História Um amor em meio a guerra - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Akagami no Shirayuki-hime
Personagens Personagens Originais
Tags Akagami, Reinos, Romance
Visualizações 321
Palavras 1.486
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Ecchi, Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoas!

Aqui está mais um capitulo, favor desconsiderem os erros ortográficos essa e a próxima semana serão bem corridas pra mim, porque tenho muito a estudar.

Boa leitura!

Capítulo 7 - Proximidade, reações e sensações


Fanfic / Fanfiction Um amor em meio a guerra - Capítulo 7 - Proximidade, reações e sensações

Shirayuki   POV

 

As palavras dele e o seu olhar determinado me deram a certeza de que poderia confiar minha vida a esse guerreiro sem pensar duas vezes.

E esse sentimento era tão novo e reconfortante...

 

Zen: Acho que ainda não fomos apresentados apropriadamente me chamo Zen sou o pri...

Shirayuki!!! – Fomos interrompidos pelo grito aliviado de Ryu, que correu em minha direção me abraçando e seguido pelo casal que estava no acampamento mas que pararam um pouco distante mas visivelmente aliviados quando nos viram. – Eu fiquei tão preocupado achei que tivessem te levado.

Shirayuki: Não querido, está tudo bem. – Ainda abraçados sussurrei em seu ouvido. – Você não contou pra ninguém sobre o meu cabelo não é?

Ryu: Não disse nem uma palavra sobre isso, eu prometi guardar o segredo. – Respondeu igualmente aos sussurros. – Só contei como você me salvou e que fomos capturados e depois fugimos.

Zen: O que é que vocês tanto cochicham aí? – Falou e olhei para ele estreitando os olhos.

Shirayuki:  Se quiséssemos que você soubesse falaríamos mais alto.

Ryu: Vejo que já conheceu meu primo, ele não vai deixar nada de mal te acontecer, exatamente como eu disse que faria!

Shirayuki: Então esse é o seu primo? – Falei olhando mais uma vez na direção do rapaz com o qual eu falava a alguns minutos.

Ryu: Sim, Ele se chama Zen e é muito legal. – Zen fez uma reverência exagerada e se ergueu com aquele sorriso lindo e convencido no rosto e estreitei os olhos em desafio.

Shirayuki: Eu já descobri como ele é legal... – Falei ironicamente e o sorriso do desgraçado só fez aumentar.

Zen: Todos me adoram. – Começamos a andar de volta para o acampamento e ele ajudou Ryu a subir um barranco, depois estendeu a mão pra mim, me puxou, se aproximou e murmurou de forma que só eu pudesse ouvir. – Só cuidado para não se apaixonar por mim Shirayuki.

 

O prazer e o tremor que tomou conta de mim ao ouvir meu nome sendo sussurrado por ele foi...Nunca experimentei nada tão... Desorientador! Essa é a palavra. 

Ryu que não percebeu nada, entrelaçou sua mão com a minha e me guiou de volta para o acampamento, deixando-o pra trás.

 

Zen POV

 

É estranho, essa garota tem algo que me intriga e me fascina.

Ela é forte e capaz, já vi homens com ferimentos muito menores que os dela chorarem como garotinhas assustadas, mas ela não! Me enfrentou e desafiou.

 Deus ela tentou me ameaçar! Sem armas... Sem roupas...

Um sorriso involuntário apareceu em meu rosto, era uma mulher realmente excepcional e mais que isso, não me tratou diferente por ser o príncipe de Clarines. Pra todos, com exceção da família, Mitsuhide e Kiki que eram praticamente da família também, era sempre: Sim vossa alteza, não vossa alteza, como desejar vossa alteza...

Era refrescante encontrar alguém que não visse o titulo acima do homem. Eu queria ser reconhecido por mim mesmo, pelas minhas realizações e pela minha personalidade.

Talvez por isso provocá-la esperando ouvir uma resposta afiada e sentir suas reações espontâneas e não submissas a minha aproximação,  era extremamente satisfatório. Todas as outras tendem a se desmanchar com apenas um sorriso ou uma palavra minha, ela não.

Isso é estimulante...Viciante.

Além disso teve a forte compulsão que eu senti por protegê-la quando estava indefesa e desacordada em meus braços e o ódio cru que me percorreu ao ver com meus próprios olhos o quanto a machucaram, mesmo que eu não tivesse dado minha palavra ao Ryu, ainda assim eu morreria antes de permitir que a tocassem outra vez.

Ryu a levou na minha frente e o meu olhar a percorreu  de alto a baixo, o vestido que ela modificou não favoreceria a maioria das mulheres, mas nela ficou quase perfeito, e esse “quase” se devia apenas ao fato dele ser das cores do reino de Tanbarun. Sem todas as camadas e enchimentos apenas a sutil leveza da seda lhe cobria o corpo abraçando e valorizando cada uma de suas curvas, inclusive o sutil balançar de seus quadris ao caminhar tinha um efeito quase hipnótico sobre mim. 

Eram muitas coisas, muitas reações e sensações misturadas pra eu entender... Mas uma só causa: Ela.

 

Shirayuki POV

 

Ryu me levou de volta para o acampamento e me apresentou a Mitsuhide e Kiki, eles eram soldados bem treinados e amigos próximos da família.

Ao fim do café da manhã reforçado com frutas silvestres e pão, a pergunta da qual eu tanto temi finalmente veio a tona.

 

Kiki: Shirayuki, o Ryu nos contou como você o defendeu e tudo o que aconteceu depois, mas não soube explicar o motivo dos soldados terem levado vocês ao castelo de Lorde Raj, uma pobre plebéia e um garoto acusado de roubo, o mais lógico é que eles tivessem apenas se livrado dos dois ali mesmo. Porque não fizeram isso?

Mitsuhide: Ele disse que Raj queria casar com você.

 

Todos me olhavam na expectativa de uma resposta plausível. Mas eu não me atreveria a contar a verdade, não ainda. Essa coisa de confiar não era algo a que eu tivesse acostumada e não ia despejar todos os meus segredos assim tão fácil, muito menos aos soldados do reino inimigo.

 

Shirayuki: Casar não! Eles me levaram para o castelo a força para que eu me tornasse concubina de Lorde Raj. – Abaixei a cabeça envergonhada, por hora isso era o mais próximo da verdade que eu ousaria chegar. – Planejavam usar o Ryu pra me forçar.

Zen: Ele abusou de você? – Por algum motivo senti que a voz dele estava tingida de ira.

Shirayuki: Não! Eu me neguei, e por isso ele me bateu. – Fechei os olhos relembrando as agressões e ofensas. -  Disse que deixaria ao Ryu e a mim presos sem comer e nem beber até que eu reconsiderasse sua oferta.

Mitsuhide: Sim, isso faz mais sentido que a historia do casamento, Raj não é do tipo que se apaixonaria por uma plebéia, por mais bonita que ela seja... Fico feliz que tenham escapado antes do pior.

Shirayuki: Não tanto quanto eu. – Sorri agradecida pelo elogio.

Ryu: Talvez ao ver como ela é bonita ele tenha realmente se apaixonado, tenho certeza que ouvi ele falar de casamento, mas não importa, agora vai ficar tudo bem, vamos levá-la pra casa onde o Lorde Raj nunca vai poder se aproximar dela outra vez.

Kiki: Faremos isso.

Shirayuki: Sei que estou sendo um estorvo pra vocês, vou aceitar sua oferta apenas por pouco tempo, enquanto me recupero da maior parte dos ferimentos, e planejo pagar pela estadia em sua casa, assim que  estiver restabelecida partirei.

 

Zen POV

 

Pagar pela estadia? Isso só pode querer dizer que o Ryu não contou nossa posição no reino, Mitsuhide também percebeu, mas com um olhar fiz com que ele se calasse.

 

Zen: Tem algum lugar pra onde ir? Alguém te esperando em Tanbarun?

Shirayuki: Não. Mas preciso encontrar alguém. – “Alguém” um namorado talvez? Por sorte Mitsuhide fez a pergunta antes de mim.

Mitsuhide: Quem? Se podermos ajudar de alguma forma.

Shirayuki: Essa é a parte difícil. – Negou com a cabeça. - Não sei quem nem onde, mais é meu dever procurar e encontrar alguém que me ajude a cumprir o ultimo desejo de meu pai.

Ryu: Não entendo.

Shirayuki: Não precisa entender, e nem eu posso explicar, é um fardo que tenho que levar sozinha, é minha responsabilidade.

 

Sua resposta tinha sido propositalmente vaga, mas decidimos não pressioná-la agora, Izana com certeza tiraria dela todas as respostas, ele era um mestre na arte da persuasão e a investigaria minuciosamente. Decidimos desarmar o acampamento e seguir, ainda tínhamos algo em torno de dois dias de cavalgada.

 

Shirayuki POV

Tudo arrumado para partir, mas só agora me dei conta.

 

Shirayuki: Só tem três cavalos.

Ryu: É, você monta junto com o Zen e eu com a Kiki. – Um arrepio me percorreu, a idéia de percorrer um longo caminho no mesmo cavalo que o Zen não parecia nada apropriado.

Shirayuki: Hum, talvez pudéssemos trocar, não é? 

Ryu: Não! Eu vou montar com a Kiki e o  Zen é o responsável pela sua proteção e para isso você precisa estar perto dele.

Shirayuki: Não, eu não preciso, posso me defender muitíssimo bem sozinha, além do mais posso montar junto com o Mitsuhide.

Mitsuhide: Infelizmente não vai ser possível, como achei que a Kiki e o Zen já iriam levar alguém com eles, arrumei todas as outras coisas no meu cavalo, se tivesse me avisado antes... Mas agora perderíamos bastante tempo mudando as coisas de cavalo e temos que aproveitar o sol para avançar o máximo possível hoje.

 

Sem outra opção tive que aceitar o lugar e sobretudo a companhia que me determinaram.

Como eu estava de vestido o Mitsuhide me ergueu cuidadosamente e me depositou na frente da sela do Zen.

Só que sua proximidade e seu olhar me causam reações e sensações que ainda não me sinto preparada para enfrentar..

 


Notas Finais


Apesar do pouco tempo juntos já é possível sentir a química no ar, será que vai ser tudo tão fácil assim?
Por hoje é só se eu conseguir na sexta eu posto outro.

Kisses mil!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...