1. Spirit Fanfics >
  2. Tons de Outono. >
  3. Reencontro. Part. 1

História Tons de Outono. - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Apaguei o capítulo sem querer, por isso o repost.

Capítulo 4 - Reencontro. Part. 1


Fanfic / Fanfiction Tons de Outono. - Capítulo 4 - Reencontro. Part. 1

Hum... Sabe aqueles momentos em que você não sabe mais se é o mocinho, o vilão ou ambos ao mesmo tempo? Pois é, por muitas vezes me questionei sobre isso. O maior defeito nesses meus 18 anos de vida, com certeza sempre será o meu orgulho. Ele me faz ter problemas em pedir desculpas e desculpar, principalmente quando me magoam. Sim, isso é egocêntrico da minha parte, mas não consigo, é muito difícil para mim. E esse problema só me fez mal todo esse tempo, me machuquei e machuquei às pessoas com atitudes baseadas nisso. Hoje, tento ao máximo não colocar meus sentimentos acima de tudo, porém há momentos em que sou colocado em provas de fogo. Porém, jamais irei esquecer das chances que desperdicei...

" Não sei quanto tempo fiquei olhando para a tela do celular, lendo aquela maldita mensagem que me fez chorar o dia inteiro. Não acredito que ele fez isso comigo! 

Yoon ♡: 

"Tae, não vai falar nada mesmo?.." 

TaeTae: 

"Sinceramente, o que quer que eu diga depois disso?" 

Yoon♡: 

"Não está sendo fácil para mim também... Mas entenda que não está mais dando certo, você tem atitudes que me fazem questionar a mim mesmo do por quê estamos juntos.."

TaeTae: 

"Está dizendo que se arrependeu de namorar comigo, é isso?" 

Meu coração nesse exato momento, parecia ter trincado ou se despedaçado de vez, tamanha era a dor que sentia. Eu sei que não sou fácil em demonstrar sentimentos, pois sempre tive medo de me abrir completamente e acabar me ferrando depois, ou deixar a pessoa desconfortável por ser meloso demais. Ele é o meu primeiro amor, é tanto sentimento ao mesmo tempo que meu peito chega a doer, queria gritar todo o amor que sentia mas não era fácil, nunca foi. E ver que ele desistiu de mim, talvez por esse defeito, só me faz pensar que estava equivocado o tempo todo sobre ele. 

Yoon♡: 

" Eu não disse isso Taehyung... " 

TaeTae: 

" Então o quer quer dizer? Que me fez de otário todo esse tempo? Que me usou para esquecer aquele seu maldito " ex crush"? Droga Yoongi, estou com tanta raiva agora! " 

Yoon♡: 

"Você está colocando palavras na minha boca..." 

TaeTae: 

" É a verdade, só pode ser! Eu não quero falar com você nunca mais, não quero te ver, suma da minha vida! " 

Estava difícil digitar e cair no choro ao mesmo tempo. Meus olhos estavam cheios de água, que escorriam por minhas bochechas de forma desenfreada. A essa altura do campeonato, tenho certeza que estava que nem um tomate de tão vermelho. Mal conseguia segurar o celular, minhas mãos tremiam. Estava um misto de raiva e tristeza, era uma dor inimaginável, amar significava isso então? 

Yoon♡: 

" Esse é o seu problema Taehyung, você só olha o seu lado. Ia dizer para tentarmos nos resolver pessoalmente, porque seria melhor mas deixa para lá, você nunca se importou mesmo! " 

Meu coração implorava para que eu voltasse de atrás nas palavras, que pedisse a ele mais uma chance, que dissesse o quanto o amo e me sentiria vazio sem ele. Porém, minha cabeça dizia que meu orgulho jamais poderia ser ferido daquela forma, como ele termina e do nada diz que poderíamos nos resolver? Acha que eu sou um brinquedo que vai e volta? Não mesmo! 

TaeTae : 

" Você que não se importa, caso contrário não teria feito o que fez. Não quero mais resolver nada, quero que suma da minha vida Min Yoongi, que suma! " 

Yoon♡: 

" ... 

Certo, mais uma vez irei obedecer a um pedido seu." 

E o choro preso, com direito a gritos e jogar o celular longe, me apossou. Como isso doía, céus, doía tanto que meu coração chegava a acelerar. Ele realmente desistiu de mim dessa forma? Droga Min Yoongi, por quê raios eu tenho que te amar tanto? Aish! 

Olhei ao redor, meu quarto tinha tantas coisas dele. Um alfabeto japonês, pois eu queria aprender o idioma e ele sabia bastante sobre, me emprestou o alfabeto que usou para estudar e o deixei encima da mesinha de estudos. Seus fones também estavam aqui, ele havia me emprestado pois os meus quebraram e eu não vivo sem um fone de ouvido. Várias fotos nossas coladas nas paredes ou em molduras, e bem no centro, havia um desnho que ele fez para mim, era perfeito. Yoongi sempre foi um grande desenhista, adorava ver às artes que ele fazia, quando bisbilhotava seu caderno de desenhos. Seu moletom favorito também estava comigo, ele teve que me emprestar pois estava em seu apartamento, e já era de noite quando voltei. Estava muito frio, e o esquecido aqui não levou o próprio moletom. Todo o meu quarto lembrava ele, por onde eu olhasse parecia que podia sentir sua presença. Isso me enlouquecida completamente, só me fazia chorar mais, me questionar mais, gritar mais, correr até nossas fotos e rasgá-las ou jogar os porta retratos no chão.  Era tudo insuportável demais! 

××× 

Já se fazia um mês desde que nos separamos, e bom, meu estado era crítico. Não comia direito, ficava trancado no quarto afim de fazer nada, ouvia canções tristes, até escrevia um pouco no meu diário. Ia para a escola praticamente arrastado, meus amigos não sabiam mais o que me dizer, pois sempre que eu iniciava um assunto, de algum modo ele caia em Min Yoongi. Seja para xingá-lo ou dizer que sinto falta, o choro vinha sem a minha permissão. Me dei conta de que me tornei dependente dele, de sua companhia, do seu cheiro, do seu sorriso, da sua voz, dele. 

Todos os dias ele vinha na minha mente, me perturbar. Vez ou outra o stalkeava em suas redes sociais, era curioso ele nunca ter apagado a primeira foto que tiramos juntos do seu Instagram. Era muito pior ver isso, me dava esperanças e algo me dizia, que eram falsas. E sabe de uma coisa? Eu estava certo quanto a isso. 

— Jimin... 

O recém loiro, me olhou pela segunda vez naquele dia com o olhar perdido, pois creio que não sabia como me ajudar mais. 

— TaeTae, se for falar sobre o Yoongi de novo, eu me recuso a te ouvir e lhe ver se auto torturando dessa maneira de novo! - Sentia que ele estava afetado em me ver em estado tão deplorável, não o julgo, eu mesmo sentia pena cada vez que me via no espelho. — Eu não vejo mais felicidade nos seus olhos, você não sorri mais, não se interessa por nada, isso me dói também sabia? Te ver nesse estado e não poder fazer nada para ajudá-lo, droga Taehyung, só tente o esquecer, eu lhe imploro... 

Me pegou de surpresa o fato dele estar quase chorando. Jimin era muito reservado com seus sentimentos, até mesmo para mim, mas dessa vez eu podia ver o brilho das lágrimas em seus olhos. Durante todo esse tempo, ele tentava me animar e consolar, mas eu só sabia chorar e reclamar sobre meu ex. Acabei chorando em vê-lo naquele estado, não sei por que me tornei tão sensível, mas doeu no coração ver o meu melhor amigo triste, por eu estar triste. 

— Me desculpe... - O respondi entre soluços. — Eu só.. Não sei mais o que fazer Jimin, ele.. ele postou fotos com aquela cobra da Suran, sabia que ele tinha me traído, desgraçado! 

Novamente a dor incessante no peito, a tremedeira e a vontade de chorar até que meu corpo ficasse seco, estavam presentes. Não sei desde quando desenvolvi esse problema também, nunca senti tais sentimentos desdo dia do meu término. Sempre tive ansiedade, mas não tanta, principalmente mista com toda essa angústia. 

Ontem, lá estava eu, me torturando ao stalkeá-lo novamente. Minha foto ainda estava lá, mas algo chamou minha atenção bem mais que isso. Ao visualizar seus storys, me deparei com várias fotos dele com uma amiga, que eu nunca gostei por sinal. Ela sempre deu encima dele visivelmente, chegava a me deixar desconfortável, mas eu não dizia nada por não querer pagar de namorado ciumento e possesivo. E o que ganhei em troca? Ele me trocando por ela, em menos de três meses, vê se pode? 

— Tae-ssi... Ele disse que te traiu? 

Jimin me questionou, enquanto acariciava o meu cabelo, na tentativa de me acalmar. 

— Não, mas... 

— Então não tire conclusões precipitadas, ele só devem ser bons amigos e mesmo se forem algo a mais, lembre-se: vocês não tem mais nada. 

E o que me restou? Isso mesmo, voltar a chorar em seu ombro. Não queria aceitar a verdade, era dolorosa demais... 

xxx 

Mais um mês... Não está sendo fácil. Principalmente por pessoas que sequer conheço, começarem a me encarar como uma pessoa ruim, me mandando mensagens maldosas. Não sabia o que estava acontecendo, mas chegava no meu ouvido que era por conta do Yoongi, e da víbo.. Quero dizer, Suran. No entanto, pior que isso, foram pessoas que eu julgava serem próximas, entrarem na onda de me encarar como um vilão ou começarem a se afastar. Foi quando percebi, que não poderia confiar mais nas pessoas, não tão facilmente como se todos fossem meus amigos. Talvez, eu tenha sido inocente demais ou burro mesmo, em ter desabafado com tantas pessoas erradas. Acho que estou tão deplorável, que sequer percebo às burradas que estou fazendo, céus... Só posso estar ficando maluco.

Meu primo, Kim Kibum, resolveu me levar para o sítio da nossa família, sendo apoiado pelo meu pai, que alegava não aguentar me ver enfornado naquele quarto. Kibum disse que lá por ser um lugar afastado de tudo, seria bom para mim. E estava certo, pois tudo que eu mais precisava em meio de tantos problemas, era me isolar para pensar melhor em tudo. O que não foi como pensei, já que durante vários momentos, me encontrava sozinho em algum lugar pensando nele, ou conversava com Kibum e outras familiares, sem o menor ânimo. Estava perdido, em meus próprios pensamentos. Não foi um fim de semana tão proveitoso, minha cabeça parecia pesar mais e mais... Definitivamente estava entrando em colapso. O pior era mentir para o meu pai, não podendo dizer a verdade. Era doloroso ver como ele parecia preocupado, e eu dando desculpas esfarrapadas ou sendo rude. 

O pior foi voltar para a minha casa, e ter acesso à internet. Várias mensagens vieram ao mesmo tempo, e eu perdido sem entender o motivo de tanto alvoroço... 

"Taehy... Por favor, não veja os status do Yoongi.." 

"Tae... Não tenho boas notícias..." 

"Sinto muito..." 

"Olá TaeTae, por favor, não entre em redes sociais por hoje..." 

"Tae-ah, você está bem?..." 

Eram várias mensagens ao mesmo tempo vindas dos meus amigos, e eu só tinha a certeza de que algo de ruim havia acontecido, e era relacionado ao Yoongi. 

Sempre senti que isso iria acontecer, mas a ficha só caiu quando meus dedos me levaram até os status dele, movidos por dor e curiosidade.

Não consigo explicar o quão forte foi o baque, só sei que me fez escorar na parede para não cair, colocar a mão na boca pelo choque e encarar aquela postagem, por incontáveis minutos. Era oficial, Min Yoongi, a pessoa que amo ao ponto de perder a razão, estava namorando novamente. E para piorar, era com ela... Suran, a pessoa que conseguiu despertar ao mesmo tempo em mim, ódio e inveja. Afinal, era ela quem estava com ele agora, no fim das contas, ela conseguiu... 

Minha cabeça chegava a latejar, com isso resolvi tomar um banho para esparecer. Só que ao ligar o chuveiro, novamente aquela postagem veio me atordoar. Ainda tinha o fato, de que faltavam poucos dias para o meu aniversário, o que me fazia recordar de tudo que ele me prometeu. Disse que eu teria um aniversário inesquecível, que iria fazer chocolate para mim, que iríamos estar juntos... Por quê quebrou essa promessa Min Yoongi? Por quê desistiu de mim? Sou tão ruim assim? Sentia uma dor inexplicável. Não sei qual sentimento prevalecia mais, meu choro chegava a ser de desespero. Sim, desespero, porque eu não sabia mais o que fazer para essa dor sumir, para ele sumir da minha cabeça, para que eu seguisse em frente também...

 Por quê tem que doer tanto? " 

Meu orgulho no dia em que ele disse para nos resolvermos, acabou me tirando ele de forma definitiva. Naquela época, pensei que ele fosse o único ruim na história, mas se analisar bem, minhas atitudes foram o suficiente para qualquer um se cansar. Não fui compreensivo, meu ego prevaleceu dominante. Só atraí ódio e tristeza para mim mesmo, não foi nem um pouco fácil lidar, tampouco saudável para a minha mente. 

Por várias vezes, Yoongi tentou fazer às pazes comigo, alegando que poderíamos ser amigos pois ele se preocupava comigo ainda. E sempre que tentávamos uma trégua, algo de ruim acontecia e terminava em uma briga horrível. Suas palavras me machucavam tanto, quanto creio que às minhas também faziam com ele. Tentávamos isso às cegas, já que era evidente que não daria certo. Eu nunca iria conseguir ser feliz, estando próximo dele e saber que não sou eu quem ocupa seu coração mais. Sei bem que quando amamos, devemos estar felizes quando o amado está. E eu, depois de muito sofrer e insistir em algo que estava claro não ter mais jeito, me contentei em apenas estar feliz por ele. No entanto, longe de qualquer tipo de contato com o mesmo, seria tortura demais. 

Ha, esse meu orgulho e ego, também levaram embora aquele baixinho de cara fechada, que foi tão importante para mim...

 " Mais uma vez, estávamos nessa situação de um olhar para a cara do outro, como dois estranhos. 

— Eu te perguntei se ainda éramos melhores amigos, e você disse que sim. 

Meus punhos estavam tão apertados, que se minhas unhas fossem grandes, provavelmente teria perfurado a mão.  

— E eu te disse, pela milésima vez, que somos Taehyung. Mas você está com essa neura na cabeça, e nada te faz a tirar, não posso fazer mais nada sobre isso... 

Sua voz emanava cansaço, ficamos nessa situação por muitas vezes nos últimos meses. O motivo era o de sempre também: Jimin estava passando tempo demais com Yugyeom, pareciam ser irmãos siameses para ficarem tão grudados assim. Eu me sentia jogado de escanteio, por ambos, mas o baque era muito maior quando se trava dele, meu melhor amigo. Não estou em uma boa fase, além de desenvolver várias crises e surtos, criei um complexo de inferioridade horrível, como se todos fossem me deixar por eu não ser bom o suficiente. E era exatamente a atual situação, me sentia insuficiente o bastante para ser trocado, de novo... 

— Como pode ser coisa da minha cabeça, você estar tão afastado? Jimin, qual foi a última vez em que nos sentamos para conversar sobre a vida? Que tiramos fotos? Que saímos para tomar um sorvete? Toda vez que eu tento, você não pode ou está com ele! 

Apontei para o moreno, ao lado do meu amigo, que observava toda a cena em silêncio. Faz dois meses que não falo com Yugyeom, e ele pareceu respeitar minha decisão, já que não insistiu em se aproximar. 

— Qual é Taehyung, quando nos sentamos para conversar, são apenas a sua vida e os seus problemas. - Suspirou, desviando o olhar brevemente. — Minha cabeça está cheia demais, para tamanha sobrecarga... 

Arregalei os olhos com tal sentença. Ele havia se cansado de mim? É isso? Pelo visto é mais um para a lista de: "Confiei, amei e me ferrei." 

— Olha... Eu nunca fiz nada na intenção de te magoar Tae... - Ele prosseguiu, ao notar que eu não ia dizer nada. — Mas às vezes, você me sufoca demais... Somos amigos sim, eu sempre te disse, mas isso não significa que eu deva girar a minha vida entorno de você. Tenho o direito de ter quantos amigos eu quiser, isso não significa que tomaram o seu lugar, ninguém toma o lugar de ninguém e eu já te disse várias vezes isso... Somos totalmete diferentes, mas sempre deixei claro que isso não atrapalhava nossa amizade em nada. Sou amigo do Taemin desdos meus 10 anos, por muitos momentos a gente ficou sem se falar por falta de assunto apenas, mas ele nunca deixou de falar comigo por isso. Quando você mesmo apareceu, ele não foi tão egoísta ao ponto de me querer só para ele, como você está fazendo. Tae, entenda, não sou propriedade sua, sou seu amigo. 

Jimin nunca havia levantando a voz para mim, muito menos se dirigido daquela forma. Me senti desarmado, o olhei por um tempo, vez ou outra desviava a atenção para Yugyeom que não se pronunciava, afinal respeitava o nosso espaço. A discussão era somente entre eu e Jimin. 

— Me desculpe se eu amei e confiei em você, como... 

Fui interrompido. 

— Como o Yoongi? Eu já sei disso, porque você nunca cansa de bater na mesma tecla. - Suspirou, passando às mãos no rosto. — Tae, isso já está ficando doentio. Tanto por ele quanto por mim, você criou obsessão nele e possessividade em mim... Isso não faz bem para ninguém, muito menos para você. Eu me preocupo, por mais que pense que não, por estar cego de tanto ciúme. E por me preocupar, digo que você precisava de ajuda psiquiátrica, você tem que se tratar Tae, antes que isso te prejudique ainda mais e afaste mais pessoas. Veja ao seu redor, o que você se tornou. - Se aproximou receoso, e pegou em minha mão, a acariciando. Me mantive petrificado, não sabia sequer como reagir a tais palavras. — Você não é mais feliz, não consegue ver mais quem te ama e se preocupa, ficou extremamente ciumento e possessivo. Sem contar o fato de magoar várias pessoas ao seu redor, por tentar tapar com elas o buraco de outra pessoa. Fico desconfortável quando me conta sobre isso, e sufocado quando exige a minha atenção o tempo todo... Onde está aquele garoto que conquistou o meu carinho há dois anos atrás? Eu sinto falta dele... 

Doeu, a como doeu ouvir isso. Nunca, na minha vida, pensei ouvir tais palavras ainda mais sendo proferidas por alguém que jamais esperava. Como havia se tornado habitual, nada disse, apenas deixei que às lágrimas dissessem por mim. Só que chegamos a um ponto, em que ele não chorava mais comigo ou me consolava, apenas suspirou e se virou, indo em direção ao moreno até então, um pouco afastado. Fiquei para trás, remoendo aquelas palavras fortes na cabeça, petrificado pelo choque, deixando com que apenas às lágrimas saíssem.  

É, mais uma vez eu perdi. " 

Nunca esquecerei aquele dia, a forma como Park Jimin se foi da minha vida ao virar às costas, indo em outra direção. Para variar, ele também estava certo e hoje, posso compreender como ele se sentia. Sim, eu estava a um nível doentio e isso afastou muita gente, mas eles não se comparam a dor que foi perder mais alguém que amei.

A minha desculpa para cometer tanta burrada, foi esse amor... Só que esse amor, era possessivo demais ou abssessivo demais... Como alguém não se cansaria uma hora ou outra? Meu comportamento com o Jimin estava inaceitável, pois em vez de querer saber como ele estava ou falar de coisas saudáveis, só fui o afastando com tantas crises de ciúme. O que me fez chegar a conclusão de que ninguém roubou o meu lugar, eu apenas o dei de bandeja para outras pessoas. 

Depois daquele dia, demorou um pouco, mas tomei uma decisão muito importante na minha vida. Resolvi buscar ajuda de um especialista, logo, meus tratamentos se iniciaram. Passei por um psicólogo a princípio, era estranho aquele lugar, sou uma das pessoas que acreditava estar louco para frequentar um lugar desses. Me abrir com uma pessoa desconhecida era estranho, porém, era aliviante jogar tudo que sentia para fora, sem ser julgado por isso. Também fui passado para um psiquiatra, ajudaria com os surtos e crises. Descobri que desenvolvi uma depressão, além de incessantes crises de pânico e ansiedade. Durante um tempo, minha vida se baseou em consultórios, medicamentos e o meu quarto. Não queria mais ir para a escola, mas meu pai insistia, e eu tinha que encarar Jimin não olhar para a minha cara e estar ainda mais próximo do Yugyeom. Felizmente era o último ano, iria acabar logo, assim esperava.

Pelo o que aconteceu comigo recentemente, era evidente que eu não estava completamente curado, apenas passei a compreender melhor às coisas, admitir meus erros e aprender a conviver com os meus próprios demônios. Tenho a sorte de sempre ter tido Hoseok ao meu lado, ter feito às pazes com Jungkook e ao longo do tempo, ter conhecido SeokJin e Namjoon. Hoje em dia, esses quatro são os meus melhores amigos e às pessoas que estão me ajudando a melhorar, a cada dia. Bom... Se bem que, tive uma desavença com Jungkook ontem, e desde então pensei e pensei antes de tomar uma decisão definitiva. Hope me ajudou um pouco com isso, aliás, ele acabou dormindo aqui em casa por estar muito tarde para ir.

Respirei fundo, em busca de coragem, e sem mais delongas, toquei a campainha. Certo, não estrague tudo Taehyung, você consegue.... Ao menos espero. - Não demorou muito para que a porta fosse aberta, relevando o moreno que parecia bastante surpreso em me ver ali. Não era para menos, em outros tempos, isso jamais aconteceria. 

— Tae... O-oque faz aqui? 

Perguntou com um pequeno sorriso no rosto, parecia tão nervoso quanto eu. Sou péssimo em fazer às pazes com alguém, mesmo que eu tenha trabalhado encima disso, há algumas características que demoram um pouco mais para sumir. E para o meu azar, é o meu orgulho gritante. 

— Eu... - Suspirei, em busca das palavras certas. Aish, isso é tão difícil! — Eu... Vim... É... Me desculpar.. Pelo o que disse ontem... E por não ter sido compreensivo... 

Mantive a cabeça baixa, estava muito envergonhado para olhar em seus olhos. Céus, que situação mais embaraçosa. 

— Oh... Não se preocupe hum? Fico aliviado por não me odiar e muito feliz, em ver que teve mais um progresso em relação ao seu tratamento. 

Ele não fazia ideia de que passo, mais pareciam uns quatro, de tão difícil que foi sair da minha casa, às 10 da manhã, indo fazer algo que nunca passou pela minha cabeça em fazer.

Sorri brevemente, recendo um abraço apertado em troca. Ele realmente estava feliz, e isso de certo, me aliviava bastante. Retribui ao abraço, do mesmo modo, afundando meu rosto em seu ombro, inalando o cheiro de menta que ele tinha.

— Você... É muito importante para mim, e eu sinto muito por ser assim... 

Eu não sabia bem que palavras usar, então decidi dizer o que sentia. Não vi o seu rosto, mas sabia que estava com um sorriso radiante. Kook era um ótimo amigo, que por sinal me apoiou muito durante esse tempo difícil. Por mais que tenha sido difícil, engolir o fato dele namorar alguém que eu queria longe da minha vida, pelo menos até eu me curar por completo, devo levar em conta tudo que ele já fez por mim, não poderia ter tamanho falta de consideração com ele. 

— Você é um dos meus melhores amigos TaeTae, não se mede o quanto é importante para mim. Me perdoe por te fazer passar por uma situação tão difícil... 

Me afastei devagar, negando com a cabeça enquanto sorria sem mostrar o dentes. 

— Está tudo bem, não quero ser egoísta ao ponto de te fazer escolher ou me afastar por isso. Fico feliz por você, de verdade. 

Estava surpreso comigo mesmo, nunca pensei que tais palavras pudessem sair da minha boca. O que bons diálogos consigo mesmo e tratamento psicológico não fazem, não é mesmo? Ha, isso me deixou tão satisfeito, porque dessa vez que não estraguei mais uma amizade. 

— Kook com quem... 

Aquela voz... Uau, a quanto tempo não a ouvia pessoalmente? Não pude evitar sorrir disfarçadamente, não poderia negar o sentimento especial que ainda sentia por aquele baixinho de cara fechada. Seu cabelo estava preto com algumas mechas azuis agora, o que lhe caiu muito bem por sinal. Ele não havia mudado tanto, mas sua expressão parecia bem mais neutra e feliz, a pele levemente corada, deve ter ido a praia recentemente. Um sentimento de nostalgia me apossou ao vê-lo bem ali, na minha frente, como há dois anos atrás. Desde aquele dia, não nos vimos mais além do colégio, e até lá ele me evitava, ficando com seu antigo grupo de amigos e Yugyeom. Enquanto eu, por um tempo andei com algumas pessoas, depois passei os intervalos sozinho mesmo. Mesmo antes do meu comportamento explodir daquela forma, ele estava um pouco estranho comigo, me pergunto até hoje o que de fato aconteceu. 

Jungkook parecia estar desconfortável com a situação, assim como Jimin. Sim, minha presença passou a deixar às pessoas desconfortáveis, triste... Mas não posso os culpar por isso, de todo jeito. Jimin não parava de me olhar, me pergunto se ele sentiu a mesma nostalgia que eu nesse momento. 

— Hey, vocês não precisam se sentir assim, eu... Já fiz tudo que tinha a fazer, acho melhor ir embora. 

Sorri meio sem graça, mais uma situação constrangedora no mesmo dia, e no mesmo lugar. Céus!

— Bem... Nos vemos mais tarde hum? Temos uma partida de vídeo game pendente. 

Kook disse animado, tentando aliviar aquele clima. Apenas assenti, sorrindo, embora o que mais sentisse voltade nesse momento, era de chorar. Odeio sentimentos nostálgicos, me deixam mais sensível que o normal. E também são gatilhos para novas crises, não posso ter mais uma, ainda mais no meio da rua. Sem contar, que se o meu pai souber de tal recaída, terei que ir novamente ao psiquiatra, em vez de ir apenas ao psicólogo. 

Já ia me virar para ir, quando fui interrompido de imediato, ao ouvir aquela voz chamar o meu nome, depois de tanto tempo... 

— Tae... - Me virei para me certificar de que não estava delirando. Ele estava bem nervoso, conheço Park Jimin o suficiente para saber que a forma frenética em que ele mexe no colar, ou olha para o chão batendo os pés, é sinal de que está nervoso. – Fico feliz que tenha escolhido se tratar...

Sua voz era suave e pude sentir um pouco de animação na mesma. Não pude evitar sorrir, pois se algo vindo de mim o anima nem que seja um pouco, já é o suficiente para que eu fique feliz. 

— Obrigado... Por ter me aconselhado a fazer isso... Naquele dia. 

Novamente olhei para o chão, droga, ainda não tenho coragem para olhar nos olhos dele, me sinto estranho. Por fim me curvei para ambos, em despedida, e resolvi ir embora dali. 

Estou me esforçando para não estragar tudo, sei que isso não vai ser fácil pois parece um dom natural que eu tenho. No entanto, vou me esforçar o máximo que puder, para não ser mais o vilão que todos querem longe... 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...