História Terapia de Risco - CAMREN - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camren
Visualizações 878
Palavras 4.187
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente... se vocês não me perdoarem 100% agora, vocês não me perdoam nunca mais então! hahaha
Aproveitem!
Comentem pra eu saber o que vocês acharam, é importante.

Capítulo 23 - Tão certo, tão bom


Eventualmente depois de um tempo vou despertando, o feno me incomodando na medida em que vou acordando da soneca. Posso notar que meu cochilo não foi muito longo, mas me sinto melhor após ele. Meu corpo está bem quente devido à exposição solar e eu me sento esperando ver Camila ao meu lado, mas ela não está. Levanto minha mão para bloquear o sol da minha vista e olho ao redor imaginando onde ela pode ter ido. Bocejo, levanto do feno e me espreguiço um pouco. Subitamente escuto um barulho de arranhões bem sutis, ando em direção ao som. Quanto mais me aproximo do outro lado do celeiro mais eu sou tomada por lembranças do nosso joguinho de esconde-esconde da ultima vez que estive aqui, o que me faz sorrir um pouco. Porém ele vai sumindo quando percebo que o barulho que escutava é Sofia, que parece estar chorando e gemendo. Ando rapidamente e vejo que Sofia está sentada descansada no pé da escada, olhando pra cima como se quisesse subir mas não conseguisse.

Estou prestes a pergunta-la o que tem de errado mas daí percebo que ela é a porra de um cachorro e que não pode exatamente me responder de volta.

Sniff.

Minha cabeça se levanta encarando o topo da escada e eu não consigo ver o que está lá em cima vendo daqui, mas eu tenho 100% de certeza de que ouvi uma fungada. Como se alguém estivesse chorando.

- ‘’Camila?’’ chamo-a suavemente e começo a subir a escada.

Escuto Sofia gemer em baixo de mim como se estive triste por eu conseguir subir a escada e ela não.

Chego ao topo da escada e olho de canto; Camila está deitada de lado em uma pilha enorme de feno, seus ombros tremendo suavemente, as fungadas ocasionais vindo de sua direção. Meu coração afunda, ela deve estar chorando mesmo.

Eu não confio muito no meu peso em pé aqui em cima, então eu engatinho até ela. ‘’Camila? Você está bem?’’ pergunto chegando aos seus pés e simplesmente sentando ali. Não consigo ver seu rosto porque ela está virada na outra direção, mas agora eu tenho certeza que ela esteve e está chorando. ‘’Camz, olha pra mim, por favor’’ falo baixinho.

Ela funga mais uma vez e se senta no feno; seu corpo curvado se mexendo devagar e seus olhos castanhos brilhantes de lágrimas estão agora me encarando de volta. Ela funga de novo e passa a parte de trás da mão pelo nariz, seu rosto completamente vermelho e eu me sentindo absolutamente horrível. Vê-la chorar é como ver um filhotinho ser chutado e eu não consigo aguentar isso, eu não quero vê-la triste, eu não quero vê-la triste nunca mais.

- ‘’Oh Camz,’’ solto um muxoxo compreensivo e me arrasto para mais perto dela até que fico bem do seu lado, o feno se arrastando junto com meus movimentos. Sem pensar sobre isso eu levo minhas mãos ao seu rosto e gentilmente afasto mechas finas do seu fino cabelo castanho que estavam antes grudados ao seu rosto. Continuo passando uma mão por seu cabelo.

Ela só funga novamente mas me olha mais admirada.

Seguro em suas bochechas com minhas mãos e só a encaro, meu coração acelerando loucamente. Inclino-me para perto dela enquanto ela só assiste, sua boca ficando um pouco boquiaberta.

- ‘’Eu...’’ suspiro e passo meu dedão por baixo do seu olho para limpar as lágrimas que silenciosamente insistem em cair.

Sinto minha mente se esvaziar e acho que estou prestes a fazer algo estúpido como beijá-la, então eu abaixo minhas mãos e as descanso em minhas coxas. Meu rosto continua próximo ao dela e eu só assisto enquanto mais e mais lágrimas caem por ele, somente as fungadas ocasionais quebrando o silencio.

Ela não está me dizendo nada.

- ‘’Sofia está lá em baixo, eu acho que ela está preocupada com você’’ ofereço um sorriso patético.

Ela não ri ou sorri de volta.

As orbes chocolates de Camila me encaram por um momento e eu as assisto caindo pros meus lábios e depois voltando pra cima, seus olhos ainda um pouco inchados e vermelhos. Ela abre sua boca e suas palavras saem roucas e baixas, ‘’Sofia sempre sabe quando eu estou triste ou chateada, eu vim aqui pra cima para que ela não pudesse vir atrás de mim, eu só quero ficar sozinha.’’

- ‘’Oh,’’ suspiro, sentindo meu coração doer no peito.

Ela me encara como se eu devesse ir embora.

- ‘’Eu não vou embora,’’ falo pra ela, ‘’Eu não consigo te ver triste assim’’ falo e me mexo para ainda mais perto dela, nossos rostos agora tão mas tão pertos, sinto vontade de... vontade de... fazer algo estúpido. Acho que meu coração está quebrando de verdade por vê-la assim e eu não consigo não sentir um pouco de culpa, talvez isso seja resultado da nossa conversa de mais cedo?

- ‘’Me desculpe, eu não deveria ter insistido naquele assunto antes’’ falo e novamente minhas mãos automaticamente vão em sua direção, a esquerda descansando em sua coxa, fazendo minha pele queimar com o contato, mesmo por cima da roupa.

Camila só funga novamente e balança sua cabeça como se não fosse minha culpa.

Meu coração começa a pulsar por todo meu corpo e dessa vez eu sinto como se tivesse um pouco de controle sobre mim mesma. Eu só quero que ela saia dessa tristeza. Antes que eu perceba o que estou fazendo ou pare pra pensar no assunto, eu me inclino para ela até que a ponta do meu nariz se choca contra o dela. Começo a respirar fortemente contra seus lábios, achando cada vez mais difícil puxar o ar por estar tão perto dela. Suas pálpebras parecem pesar e ela pisca os olhos parecendo chocada pelas minhas ações, ela olha bem no fundo dos meus olhos, eu estou tão perto que consigo ver todos os tons de castanho dos seus olhos.

- ‘’Lauren, você não quer fazer isso,’’ ela sussurra, sua respiração instantaneamente batendo contra meus lábios.

Eu acho que na verdade eu quero.

Pisco os olhos lentamente pra ela já completamente perdida em tudo que ela é, levanto minha mão esquerda da sua coxa e coloco-a gentilmente em sua bochecha, sua pele macia se arrepiando em baixo do meu toque. Ela suspira contente e se inclina contra minha palma como se não conseguisse ter o bastante de mim. A forma que ela está inclinada contra minha palma significa que sua outra bochecha está bem aparente pra mim, e eu faço a primeira coisa que parece natural. Passo meus lábios bem próximos ao dela sem tocar, de alguma forma me forçando a não tocar neles com os meus, lambo meus lábios e os pressiono suavemente contra sua bochecha.

Meu coração para e por um segundo eu não sinto nada além de felicidade. Sua bochecha é tão macia contra meus lábios e tem um sabor tão suavemente doce e ao mesmo tempo salgado por suas lágrimas. Me afasto e rapidamente planto outro beijo um pouquinho acima do ultimo soltando um pequeno murmuro de prazer contra sua pele.

Escuto-a suspirar em mim e todo meu corpo começa a tremer. Ela tem cheiro de baunilha e canela e eu quero respirá-la mais.

- ‘’Oh meu deus-‘’ suspiro e começo a plantar mais e mais beijos forçosos contra sua bochecha, meus lábios e sua pele ficando cada vez mais úmidos.

Tudo que consigo ouvir é meu coração, minha respiração pesada e o barulho alto dos meus lábios contra sua pele.

- ‘’Você-‘’ beijo. ‘’É tão-‘’ beijo. ‘’Boa.’’ suspiro contra sua pele na medida que meus beijos vão ficando cada vez mais potentes e pesados e eu acho que eu praticamente já beijei cada centímetro de sua pele desse lado do rosto. Espero que de alguma forma isso tenha conseguido sugar toda a sua tristeza.

- ‘’Oh Lauren’’ ela suspira no meu ouvido e eu sinto arrepios percorrendo todo o meu corpo.

- ‘’Camila...’’ praticamente gemo seu nome, beijando seu maxilar e depois voltando, mais uma vez passando meus lábios frente aos seus sem realmente tocá-los. Estou quase assustada demais para sentir seus lábios contra os meus.

Movo minhas mãos para que volte a segurar suas bochechas e percebo que estou segurando a pessoa mais linda que eu já conheci na palma da minha mão. Me sinto magnífica.

- ‘’Eu te avisei Lauren’’ Camila sussurra e eu posso notar um pequeno tom brincalhão em sua voz. Encaro-a e seu rosto parece mais animado, sem mais lágrimas e fungados.

- ‘’Me avisou sobre o que?’’ expiro forte, um sorriso pequeno aparecendo nos meus lábios.

Me sinto tão viva e alegre.

- ‘’Que se você fizesse o primeiro movimento eu não seria capaz de me controlar,’’ ela fala lentamente, seus cílios tão baixos que eu acho que ela quase os fechou completamente.

Ela agarra meus dois pulsos e subitamente me gira, me fazendo deitar de costas no feno e colocando minhas mãos acima da minha cabeça. Ela sobe sobre mim, me olhando de cima, seus olhos cheios de luxúria e conflito. Camila passa seu corpo por cima do meu, ficando quase sentada por cima do meu estômago, seus seios pressionados contra os meus.

Engasgo tentando puxar o ar enquanto seu rosto desce lentamente de encontro ao meu. Ela está praticamente deitada em cima de mim e ao invés de afastá-la ou me sentir culpada eu simplesmente arqueio minhas costas em direção ao seu corpo, precisando do contato.

- ‘’Por favor...’’ suspiro com a voz tremida pra ela.

Eu preciso que ela faça algo.

Ela faz. Ela se inclina pra baixo e passa seu nariz brincando com o meu antes dos seus lábios serem pressionados gentilmente contra os meus. Solto um gemido enquanto sinto meu corpo virar gelatina em baixo do seu peso. Sinto-a sorrindo contra meus lábios e eu gemo novamente, o som fazendo meus lábios vibrarem contra os seus. Ela afunda ainda mais seus lábios contra os meus e todo meu corpo gela e treme e eu não ainda não tenho a mínima ideia do que fazer. Minha respiração está pesadíssima saindo pelo meu nariz e minhas mão suadas agarram o feno ao meu lado. Sinto como se fosse explodir.

Ela solta aquela risadinha que eu amo, reverberando nos meus lábios me fazendo gemer novamente e meu coração flutuar em resposta.

- ‘’Lauren,’’ ela suspira brincalhona contra meus lábios. Abro meus olhos e ela está me encarando maliciosamente. ‘’Separe os lábios’’ ela fala com a voz baixa e rouca, passeando a ponta do seu nariz pelos meus lábios.

- ‘’Oh meu deus eu-‘’

Sou silenciada quando Camila se pressiona ainda mais contra mim e enfia sua língua entre meus lábios abertos. Me estremeço em resposta enquanto sinto a língua macia passar deliciosamente sob a minha.

Sinto meus olhos rolando na minha cabeça e eu gemo sem ar em sua boca. Sua língua esta serpenteando e descobrindo todos os lugares da minha boca e eu estou aqui deitada completamente tomada por todas essas sensações e eu acho que estou enlouquecendo, ou, prestes a desmaiar. Sinto uma pulsação no meu ventre se formando, que parece estar mais forte a cada segundo.

Me sentindo um pouco mais corajosa, e impulsionada pelos latejos agora emergindo entre minhas pernas, encontro minha língua com a dela, passo por seus lábios e adentro sua boca.

Puta que pariu.

Estou ofegando e soltando pequenos barulhos de aprovação em sua boca porque é tão quente e molhado e eu sinto sua língua dançar com a minha. Estou cheia de arrepios e juro que eu poderia ter um orgasmo só com o beijo dela. Nunca me senti assim. Acho que estou chapada. A pulsação no meu ventre está agora deliciosamente forte e eu sinto a piscina de excitação entre minhas pernas. Seguro e puxo o material do seu macacão e passo minhas mãos por suas costas, só sentindo a necessidade de tocá-la em todos os lugares.

- ‘’Hmmm...’’ gemo e chupo a língua de Camila enquanto ela respira ainda mais forte em aprovação.

Beijo-a forte e profundamente, meu coração batendo na minha garganta, ouvidos e peito.

Ela é tão...

Um gemido profundo escapa dos lábios de Camila e ela se afasta, nossos lábios se separando com um barulho molhado, ela chupando meu lábio inferior antes de se mover completamente pra longe de mim. Gemo em frustração enquanto seu lábios e corpo se afastam dos meus.

Meu coração está prestes a sair da porra do meu peito.

Sento-me também e a encaro. Seus lábios estão inchados e rosados e seu cabelo está meio desalinhado. Sorrio bobamente pra ela, ela parece tão fofa. Meu coração continua correndo e eu sei que supostamente deveria sentir culpa e me sentir mal, mas não sinto. Na verdade acho que eu nunca estive tão feliz.

- ‘’Nós não podemos fazer isso,’’ ela fala baixinho, soando um pouco sem ar e me olhando abatida.

- ‘’Eu sei...’’ suspiro, porém querendo esquecer de todo o resto, só quero continuar beijando-a e sentir como é não pensar em nada, somente voltar a me sentir flutuando no paraíso.

- ‘’Isso é errado de todas as formas possíveis’’ ela fala e desvia o olhar do meu.

Me ajoelho e me aproximo dela. Inclino meu rosto novamente e sinto como se fosse morrer se nós duas parássemos de fazer o que estávamos fazendo. ‘’Muito errado’’ suspiro contra ela e recapturo seus lábios com os meus.

Como algo tão errado pode parecer tão certo?

Ela fecha seus olhos e suas sobrancelhas sobem como se ela estivesse surpresa com minha ação, e pra ser honesta, eu também estou.

Estou beijando outra mulher, estou beijando alguém que não é o Brad e eu não estou enlouquecendo. Talvez porque parece certo.

- ‘’Hmmmmm’’ ela suspira contra meus lábios e eu passo minha língua por seu lábio inferior tentando adentrar sua boca novamente mas ela me afasta mais uma vez e balança sua cabeça. ‘’Não... não Lauren nós... eu... perdão, não posso fazer isso’’ ela fala rapidamente e se vira indo em direção à escada.

- ‘’Não, espera Camila, ok, nós não faremos nada... espera!’’ Chamo-a mas ela já está ao fim da escada, correndo para fora do celeiro, Sofia a seguindo de perto.

Merda.

Acho que não faz diferença correr atrás dela então eu tomo um minuto para tranquilizar minha respiração. Não posso acreditar que eu a beijei. Foi maravilhoso. Eu quase quero vomitar de tão bom que foi. Beijar Brad não chega nem perto disso, porém eu não entendo o porque, será que beijar supostamente deve causar isso tudo? Eu sempre achei que beijos fossem valorizados demais, mas agora não tenho tanta certeza.

Sinto meus órgãos flutuar e minha cabeça completamente leve, ando devagar em direção a casa em um estado de espirito maravilhoso.

  Até o momento que eu chego na casa já é hora do jantar, e a Senhora Campbell me força a sentar e esperar um pouco enquanto ela prepara uma massa. Pergunto-a onde Camila está e ela só me diz que ela não está no seu quarto. Mordo meu lábio nervosamente; será que eu cometi um grande erro? Talvez ela só queira ficar sozinha.

Teddy vem e se senta na mesa comigo. ‘’A latina gostosa vai se juntar a gente?’’ ele sorri nojento pra mim.

- ‘’Eu não sei, e o nome dela é Camila’’ exaspero irritada.

- ‘’Porém eu também sou uma latina gostosa’’ uma voz ecoa do corredor.

Perco meu ar um pouco enquanto Camila vem andando e se senta do lado oposto a mim, ao lado de Teddy.

Teddy sorri como se tivesse acabado de dizer a coisa mais engraçada da terra, e eu só quero acertá-lo na cabeça com qualquer coisa.

Eu só quero falar com ela a sós, mas eu sou forçada a papear besteiras durante o jantar com eles três. Camila, no entanto, não fala muita coisa. Teddy avisa que está saindo para o bar da cidade então ele vaza assim que o jantar acaba.

- ‘’Acho que vou dormir cedo hoje, boa noite queridas,’’ Senhora Campbell nos informa.

- ‘’Eu lavo os pratos Senhora Campbell’’ Camila fala rapidamente e se move em direção a pia.

- ‘’Ela é uma enviada de deus, não é?’’ Senhora Campbell sorri pra mim e sai.

Me viro e sorrio para Camila bobamente, ‘’Sim, ela é’’ suspiro pra ela.

- ‘’Lauren,’’ ela suspira e começa a lavar as louças, eu só assisto o movimento de suas mãos com interesse. ‘’Sobre o que aconteceu, não deveria ter acontecido ok? Nada pode acontecer entre nós. Ok, finalmente nós tiramos isso do nosso sistema mas eu ainda acho que você deveria contar ao Brad.’’

- ‘’B-B-Brad?’’ Gaguejo. Me sinto enjoada porque é a primeira vez que eu pensei nele o dia inteiro.

- ‘’Sim, lembra? Seu futuro marido?’’ Camila fala passiva-agressiva. ‘’Eu acho que você esteve em negação em relação a esse casamento porque você não parece estar preparada pra ele de jeito nenhum.’’

Abro minha boca para discordar mas nada sai.

- ‘’O que você esperava huh? Que eu só seria sua experienciazinha enquanto você está lidando com sua sexualidade?’’

Olho ao redor em pânico.

- ‘’Por favor Lauren, ninguém está aqui pra nos ouvir. Sério, você esperava que eu fosse prosseguir com isso, esperava que eu ficasse com você enquanto você está prestes a casar com um cara?’’

Sua voz está ficando tremida cada vez mais e eu acho que nunca a vi tão emocional.

- ‘’Não! Não é assim’’ falo e ando até seu lado, olhando para a pia enquanto suas mãos esfregam os pratos irritadamente. ‘’Não é desse jeito,’’ repito baixinho, ‘’Eu não espero nada de você, eu nem mesmo sei o que estou fazendo para ser honesta’’ suspiro e abaixo meus ombros tristemente.

Levanto minha mão e mesmo com ela tremendo, coloco-a na base das costas dela, que para seus movimentos e suspira.

- ‘’Tudo que eu sei é que quando eu te beijei, foi o melhor sentimento que eu já experienciei’’ sussurro ao seu lado e começo a esfregar suas costas com minha mão. Exalo tremendo, até tocá-la assim é bom, ainda não consigo acreditar. ‘’Quando eu toco Brad é legal, mas nada mais acontece, mas quando eu te toco... eu fico louca... tocar você é tão bom’’ falo e me sinto inclinando em sua direção.

- ‘’Não,’’ ela respira baixo.

- ‘’Eu quero te beijar de novo’’ falo rapidamente e encosto minha testa em seu ombro.

- ‘’Você não pode,’’ ela fala arrependida e se afasta do meu toque. ‘’Eu vou dormir cedo também.’’

- ‘’Eu espero,’’ respondo e me sento na mesa pensando na bagunça que está minha vida agora.

- ‘’Se você quer saber’’ ela fala e se vira pra mim, um sorrisinho de volta em seu rosto e eu suspiro em alivio, pensando que talvez ela não esteja completamente brava comigo. ‘’Seu lábios são macios e deliciosos e eu quero te beijar de novo também,’’ ela fala tímida antes de se virar e terminar o resto da louça.’’

Sorrio um pouco e sinto meu rosto corando. Ela me faz tão feliz.

Nós duas subimos as escadas lentamente até o corredor de cima, paro fora do seu quarto e ela me olha curiosamente.

- ‘’Então,’’ falo estranha, meus olhos desviando dos dela para a porta.

Assisto enquanto sua língua passa por seu lábio inferior e ela sorri um pouco pra mim, ‘’Entãoooo’’ ela fala, um brilho implícito em seus olhos.

Sorrio um pouco envergonhada, ‘’Então, eu conseguirei dormir essa noite? Digo, você consertou o que tinha de errado, certo? Não vou ficar encharcada né?’’

Ela coloca as mãos nos bolsos do macacão e se inclina em minha direção casualmente, seus olhos subindo pelo meu corpo devagar e parando nos meus lábios. ‘’Encharcada? Não por culpa do teto’’ ela sorri.

Sugo meu lábio pra me impedir de praticamente soltar um gemido por suas palavras, ‘’Você precisa parar com isso,’’ falo francamente.

- ‘’Parar com o que?’’ ela me olha maliciosa.

- ‘’Parar de ser tão... você’’ gaguejo. ‘’Parar se ser sexy e fofa, isso não vai dar certo se você continuar fazendo isso, você disse que nada pode acontecer entre nós então pare de me provocar!’’ Reclamo, olhando o corredor e tendo certeza que ninguém está nos ouvindo.

Camila sorri suavemente, tira uma mão de seu bolso e passa seus dedos pelo papel de parede ‘’Te provocar é a melhor parte’’ ela fala lento, olhos castanhos me encarando com maldade.

Me sinto bem leve então me inclino de lado contra a parede imitando sua posição, ficando de frente a ela, sentindo a necessidade de estar pouco a pouco mais perto dela.

- ‘’Camila’’ suspiro baixo, meus pulmões estão respirando em pânico novamente e eu me sinto só querendo mais de sua proximidade.

- ‘’Lauren’’ ela responde igualmente baixo e um pouco mais séria. ‘’Flertar é tudo que podemos fazer, você sabe disso, pelo menos nos deixe ter isso. Nós não podemos cruzar aquela linha, todo mundo só vai se magoar no fim da história.’’

- ‘’Eu sei que supostamente isso deveria me fazer sentir mal mas...’’ falo e olho para os olhos chocolates ‘’te sentir é tão bom’’ admito tremendo, um sorriso se espalhando por meu rosto.

Camila sorri um pouco, suas bochechas corando. ‘’Te sentir também é bom, eu queria poder sentir como tudo de você é bom, não só nos meus sonhos,’’ ela admite baixo.

Algo toca meu coração e eu olho pra ela triste, ‘’Eu nunca me senti assim em relação à ninguém antes’’ sussurro.

- ‘’Nem Brad?’’ ela sussurra de volta, sua mão momentaneamente me tocando de lado, mas ela reprime o ato e recoloca sua mão em seu bolso.

Engulo em seco, ‘’Nem Brad’’ falo firme.

- ‘’Você sabe que nós estamos mais ou menos tendo um caso, certo?’’ ela fala pra mim honestamente.

Sinto dor e pânico me tomar, ‘’Oh deus’’ murmuro, trazendo minha mão aos meus lábios subconscientemente. ‘’Estamos, não estamos?’’

- ‘’Eu já comecei a duvidar minhas capacidades como psicóloga Lauren, não me faça me questionar enquanto pessoa, eu não quero ser esse tipo de mulher, a outra.’’

- ‘’Eu sei,’’ suspiro simpaticamente e tento o máximo possível não segurar sua mão, olho pra baixo perdida no chão. Não tenho ideia do que fazer com tudo isso.

- ‘’Lauren?’’ A voz de Camila me tira dos meus pensamentos.

Olho pra ela.

- ‘’Você acredita em almas gêmeas?’’

Pisco meus olhos pra ela, a questão me alarmando imediatamente. ‘’Hmm,’’ hesito, ‘’Eu acho que sim, não tenho certeza.’’

Camila se afasta da parede e suspira ‘’bem, eu acredito’’ ela fala com um pequeno aceno.

Só a encaro sem palavras.

Ela só sorri triste, se vira e entra no seu quarto me deixando com essa frase. Antes que eu possa me arrastar até meu quarto nesse estado idiota, a porta se abre novamente e Camila coloca sua cabeça pra fora.

- ‘’Oh e Lauren?’’

- ‘’Hmmmm?’’

- ‘’Você pode vir dormir ao meu lado a qualquer hora’’ ela fala indiferente ‘’mas eu estarei nua, eu não vou mudar minhas manias por você’’ ela fala com uma voz fofa e fecha a porta novamente.

Sinto meu coração pular contra minha pele e eu nem mesmo tento impedir o maior sorriso de aparecer no meu rosto.

- ‘’Eu não mudaria nadinha em você Camila,’’ suspiro baixinho pra mim mesma com um sorriso.

Entro em meu quarto e visto pijamas até que subo na cama bocejando. Me sinto sobrecarregada por tudo de hoje, ainda assim não acho que  consigo dormir. Daria tudo pra que aquela porra de goteira voltasse a aparecer acima da minha cabeça e para que pudesse ir e dormir ao lado de Camila de novo. Subitamente o barulho do meu telefone tocando me tira dos meus pensamentos. Me estico e o alcanço da mesa de cabeceira. É uma chamada anônima.

- ‘’Alô?’’ pergunto baixinho.

- ‘’Lauren?’’ uma voz ri em resposta,

É claro que é Camila.

Sorrio para o aparelho, ‘’Você sabe Camz, eu tô bem na porta ao lado-‘’

 - ‘’Não, eu não quero conversar com você,’’ ela interrompe, ‘’eu só queria te dizer uma coisa.’’

- ‘’O que?’’ pergunto com um sorriso curioso.

- ‘’Eu estou na cama nua pensando em você.’’

Minha boca cai aberta, mas antes que eu possa responder a linha é interrompida.

Coloco o celular de volta no lugar e minha respiração mudou completamente. O que isso quer dizer? Eu quero ficar com ela? Por que ela me ligou e me disse isso? Ela só quer me provocar ou isso foi um convite? Talvez foi.

Debato comigo mesma se eu deveria me levantar e ir até lá. Mas que porra estou pensando? Não, não posso.

Me deito e cubro as cobertas apertadamente ao meu redor, me prevenindo do meu corpo se mover contra minha vontade.

Camila está certa, nós não podemos fazer isso. E o Brad? Consigo ver seu rosto de decepção na minha mente se um dia ele soubesse o que eu e Camila estávamos fazendo hoje. Meu estômago revira de culpa.

Ela está certa, não podemos fazer isso.

Eu só queria que não fosse tão bom fazê-lo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...