1. Spirit Fanfics >
  2. Tuas Mãos >
  3. Naruto

História Tuas Mãos - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Eu só tenho que agradecer a todos de coração que lêem, comentam e gostam dessa fanfiction!
Obrigada! <3
Leiam as notas finais por favor.
Boa leitura, e desculpem quaisquer erros!

Capítulo 4 - Naruto


Naruto

 

(Cinco anos depois)

 

As árvores floridas que rodeavam em volta do grande edifício Hokage balançavam conforme a brisa suave batia em sua folhagem.

Flores caídas de várias cores enfeitavam o chão das calçadas e ruas; era um espetáculo ao seus olhos. 

 

Seu cabelo loiro balançava com o vento refrescante que batia sobre todos naquela bela noite na sala do grande Nanadaime.

 

— Então você tem certeza que deseja mesmo se aposentar do cargo?

 

— Sim, eu tenho.

 

— Nunca pensei que estaria viva para vê-lo renunciar em tão pouco tempo.

 

Sorriu, ainda olhando através da janela.

 

 Kakashi e Tsunade ocupavam agora os cargos de conselheiros de Konoha e sabia o quanto os dois foram importante para sua vida de várias maneiras, desde o ajudando quando moleque, até o momento mais difícil que passou.

 

— Vocês ouviram tanto que esse era meu sonho desde menino que estão chocados com minha aposentadoria? Não deveriam ficar.

 

— Ora Naruto, você ficou no cargo menos que o sensei Hiruzen. Pensamos que, de todos os grandes kages, você seria aquele que se igualaria a ele.

 

Ouviu as palavras de Tsunade e sua voz lhe soava brincalhona.

 

— Realmente, ninguém imaginou, mas desde que você a um ano atrás começou a treinar mais arduamente o Konohamaru, todos já meio que imaginávamos essa sua decisão. 

 

Se virou escorando-se na grande janela do prédio. 

Seus olhos fixaram em Tsunade sentada frente a sua mesa e Kakashi em pé.

 

— Eu não sou mais uma criança com aquele antigo sonho, muito menos o que eu era a dez anos atrás. Tudo mudou, se modificou. Ainda desejo e estarei aqui para Konoha para os proteger, isso nunca mudará. Contudo, eu já não consigo levar o ofício de hokage adiante.

 

O silêncio se abateu sobre a sala pelas suas palavras ditas tão verdadeira.

 

— Faz cinco anos desde aquele fatídico dia que encontrei tudo um verdadeiro caos. Ao mesmo tempo que sinto que falhei com todos vocês, o meu sentimento de impotência potencializa com minha família. 

 

— Você não deve pensar assim, nada que ocorreu foi culpa sua e logicamente selado que não poderia fazer nada.

 

— É exatamente por isso que me abate um desgosto Kakashi-sensei. Pensar sobre isso ainda me trás de certa forma uma incapacidade.

 

Viu os olhos âmbar da loira se estreitaram e focaram nele.

 

— Mas esse não é o real motivo de seu desligamento do cargo, é? 

 

Sorriu minimamente, mas logo em seguida suspirou.

 

— Não é. O posto de hokage é um trabalho difícil, requer muito do nosso tempo, eu amava tudo isso, mas não posso mais perder momentos de minha vida por causa desse compromisso de kage.

 

Ainda era doloroso se lembrar de certas ocasiões.

 

— Sabe, há anos atrás quando o selamento foi rompido, foi um baque tudo que vi. Encontrei muitos amigos e subordinados, mortos. Minha esposa em coma, junto ao meu filho, meu primogênito sem seu olho direito e minha princesa com seu psicológico quebrado. Sinto que perdi tanto nesse tempo, que hoje não desejo mais esse sentimento.

 

Virou-se novamente, e dessa vez seu olhar focou na lua e foi o suficiente para lembrar-se dos olhos perolados tão lindos quanto aquele luar.

 

— Daqui a um mês Sarutobi Konohamaru irá assumir o cargo de Hokage. Não irei questiona-lo mais uma vez sobre você está tomando a decisão certa ou não, pois isso só cabe a você.

 

— Kakashi-sensei Konohamaru é um grande shinobi, e será um hokage igualmente, ele está pronto. Tivemos dois anos o preparando para isso e temos excelentes shonobis que o apoiaram. A vontade do fogo nunca se extinguirá.

 

— Então o excepcional Nanadaime agora será conhecido como Naruto- sensei?

 

Sorriu abertamente, pois gostou de como aquele tratamento soou.

 

— Desde que eu passei em certas ocasiões ajudar a Hinata em alguns treinamentos com as crianças do clã Hyuuga, percebi que gostava e queria aquela vida para mim. 

 

— Hinata mais uma vez fazendo milagre. Bom, boa sorte com os futuros pestinhas. 

 

Foi inevitável não rirem.

 

Virou um pouco a cabeça para trás e viu Tsunade se levantar. 

 

— Já está tarde, vamos para casa, porque ainda temos muito trabalho a fazer até seu novo cargo.

 

— Baa-chan, Kakashi-sensei, obrigada por tudo.

 

— Se orgulhamos de tudo que você é, Naruto.

 

Depois que seus conselheiros saíram, ficou mais alguns minutos parado, pensando em tudo, e em nada. 

Porém, era hora de voltar para casa.

 

(...)

 

Quantas vezes ao longo dos anos tinha chegado em casa sem fazer nenhum barulho para não acordar seus filhos e principalmente sua esposa? Várias.

Chegava o mais quieto possível, mesmo as vezes não conseguindo se manter na quietude ao esbarrar em algo, ou deixando cair.

 

Mas o fato é que, sempre encontrava todos dormindo, o cargo de hokage sempre ocupou muito de seu tempo até com as coisas mais básicas que envolvia seu descanso.

No começo Hinata o esperava chegar em casa, muitas vezes cochilando na mesa o esperando. Sabia o quanto ela estava cansada, ela sempre cuidava de tudo referente a casa e dos filhos, mas como a esposa atenciosa ficava esperando-o; e de tanto ele pedir ela cedeu. 

 

Estava sentado na beirada da grande cama de casal observando o rosto sereno dela enquanto dormia e mesmo depois de tantos anos de casado, a amava com todo seu coração.

Muitas noites no passado ele somente se deitava ao lado dela, de tão cansado não dava-se conta do quanto perdia os momentos com sua família. 

Seus corpos sempre amanheciam colados, algumas vezes eles fizeram amor antes dela ir preparar o café. 

 

Era inegável que a rotina tinha se tornado parte da vida deles. Chegar tarde em casa e sair cedo de manhã.

 Tempos atrás as coisas estavam melhores, ele tinha mais momentos com a família, não saia tão cedo mais e quando tudo ajeitou-se ele foi selado. 

 

Suspirou e suas mãos foram até seu rosto, sentindo seus olhos se encherem de lágrimas.

 

Lembrava-se como se fosse ontem quando o selamento foi rompido e encontrou Hinata desacordada em uma barraca. 

Sua menininha que já era uma adolescente se culpando pelo estado da mãe. Pelo o que ela tinha-lhe contado sua esposa cedeu quase completamente seu chakra para ela derrotar a mulher loira, conhecida como Delta.

Na época ele não sabia o que fazer, Konoha estava destruída por causa da invasão da Kara, seus filhos cheios de marcas das batalhas em seus corpos e mente.

 

Fechou os olhos e sentiu a lágrima escorrer. 

Depois da conversa com seus conselheiros no escritório, e observar Hinata tão serena, fez seu coração se apertar e trazer emoções que antes eram contidas.

 

— Querido? 

 

A voz serena fez-se presente no silencioso quarto, e a mão quente tocou-lhe em seu braço. 

Sentia que se falasse a voz sairia embargada, por isso nada disse.

Observou a esposa se aproximar do corpo dele que ainda encontrava-se na beirada da cama. 

A mão macia que antes tinha-lhe tocado o braço, agora lhe tocava o rosto.

 

— O que aconteceu, Naruto? Porque você está chorando.

 

Ver naqueles olhos perolados tão cheios de preocupação com ele, fez seu peito enchesse de vários sentimentos. 

 

— Hinata...

 

Precisava senti-la mais perto de si, por isso levou seus braços a rodearem a cintura dela em um abraço aconchegante.

Com rosto na curva de seu pescoço, sentiu o cheiro do hidratante floral.

 

— Conte-me o que o deixou assim. Nunca tivemos segredos um com o outro.

 

O afago que sentia em sua nuca era tão bom e relaxante.

 

— E nunca teremos, Hinata. Você é, e sempre será meu porto seguro.  

 

Deu um beijo no pescoço dela e a sentiu se arrepiar. Sabia bem quais partes do corpo dela era sensíveis ao seu toque.

Afastou a cabeça e a fitou.

 

— Hoje eu concretizei minha aposentadoria, e ao relembrar de certas ocasiões sentimentos vieram a tona.

 

— Imaginei que fosse por causa disso. Querido, você não deve se martirizar, tudo já passou.

 

— Eu sei que sim, Hinata. Mas é impossível não pensar em tudo que aconteceu. Eu quase perdi você. Foram seis meses aguardando você acorda daquela cama improvisada em uma barraca. Droga, as crianças tinham crescido tanto, eu perdi tantas momentos.

 

Era muito fácil conversar, externar, para sua esposa tudo que estava lhe  atormentando. O apoio dela em sua vida sempre foi essencial para renovar seu espírito, isso desde que eram crianças. 

Sentia os dedos quentes novamente fazendo carinho em seu rosto.

 

— Não podemos modificar o passado, as situações, mas podemos aprender com elas e seguir em frente. Eu faria tudo novamente para proteger a todos. 

 

— Vê-la naquele estado e ao Kawaki também foi difícil, eu só queria que vocês acordassem. Hima e o Bolt ajudando na reconstrução da vila, mas eu sentia a tristeza deles e pouco podia fazer. 

 

— Você fez o necessário para todos nós, foi forte e essencial para vila. Passaram-se cinco anos e novamente Konoha é a vila mais potente e influente de todas. 

 

— Mesmo assim, eu fui impotente na luta contra a Kara, ao proteger todos. Quando o selamento foi desfeito, com nosso menino salvando o irmão da possessão do Otsutsuki, era minha obrigação me manter forte. 

 

— Naruto, você foi o líder que todos esperávamos que fosse. Forte, destemido e conseguiu nos reerguer em meio a dor. Fez e continua fazendo tudo ao seu alcance para o bem de todos.

 

Tocou nos dedos macios levando até seus lábios, beijando-os.

 

— Daqui a um mês eu não serei mais hokage, estarei mais presente para vocês. Prometi a Hima que iríamos treinar o modo sennin dos sapos, e estarei todo dia aguardando a volta dos nossos filhos daquela missão. 

 

— Tenho certeza que continuaremos sendo essa família feliz que somos independente das dificuldades que surgir. Você sendo hokage ou não, iremos te apoiar em tudo amor.

 

Jogou seu corpo sobre o dela, que encontrava-se sentada na cama, a pegando de surpresa. 

Ouviu o riso gostoso ecoar e sorriu, como amava aquela mulher.

Contemplou os olhos perolados e o sorriso lindo que ela dava.

 

— Já falei que te amo hoje?

 

— Hum, deixe-me pensar... Acho que sim, mas eu não me importo de escutar novamente.

 

Sorriu encostando os lábios nos dela, pedindo passagem para um beijo apaixonado. 

Afastou-se olhando profundamente nas pérolas que tanto amava. 

 

— Eu te amo Hinata Uzumaki, para todo o sempre. Obrigado por ser minha amiga, companheira, mãe de meus filho.

 

Observou os olhos dela cheios de lágrimas, sabia que eram de alegria.

 Sua esposa as vezes corava, ou emocionava-se com suas demonstração de amor mesmo depois de anos de casados. 

 

Sentiu seu corpo ser puxado para baixo para mais um beijo apaixonado. 

Seu corpo clamava por ela, sempre iria querer tê-la em seus braços.

 

Não importava as dificuldades do presente ou futuro, era ao lado de sua família que sempre queria está.


Notas Finais


No início dessa fic eu disse que terminaria a história no capítulo do Naruto. Porém, uma amiga deu ideia para um capítulo do Kawaki, as ideias foram fluindo e terminaremos esse plot todo focado no Kawaki que faz parte também da nossa amada família Uzumaki.

Bem, espero que tenham curtido esse capítulo do nosso amado loirão, se sentirem-se confortáveis deixem seus comentários, críticas construtivas serão bem vindas também!
Até o próximo. :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...