História The Deal - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias Alexandra Daddario, Magcon, Shawn Mendes
Personagens Aaron Carpenter, Alexandra Daddario, Cameron Dallas, Jack and Jack, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Tags Amizade, Bullying, Drama, Família, Magcon, Popularidade, Romance, Shawn Mendes
Visualizações 207
Palavras 2.202
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EITA QUE HOJE VAI PEGAR FOGOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOAAAAAAAAAA

Capítulo 29 - The Fall Of The Mask.


Fanfic / Fanfiction The Deal - Capítulo 29 - The Fall Of The Mask.

Senti uma brisa gélida no meu rosto, mas não abri os olhos. O tempo era bom, meu corpo sentia isso: O chão era confortável, o som dos pássaros e barulho das ondas...

Pera.

Barulho de ondas?

Arregalei meus olhos e vi que me encontrava no píer. Shawn estava ao meu lado, dormindo como um anjo. Sorri com aquela cena.

– Ele é tão lindo... – falei para mim mesma, passando a mão delicadamente no seu rosto. – ACORDA! – gritei logo em seguida e o menino pulou de forma brusca.

– O QUE HOUVE? – ele perguntou, cerrando os punhos e olhando freneticamente para todos os lados, ofegante. Olhei para os olhos do menino rindo.

– Nada. – disse simplesmente e me levantei sem usar as mãos, vendo o garoto abaixar a cabeça e encarar com raiva. – Parece que ficamos muito tempo vendo as estrelas ontem... – comentei enquanto observava o mar em nossa frente.

– É, verdade... – ele se juntou a mim alguns minutos depois. – Quem diria que uma quarta-feira poderia ser tão bonita, certo?

– Sim. – respondi rindo, mas meu sorriso desapareceu. – Espera, você disse quarta-feira?

– Uhum. – respondeu minimalista.

– Shawn... Que horas são?

– 9h39min. – ele olhou no seu relógio de pulso e eu senti meu corpo gelar.

– Merda, merda, merda! – exclamei repetidamente e peguei as coisas do chão. – Estou atrasada para o trabalho.

– Mas eu sou seu chefe, não tem problema. – ele colocou as mãos no bolso ao ver meu desespero.

– Não Shawn, seu pai é meu chefe. Você é só um agregado. – rebati sem olhar nos seus olhos devido à correria.

 Ouch. – fingiu uma dor no coração.

– Shawn, vamos logo! – pedi e ele revirou os olhos, pegando as coisas da minha mão.

 

 

[...]

 

Entrei às pressas no hotel, procurando onde estaria o senhor Moseby. Passei meu olhar por todo o lobby, nada.

– Atrasada. De novo. – escutei sua voz atrás de mim, e ao me virar, pude vê-lo irritado. Visão do inferno.

– Desculpe senhor Moseby. – tentei me explicar, mas ele me interrompeu. – Dá próxima vez, irei descontar do seu salário.

– Sim senhor.

– Pirralha. – rosnou, passando por mim. Soltei um suspiro de alivio.

– Você. Corre. Demais. – disse Shawn ofegante ao me alcançar, nem havia lembrado mais do mesmo. – O que ele disse?

– Nada, ainda bem. – passei a mão na testa e ele riu. O cabelo do Shawn estava bagunçado, passei a mão na tentativa de ajeitar. Ele sorriu.

– Ei, Alessia? – ouvi uma voz doce me chamar, e ao me virar, pude ver que Marlee estava ali. Assim como Taylor, Cameron, Lucy, Nash... TODOS.

Não poderia deixar que eles desconfiassem, tive que pensar em algo...

– AI! – gritou o garoto ao receber um tapa meu na cabeça, no mesmo lugar onde eu fazia carinho agora a pouco.

– MATEI! – ele me encarou confuso e com dor. – Tinha um mosquito em você...

Perfeito.

– O mosquito era do tipo ''Ajacomoumaidiota''? – ele disse e eu lancei um olhar de raiva para o menino.

– Ah, oi Marlee! – finalmente me virei para a menina, que me encarava franzindo o cenho. – Desculpe, não tinha te visto aí.

– Claro que não viu... – respondeu sem acreditar e eu fiz uma careta. Pude ver que Nash tentava controlar um riso, intercalando o olhar entre mim e Shawn.

– Então, o que estão fazendo aqui? – perguntei para o pessoal, tentando me desvencilhar daquela situação catastrófica.

– Ensaio do jantar de hoje. – resmungou Taylor. – Coisa de idiota.

– Ensaio? Jantar? – indaguei confusa.

– Todo ano, os nossos pais e os pais do Shawn fazem um baile para comemorar as ações e o sucesso das empresas... – explicou Marlee.

– E esse ano, o tema será ‘’Baile de Máscaras’’. – concluiu Cameron e eu senti uma pontada no peito. Shawn não havia me falado sobre isso... Será que ele não queria que eu fosse?

– Ah, parece ser divertido... – forcei um riso e vi a expressão de culpa na cara do Shawn, mas ignorei. – Bom, tenho que ir fazer as coisas... Se divirtam no ensaio.

– Impossível. – pela primeira vez, Lucy se pronunciara, mesmo que fosse com a cara na tela do celular. Sorri fraco.

Me afastei do pessoal e fui até Mavi, que conversava no telefone.

– Olá, flor do dia. – ela sorriu ao me ver.

– Bom dia, Mavi. – respondi alegre. – O jantar na sua casa hoje está de pé?

– Mais em pé impossível. – brincou. – Chegue às 20h em ponto. Vou fazer o jantar e não quero que esfrie.

– Com fazer o jantar você quer dizer comprar no KFC, não é? – encarei a mulher, que possuía um tom divertido na fala.

– Talvez...

– Inacreditável. – fiz cara de desapontada e ela gargalhou, logo, fiz o mesmo.

 

[...]

 

O meu turno havia acabado e eu estava indo para casa cedo. Para minha surpresa, o senhor Mendes havia contratado outros garçons para servi-los no Baile de hoje. Por falar em Baile...

Shawn havia me ligado algumas vezes, mas eu não podia fazer nada. Eu sei que se ele não me chamou, era por algum motivo. Tentei não me importar, mas no fundo, me importava. E muito.

Ao chegar em casa, me deitei no sofá e comecei a ver TV, na tentativa de ver o tempo passar mais rápido.

– O que está vendo? – perguntou Stella, ao se aconchegar ao meu lado.

– Não faço a mínima ideia. – ri de mim mesma. – E você, já fez a lição de casa?

– Sim. – revirou os olhos com tédio. – Já fez as suas?

– Claro que sim... – ela tombou sua cabeça levemente para o lado, desacreditando da minha fala. – Está bem, não... Mas irei!

– Acredito. – brincou e eu baguncei seus cabelos. – Mas então, qual é o seu lance com aquele garoto alto de cabelo preto?

– Como você sabe dele? – arqueie as sobrancelhas, ela deu ombros.

– Tenho meus contatos.

– Você tem 12 anos. – rebati rindo.

– Não quer dizer nada... – se defendeu, rindo brevemente. – Mas então o Dustin...

– Ele é passado, Stella. Eu gostaria de continuar sendo amiga dele, mas infelizmente...

– Eu sei, eu sei. – ela suspirou. – Enfim, vamos ver The Walking Dead hoje?

– Não, vou sair mais tarde para a casa nova da Mavi.

– A maluca do cabelo colorido?

– Essa mesma. – eu ri da sua fala. – Mas podemos ver alguma coisa por enquanto. Topa?

– SIM! – exclamou feliz e eu comecei a mexer na TV. – Lessi, me empresta seu celular para eu pesquisar uma coisa?

– Claro, está em cima da mesinha. – apontei com a cabeça rapidamente e a menina assim fez.

– Pronto. – ela devolveu o celular com rapidez, até eu estranhei. – Quer saber, eu estou cansada.. Vou dormir.

– Está bem. – respondi lentamente, confusa. – Boa noite, querida.

– Boa, Lessi. – deu um beijo em minha bochecha e subiu correndo.

– Estranha... – comentei para mim mesma, rindo em seguida.

Continuei procurando alguns canais, programas. Nada de interessante.

Até que, a campainha tocou. Franzi meu cenho e fui atender a mesma, havia uma caixa.

 

Abra e use hoje. Sem questionar, por favor.

XxShay.Xx

 

– O que essa garota quer? – olhei para os lados, mas não havia ninguém. Nem um sinal da minha própria vizinha Shay. Resmunguei e peguei a caixa, levando-a para dentro. – Mas o que será isso?

Abri a caixa com certa dificuldade, mas quando vi o que tinha ali dentro, não acreditei.

– Não é possível... – falei surpresa ao ver aquela mascara preta em minhas mãos.

 

 

Shawn Mendes

O baile estava lotado. Todos com suas respectivas máscaras. Meus amigos ao meu lado conversando sobre algo, mas eu não estava prestando atenção, já que meu pensamento só focava na Alessia.

Será que foi uma má ideia pedir para Shay chama-la? Eu sabia que, se eu a chamasse, ela iria dizer não... Essa nunca foi a praia dela, dizia a mesma.

Eu intercalava meu olhar entre o relógio, a porta e a multidão requintada. Nenhum sinal da Parker.

– Você está procurando a Alessia? – questionou uma voz conhecida.

– Talvez. – respondi sem encará-lo. – Você acha que eu deveria tê-la chamado pessoalmente, Nash?

– Não sei, sinceramente. Ela é teimosa, mas tem um coração mole. Provavelmente deve estar assistindo alguma coisa agora tentando se distrair, mas com os pensamentos girando sobre você não a ter chamado ao Baile...

– Eu sou um imbecil. – suspirei e ele riu fraco.

– Concordo plenamente, amigo. – eu olhei para o garoto dos olhos azuis e fiz cara de desgosto, voltando minha atenção à porta.

– Boa noite, senhoras e senhores. – a voz claramente audível do meu pai fora ouvida, chamando a atenção de todos. – Obrigada por terem comparecido ao evento. Todos os aos, é muito importante a presença de vocês aqui conosco. Amigos, familiares, sócios e nossos filhos, o futuro dessa grande associação de empresas. – meu pai apontou para nós. Levantamos as taças agradecendo. – Sem mais enrolação, espero que se divirtam!

Todos aplaudiram ao fim do breve discurso e eu sabia que, quando a música começara a tocar, eu deveria dançar com Charlotte.

– Shawn, como ensaiamos, ok? – dizia Charlotte calmamente. – É uma valsa simples, você consegue.

– Está bem, eu consigo. – falei e senti algo duro debaixo do meu pé.

– Idiota, esse é o meu pé! – ela resmungou e eu gargalhei baixo, mas ao perceber seu olhar de raiva e dor, me calei contra minha vontade.

A dança continuou até que meus olhos caíram sob um corpo novo. O vestido preto com pedras pretas e brilhantes e uma marcara preta com detalhes absurdamente hipnotizantes. Aquela, com certeza, era a pessoa mais bela que eu já tinha visto em toda minha vida.

– Char, eu... – ela nem seu tempo de tentar completar a frase, só sorriu.

– Vai lá, Shawn. Vou tomar algo. – disse gentilmente e eu agradeci. Fui na direção da menina do vestido preto, que parecia perdida. Uma perdida tão conhecida...

– Sabe, – ela se virou devagar ao ouvir minha voz. – eu nunca pensei que preto caísse tão bem em você.

– Que coincidência, eu também não. – ela riu singelamente e meu coração se aqueceu só de ver aquele sorriso.

– Aceita dançar comigo, madame? – eu me curvei, pedindo sua mão.

– E por que não? – respondeu animada e juntamos nossos corpos e seguimos inocentes a música clássica que tocava. Nosso ritmo e sintonia, para minha surpresa, era mais do que perfeito.

– Você é bom nisso, senhor Mendes. – disse a menina com um timbre doce que me fizera rir brevemente.

– Você também é para minha surpresa, senhorita Parker. – falei e ela me encarou na dança.

– Está tão na cara que sou eu assim? Pensei que estivesse conseguido lhe hipnotizar com a mágica do vestido...

– Sabe como eu sei? Bom... Meus olhos não desviaram desde o momento que entrara aqui e só uma pessoa consegue ter esse mesmo efeito em mim. – eu a girei no ar, continuando no ritmo da música. – Você.

– Clichê... – cantarolou rindo.

– Isso e também o fato de que você é a única pessoa que eu conheço que usa esses cadarços coloridos. – ela olhou para os pés e resmungou.

– Eu tento ser da realeza, mas falho sempre. – a música diminuiu, acabando.

– Você não precisa ser da realeza para chamar atenção. – eu encarei seus olhos. – A prova disse é que todos estão nos olhando agora, nesse exato momento. Ao ouvir isso, a garota se soltou de mim rapidamente, envergonhada. Logo, palmas foram ouvidas.

– Eu te odeio. – ela disse com os dentes fechados enquanto agradecia às pessoas, que para sua felicidade, não conseguiam reconhecer a mesma.

– Senti falta de escutar isso. – eu respondi, agradecendo também. Mas pude notar que a mesma sorria.

– Eu preciso ir agora. – ela disse e eu franzi o cenho.

– Mas por que? Você acabou de chegar!

– Eu tenho um compromisso importante. – minha expressão se entristeceu. – Só vim para te ver.

– Eu sei que veio. – rebati convencido.

– Só não te bato aqui pois tem pessoas nos olhando.

– Só não te beijo aqui pois tem pessoas nos olhando. – suas bochechas se avermelharam-se. – Vai logo, Parker. Tenha uma ótima noite.

– Até amanhã. – ela sussurrou e correu levemente até a saída, atraindo novamente olhares curiosos. Não pude deixar de rir da situação.

– Abandonado pela princesa, Shawn? – novamente, Nash.

– Não exatamente. Ela vai voltar. – suspirei e coloquei a mão no bolso. – Ela sempre volta.

 

 

Alessia Parker

Eu estava na frente do apartamento de Mavi, desesperada por estar atrasada.

– Atrasada, por que não estou surpresa? – brincou e eu fiz cara bico, entrando na sua casa.

– Desculpe, não foi minha intenção. Tive que ir em um lugar antes.

– Sem problemas. – disse a menina. – Você está maquiada? – tocou minhas pálpebras e eu me martirizei por não tirar a maquiagem.

– Tentei algo novo. – menti e ela pareceu acreditar. – Caramba, seu apartamento está lindo. Impressionada.

– Está, não é? Eu e o meu namorado que montamos tudo... – disse, orgulhosa.

– Caramba, parece que a coisa é séria, não é? – brinquei enquanto íamos para a cozinha. – Por falar no se namorado, cadê ele?

– Ele já está chegando. – falou animada. – Enquanto isso, vou terminar a sobremesa. Você pode lavar esse prato para mim, Lessi?

– Mal cheguei e já sou empregada? Que horror! – ela revirou os olhos rindo e eu gargalhei, atendendo seu pedido. A campainha tocou enquanto eu ensaboava o prato de vidro colorido da Mavi.

– Deve ser ele! – cantarolou feliz e eu fiquei feliz em vê-la assim depois de muito tempo. Continuei a lavar o prato até perceber que eles estavam no cômodo.

– Finalmente vocês vão se conhecer! – eu me virei para encará-los, mas meu coração parou. – Amor, essa é a Lessi. Lessi, este é o...

Deixei o prato se chocar com o chão, produzindo um som estrondoso e quebradiço.

– Alessia?

– Dustin?


Notas Finais


AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAaaaaaaaaaaaaaaaa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...