1. Spirit Fanfics >
  2. The Red King - O Rei Vermelho (Jikook) >
  3. Sangue Vermelho: O início do Titan

História The Red King - O Rei Vermelho (Jikook) - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Sangue Vermelho: O início do Titan


Acordo com uma imensa dor no Globo ocular, a pedra Cliorah estava causando reações forte em meu corpo, pois o mesmo estava totalmente dolorido e completamente pálido. Tentei me levantar do colchão e foi completamente em vão, a dor era tão grande que me causava pontadas direcionadas as costelas, costas e ombros. Após muito tentar acabo conseguindo me levantar, me segurando nas grades daquele lugar.

 

 

- Ora, ora, ora !!! – Ouço uma voz vindo de fora – O valente agora está bem adestrado, gostou da nossa cela.

 

Me direciono o olhar para o dono daquela voz e encontro um homem alto que estava a se pronunciar, homem a qual eu nunca havia visto.

 

- Quem é você? – Pergunto olhando para o moço.

 

O mesmo tinha uma estatura forte, um físico completamente musculoso, não ao ponto de ser estranho, mais sim ao ponto de ser perceptível, seus cabelos eram castanhos, de uma tonalidade clara que ao entrar em contato com a luz solar, que invadia o ambiente mediante a uma coifa, o fazia ficar em uma tonalidade avermelhada, seus olhos eram de um preto forte, tão vibrantes que chegavam a ser penetrantes na alma, como se o mesmo a partir daquele momento haveria descoberto todos os meus segredos – como se eu estivesse algum – o homem estava a trajar um uniforme preto, uniforme padrão de soldado, que tinha uma tira prata em meio aos retalhos de seus braços e pernas, do lado direito de seu pescoço havia uma tatuagem de uma coroa de ferro, assim me ajudando a identificar de que casa o mesmo é, da casa Kim... Eu não sabia que algum membro da casa Kim fazia parte do exército de Norta, ao mirar meu olhos um pouco mais para baixo de seu pescoço eu encontro seu nome bordado também de prateado em um fio de linho completamente fino, o nome a qual se mantinha no seu peito esquerdo era Kim Namjoon. Não conhecia bem a casa Kim mas sabia apenas o necessário, ao ponto de ter a consciência que eu estava a frente da maior autoridade da bendita casa do ferro, ou seja estava na presença de um líder.

 

- Olá senhor Kim, veio fazer o que aqui – O fito com o olhar de desespero – Veio perder o tempo olhando para mim com essa sua cara feia. – Falei com convicção, oposto de como estava a 10 segundos atrás, sem o menor pingo de medo, mesmo sabendo que ele poderia me matar a qualquer momento.

- Uhm, bem que o rei falou que você era bem corajoso, ao ponto de insultar o líder do ferro – O mesmo seguidamente chegou próximo e abriu a porta da cela.

- O que quer de mim? Uma reverência exagerada? Ou quer que eu simplesmente peça desculpa por estragar a apresentação do seu filho insolente? – Eu já estava morto mesmo, agora já poderia falar o que estava a engolir há muito tempo.

 

Minha dor no corpo eu havia completamente esquecido, pois agora minha meta era falar tudo o que estava entalado em minha garganta a qualquer prateado inútil. Não me importava se iria morrer ou não, até que a imagem da minha família se passar perante meu rosto, me informando que meus atos não iram apenas me castigar, e sim castigar a todos que eu amo. Fitei o chão na esperança de demostrar submissão ao prateado a frente, o mesmo seguidamente deu uma risada, não saberia o motivo, talvez pelo simples fato de mim estar demostrando como uma pessoa completamente dominante e em poucos segundos se passar para submisso.

 

- Osh, o que aconteceu ? – O mesmo pergunta entre risos – Cadê o menino que não abaixa a cabeça que estava presente aqui a cerca de 10 segundos atrás?

- Sinceramente ele morreu ao relembrar de tudo que está em jogo – Me pronuncio com um tom de voz completamente baixo.

 

Logo o prateado a frente entra na cela e me puxa pelo braço.

 

- Vim apenas aqui para lhe trazer uma notícia – O mesmo se pronuncia me retirando do poder da pedra de Cliorah – Você terá que vir comigo.

- Mas para que ? – Pergunto confuso.

- Esqueceu de que foi comprovado que o senhor não é vermelho e sim um membro de uma família morta da elite prateada.

 

Vish parece que ele não sabe que tudo isto é uma mentira, a qual o rei teve que criar para não demostrar imponência para seus súditos e para toda elite.

 

- Pensei que estava aqui para me matar – O mesmo riu seguidamente.

- Por que eu mataria o filho do meu melhor amigo – Ele fala isto e eu olho para ele demostrando surpresa – E isso mesmo, eu e seu pai fomos melhores amigos antes dele morrer.

 

Não pensei que teria que começar com isto tão cedo assim, eu imaginava que pelo menos eu teria um tempo para pensar no que fazer, em como enganar a todos. A minha única motivação neste momento é minha família, tenho que fazer isto por eles.

 

- Nossa – o som da minha voz veio em uma tonalidade bem conjunta com minha feição – O senhor era amigo do meu pai.

 

Sinceramente a partir daquele momento minha vida se tornou outra, assim como eu terei que me tornar outra pessoa, no caso uma pessoa inexistente de uma família totalmente morta.

 

- Sim, eu e seu pai quando éramos apenas crianças nos conhecemos, e antes de tudo acontecer nos nunca nos separamos, até a sua morte chegar! – O mesmo tinha uma tristeza implícita em sua voz.

 

Não sabia o que dizer mais, optei por ficar completamente em silêncio, não queria dizer algo a qual me submeterá a qualquer tipo de pergunta ou questionamento.

 

- Uhm, por que veio aqui me dar uma notícia, isto não é trabalho para você – resolvi me pronunciar, fugindo do assunto anterior – Isto não é o trabalho de um rei do ferro.

- E que eu queria te conhecer – Ele fala me fitando da cabeça aos pés – Queria conhecer a única pessoa que possa me fazer lembrar do meu amigo, embora você não se pareça nada com o seu pai, o seu modo de agir corajosamente me faz lembrar dele. E também queria ser o primeiro a lhe dar a notícia que já pode sair da cela, e que foi providenciado a ti um quarto no Palácio até que as coisas se resolvam.

Ao ouvir o que o mesmo havia falado eu meio que tomei um susto, não sabia que o rei iria me colocar em um quarto do Palácio, pensei que iria ficar ali mesmo, apenas iria representar meu papel de filho da casa Titanos quando houvesse algum tipo de câmera ou evento, mas eu estava errado.

 

[...]

 

Estava eu agora a frente de uma porta cheia de retalhos a ouro, de forma bem celestial, ao abri-la juntamente com o Namjoon eu fico maravilhado com a decoração do ambiente, que era composta por uma cama dourada, com pedras azuis celestial em seus pés, o colchão em si estava coberto por um pano branco que eu conhecia bem, aquele tipo de pano era feito totalmente para realeza. Havia um armário do tamanho da parede sobreposto ao lado esquerdo da cama, o mesmo era de madeira de calvário, pintado de uma cor totalmente escura, as cortinas presentes no local cobrindo as enormes janelas e a sacada, eram de uma cor rubra, tão forte quanto a de sangue derramado.

 

- Uau... – Me pronunciem maravilhado com o cômodo e todos os seus componentes.

 

Eu nunca havia visto um quarto assim, pois sempre quem limpava eles eram os superiores, e não os meros empregados vermelhos.

 

- Lindo né!! – O rei do ferro se pronunciou – Eu fiz questão de escolher este quarto para você... Queria que você vivesse da melhor forma possível, pois sei que foi criado por vermelhos e sei que eles não tem ótimas acomodações.

- Realmente, na minha casa vermelha não tinha tanto luxo, aliás os vermelhos sofrem muito lá fora para sustentar o que tem aqui dentro – Estava começando a me alterar, e notei um olhar questionador da parte dele, estão me reformulei, mudei meus argumentos – Mas fazer o que né, e isso que eles merecem – Comecei a falar daquela jeito, me fazendo assim eu me sentir um traidor, falando mal das pessoas de meus sangue sabendo mesmo assim que elas sofrem tanto – Sempre me sentir mais superior que tais vermelhos, e agora finalmente posso fazer isso.

 

Ao falar daquela forma o Kim olhou para mim como se estivesse orgulhoso de tal forma que eu estava a falar coisas ruins, não imaginaria que um ser humano poderia achar satisfatório a fraqueza, a destreza e a miséria alheia.

 

- Sinto muito mais terei que deixá-lo sozinho, pois você sabe né, soberanos da elite tem muito o que fazer – Eu levemente balancei a cabeça ouvindo o mesmo – Mas logo venho lhe ver novamente. Ahh.... E daqui a pouco sua assistente pessoal vira lhe ajudar.

 

Logo o mesmo se vira de costas e passa sobre a soleira da porta, adentrando ao corredor imenso a qual se perderia em meio ao labirinto de corredores e salas presentes naquele tal palácio. Após isso fiquei a olhar para o imenso quarto, aquilo era demais para mim, eu não necessito de tanto luxo. Sinceramente se eu vender uma peça mínima desse quarto da para alimentar minha família por um ano inteiro.

 

- E agora o que eu faço – Falava comigo mesmo.

 

Fui em direção a cama e me sentei, ela era totalmente confortável, seu estofado era um dos mais confortáveis de todos que eu já sentei, apesar de eu nunca tivesse sentado em algo tão macio quanto essa cama. Logo me deitei nela e me permiti pensar, o que seria de mim daqui para frente? O que eu poderia fazer para mudar meu jeito de agir? Como eu me tornaria um prateado?

Em meios aos pensamentos duvidosos eu acabei adormecendo.

 

[...]

 

Sentia leves toques sobre meu ombro direito, assim acabei acordando, ao abrir levemente meus olhos dei de cara com uma menina, a qual nunca havia visto no Palácio em todo o período de tempo a qual trabalhei como um vermelho, ela aparentemente não era uma vermelha, e sim uma prateada condenada a servidão, era notável isto por conta de suas vestes, que não eram trapos velhos, e por conta do tom de sua pele, totalmente pálida como gelo.

 

- Senhor – Sua voz saiu doce de seus lábios – Eu sou sua ajudante.

- Ah então será você – Me levantei da cama – Não precisa de tanta formalidade, apenas me chame de Jimin.

 

Ao ver tal gesto a mesma parecia se surpreender, eu até entendo o seu lado, pois os prateados não costumavam ser tão gentis. Não queria ser um prateado egoísta mesmo sendo tudo mentira.

 

- Você irá me ajudar exatamente no que ? – Perguntei curioso.

- Eu irei apenas arrumar seu quarto, lhe conduzir para suas próximas aulas e ajudá-lo a se vestir.

 

Ao ouvir tais palavras minha feição aparentasse uma estranheza, não queria ninguém me ajudando a me vestir, não quero ninguém me vendo nu.

 

- Tudo bem você pode me ajudar em tais coisas mas menos em relação a roupa. – Falei e me sentei na cama – Não quero ninguém vendo meu corpinho nu – Seguidamente dei uma leve risadinha – Eu irei lhe ajudar com a arrumação do quarto, pois o mesmo e muito grande para que arrume sozinha.

- Mas... – Ela iria falar algo.

- Nada de mas eu irei lhe ajudar e ponto final – Falei com convicção.

 

Após nossa pequena conversinha a mesma deu as costas para mim e olhou para porta, a qual estava a passar uma bela mulher, sem dúvidas a mesma era uma prateada, pois ela estava vestida com um belo vestido de cor azul. Tal cor identificava que ela era de uma das casas da elite, pude notar também por conta de que na barra de seu vestido havia leves cores brancas dando um elevado de onda do mar, propositalmente aquilo mostrava qual era seu dom, a mesma manipulava líquidos, especificadamente a agua.

 

- Olá – A mesma se pronunciou adentrando o cômodo – Eu serei a sua ajudante em bons modos, irei lhe ensinar como sentar direito, como se comportar perante a corte, e entre outros ensinamentos.

 

A mulher ela tinha uma aparência gélida, seu rosto era pálido e tinha um olhar frio, seus cabelos eram de um azul cintilante e muito longo. Tal também fazia parte da corte de elite, embora fazendo isto deixa um questionamento de que todos da elite fazem o que o rei manda.

 

- Meu nome é Min Hyaru, sou a representante da casa Min, mas conhecida como a Casa da Água.

- Eu sei quem a senhora é, uma das mulheres mais importantes para a nossa sociedade, pois junto com seu filho impede de que nossa preciosa... – Preciosa não né, mas vamos relevar -... Terra não se inunde com as águas violentas do mar morto.

- Exatamente, e um ponto para você, pois ser completamente a par de toda a história do Reino faz parte de seu treinamento, e vejo que você está bem informado.

- É que na escola dos vermelhos ensinam tudo sobre Norta, e sobre os poderes dos prateados, e aqueles que são importantes.

 

Os ensinamentos das escolas vermelhas eram péssimos, somente falávamos sobre os prateados e como somos submissos a eles, pois estudar qualquer coisa que não seja isto está somente disponível para os prateados... Quando eu estudava, queria aprender tudo sobre música, mas tal matéria, como diz todos os prateados, não era necessária para meros e medíocres trabalhadores.

 

- Já que você sabe um pouco sobre nossas histórias – A mulher voltou a se pronunciar – Me diga o nome de todas as casas da elite, e todos os membros presentes nelas.

 

Me pus a pensar, para que pudesse me recordar deste tal assunto, a qual havia aprendido a muito tempo atrás ...

 

- Uhmm... Começamos com a casa Jeon, a casa das chamas, a qual é composta pelo rei a rainha e seus 2 filhos... – Parei por um segundo para me lembrar do resto, e logo voltei a falar – Seguidamente temos a casa Kim, a casa do ferro, a mesma e o braço direito do rei e de sua família, ela e composta por Kim Namjoon, o membro principal da Guarda do reino, conhecido por sua bravura nos tempos difíceis e também por fazer grande feitos na guerra contra Lakeland, junto com seu marido Kim Seokjin eles são os dominantes da terra de Whinter, ambos tem 3 filhos, que são Kim Taehyung, Kim Jisoo e Kim Yugyeom, está casa ela domina todos os ferros e metais da terra... Logo temos a casa Jung, ou mais conhecida como Casa Floral.... – Enquanto dizia tudo aquilo a mesma marca algo em um caderninho que se encontrava em sua mão – A casa Jung é composta por Jung Lyru, a graciosa mulher que mantem toda a agricultura de Norta viva e bem, juntamente com seu filho Jung Hoseok, tal casa tem uma grandeza importância para o reino, assim como todas, pois está tem como dominação as plantas e todo ecossistema de Norta.

 

Parei por um minuto, tentando me lembrar do resto das casas...

 

- O que foi, se esqueceu do resto – A mulher se pronunciou em um tom de voz sarcástico.

- Não – Logo falei.

 

Eu queria demostrar pra ela todo meu conhecimento, talvez aquilo dentro de mim me faria pensar que não sou diferentes deles por ser classificado por um vermelho, pois inteligência ao ver de toda a sociedade prata, era algo que os vermelhos não tinham, mas eu estava ali para provar para ela que seus pensamentos eram demasiadamente incorretos.

 

- Agora, de acordo com a ordem de importância vem a sua casa, a casa Min – Ela movimentou sua cabeça positivamente ao me ouvir – A casa Min, ou mais conhecida como Casa das Águas e composta pela senhora, a Dama de azul como é conhecida em sua terra Min Hyaru, e seu filho Min Yoongi, ambos dominam todos os líquidos presentes na face da terra, principalmente a água.

 

Novamente fiz uma parada mas logo voltei a falar.

 

- Agora vem a casa Baek, tal casa e bem conhecida por conta de sua manipulação peculiar, sobre a luz e escuridão tal talento nunca tinha se visto em Norta, então o rei com toda a sua destreza e sabedoria – Só de falar dele assim eu fico meio enojado – Usou tais talentos na guerra contra Lakeland, Baek Ineun-Lyn e a dama da luz, e sua esposa Baek A-yeon e a dama da escuridão, ambas são oposto uma da outra mas isso nunca foi um problema para o amor que uma tem pela a outra,  elas têm um filho, um híbrido de seus dois talentos Byun Baekhyun, ele e o único híbrido existente entre todas as casas, e seu poder e tão letal quanto de suas mães, ele foi enviado para a guerra para ajudar o país.

 

Era notável que cada vez que eu demonstrava meu conhecimento, a feição de surpresa no rosto da Dama de Azul na minha frente, ficava cada vez mais perceptível.

 

- Você é bem esperto – Ela demonstrava sarcasmo em sua voz – Agora quero ver se você conhece as duas últimas casas.

- Eu conheço bem – Falei convicto.

 

Logo as últimas aulas que tive na escola vermelha passou em minha mente, mostrando minha antiga e tão amada professora...

 

- Agora vem a casa Tuan, que por sua vez não mede esforços em seu poder, que consiste em manipular a mente humana, ou até mesmo animal, tal casa e mais conhecida como A Casa Invasora... Mark Tuan e o líder desta casa, juntamente com seu irmão Matthew Tuan, são os líderes mais novos, pois tiveram que entrar no lugar de seu pai pois o mesmo acabou morrendo drasticamente na guerra.

 

Parei de falar e somente pus me observar a mulher a minha frente, ela esbanja agora um sorriso, que para mim era bem sarcástico.

 

- Você não está se esquecendo de algo? – A melódica voz da Dama me colocou novamente em um estado pensativo.

- Ahn... Como pude esquecer – Me pronuncio – A última casa e a da realidade, mas até hoje somente a um membro nesta casa... A casa Kwang e composta por uma bela dama, que sempre está ao lado do rei, a Lalisa Kwang Manoban... Sua manipulação sobre a realidade e tão precisa que pode atingir uma cidade inteira com seu poder.

 

Finalmente terminei de mostrar meu total conhecimento, a prateada a minha frente ainda anotava algo em seu caderno..

 

- Uhmm.. Você é realmente inteligente, deve ter puxado a sua mãe.

 

Ainda não estava habituado a nova mentira de que eu era um prateado e minha reação foi de confusão.

 

- A senhora Titan, como todos a conheciam era uma mulher muito sabia, e seu conhecimento era imensurável... Eu tive o prazer de tê-la uma vez em minha casa.

 

Eu estava a digerir tudo o que ela falava, pois querendo ou não, eu tinha que saber mais sobre a família Titan, para que assim eu possa enganar os outros melhor, e assim salvar minha família da garra do Rei.

 

- Lenas Titan adorava ouvir música, ela tinha uma beleza extraordinária, até o próprio rei já a desejou, ele iria desposar a maravilhosa Titan, só que o destemido Maxon fez isto antes... O amor deles dois era tão lindo quanto a lua do céu, e acreditava que o casal era o mais poderoso de toda Norta, com seu poder destruidor, e pelo que me disseram parece que você também e assim.

 

Olhei para ela surpreso, como assim disseram, ela não estava na prova real.

 

- Irei deixá-lo agora – A Dama de Azul mudou o assunto – Para que assim possa descansar, pois mais tarde o senhor irá ser apresentado perante toda Norta, como o único herdeiro da casa Titanos, a casa Elétrica.

 

Logo ela se levantou e passou sobre a soleira da porta, e assim como o Rei do ferro, Kim Namjoon, se perdeu entre os labirintos de corredores presente naquele local.

Pude novamente jogar meu corpo sobre a confortável cama, naquele momento muitas questões transpareciam em minha mente, e nenhuma havia uma simples resposta... Pensar que daqui a poucas horas eu serei apresentado como um prateado me dá enjoou, pois nunca pensei que teria que me tornar alguém que eu mais odeio, um prateado.

 

 

 

E apartir daquele momento eu saberia que o jogo a qual o rei me colocou não seria tão fácil como eu imaginei.


Notas Finais


Cliorah: Uma pedra cristalizada que absorver a energia vital de qualquer ser vivo.
Whinter: Uma terra ao sul de Norta, onde a casa Kim comanda por ordem do Rei Jeon.

(PS: Irei voltar a escrever está fic..) E haverá atualização todos os sábados, por volta deste horário.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...