1. Spirit Fanfics >
  2. Thulight - Um Amor Jamais Esquecido - Parte I >
  3. I could hold you for a million years

História Thulight - Um Amor Jamais Esquecido - Parte I - Capítulo 34


Escrita por:


Notas do Autor


Cheeeeguei meus amores, vou postar o restinho da história para vocês e assim que terminar o trailer já posto ele finalizando aqui finalmente a primeira parte da história. Boa leitura ☾☀♡

Capítulo 34 - I could hold you for a million years


"Eu sei que você não se decidiu ainda
            Mas eu nunca te faria nada de mal
           Eu soube desde o momento que nos conhecemos
           Não há dúvida na minha mente de onde você pertence."


- Luna, Luna!

Meus olhos se mantinham fechados, mas eu ainda conseguia ouvir, era absurdamente estranho, mas eu ouvia sua voz.
- Luna!

Quando finalmente consegui abrir os olhos percebi que ainda estava nessa sala, quero dizer nesse inferno.
- Achei que quando acordasse isso teria sido apenas um pesadelo. - falei enquanto colocava a mão na cabeça porque doía.
- Essa é a realidade querida - Candelaria apareceu na minha frente sorrindo.

Tentei me levantar e vi que Ramiro e Gastón já não estavam mais ali, achei estranho.

- O que aconteceu com o Ramiro? - perguntei a encarando séria.
- Foi pra algum lugar com o amiguinho dele - ela deu de ombro e foi se aproximando de mim enquanto sorria, de repente pegou a faca e começou um barulho muito forte lá fora.
- O que é isso? - ela foi em direção a janela e voltou furiosa.

Era o barulho da polícia, ela se irritou ainda mais e veio pra cima de mim, no mesmo instante a porta foi arrombada.

- É ela - Sebastian apareceu apontando pra Candelaria que se virou com tudo.
- Do que você está falando? - ela soltou rapidamente a faca e fez aquela sua cena de "inocente", revirei os olhos e Sebastian bufou.
- Foi ela que trancou eles aqui.
- Você não tem nenhuma prova, eu também fui trancada - ela começou a chorar e ele assentiu passando ao lado dela, foi até a janela e dali tirou uma câmera, sorri quase no automático quando vi aquilo. - Traíra.
- Aqui está toda a prova - ele mostrou tudo o que aconteceu ao policial que ficou abismado. 

Aconteceu tudo muito rápido, Candelaria tentou sair correndo, mas dois policiais apareceram na porta e a prenderam. 

- Vocês estão mais encrencados do que nunca, agora vai ser bem pior, podem ter certeza, aguardem. - dito isso eles levaram ela pra fora.

Sebastian ficou conversando com o policial enquanto eu corri até Matteo, então o mesmo se aproximou de nós dois.

- Desculpem a demora, eles enrolaram pra vir - Sebastian revirou os olhos - sinto muito pelo amigo de vocês.
- Achei que estivesse do lado dela já que você me deixou aqui - encarei ele sério, estava ainda sem entender. 
- Aconteceu muita coisa, foi tudo muito as pressas e eu precisava fazer isso, estava planejando há uns dois dias, não tinha como ter prova então eu "ajudei" - ele fez as aspas - ela com esse plano maluco pra mostrar pra polícia.
- Não tem o menor cabimento, tem noção das coisas que aquela garota fez aqui? Você não viu o inferno que isso tudo estava? - Matteo apareceu irritado enquanto tentava se levantar e não teve sucesso, segurei nele que me abraçou de lado.
- Pode começar a explicar, não estou conseguindo raciocinar tudo isso ainda.
- Eu sinto muito mesmo Luna, bom... Começou quando eu encontrei a Luna um pouco antes de vir pro Blake - eu apenas assenti quieta - quando eu disse que vim morar aqui, disse a verdade, mas ai quando eu entrei acabei escutando sem querer alguns dos seus amigos conversando sobre ela e falando as barbaridades que ela já tinha feito, fiquei curioso claro e de repente dei de cara com ela atrás da estufa, não faço ideia porque essa menina estava lá, então ela veio me contar que sabia da nossa aproximidade e começou a dizer coisas absurdas de como queria acabar com você, dizendo que queria se vingar e todas as coisas que ela já te disse - Sebastian olhou pra mim e apenas assenti, então ele continuou - e eu fui dando corda, concordava e disse até que queria te reconquistar, entrei no jogo dela pra ver até onde ela chegaria, não imaginei que seria tão longe assim, só que ela não me disse muita coisa, só me pediu pra fazer isso te trazer aqui, então eu trouxe e enquanto você dormia eu já tinha planejado tudo e a camera já estava ali escondida e só deixei rolar. Não sei como ela trouxe os seus amigos, da onde ela tirou aqueles homens e tudo o que aconteceu, vi isso pela camera. Eu não sabia que pudesse acontecer tudo isso, ela não me disse quase nada do que iria fazer. - ele suspirou, parecia chateado.
- Você tem problema de mexer com essa doente? Ela não tem limites Sebastian, agora já sabe o quão longe deve ficar dela - respirei fundo irritada, não engolia ainda todos esses acontecidos.

Antes que aquilo se tornasse um silêncio, me levantei e fui ver como todos estavam, saímos da sala e percebi o quanto aquela sala era escondida, por nunca ter visto ela ali. 

Chegamos na frente da escola e os meninos levaram Ramiro que ainda estava desacordado, me aproximei dele e fiquei abraçada com o mesmo até a ambulância chegar. 

A vizinhança começou a aparecer e foi chegando mais e mais pessoas, os pais dos meus amigos, os meus do Gastón...Ficamos esperando a ambulância e enquanto isso Candelaria era levada pela polícia junto com os seus pais, sentia pena deles, no caso os pais dela. A Ambar e o Gastón estavam agindo estranho um com o outro, talvez fosse toda a confusão que aquela doente causou. Jim chegou desesperada indo ao encontro da Yam e ficou ali com ela e Emma. Matteo tentava conversar com o Gas que parecia não querer muito papo. Tudo estava desmoronando em cima de todos nós e não poderíamos fazer nada. 

Ambar P.O.V

Eu não entendia o que estava acontecendo, mas de uma coisa eu tenho certeza que depois que o Ramiro ficar bem, quero conversar sério com o Gastón, ainda mais agora que somos namorados e vem toda essa avalanche em cima de nós.

Olhei pro lado e Luna estava encostada em uma árvore que tinha ali, ela parecia pensativa e deu um pulo quando cheguei mais perto.

- Que susto Ambar! - ela revirou os olhos e me sentei no meio fio sem dizer uma palavra sequer, ela se sentou do meu lado e ficou encarando a rua em silêncio, aquilo estava me deixando agoniada.
- O que você tem? - perguntei me virando de frente pra ela que fez o mesmo, mas não me encarava.
- Não tenho nada - ela deu de ombro - só estou de mau humor, minha cabeça dói, qual o problema de entender isso? - ela fechou a cara e me encolhi, era difícil ver ela desse jeito, mas relevei pelos acontecidos.
- Desculpa - falei enquanto me levantava e ela segurou o meu braço me puxando fazendo com que eu sentasse de novo -  o que foi? - encarei ela dessa vez séria, já estava sem paciência também.
- Me desculpa ser grossa com você, não era a minha intenção - ela sorriu com os lábios fechados, retribui, mas ela logo mudou a sua expressão novamente. - eu só... Sou um erro pra vocês.

Quando ela disse aquilo meu sorriso morreu, a encarei fazendo com que ela me olhasse.

- Por que está dizendo isso? - ela deu de ombro e voltou a encarar o rua, com o olhar perdido.
- Vocês passaram por tudo isso por minha causa, ela só... Queria se vingar de mim e olha isso - ela apontou pro Ramiro desacordado - Eu tenho que me afastar, ele está assim por minha causa, eu me sinto horrível.
- Calma, isso é culpa daquela psicopata, você não tem nada a ver prima, ela tem que aprender a aceitar uma rejeição. Tire essas ideias da sua cabeça. - falei e dei um abraço na mesma, me levantei e fui em direção do Matt.

Pedi pra ele conversar com ela e assim o fez, abracei Yam que ainda estava com o Ramiro deitado em seu colo esperando a ambulância.

- Ele vai ficar bem - disse fazendo carinho nos cabelos de Yam que estava agora com sua cabeça em meu ombro.
- Só quero isso, só quero ver ele bem - ela começou a chorar e a abracei forte.

Luna P.O.V

Matteo foi conversar com Gastón e enquanto isso sentei do lado de Yam e Ambar e encostei minha cabeça em seu ombro, quando meus pais chegaram.

- Luna, meu amor, como você está - ela veio correndo e me abraçou quase me esmagando.
- Estou bem, mas o Ramiro ficou na minha frente e infelizmente ele levou a facada no meu lugar - disse cabisbaixa e ela me olhou com expressão de horror.
- Fa...Facada? Como assim Luna? - dessa vez foi meu pai quem disse, dona Mônica parecia ter entrado em estado de choque.
- Sim - respirei fundo - Não tem como explicar agora, eu não estou muito paciente pra isso - eles assentiram e me abraçaram cada um de um lado.

Ficamos assim até a mãe do Ramiro aparecer com seu pai logo atrás, no mesmo instante a ambulância chegou e eu, Matteo e Luna fomos com meus tios e Yam foi na ambulância com ele. Todas as outras pessoas foram embora, para se acalmarem.
Quando chegamos fomos até os pais dele que pareciam mais desesperados do que nunca, infelizmente ninguém tinha ainda notícias do seu estado e isso estava nos deixando ainda mais nervosos. Yam não parava de andar de um lado pro outro, Gastón ainda estava afastado de todos e chateado, Matteo tentava o acalmar, mas tudo parecia em vão. 

Matteo P.O.V

Estava impaciente, pois Luna havia entrado para ser atendida também por causa do bebê. 

- Só espero que nada aconteça - falei pra mim mesmo quando vi um doutor se aproximar.
Todos se levantaram rapidamente, fomos ao encontro dele já que estava com os pais.
- Como eles estão? - a mãe do Ramiro perguntou olhando triste pra mãe da Luna.
- A senhorita Luna está bem e o seu bebê também, mas a gravidez da mesma é de risco, então ela tem que tomar muito cuidado, não pode se estressar, fazer esforço físico e também vai ter que repousar muito,
- Entendido - o pai dela disse assentindo - Podemos vê-la? - o doutor concordou e deixamos eles irem primeiro.
- E o Ramiro doutor? - a Yam perguntou e um silêncio tomou conta desse lugar. 

 


Notas Finais


O que estão achando? Estão gostando do drama da história? Torço para que sim haha, até o próx capítulo, beijinhooo ☾☀♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...