História Traição - Imagine Kris Wu - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, Huang Zitao "Z.Tao", Jay Park, Kris Wu, Lu Han
Personagens Huang Zitao "Z.Tao", Jay Park, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun
Visualizações 726
Palavras 1.382
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura, Cherries <3

Capítulo 6 - 6 - 6


Fanfic / Fanfiction Traição - Imagine Kris Wu - Capítulo 6 - 6 - 6

Tao — S/N ? O que veio fazer aqui ? — Não compreendendo minha aparição, impediu minha passagem na recepção.

Sorri de escárnio, tombando a cabeça para o lado enquanto fitava Huang dos pés a cabeça. É.. Bem que eu poderia pegar, só por vingança mesmo.


S/N — Ah, meu esposo trabalha aqui. Visitinha, oppa. — Sorri fofa, ajeitando a gravata do mesmo.


Tao — Oppa ? Não sou coreano, S/N. — Estava nervoso, devido a forma pecaminosa que eu o olhava.


S/N — Desculpa. Mas que é um sócio de vocês é coreano, e troquei tantas mensagens com ele. Costume. — Continuava a sustentar o mesmo sorrindo, mantendo minhas mãos no peito do mais alto.

Era questão de tempo para alguém informar Yifan sobre minha visita, e como esperado logo o mesmo nos completou com sua presença nesse andar.

Ainda alisando o peitoral coberto de Tao, virei meu rosto para encarar aquele cretino parado um pouco longe, se roendo de raiva com essa cena diante de seus olhos. Mesmo vindo em nossa direção, permaneci da mesma forma deixando cada vez mais Tao assustado, e Yifan bravo.

Com brutalidade me tirou de perto do amigo que ajeitou a postura, afrouxando a gravata em busca de ar.


Yifan — Que deu em você ? Quer colecionar homens na gaveta ? — Estava divertido ver ele zangado.


S/N — Sim. Vocês são tudo igual, maridinho. Nenhum presta. — Pisquei com o olho para ele, que fechou a cara.

Yifan, suspirou profundamente antes de desviar a atenção de mim para seu amigo, que engolia o seco da garganta não sabendo como lidar.


Yifan — E você ? Como ousa aceitar os toques dela ? — Tao não sabia o que falar, enquanto a mim estava rindo alto. — Você está passando dos limites, S/N.

Dei de ombros, pouco me importando com o que ando fazendo, ao contrário dele, tudo se tornou interessante diante dos meus olhos.

Chifres trocados não dói, mas no caso de Yifan, afunda na cabeça quando inverte a situação.


(...)


S/N — Como sua mulher, tenho 50% nessa empresa. Então, a partir de hoje trabalho aqui.

Já estávamos em sua sala a qual não recordo memórias boas, somente aquela imagem de Yifan transando com Naeun bem ali naquele sofá, que o cretino nem fez questão de trocar.

Chegamos nesse assunto após as longas conversas que tive com Sehun, as quais o coreano havia me dito que tenho direito dessa empresa também, podendo vender minha parte se eu quiser. Porém, após pensar melhor e saber que Sehun irá frequentar mais vezes esse lugar, decidi que será melhor dar uma de mulher dos negócios, podendo ficar pertinho dele enquanto torturo a mente de Wu.

Divertido.


Yifan — Por que isso agora ? Você nunca se interessou, e nem de negócios sabe tratar. — Advertiu sério, não querendo ceder a isso.


S/N — Para mim nada é obstáculo, nem mesmo você, Yifan. — Deixando claro, peguei a tesoura que estava na mesa dele.

Nada mais Kris questionou, tentando agora entender meus motivos de ir na direção do sofá com o objeto em mãos. Mas soube no momento que passei a furar várias vezes aquele estofar, querendo de alguma forma sumir com todas as imagens deles dois da minha cabeça.


S/N — Isso é o que eu senti vontade de fazer, com vocês dois naquele dia! — Gritei, fazendo um escândalo antes de desferir a primeira furada no couro do estofar.


Yifan — Pare com isso, S/N! — Tentava me impedir. Empurrei ele usando minha bunda, voltando a rasgar aquele couro. — Chega!

Após levantar a mão para voltar e furar com força, o chinês conseguiu segurar meu pulso e puxar a tesoura a jogando longe. Nossos rostos ficaram tão próximos que eu podia sentir seu cheiro daqui, o mesmo cheiro que nosso apartamento possui, sentindo uma pontinha de saudade daquele ambiente que sempre fiquei sozinha, enquanto ele estava aqui com essa vaca.


Yifan — Amor ? — Pisquei meus olhos várias vezes, saindo do transe torturante que minha mente cria, me torturando.

Rapidamente consegui me soltar do seu aperto, ajeitando minha postura antes de levar a atenção até o estofar destruído, acabado, arruinado assim como nosso casamento.

Droga! Esse filho da puta me traiu. Por que não meto aquela tesoura no rabo dele, também ?


S/N — Ficou lindo, resumindo a merda de casamento que tivemos. — Minhas palavras duras estavam acabando com Wu, e isso era meu objetivo de triunfo.


Yifan — Você é tão.. Vingativa. —Murmurou baixinho, com a voz embargada de choro.


S/N — Não tenho sangue de barata mesmo não. — Encarei ele, que estava fitando o sofá destruído. — Se livre dessa merda, pois amanhã eu começo a trabalhar aqui, querido.


(...)



Wu On 


LuHan — Uau. Que espécie de gato fez isso no teu sofá ? — Questionou espanto, não sendo pra menos.

S/N sempre foi louca e escandalosa, mas dessa vez extrapolou todas as minhas certezas e dúvidas sobre ela.


Yifan — Foi uma gata, muito arisca. — Expliquei avoado, deixando o loiro confuso.


LuHan — S/N ? — Assenti com a cabeça, ainda admirando a beleza que o estofar ficou. — Quer que eu peça para tirarem daqui ?

Sem conseguir formular mais alguma palavra sequer, apenas assenti com a cabeça voltando até minha mesa, a qual sentei e fiquei fitando aquela quantidade de papéis papa assinar, verificar e repassar a meu novo sócio. Só de lembrar do mesmo me soube a raiva, lembrando daquela intimidade toda que minha ocidental teve com ele no evento de empresas. Droga!


LuHan — Kris ? — Levantei a cabeça, encarando o loiro que segurava a tesoura em mãos. — Ela ainda te ama, tenha a fé.


Yifan ? — Me ama ? — Ri soprado, negando com a cabeça. — Eu transformei S/N em uma mulher sem coração, rude e sem piedade.


LuHan — Alguém que ágil assim.. — Apontou com a cabeça na direção do sofá. — Não é alguém sem coração, e sim uma pessoa que não está sabendo lidar com os sentimentos.

Engoli em seco por nunca esperar tais palavras de LuHan, justo ele que nunca sabe entender uma vírgula.

Meu amigo estava certíssimo disso, mas nada muda o fata que eu realmente transformei S/N em uma mulher rancorosa, impedida de sentir qualquer remorso que seja por mim qual dita palavras duras, frias.


Yifan — Obrigada, LuHan.


(...)


S/N On 


Anahy — Do que tanto rir, sua maluca ? — Perguntou estranhando meu comportamento, assim que adentrei seu apartamento. — Fez Naeun comer merda ?


S/N — Isso ainda não, mas quem sabe da próxima vez. — Joguei minha bolsa em um canto qualquer, ainda rindo muito.


Anahy — Matou Wu ? — Fiz uma pequena expressão de nojo, só por seu nome ter citado. — O que houve ?

Controlando a risada frenética, suspirei profundamente contando até dez, tentativa de não cair na risada enquanto venho a explicar.


S/N — Matei o ninho de amor de Yifan, que antes era nosso e ele dividiu com aquela cobra rastejante.

Por um lado ela não entendeu foi é nada, mas nem ousou perguntar o que seria pelo motivo da minha alegria, sabendo que isso me fez bem, quer dizer, espero que sim.

Por que dói ? Não deveria doer mais, pois eu já fiquei com outros fazendo Yifan sentir na pele o que eu senti, mas parece que cada dia dói mais. Droga! Mas isso não vai atrapalhar meus planos, pois Yifan deve sofrer mais ainda, deve ficar cada vez mais louco, comer na palma da minha mão.


Anahy ? — Amiga ? Está bem ? — Sequei rapidamente uma lágrima que rolou, não querendo demonstrar fraqueza diante da loira.


S/N — Estou bem. — Sorri, passando confiança.


Anahy — Tudo bem. — Retribuiu o sorriso. — Ah, Lay passará aqui para te ver mais tarde.

Meu sorriso foi de orelha a orelha, apenas por saber que Yixing virá me ver. Ele vem me fazendo tão bem, aceitando nossa relação aberta e divertida, mas sempre do meu lado como um bom amigo.


S/N — Bom.. Então, devo tomar banho, me arrumar e ficar lindona para esse homem incrível. — A mesma assentiu maliciosa, me fazendo cair na risada também.

Me joguei em cima dela que estava sentada no sofá, a fazendo deitar por baixo de mim que a enchia de cócegas na barriga.




       Continua...


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo. Até mais <3

Meu perfil @MeiYeol


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...