História The Dark Side of Red - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Kim Taehyung, Seres Sobrenaturais
Visualizações 19
Palavras 1.540
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Me perdoem pela demora gente.

Capítulo 9 - A minha antiga vida;


Fanfic / Fanfiction The Dark Side of Red - Capítulo 9 - A minha antiga vida;

9° CAPÍTULO.....

Kim Taehyung /on

 Era para tudo ter ocorrido como eu avia planejado, poucas pessoas ficarem sabendo do ocorrido e tudo iria dar certo, eu evitaria me extressar e tudo seria perfeito, mas eu sabia que mais cedo ou mais tarde o diabo do Hoseok iria vir ver com seus próprios olhos a minha garota.


Hoseok o que você pensa que está fazendo aqui ? - adentrei ao cômodo frustado puxando Clara para perto de mim e para bem longe dele, a mesma me abraçou pela cintura e sussurrou alguma coisa cujo eu não prestei muita atenção.

Eu precisava vir vê-la Taehyung, eu tenho direito disso - se defendeu, que cara insolente.

Tem direito, direito de que seu idiota ? Hoseok depois que a Yulki morreu por minha culpa, você nem teve o trabalho de ir a procurar, você foi um covarde e sumiu do mapa. Agora apareceu assim, sem mais nem menos achando que tem "direito" de alguma coisa, me poupe - rosnei.

Tae, quem é ele ? - Clara tinha a voz mais baixa que o normal e me olhava com seus olhos castanhos redondinhos.

Isso não interessa agora, vá para seu quarto - a soltei de mim.

Mas, Tae eu quero ficar aqui com você, senti sua falta - pediu manhosa.

Sem mas Clara, vá, não estou pedindo, estou mandando - falei firme e a mesma obedeceu.

Taehyung para de tratar ela assim - Hoseok disse assim ouvimos a garota fechar a porta do quarto no andar de cima.

Não me diga o que fazer, você não manda em mim - fechei os pulsos com raiva.

Olhe para você Taehyung, tanto que quis encontrar a garota que acabou a achando, se lembra que prometeu que tudo iria ser diferente, que depois que a encontrasse você iria mudar esse seu jeito rude, será que você não vê que ela não tem culpa das coisas do passado, ela não se lembra de nada, pra ela você é a única pessoa que a ama, não a faça perder essa confiança que ela tem em você. Eu ainda a amo, você sabe disso, mas eu abriria mão do meu amor por ela só para vê-la feliz, e acho que você deveria fazer o mesmo..... eu já vou indo, não tenho cabeça para discutir com você agora - Namjoon se despediu juntamente a Hoseok e foram ambos embora graças a um portal que Namjoon abriu no meio da sala.


 Cai sentado no sofá com as mãos na cabeça atordoado, em partes ele tinha razão. Eu jurei a minha mãe e a mim mesmo que cuidaria dela, da primeira vez a perdi, mas estou tendo uma segunda chance e estou jogando tudo fora, graças ao meu orgulho.

 As palavras de Hoseok me destruíam por dentro, ele sempre teve esse poder sobre mim, eu não queria dar razão a ele, afinal quando ela morreu eu quem foi atrás dela em outras vidas, e ele, sumiu como um covarde, ele pode até querer o bem dela, mas ele não vai levá-la de mim mais uma vez, desta vez não.


Você sabe que no fundo ele tem razão, não é ? - Jimin passou a mão nas minhas costas.

Eu realmente não sei - suspirei desapontado comigo mesmo.

Sabe Tae, me lembro como se fosse ontem quando você apareceu na minha casa junto ao Jin, você chorava e queria a todo custo que ela voltasse,  eu nunca avia o visto tão vulnerável dqueel jeito, durante anos se culpou por não ter cumprido sua promessa e jurou a si mesmo que iria a encontrar mais uma vez, e que tudo seria diferente. E cá estamos nós, está tudo dando certo basta você parar de ser tão orgulhoso e aceitar o fato de que todo mundo quer te ajudar, Hoseok é seu amigo e ele tanto quando você sofreu pela morte dela. Hoseok não fugiu como um covarde igual você pensa, ele lutou contra a dor, lutou contra si mesmo para não permitir que seus demônios o dominassem, não foi fácil para ninguém Taehyung, pare de achar que o mundo gira ao seu redor cara, pare de ouvir apenas "aquilo" que mora dentro de você e ousa quem está aqui fora querendo o seu bem - Jimin me abraçou e disse que precisava ir também, mas que logo voltaria para fazer uma visita.


"- Bem, agora somos só eu e você -" pensei me levantando e seguindo até o quarto de Clara, a mesma autorizou minha entrada e a pude ver deitada na cama, ela estava chateada, isso é óbvio.

- Clara, o que acha de irmos tomar um sorvete juntos ? - perguntei receoso, nunca me senti não nervoso perto dela, eu estava com medo de levar um não.

Claro - ela sorriu e calçou seus chinelos me seguindo para fora do quarto.


 Era imprecionante como ela fazia qualquer coisa para me agradar, é, talvez os meninos realmente tenham razão, talvez eu realmente deva agir diferente. Era visível o quão chateada e triste ela estava, porém o amor que ela sente por mim transborda acima dessa tristeza.


Preciso te perguntar uma coisa - ela não disse nada e apenas me olhou para que eu proceguisse - você acredita em reencarnação ? - ela riu.

Mas é claro Taehyung, eu acredito em tudo - sua risada gostosa era sincera - porque, você não acredita ? - me olhou.

Claro que eu acredito, só estava curioso em saber se você pensava igual a mim - ela assentiu - como se imagina na vida passada ? - perguntei.

Sabe que nunca parei para pensar nisso - ela fez uma pausa - uma vez, eu tive um sonho estranho, e se não me engano acho que escrevi em um dos meus diários como era esse sonho, eu era criança ainda, não sei se aquilo foi um sonho mesmo ou fruto da minha imaginação fértil - comentou, dobramos a rua já vendo uma sorveteria.

Como era esse sonho ? - perguntei.

Bem, eu não me lembro dos detalhes por que como eu já disse eu era criança ainda. Mas eu lembro vagamente que no sonho eu já era adulta, estava em uma casa luxuosa mas não lembro dos detalhes da casa, um rapaz que não consegui ver o rosto mas lembro que ele tinha os olhos vermelhos, ele entrou na casa totalmente descontrolado, quebrava tudo, parece que eu fui acudilo e ele me atacou, não lembro direito o que aconteceu mas sei que em algum lugar tem um diário meu antigo contando cada detalhe - a mesma contou dando de ombros, andou mais rápido indo até a sorveteria já fazendo seu pedido.


 Foi exatamente assim que  aconteceu, quando eu tive um "ataque", foi exatamente assim que eu matei a Yulki. Me lembro que ela tentava me ajudar, me mandava manter a calma e dizia que tudo daria certo, eu estava possuído por uma coisa mais forte do que eu e não a dava ouvidos, eu estrangulei ela até que a mesma ficasse sem ar e depois comi seu coração. Eu sei isso é sanguinário mas foi o que realmente aconteceu.


Eu peguei um de chocolate com creme para você, é o meu favorito achei que fosse gostar também - ela sorriu gentil me tirando dos meus pensamentos, esse era o sabor favorito da Yulki e eu sabia muito bem disso.

Obrigado - forçei um sorriso, não que eu estivesse sendo falso, é só que nós imortais não sabemos transbordar sentimentos igual aos mortais, o que me deixa confuso, afinal eu a amo, mas é um amor estranho - e qual a conclusão que você chegou depois desse sonho ? - perguntei abismado.

Ahm.. ? Ah sim, bem, talvez aquilo tenha alguma coisa a ver com alguma coisa do passado, e depois disso eu passei a acreditar que seres sobrenaturais existem, afinal aqueles olhos vermelhos com toda certeza não eram humanos - ela riu - eu viajo as vezes, liga não - pegou na minha mão e correu em direção até uma ponte pequena que atravessava o rio - olha o por do sol como está lindo - sorriu boba comendo seu sorvete.

Sim muito bonito, um dia uma pessoa me disse que só achariamos o amor verdadeiro quando agicemos igual ao sol. O sol ama tanto a lua, que abre mão do seu brilho para a deixar brilhar também - eu me lembrava de Sarah, ela me disse isso uma vez, eu realmente a amava.

Tae isso é lindo - enfim olhei em seus olhos, a menor sorria com seus lindos olhos brilhando como o reflexo do sol na água do pequeno rio que ali passava.

Bem temos que ir, já está ficando tarde - ela não disse nada, e quando estávamos perto de casa que me toquei que ainda estávamos de mãos dadas. Era uma sensação boa, era uma sensação ótima, eu sentia falta dela, sentia falta de como éramos próximos quando crianças, sentia falta da felicidade que senti quando minha mãe disse que eu teria uma irmã.


Como eu senti sua falta Yulki..


Notas Finais


Galera não sei se deu pra entender direito esse capítulo, mas eu espero que sim.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...