1. Spirit Fanfics >
  2. The Neighbors - Gadizaski >
  3. Noite no pátio

História The Neighbors - Gadizaski - Capítulo 29


Escrita por:


Notas do Autor


boa leitura :)

Capítulo 29 - Noite no pátio


Fanfic / Fanfiction The Neighbors - Gadizaski - Capítulo 29 - Noite no pátio

- VOCÊ VAI CASAR? - as quatro amigas gritaram juntas enquanto encaravam Gabriela. 

- Não gritem. - Gabriela as encarou. - Sim, eu vou. 

- E o tio Lúcio aceitou de boa? - perguntou Manu. 

- Não, ele deu um surto e quase bateu no Vinicius, mas no fim conversei com ele e acho que ele entendeu o que eu quero. - disse Gabriela. 

- E eu achando que a maluca era a Daphne. - disse Heslaine bebendo seu suco em seguida. 

- Eu não sou maluca. - disse Daphne. 

- Mamãe não é mauca. - Maria disse enquanto comia um prato com legumes e um pouco de arroz e pedacinhos de carne. 

- Ela te chamou de mamãe? - Heslaine a encarou. - E depois não quer ser chamada de maluca. 

- Hes, o foco aqui é a Gabi e não a Daph. - disse Ana. - A nossa amiga vai se casar em dois meses. 

- Vai dar conta de planejar esse casamento, Gabi? - perguntou Daphne. 

- Vou, até porque não quero nada exagerado, só uma cerimônia simples e com as pessoas que Vini e eu gostamos. - disse a filha de Lúcio. 

- Relaxa prima, você pode contar com a nossa ajuda. - disse Manu segurando a mão da garota. - Você vai ser muito feliz. 

- Eu já sou. - sorriu Gabriela. 

- Estamos felizes por você. - sorriu Ana, abraçando Gabriela que estava ao seu lado. 

- Obrigada meninas, de verdade. - Gabriela sorriu para cada uma. 

- Vai ser lindo e a Maria pode até ser sua daminha de honra. - disse Daphne. 

- Será que o Bruno deixa? - perguntou Gabriela. - Eu iria amar. 

- Ele deixa sim. - disse Daphne. 

- Mamãe, teminei. - disse Maria olhando para Daphne. - Pode binca? 

- Pode. - Daphne sorriu, limpando a boca da garotinha com um guardanapo e a colocando no chão em seguida. 

Maria sorriu, pegando sua boneca e correndo pelo pátio até chegar na casinha de bonecas, onde havia outra menininha brincando. Daphne sorriu ao ver Maria fazendo amizade com a outra menininha, voltando a olhar as amigas que a encaravam. 

- O que foi? - perguntou Daphne. 

- A relação de vocês duas é linda. - disse Ana. 

- Sempre soube que você tinha dom pra ser mãe, prima. - sorriu Gabriela. 

- É que vocês não viram as duas brincando juntas. - disse Manu. 

- Eu gosto muito dela. - sorriu Daphne. 

- Você gosta do pai dela. - disse Heslaine. 

- Eu o amo mesmo. - disse Daphne. 

- Não sei quem é mais maluca, você por permitir que a filha do seu namorado te chame de mãe ou a Gabi por se casar com menos de cinco meses de namoro. - disse Heslaine. 

- Eu já completei cinco meses de namoro, ok? - Gabriela a olhou. 

- Não vou nem te responder, Hes. - disse Daphne. 

- O que? Não posso dar minha opinião? - Heslaine as olhou. 

- O problema é você sempre dá opinião, até quando ninguém pede. - disse Manu. 

- E tem coisas que você diz que podem acabar machucando ou chateando a outra pessoa, amiga. - disse Ana. 

- Quando eu fiz isso? - perguntou Heslaine. 

- Vai fazer a sonsa? - Manu a olhou. 

- Eu vou brincar com a Maria, com licença. - disse Daphne antes de levantar e seguir em direção a casinha de boneca. 

- Não falei nada agora. - disse Heslaine. 

- Mas vai nos ouvir mesmo assim. - disse Ana. 

- Amamos você e é pelo seu bem. - disse Gabriela. 

- Desconta logo a sua raiva em mim. - disse Manu, fazendo as outras três encara-la. - O que? Ela só fala besteira quando está de mau humor e sei que é por causa da Gi. 

- Até quando essa menina não está aqui, inferniza. - disse Heslaine. 

- Ah, está explicado a implicância comigo e a Daphne. Tudo isso é inveja. - disse Gabriela. 

- Inveja do que, maluca? - Heslaine a encarou. 

- Das duas estarem bem no relacionamento delas e você e a Manu não estarem bem. - disse Ana. 

- Não é nada disso. - disse Heslaine. - Manuca e eu estamos bem. 

- Não estamos não. - disse Manu. 

- Então, vamos ficar. - disse Heslaine, segurando o rosto da garota que estava ao seu lado e a beijando. 

- Entendeu alguma coisa? - perguntou Gabriela. 

- Nada. - disse Ana. 

Perto da casinha de bonecas, Daphne estava sentada no chão brincando com Maria. As duas estavam sozinhas, pois a outra menininha já havia ido embora. Daphne segurava uma das bonecas, quando Maria se aproximou e sentou em sua frente. 

- Mamãe? 

- Oi princesa? - Daphne a olhou. 

- Poque você não mola tomigo e com o papai? - perguntou a garotinha. 

- Porque nós só somos namorados, pequena. - disse Daphne. 

- Quelia que molasse tomigo, poque ia faze válios bolinhos com chocoate. - disse Maria. 

- Só quer que eu vá morar com você pra fazer bolinhos? - Daphne riu, arrumando o cabelo a enteada. 

- E pa conta histólias antes de domi e faze meu papai feliz. - disse Maria, fazendo Daphne sorrir. 

- Um dia, quem sabe. - Daphne disse, entregando a boneca para a garotinha. 

- Pode domi tomigo, eu deixo. - disse Maria, vendo Daphne sorrir novamente.

- Está bem. - disse Daphne. - O que acha de fazermos bolinhos de chocolate amanhã?

- OBAAA! - Maria sorriu. - Eu quelo.

- Vai me ajudar a fazer? - perguntou Daphne.

- Sim. - a garotinha afirmou com a cabeça, vendo o pai se aproximar com uma sacola na mão. - PAPAI.

A garotinha correu até o rapaz, pulando no colo do mesmo. Bruno sorriu, abraçando a filha.

- Que abraço gostoso. - disse Bruno e logo sorriu.

- Tudo isso é saudade, Maria? - perguntou Daphne ao ver o namorado se aproximar e sentar ao lado, dando um selinho na namorada em seguida.

Maria afirmou com a cabeça, olhando o pai e sorrindo em seguida. 

- Papai também estava com saudades. - Bruno sorriu. - E olha o que eu trouxe.

- O que? - as duas perguntaram juntas.

- Mini pastéis doces. - Bruno disse, abrindo a pequena sacolinha em sua mão.

- OBA! - Maria sorriu, colocando a mão dentro da sacolinha.

- Pastéis doces? Seu chefe mudou o cardápio da lanchonete? - Daphne olhou o namorado.

- Não, uma moça conhecida do Juan passou lá vendendo e nós dois compramos sem o chefe saber. - Bruno contou.

- Uma moça? Ela era bonita? - perguntou Daphne, vendo Bruno rir.

- Ela era. - o moreno disse, vendo a namorada fechar a cara. - Mas nada comparado a você, amor.

Daphne sorriu, deitando a cabeça no ombro do namorado. Enquanto isso, as quatro amigas, Juan e Vinicius conversavam em volta da mesa.

- Heslaine, come devagar. - disse Ana.

- Não dá, eu amo pastéis doces. - disse a garota. - Até que o Bruno não é tão chato assim, trouxe pastéis.

- Mas ele nem disse nada e você já está chamando ele de chato? Isso aí é amor encubado, só pode. - disse Vinicius.

- Cala a boca, loiro. - disse Heslaine, vendo o mesmo revirar os olhos.

- Oi prazer, me chamo Vinicus Wester. - ele disse estendendo a mão para Heslaine que o olhou confusa. - É pra ver se você aprende o meu nome.

- Chato. - disse Heslaine, comendo um dos pastéis.

- Olha só quem fala, a dona da chatice. - disse o loiro.

- Ô garoto, me respeita. - disse Heslaine, vendo o rapaz rir.

- Que engraçado, essa piada foi boa. - disse Vinicius.

- Amor, não provoca. - disse Gabriela.

- O que? Não estou fazendo nada. - disse o loiro.

- Está me tirando a paciência. - disse Heslaine.

- Ela está de tpm, implica com todo mundo quando está assim. - disse Manu.

- Amiga, ela é assim mesmo sem tpm. - disse Ana.

- Estou ouvindo tudo. - disse Heslaine.

- É pra ouvir mesmo. - disse Juan que abraçava a namorada.

- Tiraram o dia pra jogar as coisas na minha cara? - perguntou Heslaine.

- Sim, pra você ver como é bom. - disse Manu.

- Vocês são todos chatos. - disse Heslaine.

- E você nos ama mesmo assim. - Gabriela sorriu.

- Somos chatos e temos nossa rainha da chatice, você. - Ana sorriu.

- Ok, a chata aqui vai fazer uma coisa muito legal. - disse Heslaine.

- O que? - perguntou Juan.

Heslaine os olhou, virando em direção a Daphne e Bruno. 

- DAPH! GADIOL! VENHAM AQUI. - gritou a garota.

Todos a olharam sem entender, mas viram o casal se aproximar com a garotinha no colo.

- O que aconteceu? - perguntou Daphne.

- Sentem-se. - disse Heslaine.

O casal se sentou ao lado dela e de Manu. Bruno ajeitou a filha no colo e todos olharam para Heslaine, que pegou o celular no bolso e se virou. 

- Iremos tirar uma foto. - disse Heslaine, entregando o celular para Juan.

- Você quer tirar foto com todo mundo junto? - perguntou Daphne.

- Quero. - disse Heslaine. - Eu entendi que sou chata com vocês e peço desculpas pelas vezes que os chateei, não era minha intenção. Então, quero tirar uma foto com todos juntos e quando eu dizer algo que não gostem, olhem para a foto e vejam como sou legal e não fiz por mal.

- Essa é nova, mas eu gostei. - disse Manu.

- Estranho seria se você não gostasse, né? - Gabriela riu.

- Ok, ok, todos se ajeitando então. - disse Juan, ajeitando a câmera.

Todos se ajeitaram e olharam para o celular, sorrindo em seguida. 

- Digam: NANE! - disse Manu.

- NÃO! - Heslaine gritou.

- NANE! - todos gritaram e riram, quando Juan tirou a foto.


Notas Finais


até o próximo! 🌻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...