História The Room Where it Happens - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Ana Paula Padrão, Erick Jacquin, Henrique Fogaça, Paola Carosella
Tags Ana Paula Padrão, Pana, Paola Carosella
Visualizações 549
Palavras 3.923
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: FemmeSlash, Fluffy, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Em um certo dia, uma moça veio brincar comigo dizendo que eu deveria postar alguma coisa no aniversário dela, e, mesmo ela falando que era apenas uma brincadeira, eu falei que levaria a sério. Aqui estamos. Jéss sei que não é muito (se eu não estivesse em semana de provas seria mais), mas eu realmente queria postar alguma coisa como parabéns e agradecimento. Feliz aniversário, tudo de bom para ti sempre e tu é maravilhosa.

Enjoy!

Capítulo 1 - Capítula Único


Se você perguntasse a qualquer pessoa que passa pelos corredores do MasterChef se eles gostam do que fazem, eles iriam lhe responder a mesma coisa. Mesmo com as longas horas de gravações e, muitas vezes, a correria, todos gostavam da animação em dias de gravação e a sensação de um trabalho bem feito quando tudo acabava. Mas, mesmo com tudo isso, tinha uma coisa que superava as gravações internas. As gravações externas sempre davam mais trabalho em todos os sentidos, mas o fato de estarem fora das costumeiras quatro paredes e em um lugar novo, sempre deixava todos mais empolgados.

 

Dentro do avião, tinha parte da equipe que estava dormindo por já ser tarde em uma sexta-feira, tinha a outra parte estava caminhando para o mesmo. E tinha Ana Paula. A apresentadora havia se sentado perto da janela e para sua felicidade, a argentina sentaria do seu lado. Ana, desde o começo das gravações, tinha um ponto franco quando se tratava de Paola e a amizade das duas só crescera a partir da primeira conversa que tiveram.

 

“Conversa comigo? Estou cansada, mas minha cabeça não quer desligar nem por um segundo.” Paola havia falando depois de uns dez minutos que já estavam no ar.

 

“Então se eu conversar com você agora ou eu vou piorar a situação, deixando a sua mente ainda mais em alerta, ou eu vou falar até que eu esteja conversando sozinha e você tenha sido puxada por Morfeu, é isso?” Ana tentou ficar séria, mas a argentina pode ver o pequeno sorriso que queria se formar no canto de seus lábios.

 

“Si, basicamente isso. Por favor, Aninha.”

 

“Mas se você dormir enquanto eu estiver falando, eu tenho o direito de ficar ofendida.”

 

“Fechado! Sei que vou lhe compensar depois, então não tenho nada a perder.”

 

“Você sabe que eu te odeio, não é?!” Ana falou rindo, tentando não ser afetada pelo comentário de Paola. ‘Como assim ela me compensaria depois?’

 

“Até parece, eu sou a sua argentina favorita.” Paola sorriu, deixou um beijo na bochecha da apresentadora e se acomodou no assento. “Agora, fale.”

 

Ana começou a falar sobre uma de suas viagens e logo Paola estava dormindo, o último pensamento da argentina sendo o quanto a voz de Ana Paula a acalma. A apresentadora, por outro lado, deixou um sorriso escapar quando viu a argentina dormindo serenamente ao seu lado e permitiu-se perder em pensamentos.

 

Não era dúvida para ninguém que Paola Carosella era uma mulher elegante, com belos traços e curvas que lhe pareciam ser esculpidas e Ana Paula não era cega, ela sabia reconhecer e admirar algo belo, no entanto, ela não esperava ser tão afetada assim pela argentina. A apresentadora não sabia dizer ao certo quando ela começou a se sentir atraída por Paola, tudo o que ela fez após a realização foi surtar por alguns dias, beber algumas garrafas de vinho e estava tudo sobre controle. Ela não deixaria isso mudar nada entre a amizade das duas. Ou pelo menos ela achava que não.

 

Em meio de seu sono, a argentina se moveu e, consequentemente sua cabeça repousou no ombro de Ana Paula, que segurou o ar em seus pulmões por alguns segundo. Paola não havia acordado, estava tudo certo. Mas, quando a apresentadora ia voltar para os seus pensamentos, Paola se mexeu novamente e uma de suas mãos se posicionou na coxa de Ana que felizmente - ou não - estava coberta pela calça jeans enquanto a outra rodeou a pequena cintura da apresentadora. Ana Paula não sabia o que fazer, ela com certeza não iria acordar Paola só pelo fato de que a argentina estava muito próxima de si. Então, ela respirou fundo, uma, duas vezes e fechou os olhos para também, tentar dormir pelo resto do voo. Escusado será dizer que os pensamentos da apresentadora estavam a mil com a proximidade de Paola, com o perfume natural da argentina que agora lhe rodeava e com o calor do corpo da outra mulher ao seu. ‘Se o calor do corpo de Paola já está me afetando assim, por cima de camadas de roupas, imagina se nós duas estivéssemos-‘ A linha de pensamento de Ana Paula se cortou quando a mulher ao seu lado se mexeu novamente.

 

A apresentadora prendeu a respiração e fingiu estar dormindo quando a argentina, lentamente, foi se afastando e percebendo o que havia acontecido. Ana, por um certo lado, não queria olhar as expressões que estariam estampadas no rosto de Paola, com medo de que essas seriam de horror. Sentindo a argentina se espreguiçar ao seu lado, a apresentadora assumiu que ela já poderia abrir os olhos.

 

“Bom dia.” Paola brincou com a voz rouca. “Está ofendida por eu ter dormido, ou o fato de que você pegou no sono nos deixa quites?”

 

“Estou ofendida, ainda vou querer a minha recompensa.” Ana respondeu. Ela não tinha a menor ideia do que essa tal recompensa de Paola seria, mas com certeza ela estava curiosa para saber.

 

“Tudo bem, você é quem manda, Vossa Senhoria.” Paola sorriu e Ana só queria poder dizer que o ato não havia lhe afetado. No entanto, antes que ela começasse a pensar de mais novamente, o piloto anunciou que eles estavam prontos para o pouso.

 

Saindo do avião, Paola, que estava no corredor, saiu primeiro, o que deu uma bela de uma desculpa para Ana Paula abaixar o olhar e encontrar a bunda da argentina até as duas se encontrarem com o resto da equipe que havia os acompanhado. Paola carregou a mala da apresentadora, entre protestos da mesma, para o carro que as levaria até o hotel e, agora que estava mais acordada, passou o percurso todo falando animadamente sobre culinária e sobre a prova do dia seguinte, o que só fez Ana Paula querer beijar o sorriso que parecia permanentemente estampado em seu rosto.

 

Chegando ao hotel onde iriam passar um final de semana, Jacquin e Henrique foram à frente enquanto as duas mulheres andavam mais lentamente, olhando tudo ao seu redor e, consequentemente perdendo as brincadeiras e protestos dos dois homens que teriam que dividir um quarto. Paola havia deixando Ana absorver todos os detalhes da decoração e foi direto a recepção.

 

“Dividir o quarto?” Foi o que Ana Paula ouviu de Paola após sair de seu transe. Elas teriam que dividir o quarto? Como se todo o trajeto até o hotel já não tivesse sido tortura o suficiente com a argentina sempre sentada tão perto de si.

 

“S-sim. A senhora tem algum problema com isso?” O pobre atendente falou, intimidado pela força da natureza que é Paola Carosella.

 

“Não, sem problemas nenhum.” Paola pegou uma chave para si e outra para Ana, lançando um sorriso malicioso em direção à apresentadora e seguindo para os elevadores. “Você vem?” Falou casualmente e Ana Paula teve que se lembrar mentalmente de respirar. Esse seria um longo fim de semana.

 

A ida do elevador até o quarto fora feita em um silêncio confortável que nenhuma das duas mulheres se incomodou em quebrar. Entrando no quarto, as duas mulheres viram que possuía duas camas e Paola botou a mala de Ana em cima de uma delas para começar a desfazer sua mala.

 

“Você está quieta, está tudo bem? Tem algum problema em dividir o quarto comigo?” Paola, que já havia acabado de arrumar todas as suas coisas, sentou na cama e observou as costas de Ana Paula enquanto a mesma pendurava um vestido no cabide do guarda roupas.

 

“Não, problema nenhum. Só estou cansada.” Ana respondeu sem olhar para a argentina.

 

“Achei que tinha dormido no avião.“

 

“Não dormi muito, e aqueles bancos não são a coisa mais confortável do mundo para ter um bom descanso.”

 

“Ana!” Paola falou subitamente. “Sua coluna. Como eu não me lembrei disso antes?! Você está bem?” Perguntou novamente, percebendo que agora a sua pergunta tinha uma profundidade maior.

 

“Eu estou bem, Paola. Não se preocupe.” Ana riu e virou para Paola, tentando reafirmar para a argentina que ela estava bem.

 

“Tudo bem, se você diz.” A chef pareceu se convencer. “Eu vou ir tomar banho primeiro, se não se importar.”

 

“Não, vá em frente.”

 

O barulho do chuveiro se fez presente alguns minutos depois e Ana Paula chegou à conclusão de que dividir o quarto com Paola seria muito mais difícil do que ela imaginava. Sem a sua permissão, imagens da argentina nua e molhada no chuveiro começaram a invadir a sua mente e ela, para ter uma desculpa e se manter ocupada, foi arrumar as suas roupas que já se encontravam em seu devido lugar.

 

Paola, quando saiu do banheiro, já estava devidamente vestida, o que causou um misto de alivio e frustação na apresentadora.

 

“Todo seu, madame.” Paola falou, indo em direção a sua cama.

 

“Oi?” A apresentadora estava distraída e quando tais palavras foram proferidas a ela, ela sabia com certeza que deveria ter prestado mais atenção à argentina, pois o sentido daquela frase não poderia ser o que ela queria ouvir.

 

“O chuveiro?! É todo seu agora, pode ir.” A argentina tentou não rir, sabendo muito bem para onde os pensamentos de Ana Paula tinham ido. ‘Pode não ser agora, mas tenha certeza de que meu corpo será todo seu.' Paola pensou enquanto a apresentadora murmurou um obrigada e foi em direção ao banheiro.

 

De uns meses para cá, Paola não conseguia tirar Ana Paula da cabeça, o que a estava lhe deixando doida. Ela nunca havia sentido atração por nenhuma mulher antes e, sem explicações, a apresentadora parecia invadir seus pensamentos a cada momento importuno. Seus sonhos começaram a ter um frequente par de olhos jabuticaba que encaravam Paola por entre suas pernas, sempre o mesmo cabelo castanho que se enrolava entre seus dedos e sempre a mesma boca que trilhava beijos por toda superfície de seu corpo. Paola precisava ter a apresentadora pelo menos por uma noite, ou ela tinha certeza que perderia a cabeça mais ainda, e isso simplesmente não poderia acontecer.

 

________________________________________________________________________________________

 

Na noite seguinte, depois que a prova havia terminado, todo mundo havia combinado de se juntar no restaurante do hotel para jantar.

 

Chegando ao quarto, a argentina foi novamente tomar o seu banho primeiro enquanto a apresentadora escolhia o que vestir. Depois de examinar meticulosamente todas as suas roupas que estavam penduradas em cabides, Ana Paula decidiu em um vestido preto de couro que acentuava seu corpo e acabava antes de chegar ao joelho. Uma pequena voz em sua cabeça a fez se questionar para quem ela estava se vestindo, para ela ou para Paola, e ela prontamente se convenceu de que era totalmente para ela, que ela merecia vestir algo bonito para si mesma por uma noite.

 

Paola, dessa vez, havia saído do banheiro de roupão e com a toalha em mãos, secando as mechas negras. A apresentadora se permitiu um olhar para a argentina antes de andar apressadamente até o banheiro e se encostar-se à porta, pedindo para quem quer que seja que ela possa ter uma noite de paz.

 

No entanto, como ela esperava, seu pedido não foi atendido e no mesmo segundo em que ela saiu do banheiro, deu de cara com Paola sentada na cama mexendo em seu celular vestida em um vestido também preto que modelava todo seu torso e se soltava da cintura para baixo.

 

“Ana, você está linda.” Paola levantou a cabeça e olhou para Ana por trás dos óculos com admiração.

 

“Obrigada, argentina. Você também está linda.” A apresentadora falou, um leve rosado dominando seu rosto. “Vamos?” Perguntou após calçar os saltos.

 

“Lidere o caminho.”

 

Em meios de histórias e criticas de brincadeira à comida do hotel -algumas talvez não tivessem sido de brincadeira, mas quem está contando- tudo estava correndo agradavelmente bem.

 

“E ai, como está sendo dividir o quarto com Jacquin?” Ana Paula perguntou depois que os pratos já haviam sido retirados e agora os quatro, juntamente com Patrício, estavam apenas bebendo.

 

“Tirando o fato de que ele é uma criança de vez em quando, tá tudo certo por enquanto.” Henrique respondeu. “E como está sendo dividir o quarto com a Paola? Eu soube que ela é bagunceira e deixa tudo espalhando.” Brincou.

 

“Ei, você já foi milhares de vezes ao meu camarim, sabe que eu sou organizada.” Paola protestou. “Não é, Aninha?” Falou com uma voz beirando a sedutora enquanto disfarçadamente posicionava sua mão no joelho de Ana Paula. A apresentadora teve um déjà vu, mas a diferença foi que desta vez, Paola estava completamente consciente de seus atos.

 

“Sim. Paola é um completo anjo-“ Direcionou seu olhar para Paola, que entendeu o que a apresentadora quis dizer e simplesmente mexeu sua mão do joelho de Ana para a sua coxa. “Ela é organizadinha, também não tivemos nenhum problema até agora.”

 

“Por que até agora? Está esperando algo a mais acontecer?” A argentina falou com uma falsa inocência. ‘O que está acontecendo?’ Pensou a apresentadora.

 

“De você eu não duvido nada, argentina.” As duas mulheres travaram uma batalha de olhares até Jacquin começar um outro assunto que nenhuma das duas prestou muita atenção.

 

“Ana, nós podemos sair daqui?” Paola sussurrou no ouvido de Ana Paula.

 

“Paola...” Ana respirou fundo e tentou manter a sanidade.

 

“Por favor, Aninha.” E, sério, como a apresentadora poderia negar alguma coisa a essa mulher?

 

“Lidere o caminho.” Ana repetiu a frase de Paola, fazendo a argentina sorrir.

 

“Meus amores-“ Anunciou a argentina, chamando a atenção dos outros componentes da mesa. “Eu e a Ana já vamos, foi ótimo jantar com vocês.”

 

“Juízo viu.” Henrique falou para Paola quando ela foi se despedir do mesmo.

 

“Não faça nada que eu não faria.” Jacquin havia falado para Ana.

 

Depois das despedidas, as duas subiram para o quarto novamente e, como um ritual, a argentina se dirigiu ao banheiro primeiro. Enquanto a argentina estava no banheiro, Ana se ocupou em retirar seus saltos e alcançar o zíper de seu vestido para retira-lo enquanto, inevitavelmente, pensava em Paola.

 

Existe uma frase que de vez em quando é dita para pessoas que já falharam duas vezes em que se diz que “Na terceira vez vai dar sorte”, Ana Paula com certeza não havia visto relevância no ditado até que a porta do banheiro se abriu para revelar Paola vestida apenas com um conjunto preto de lingerie rendada, roubando todo o ar de seus pulmões.  

 

“Precisa de ajuda?” Paola falou casualmente enquanto Ana a olhava confusa. “Com o vestido. Precisa de ajuda para tirar?” E sorriu vitoriosa ao ver a reação que tinha sobre Ana Paula. Ela havia pensado que sair do banheiro em apenas calcinha e sutiã seria de mais, mas vendo a apresentadora parada em seu lugar e tentando não olhar para cada parte exposta de seu corpo, Paola sabia que havia tomado à decisão certa.

 

“Na verdade, sim. Você poderia abrir meu zíper, por favor? Achei que seria mais fácil de alcançá-lo.” Ana, depois de recompor a compostura, resolveu entrar no jogo.

 

A argentina andou deliberadamente de encontro a Ana Paula, se posicionou atrás da mesma, moveu os cabelos castanhos que tanto vira em seus sonhos para um lado do ombro da apresentadora e prontamente puxou o zíper para baixo com delicadeza. Sem perder a oportunidade, assim que o vestido estava amontoado em volta dos pés de Ana, Paola prontamente passou seus braços pela cintura da mesma, juntando seus corpos seminus.

 

Ana Paula não conteve o gemido que escapou de sua boca, ela nem conseguiria realizar tal feito naquele momento, então ela deixou o desejo guiar suas ações e tombou a sua cabeça no ombro de Paola, apenas aproveitando todo o contato de pele com pele que ela tanto desejava. Paola, aproveitando que o cabelo da apresentadora estava jogado para um lado de seu ombro, começou a distribuir beijos pelo pescoço da apresentadora, dificultando qualquer pensamento coerente se formar na cabeça da apresentadora.

 

Ana podia sentir a humidade entre suas pernas crescendo a cada mordida que Paola deixava em seu pescoço, ela não se lembrara de ter ficado tão molhada assim só com pequenos beijos pela extensão de seu pescoço. Ana Paula amava Paola, ela tinha certeza disso, mas algo dentro dela sempre lhe falara que a argentina nunca poderia retribuir esse sentimento. Então, se desfazendo de todas as inseguranças, os últimos pensamentos que a apresentadora teve com clareza antes da chef retirar seu sutiã e apertar seus seios foram: ‘Se isso vai acontecer apenas uma vez, eu vou aproveitar cada segundo. ’

 

A apresentadora se virou, ficando de frente com Paola que prontamente fechou o espaço entre as duas e prendeu o corpo de Ana Paula á parede atrás de si.

 

“Eu tentei por tanto tempo te tirar da minha cabeça. Eu dizia para mim mesma que isso era algo passageiro, mas, ao invés de desaparecer você começou a invadir meus sonhos, começou a me levar a loucura com esses olhos intensos e essa boca que me faziam sentir tantas coisas inesperadas.” Paola pressionava seu corpo firmemente com o de Ana, proferindo as palavras quase com raiva enquanto encarava os olhos da apresentadora. Ana Paula, por sua vez, gemeu novamente com o contato do pano do sutiã de Paola contra seus mamilos que estavam rígidos. “Eu vou te fazer minha, Ana Paula, nem que seja a última coisa que eu faça, porque eu não aguento mais perder a concentração que eu tanto preciso.” Paola olha profundamente nos olhos de Ana e, por um segundo, a apresentadora vê uma ferocidade nos olhos da argentina, até que eles suavizam e a chef se inclina para beijar a apresentadora.

 

Paola passa a língua no lábio inferior de Ana Paula, e isso é tudo o que é preciso para o beijo se intensificar, a apresentadora pedindo passagem para adentrar a boca da argentina, que prontamente cede aos desejos de Ana enquanto uma de suas mãos se entrelaça com o cabelo da mesma, prendendo a jornalista no lugar.

 

Empurrando gentilmente Ana Paula sobre a cama, Paola começa a retirar a calcinha da apresentadora enquanto sua boca se posiciona em um dos mamilos de Ana e o chupando, a fazendo gemer novamente e logo repetindo o mesmo ato no outro. Quando se viu por satisfeita com as reações da apresentadora, a argentina trilhou um caminho de beijos até o sexo da mesma, envolvendo o clitóris de Ana com os lábios.

 

“Paola-“ Ana Paula agarra os lençóis com uma das mãos, e com a outra ela segura nas mechas de Paola, fazendo-a ficar onde estava.

 

A argentina, tomando piedade em Ana, circula sua entrada com a ponta de sua língua, fazendo a apresentadora gemer alto e sua mão puxar o cabelo de Paola. A argentina sorriu com satisfação e voltou com a sua boca para o clitóris de Ana, o chupando no mesmo segundo em que introduziu dois dedos um sua intimidade.

 

“Foi exatamente assim que eu lhe imaginei. Deitada em baixo de mim-“ Paola deixou um beijo no lugar acima do umbigo de Ana Paula enquanto continuava com as estocadas. “Mordendo o lábio para não gritar meu nome aos quatro ventos-“ Outro beijo um pouco mais acima. “Agarrando os lençóis por conta do prazer correndo em suas veias-“ Um beijo no meio de seus seios. “E com esse tom mais escuro em seu olhar que me diz tudo que sua boca não se encontra capaz de pronunciar no momento.” A argentina beijou Ana Paula com ferocidade e inclinando levemente seus dedos dentro da apresentadora, o que fez a mesma se afastasse de Paola, deixando um último gemido escapar de sua boca antes de gozar nos dedos da chef. “Hm, extremamente linda.” Paola falou antes de deixar um ultimo beijo na boca de Ana e se deitar do lado da mesma.

 

Depois de alguns minutos, que se pareceram segundos para Paola que ficou surpresa com o ato, Ana Paula trocou as posições, ficando em cima da argentina e retirando o pouco de roupa que ela ainda estava vestida.

 

“Bem melhor assim, não acha?” Ana perguntou assim que Paola estava nua embaixo de si que afirmou com a cabeça.

 

A apresentadora tomou seu tempo beijando a argentina e amando cada pedacinho de seu corpo, ela esperava que suas ações pudessem demonstrar para Paola o amor que ela sentia. Quando Ana chegou à intimidade da argentina, não foi diferente. Ana Paula explorou o sexo de Paola, prestando atenção nos diferentes sons que a argentina emitia a descobrindo cada lugarzinho que proporcionava prazer a Paola.

 

“Você é tão linda, Paola. Você é linda quando está toda produzida, pronta para ir ao jantar, mas é ainda mais bonita assim, nua e vulnerável, ansiando para que eu lhe dê o prazer que você tanto deseja.” Ana falou suavemente para a argentina e logo a mesma estava se desfazendo embaixo de si, o nome de Ana Paula na ponta de sua língua.

 

Ana Paula se deitou no peito de Paola e, subitamente, todos os pensamentos e inseguranças voltaram para a sua cabeça. Essa seria a única vez em que ela teria essa experiência com a argentina e ela sabia disso, mas agora que havia acabado, tudo estava parecendo mais real.

 

“Está tudo bem?” Paola perguntou, passando seus dedos entre as mechas emboladas de Ana Paula. “Está tendo arrependimentos.”

 

“Não, não é isso.”

 

“Não é isso, mas é outra coisa então?”

 

“Sim.” Foi tudo o que Ana falou.

 

“Me diz o que foi?” A argentina perguntou gentilmente.

 

“Nada, é bobeira.”

 

“Então, qual é o problema em me contar?”

 

“Porque eu já sei o que vai acontecer se eu lhe contar.” A apresentadora falou em um fio de voz.

 

“Ana-“ Paola começou, mas foi interrompida.

 

“Eu sei o que vai acontecer a partir de agora, Paola. Amanhã nós duas vamos fingir que nada disso aconteceu, você vai seguir com a sua vida sem pensamentos meus já que agora sabe como é me foder e isso nunca mais vai acontecer.” Ana Paula aumentou a sua voz, assustando a argentina que ficou em silêncio.

 

“E você quer que isso aconteça de novo?” A voz de Paola se fez presente quando a apresentadora já estava começando a achar que ela não falaria mais nada.

 

“Você não entendeu Paola? Eu te amo.” Ana havia levantado a cabeça para encarar os olhos da argentina. “Eu te amo e dói tanto saber que esse sentimento não será correspondido, saber que eu nunca poderei fazer amor com você novamente, saber que nunca mais seremos nada mais do que amigas.” A apresentadora estava a ponto de chorar e não conseguia entender por que raios Paola estava rindo.

 

“Dá para você calar a boca, Ana Paula?!” E Paola a puxou para um beijo. “Primeiramente, para de falar besteira. Segundamente, como você sabe que eu não te amo também?”

 

“Porque isso é impossível de acontecer por tantos motivos, e sem contar com o fato de que pode acabar com as nossas carreiras.”

 

“Olhe para mim.” Paola falou decidida enquanto tinha as mãos em cada lado do rosto de Ana. “Eu não sei que motivos são esses que você está falando, e eu não ligo para nenhum deles. Também não ligo se der o fim nas nossas carreiras. Tá bom, com essa parte eu me preocupo, mas por você vale a pena arriscar isso que nós temos. Eu te amo, Ana Paula Padrão.”

 

“Eu te amo, Paola Carosella.” Ana abriu um sorriu e beijou a argentina mais uma vez.

 

“Agora que estabelecemos isso, vamos dormir, amanhã voltamos para São Paulo.” A apresentadora acenou e voltou a sua posição anterior, deitada no peito de Paola. “Boa noite, Aninha.”

 

“Boa noite, Pao.”

 

 


Notas Finais


Eu tenho um amor tão grande por Ana Paula vulnerável, vocês não tem noção.
(O dia está quase acabando, mais ainda vale, né?)
Podem ir puxar meu pé no tt @mrandapriestly. That's all.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...