História Sweet Wrapping - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gildartz, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Sting Eucliffe
Tags Drama, Exército, Fairy Tail, Hentai, Lucy, Nalu, Natsu, Romance
Visualizações 904
Palavras 2.106
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Harem, Hentai, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OOI pessoal, é a primeira vez que eu faço uma fic sobre o exército então me perdoem se algo ficar meio errado ^^
-Quero declarar que os personagens e Fairy Tail são totalmente do Hiro e que o meu único pertence aqui é a história em que estão incluidos.
-Quero dizer que os interesses dos Estados Unidos não estão em questão aqui.
-Espero que gostem da fanfic, tomara que eu não decepcione ninguém.
Por favor não sejam mãos comigo eu não sou nenhuma escritora profissional.

Capítulo 1 - Capítulo 1 - The son of Igneel


"O exército", é algo para poucos, poucos se aventuram e muito menos voltam, felizmente os tempos de guerra já haviam passado, mas por algum motivo ou péssimo abito, os Estados Unidos continuava a comprar a briga dos outros, soldados eram sempre enviados para outros países e o sendo o principal deles o Iraque, cada vez mais soldados eram convocados a servir bravamente seu país.

Saltos altos tilintavam pelos corredores de uma base do exército, cabelos loiros brilhavam como ouro quando a pouca claridade batia contra eles e alguns homens olhavam descaradamente para ela, mas mesmo assim Lucy Heartfilia não se intimidava. Ela era inteligente, muito inteligente e apesar do salto dizer o contrário ela era habilidosa em tudo o que fazia para o exército.

-Bom dia Lu!- Levy sua amiga também trabalhava para o exército, mas na área da pesquisa, era o que tinha para agradecer ao trabalho, ter conhecido a azulada -Então já está de mal humor, Já sabe da notícia? -Lucy olhou séria para a amiga e suspirou frustrada.

-Isso não é justo, por que não mandam um outro qualquer? -A loira andava de um lado para o outro na sala -Não gosto de trabalhar com eles, estão cansados e detonados, não me dão ouvidos, não querem mais saber de tiros ou qualquer coisa que seja.

-Era assim que sonhava a carreira de militar? -Debochou a pequena dos sonhos infantis que outrora a loira tivera -Eles vão te ouvir, sempre te ouvem, seus peitos chamam a atenção.

-Eu não ando mais de regata. -Lucy declarou.

-Mas usar blusa branca resulta na mesma!  -Lucy rosnou, ela ensinava soldados a atirar, fazia trilhas e camping com eles, seus ouvidos zumbiam pelas aulas que dava -Espero que tenha mais sorte com as trilhas dessa vez.

-Pode deixar, agora preciso ir me preparar, espero que esse relógio aguente mais um pouco. -A loira deixou a sala. Lucy não morava muito longe da base e adorava o que fazia, seu pai era militar e ela decidiu ter a mesma carreira do pai, mas em vez de ir a guerra ela continuava a manter os soldados que estavam na base em forma, independente de tudo, mas ela era como eles, se mandasse correrem cinco quilômetros ela teria que correr também junto com eles e isso estava acabando com ela.

Alguns soldados haviam acabado de chegar do Iraque e não seriam dispensados, então seu trabalho seria treina-los, ela já estaria ocupada durante toda a semana e mal conseguia pensar nos problemas que tinha para resolver em sua casa. A loira por misericórdia de Deus tinha um namorado, ele era piloto e estava de serviço, então pouco se viam, era difícil ficar sem vê-lo e isso levava-os a brigar algumas vezes.

Lucy foi até o vestiário, ali estavam suas roupas limpas e cheirosas, ela sabia como voltariam e não se apegava a roupas limpas, pegou seus coturnos e foi se vestir, ela realmente não se importava mais em como aquelas roupas ficavam nela, só se importava com o conforto. A calça era a mesma que os homens usavam, assim como os coturnos, mas ela usava camisetas próprias que lhe proporcionavam melhor flexibilidade e leveza.

Saiu para o pátio onde encontraria sua nova turma de soldados e lá estavam eles, alguns em pé e outros sentados, havia chegado a dois dias e alguns se recuperavam de ferimentos. Quando a loira chegou logo todos se colocaram de pé um atrás do outro e fizeram uma curta reverencia a sua superior.

-Eu sou Lucy, mas vocês vão me chamar de Heartfilia ou tenente...- A loira suspirou ao lembrar-se de sua última trilha com os rapazes -Vamos fazer trilha durante essa semana, coisas básicas, travessias e questões de sobrevivência, vou explicar algumas coisas e espero que não tenhamos problemas, na minha ultima trilha três soldados se perderam por que quiseram ir brincar, então fiquem juntos, eu não vou buscar ninguém... Peguem algumas coisas, almocem, nos vemos aqui em uma hora.

A loira foi para o pequeno lugar onde os soldados faziam as refeições e pegou seu prato.

-Então você já tem novos brinquedos?

-Cai fora Gray! -Gray Fullbuster era capitão e Lucy sua subordinada, mas a loira não tinha medo do moreno, eles eram amigos, antes de seu namoro, podia-se até dizer amigos íntimos, mas agora Gray estava em seu pé.

-Qual é, todo mundo sabe que você tortura eles. -Lucy sorriu para o moreno que sorriu de volta -Fiquei sabendo de um "bravo" soldado que você vai tomar conta -Ele fez "aspas" com os dedos e Lucy revirou os olhos -Natsu Dragneel, o pai dele era general e por isso acho que ele tem privilégios aqui, mesmo sendo só um cabo, fiquei sabendo que ele foi muito elogiado por ter salvado alguns soldados que estavam feridos.

-Gray cala boca, ninguém aqui tem privilégio e se tinha acabou de perder, sem falar que você é um grande capitão, nunca foi a uma guerra, medroso, você é que tem privilégios. -Lucy completou sentando-se com sua bandeja em uma mesa qualquer enquanto o moreno a seguia -Dragneel? Eu conheço esse nome, acho que serviu junto com meu pai.

-Ele é a cara do pai, olha lá. -Gray apontou para a porta do lugar, por onde Natsu entrava -Metido a besta. -Lucy olhou para o rosado, ele era diferente, não era mole como achava, era forte e musculoso, alto e viril.

-Ele não me parece ser alguém com privilégios. -Ela deu uma garfada na comida -Não me lembro dele estar me esperando no pátio.

-Privilégios! -frisou o moreno dando uma piscadela e Lucy se calou. Comeu sua comida lentamente, não queria ter que ir para o meio da floresta com caras que ela nem conhecia. Olhou em seu relógio e fazia uma hora que estava sentada naquele banco de refeitório, mirou Natsu do outro lado do lugar e ficou observando o quanto ele era semelhante com o pai brilhante que tinha. Além de ver Igneel Dragneel em revistas e jornais ela o viu pessoalmente uma vez, em sua casa, seu pai era um grande amigo do General e no momento em que a loira o viu sabia que queria ser como ele, brilhante e valente.

-Espero que ele tenha as mesmas qualidades do pai. -Lucy sussurrou para si mesma e só então percebeu que Natsu a fitava, ele a havia descoberto, tratou de se levantar no mesmo momento e ir para fora do lugar, afinal atrasar não era de seu feitio. No pátio, lá estavam seus soldados e Natsu vinha bem atrás da loira. -Todos estão preparados? -O pelotão só bateu continência e Lucy viu um caminhão chegar para os levar sabe-se lá para onde, nem ela mesma era informada.

Os soldados não eram lá mal caráteres, muitos tinham família, esposa, pais e outros nada, mas eles respeitavam completamente a loira e suas ordens, eles sabia que podiam ser penalizados, mas não só por isso, a maior parte dos soldados que passavam pela loira pegavam um carinho especial pela tenente que era rígida, mas se igualava a eles, ela não tinha frescuras e compartilhava de algumas frustrações.

Quando eles chegaram a mata fechada Lucy logo suspirou, lá estava ela, mais uma vez, com mais soldados , olhou para a mata e olhou para os homens, o caminhão já tinha ido embora, então não tinha mais volta, seu estomago gelou, mas ela respirou fundo e entrou, os homens logo entraram atrás dela. Eles tinham que pequeno mapa e tinham que buscar algumas bandeiras pelo local simulando um ambiente hostil, então foram armados e com roupas de camuflagem.

Natsu andava a alguns centímetros da loira, ele a observava enquanto escutava seus amigos falarem como era "divertido" ver alguém tão "bonito" depois de tempos em guerra. Ao ver do rosado a loira era realmente bonita, muito bonita, mas ela tinha algo diferente, ela era durona e tinha cara de ser quem gostava de estar no controle. Quando a loira parou Natsu parou também.

-Vocês sabem que sempre serão desse pelotão né? não vão mudar os soldados, então alguém aqui sabe navegar ou ler mapas, por que se não ficaremos rodando por esse lugar por dias.

-Você não saber ler mapas? -Natsu replicou de imediato e a loira levantou uma sobrancelha.

-Mas é claro que sei, meu trabalho é treinar vocês e não dar as coisas de mão beijada, se quiserem sair daqui vão ter que aprender, ou eu vou estar lá no campo de guerra lendo os mapas para vocês? -Natsu se calou no mesmo momento, ouviu alguns burburinhos, mas resolveu não dizer mais nada, em outro momento ele daria o troco pela resposta -E então?

-Eu sei! -Um moreno consideravelmente alto levantou a mão e não teve como Lucy não o ver, achou incomum ele estava cheio de piercings pelo rosto e seu cabelo clamava por um corte.

-Seu nome? -A loira perguntou enquanto entregava o mapa para o moreno.

-Redfox, precisamos achar essas bandeiras? -o moreno estava curioso, isso tudo era perda de tempo, eles precisavam de treinamento de verdade. A loira balançou a cabeça em concordância -Isso vai ser moleza. -Completou o moreno ao ver Lucy voltar a caminhar.

Eles caminharam por horas e nada de nenhuma bandeira, só arvores, todas iguais para melhorar, Lucy ainda não estava cansada depois de seis horas de caminhada, mas queria muito estar em sua casa dormindo ou comendo algo bom. O sol já estava quase se despedindo então Lucy decidiu achar um bom lugar para dormir, perto de algum riacho ou nascente. Andaram por mais alguns minutos e ela ouviu barulho de um pequeno riacho, decidiu então que dormiriam ali.

-Mas não trouxemos sacos de dormir e nem barraca. -Os saldados não sabiam como seria feito o acampamento e estavam achando a ideia de ficar na mata com a loira uma furada.

-Pois bem, vocês que vão improvisar algo, temos uma hora antes de ficar totalmente escuro. -Lucy olhou para Natsu e depois para Gajeel -Redfox, estou duvidando de suas habilidades com o mapa, então vai junto com o soldado... -Apontou para Dragneel que bufou -...me fazer uma fogueira e me mostrar que sabem fazer algo.

Enquanto os dois foram buscar coisas para a fogueira e para improvisar algo para dormir Lucy andou atrás de folhagem grande, como bananeiras e guneras, logo voltou, não precisava de conforto e muito menos de se cobrir, afinal escalaria pessoas para a guarda e ela ficaria de vigia a noite toda praticamente.

Todos já haviam ido dormir e a loira estava acordada fazendo uma ronda pelos lugares, seu estomago roncou e lembrou-se dos enlatados que havia trazidos, lembrou-se também do quanto odiava aquilo. Andou até o pequeno riacho e improvisou alguns filtros com a camiseta que estava por baixo do uniforme e encheu duas garrafinhas com água, tirou o uniforme desconfortável e o coturno.

-Eu odeio esse trabalho as vezes. -Entrou no pequeno riacho só de roupas íntimas, era raso e parte do corpo ficou para fora da água, o frio a consumindo, começou a bater os dentes.

-Então você não é imbatível! -Natsu falou olhando para a loira e referindo-se ao frio que ela estava sentindo -Achei que era...

-Desde quando está aqui soldado?

-Desde quando chegou, eu ia embora mas ai te vi tirar a roupa e resolvi ficar. -Lucy trincou os dentes e olhou para a face debochada do rosado, que mesmo escuro era possível ver, graças a iluminação da lua -Sabe, você não tem modos, então acho que eu também não preciso ter. -Lucy lembrou da resposta que deu ao rosado logo quando chegaram, mas parou de pensar quando o viu tirar o uniforme -Eu te vi ficar me encarando no refeitório, ou acha que não percebi?

-Eu? -Se fez de desentendida enquanto via Natsu andar em sua direção só com sua roupa íntima -Acho que está com o ego muito inflado soldado, imaginando coisas.

-Dragneel por favor. -O rosado sentiu a água bater em sua cintura e se abraçou sentindo o frio da noite, contraio os músculos.

-Então você sente frio? -Debochou e se afastou -Achei que era imbatível.

-Infelizmente sou humano, sinto muitas coisas.

-É abusado também. -Murmurou mas Natsu ouviu.

-Sejamos francos, depois de um ano na guerra sem ver mulheres eu sou obrigado a ser subordinado de uma loira e ela ainda tira a roupa na minha frente. -Lucy saiu do riacho e pegou suas roupas começando a se vestir, Natsu sorriu, é claro que ele não queria nada com a loira não agora e sabia que estava a atiçando, mas tinha medo de estar cutucando onça com vara curta.

-Acho melhor se colocar no seu lugar Dragneel.


Notas Finais


Espero que tenham gostado pessoal, que fiquem comigo até o termino da fic, creio eu que não vai ficar muito grande. Se quiserem podem comentar, dizer o que não gostaram, seria legal.
UUUL até o próximo capítulo, acho que vou postar sempre no sábado, salvo essa semana.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...