suado, o sangue escorria pelo seu pescoço e suas roupas estavam sujas e amassadas. Mas ainda assim, era ele. Senti meu coração mais leve ao saber que ele estava vivo. Porém, me senti culpada por ele estar machucado. Levantei da cama e fui até ele, tocando-lhe o rosto com minhas mãos, acariciando seu cabelo.

_ Você se machucou por minha causa. - Toquei de leve seu pescoço, com cuidado toquei em sua ferida e seu sangue ficou na ponta dos meus dedos. - Está doendo muito?

_ Não. - Ele segurou minhas mãos que estavam em seu rosto e fechou os olhos, suspirando. Ouvi um soluço sair de sua garganta e senti nossas testas se tocarem. - Eu tive tanto medo de que pudessem tirar você de mim. Eu tenho muito medo disso.

_ Ninguém vai me tirar de você, Hope.

Seus soluços aumentaram e se tornaram lágrimas. Elas desceram por sua bochecha e eu as sequei. Nos abraçamos e ele continuou chorando, mas não me importei. Ele precisava extravasar seu medo de alguma forma.

_ Ei, estou aqui com você agora. - Sussurrei.

Seu abraço apertou-me ainda mais.

_ Áurea, nunca mais morra. Por favor, fique comigo dessa vez.

Áurea?

_ Áurea? Quem é Áurea? - Perguntei, me soltando dele.

Ele pareceu espantado. Observei-o olhar para o chão e bagunçar seu cabelo com uma das mãos.

_ Eu não devia ter dito isso.

_ Mas disse. Quem é Áurea? - Repeti a pergunta.

Lisa se aproximou de mim e segurou meus ombros, tentando me acalmar.

_ Querida, você não se lembra de nada? - Sua voz saiu suave.

_ Do que está falando? - Perguntei a ela.

Ela olhou para o Hoseok com uma expressão preocupada. Ele apenas balançou negativamente a cabeça e secou suas lágrimas que ainda caiam. Seus olhos me encararam tristes e esperançosos.

_ A primeira vez que nos vimos, não foi semana passada. - Ele inspirou uma grande quantidade de ar. - Eu te conheço à mais tempo que imagina. Byeon, você é a Áurea.

_ O quê? - O choque me paralisou, eu não estava entendendo. - Não, eu sou Byeon Gabriela. Você está me confundindo com alguém. Eu não sou a Áurea.

_ Sim, você é. - Ele deu um passo em minha direção. - Você é a minha Áurea.

Não. Não. Não.

_ Eu não sei do que vocês estão falando. Eu não sou essa garota, sinto muito.

_ Áurea. - Ele tocou minha bochecha e olhou no fundo dos meus olhos. - Você precisa se lembrar de nós. Precisa se lembrar.

_ Hope, eu não sei do que...

Seu beijo me calou. Fechei os olhos, sentindo sua língua adentrar em minha boca. Senti Lisa se afastar e Hope abraçar minha cintura.

Ao mesmo tempo que eu sentia o gosto de seu beijo, eu sentia meu corpo se elevar e ir para um lugar longe dali. Na minha mente, existia apenas um clarão e de repente...



Flash on



Áurea, minha princesa pequenina, cresça, cresça, creça e serás minha rainha.

Uma garotinha de 6 anos ouvia a sua canção de ninar, a voz de quem cantava era rouca, era de um garoto. Sua cama aconchegava seu corpo e dos lados de cada uma estava um garoto. Eles eram parecidos, mas apenas um deles era gentil com a garota.

O mais novo sempre a destratava, ignorando-a ou ou lhe dando apelidos que ela odiava.

Sua mãe lhe dizia que ela pertencia ao mais novo e que quando atingisse a idade certa, iria se casar com ele.

Áurea fora prometida.

Sua mãe lhe dizia que a família Jung era seu lar, que ela estava destinada desde seu nascimento à ser esposa de um dos filhos do chefe da família.

_ Escute Áurea, você será a esposa do mais novo, viverá eternamente para o servir. - Ela dizia.

Entretanto, quando a primavera chegou e ela completou 15 anos, ela se negou à se casar com o mais novo.

Ela tinha outra pessoa em seu coração.


Flash off



Assim que meus olhos se abriram, eu percebi que estava caída na cama. Hoseok me olhava preocupado e inevitavelmente, eu tentei ver semelhanças entre um dos garotos da minha alucinação.

Gio também me olhava preocupada e estava sentada ao meu lado na cama, segurando minha mão.

Fechei os olhos e suspirei.

_ A quem eu fui prometida? - Perguntei.

_ Áurea, acho melhor você...

Interrompi-o, olhando-o séria.

_ Me diga. A quem fui prometida? Não foi à você, não é?

Ele balançou a cabeça negativamente.

_ Não. Você não foi prometida à mim.

_ Você era o mais velho?

Ele assentiu com a cabeça.

_ Então... - Meus olhos se encheram de lágrimas, algo dentro de mim dizia que não foi só uma alucinação. Foi uma lembrança. - O que aconteceu, Hope?

Ele suspirou, sentando-se na cama.

_ Você está fraca Áurea, esse seu flash de memória repentino te fez desmaiar. Você precisa dormir e...

Interrompi-o.

_ Hope, me diga. O que aconteceu?

As lágrimas molharam minhas bochechas, meu coração doía, eu tinha um mau pressentimento quanto à essa promessa feita ao mais novo.

Ele pegou minha mão livre e entrelaçou na sua, beijando-a.

_ Áurea, o que você acharia se eu te dissesse que desde o século 15 sua alma está destinada à esbarrar em mim?

_ Acharia maravilhoso poder ficar tanto tempo ao seu lado.

Ele deu um sorriso triste.

_ Esse é o problema, você nunca pode ficar ao meu lado por muito tempo. Você sempre... - Ele desviou o olhar, parecia difícil contar aquilo. - morre.

_ Mas... - Levantei-me, soltando minha mão da Gio e levando-a até o peito de Hope, fiquei sentada de frente pra ele. - Isso é normal, não é? Afinal, sou uma humana e você é imortal.

_ Até poderia ser, se... - Ele parou de falar, parecendo desistir. - Sim, é normal.

Ele passou seu braço por minha nuca e levou minha cabeça ao seu peito, acariciando meu cabelo.

_ Estou feliz em saber que fico com você em todas as vidas. - Murmurei.

Ele soltou minha mão e me abraçou, enlaçando meu corpo ao dele. Ele voltou a soluçar e ali eu soube que ele mentiu pra mim.

Tudo bem se você mentir, as palavras sangram, mas meu sentimento não.


Notas Finais


VRAU, vou jogar esse capitulo aqui e sair correndo!
O que acharam dele bebês?
Não sejam leitores fantasmas, saibam que comentários me deixam muito feliz e me dão ânimo para prosseguir com a história. Responderei todos.
Até breve e beijos da ~CatJungCrazy. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...