1. Spirit Fanfics >
  2. Tornado: Mudança no Tempo >
  3. Clima Agradável

História Tornado: Mudança no Tempo - Capítulo 1


Escrita por: e saczoti


Notas do Autor


Oi pessoal, aqui estou eu novamente e vejam só: trazendo a continuação de uma história que vocês (provavelmente) já conhecem!

Primeiramente, quero dizer que sou muito grato pelos 3.000 seguidores, faz tempo que pensei em escrever este spin-off e agora, graças à ajuda do @saczoti, eu fiquei entusiasmado e começamos a escrever juntos. A história se passa 5 anos após o final de “Tornado”, Charlotte agora é uma adolescente e será a nossa protagonista. Este projeto marca o início da minha 𝘌𝘳𝘢 𝘎𝘰𝘭𝘥𝘦𝘯 𝘏𝘰𝘶𝘳, espero que curtam e nos deem bastante carinho ❤

𝗘𝗟𝗘𝗡𝗖𝗢
𝑀𝑎𝑟𝑠𝑎𝑖 𝑀𝑎𝑟𝑡𝑖𝑛 como “Charlotte Jones”
𝑆𝑎𝑏𝑟𝑖𝑛𝑎 𝐶𝑎𝑟𝑝𝑒𝑛𝑡𝑒𝑟 como “Nora Ledridge”
𝑅𝑜𝑚𝑒 𝐹𝑙𝑦𝑛𝑛 como “Maxwell ‘Max’ Bassett”
𝐴𝑙𝑒𝑥𝑥𝑖𝑠 𝐿𝑒𝑚𝑖𝑟𝑒 como “Madison ‘Maddie’ Pascal”
𝐸𝑡ℎ𝑎𝑛 𝑊𝑎𝑐𝑘𝑒𝑟 como “Oliver Rhodes”

Capítulo 1 - Clima Agradável


Fanfic / Fanfiction Tornado: Mudança no Tempo - Capítulo 1 - Clima Agradável

03 de Março de 2023

Guardo em minhas memórias o dia que meu pai foi me buscar naquele orfanato em Jonesboro. Com certeza foi o dia mais feliz da minha vida porque eu sabia que finalmente teria uma família de verdade... Muito prazer, meu nome é Charlotte Jones e esta é minha história.

Eu tenho 17 anos e 11 dias de idade, nasci no dia 20 de fevereiro, em 2006. Estudo na Escola Watson Chapel High e para alguns pode parecer meio estranho que eu esteja frequentando todos os dias o lugar onde passei o dia mais aterrorizante da minha vida. Foi aqui onde eu e meu pai nos abrigamos durante o tornado de 2017 em Pine Bluff, eu tinha 11 anos e não entendia muito bem o que estava acontecendo, mas no final tudo correu bem, quer dizer, quase tudo. Algumas pessoas que eu gostava não conseguiram sair do tornado e é por isso que eles são tão perigosos!

Moro com meus dois pais, John e Finn. Os dois são muito apegados e já faz dois anos que eles se casaram, mas estão juntos há muito mais tempo. Os meus avós moram no Brasil já que lá não existem tornados, mas sempre vamos visita-los nas férias e eu gosto muito porque as praias de lá são as melhores!

Agora estou indo para a aula de história, não posso me atrasar pois essa é a matéria que tenho mais dificuldade. Prefiro álgebra e ciência da computação. Vocês devem achar que eu sou louca agora, né?

— Ei!

— Oi! – respondi, me virando para o lado

Esse é o Maxwell Bassett, ele é meu melhor amigo e um ano mais velho que eu. Meu pai acha que ele é meu namorado, sempre acho graça quando ele fala isso.

— Vamos indo, hoje tenho que trabalhar até tarde da noite! – ele disse.

— Tá tudo bem com você Max?

— Claro, não tem nenhum problema! – é óbvio que havia algum problema, era perceptível o quão cansado ele estava

— Sei que você faz isso para ajudar nas contas de casa, mas... – apressei o passo enquanto íamos pelo corredor – Você vai acabar ficando exausto por ter que frequentar a escola e o emprego!

Max trabalha como garçom depois do horário da escola. A família dele é pobre e ele tenta ajudar da maneira que pode, é admirável.

— Você se preocupa demais comigo!

— Claro, você é meu melhor amigo! – respondi, notando alguém se aproximar.

— E aí Charlie, pronta para levar uma surra no League of Legends mais tarde? – era o Oliver, meu arquirrival no mundo da tecnologia!

— Eu sempre ganho e você sabe disso! – sorri, confiante.

Entramos os três juntos na sala de aula e nos sentamos no canto. Percebi que Max sentou atrás de um rabo de cavalo loiro, então eu e Oliver nos entreolhamos e demos risada. Max é caidinho pela Nora, a melhor jogadora de vôlei da Watson Chapel, uma pena que ela não dá a mínima para ele.

— O-oi Nora... – disse ele, tentando puxar conversa enquanto eu e Oliver assistíamos de camarote mais uma tentativa frustrada de paquera de Maxwell Bassett – Hoje você está realmente linda... quer dizer, você sempre é linda... isso, você é muito linda!

— Obrigada, eu acho... – ela respondeu, rindo.

Continuamos conversando e tirando uma com a cara do Max até que finalmente o professor chegou para dar aula.

— Bom dia a todos! – disse o professor, colocando as coisas dele na mesa – Todos sentados e por favor prestando atenção na aula, pois hoje estudaremos um tema muito importante...

O tempo foi passando e a aula seguia seu curso, mas de repente me deu uma imensa vontade de ir ao banheiro, então pedi permissão ao professor para sair e me locomovi até a porta da sala. Saí e caminhei pelo corredor em passos apressados, quem diria que foi ali que Leslie enfrentou Bruce como uma verdadeira bibliotecária corajosa e destemida? Infelizmente o final dessa história vocês já conhecem e têm em mente que não foi nada agradável.

Cheguei ao banheiro, por fim, e após fazer o que eu tinha para fazer fui à pia lavar as mãos. Subitamente, ouvi um barulho vindo de dentro de uma das cabines. “Parece alguém vomitando” pensei comigo mesma e logo em seguida bati levemente na porta.

— Oi, você está se sentindo mal? Quer que eu chame ajuda? – perguntei, esperando por uma resposta vinda do outro lado.

— Vai embora! – a garota respondeu, grosseira – Eu estou bem...

— É evidente que você não está nada bem!

— Já disse pra sair!

— Então eu vou sair, mas vou chamar alguém para te ajudar!

Após eu falar isso, ouvi o trinco da porta girar e finalmente ela abriu. A garota que estava dentro da cabine era muito bonita e tinha um lindo cabelo castanho, mas estava tão abatida que era quase impossível notar sua beleza.

— Você está se sentindo mal? – perguntei, preocupada – O que aconteceu e por que você estava vomitando?

— Por causa disso! – ao dizer isso, ela levantou um pouco a blusa larga que estava usando e me mostrou sua barriga.

— Você está...

— Sim! – ela respondeu.

— Seus pais já sabem? – questionei.

— Se soubessem eu não estaria mais viva.

Ela caminhou até a pia e lavou o rosto. As luzes começaram a piscar, mas logo em seguida voltaram ao normal, deve ser uma queda de energia.

— E o pai do bebê? – perguntei, me aproximando.

— Ele ordenou que eu abortasse!

— E o que você quer fazer?

— Eu... não sei.

— Quantas semanas?

— Quatro!

Um silêncio irritante tomou conta do ambiente nesse instante. Eu realmente queria poder ajuda-la, mas não sabia como.

— Qual o seu nome? – perguntei.

— Madison, mas todo mundo me chama de Maddie... – ela responde – Olha, o que isso tem haver? E além do mais, eu nem deveria estar te contando nada disso!

Madison se dirigiu até a porta para ir embora, contudo as luzes voltaram a piscar rapidamente e apagaram de vez. Ficamos no escuro e no silêncio, mas não por muito tempo, pois logo em seguida um tremendo barulho fez-se ouvir do lado de fora do prédio.

— O que foi isso? – Maddie perguntou assustada e então corremos uma para perto da outra.

Sentimos o chão tremer por um instante, pensei ter sido um raio que caiu próximo à escola. O forro no teto começou a rachar e alguns pedaços caíram sobre nós, Madison gritou com medo e tentamos ficar agachadas para proteger a barriga dela. Eu estava muito aflita, muito mesmo.

 

Um raio, é só um raio. Nada daquele dia vai se repetir.


Notas Finais


É isso gente! Espero de coração que eu não esteja estragando a história original e que essa fic dê certo, mas para isso estamos contando com vocês! Comentem e marquem a história como favorita, isso ajuda muito! Para finalizar, alguns recadinhos importantes:

▸ Este foi o único capítulo narrado pela Charlotte, os outros contarão com um narrador-observador
▸ O próximo capítulo vai ser escrito pelo @saczoti, e vamos de aclamação
▸ Vamos lançar um capítulo novo a cada semana, todo sábado (nunca escrevi uma fic colocando prazos, mas tudo tem uma primeira vez né)
▸ Esse spin-off vai ter 5 capítulos. Curtinho, mas gostoso de se ler, então aproveitem bastante!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...