História Under the Radar - (Uma história Taekook) - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, F(x), Girls' Generation, Got7, HyunA, Red Velvet, Sistar, Super Junior, TWICE
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Army, Colegial!au, Kookv, Menção Chanbaek, Menção Namjin, Menção Sope, Taekook, Vkook, Yoonseok
Visualizações 250
Palavras 7.310
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Esporte, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie, quanto tempo hein? Tudo bem com vocês?
Primeiramente gostaria de me desculpar pela demora. Eu queria muito explicar o que houve, mas achei que poderia irritar vocês se postasse um aviso e vocês pensassem que fosse um capitulo. Chato isso né? Eu sei shahsau, então não fiz.

Em resumo: Meu note deu pau, perdi tudo que tinha escrito, fiquei desanimada, não conseguia escrever nada que prestasse, então decidi dar um tempo, esperando a criatividade dar as caras.

Enfim, to aqui, queria agradecer aos 200 favoritos. To bem feliz. Espero que gostem do capitulo, fiz com muito carinho.

Desculpem os erros e boa leitura.

Obs: A foto indica a roupa que os Taekook estão usando.

Capítulo 28 - O namorado mais perfeito do mundo.


Fanfic / Fanfiction Under the Radar - (Uma história Taekook) - Capítulo 28 - O namorado mais perfeito do mundo.

Jungkook caminhava um pouco apressado pelo shopping. Várias dúvidas na cabeça. Ainda não tinha certeza do que queria. Gostaria que fosse algo especial, único, que pudesse verdadeiramente demonstrar o que estava sentindo. Mas, infelizmente, não se achava bom em demonstrar o que sentia. E se Taehyung não gostasse? E se não entendesse o que queria dizer? E se o achasse um chato e terminasse com ele? Terminar? Terminar o que? O que eles eram afinal? Não tinham conversado sobre o status dessa relação. Céus, estava perdido, precisava de ajuda.

Entrou na Jeon’s Jewel. Uma das várias lojas de sua família. Essa era uma das maiores de Seul. Só não era maior que a sede onde se encontrava o escritório administrativo e também o ateliê de criações de sua mãe, que era o local onde seus pais costumavam trabalhar quando estavam em Seul. Mas decidiu vir ao shopping, pois era mais perto de sua casa, e onde sabia que sua irmã estava no momento, afinal como disse, ele precisava mesmo de ajuda.

Olhou ao redor, cumprimentando educadamente alguns funcionários, enquanto adentrava o bonito e elegante ambiente. Avistou sua irmã conversando com uma funcionária perto de um mostruário de vidro, onde estavam algumas peças da nova coleção assinada pelas mulheres Jeon. Colares, anéis, brincos, pulseiras, relógios e tantas outras peças. Mesmo que Jungkook não se interessasse de fato por joias, ele realmente apreciava e admirava o talento de sua mãe e irmã, além é claro da perfeita administração que seu pai fazia dos negócios. Ele tinha muito orgulho da família que tinha. E isso incluía seu irmão, obviamente, o futuro médico da família.

Yuri desviou o olhar da moça que conversava para Jungkook, que sorriu alegre para a irmã, que mesmo surpresa pela presença do caçula, retornou o sorriso com afeto. Dispensou educadamente a funcionaria e foi de encontro ao Jeon mais novo.

- Kookie, que surpresa você por aqui. – Ela diz ao se aproximar, dando um caloroso abraço no irmão e um beijo na bochecha. Mesmo sendo mais velha, Jungkook já havia ultrapassado sua altura há muito tempo. – A que devo a honra de sua visita? Sabia que eu estava aqui hoje?

- Uhum, sabia sim. Eu meio que....queria a  sua ajuda. – Diz timidamente.

Yuri o olha carinhosamente, sorrindo pela súbita timidez do irmão.

- Certo, te ajudarei com o maior prazer irmãozinho não tão inho assim. Em que posso lhe ser útil então?

- E-eu gostaria de dar um presente para uma pessoa.

- É pra Lalisa?

- Não. Nós terminamos.

- Oh....sério? – Yuri exclama surpresa. - E você está bem? – Ele parecia muito bem, não parecia alguém que havia terminado um relacionamento sério.

- Sim, estou ótimo. Foi uma decisão minha, e estou feliz, não se preocupe mana.

- Tudo bem. Se você está feliz eu estou feliz também. Então vamos à caça do presente que você vai dar para.....? – Yuri termina a frase olhando para o moreno com os olhos questionadores.

- A-alguém especial. – Jungkook diz olhando para os pés.

- Alguém especial....certo. – A irmã repete, achando graça da timidez do irmão. Deveria ser alguém especial mesmo. – Se é alguém especial, então o presente deve ser especial também.

Então eles foram atrás do presente. Yuri mostrava as joias e acessórios, cada item mais lindo (e valioso) que o outro. Jungkook olhava e prestava atenção nas dicas descrições que a irmã fazia, mas ficava mais confuso a cada novo item apresentado.

- Gostou de algo?

- Eu não sei...é tudo bonito, mas..sei lá. – Ele deu de ombros confuso.

- É um presente de aniversário?

- Não.

- Certo. Não me parece que seja para uma garota, você não está olhando os artigos femininos.

- N-não é uma garota. É um...rapaz. – Jungkook fala baixo, ficando vermelho.

- Ah...certo. Um rapaz especial pra você. É o Jimin?

- Não, não é o Jimin. – Jeon fala rindo distraído olhando para um relógio de pulso de ouro branco. - Jimin é meu melhor amigo mana. E o Tae é... – Ele de repente para e olha assustado para a irmã. – Q-quer dizer, n-não é para o Jimin. – Completa totalmente sem graça.

- Tudo bem Kookie. – Yuri diz sorrindo amorosa e passando a mão pelos cabelos sedosos do irmão. – Acho que estou começando a entender o que você quer. Assim posso te ajudar a escolher um presente especial, certo?

- É...certo – O mais novo responde sorrindo tímido.

- Esse rapaz...Tae, é muito especial pra você então, não é? – Ela pergunta, e Jungkook assente, mas nada diz. – Ok. E você quer um presente que mostre isso a ele, estou certa? Que mostre que ele é especial para você? – Jungkook assente mais uma vez. – Especial, mas não como o Jimin é para você, não como amigo, é mais que isso. – Dessa vez não era uma pergunta. Mas Jungkook responde mesmo assim, olhando nos olhos da irmã.

- Sim, não como amigo. Q-quero que ele seja mais, quero pedir pra ele ser mais.... mais que amigo.

Yuri sorri, ao ver os olhos do seu irmãozinho brilhando. Finalmente alguém havia tocado de verdade o coração de seu amado Jungkookie. Amava muito o caçula da família, e sabia da dificuldade do mesmo em  se relacionar com outras pessoas. Mas sentia que o irmão estava diferente, parecia mais leve, mais feliz. Seja quem fosse esse Tae, já gostava dele. De repente teve uma ideia. Claro, era perfeito.

- Kookie, acho que tenho o presente perfeito para você.

 

*`•..•´*`•..•´* ♥ *`•..•´*`•..•´*

 

Jungkook se despediu alegremente da irmã e seguiu de volta para casa. Ainda tinha algumas coisas para resolver sobre o dia de amanhã. Queria que tudo fosse perfeito. Estava nervoso, ansioso, mas de um jeito bom. Segurava o presente junto ao peito e sorria bobo. Esperava que Taehyung gostasse tanto quanto ele havia gostado. Tirou o celular do bolso, decidindo mandar uma mensagem para o loiro-acizentado. Sabia que ele estava ocupado com a matéria do jornal, mas só queria dizer oi e perguntar como estava. Estava com saudade, o que era algo incrível, pois haviam se visto na noite anterior. Antes que pudesse escrever algo, o celular toca.

            - Você me ligando no sábado antes do meio dia Jiminie? O que aconteceu? Caiu da cama? – Exclama sorridente ao atender a ligação

            - Bom dia pra você também Jeon Jungkook. – O ruivo diz do outro lado da linha com mau humor.

            - O que aconteceu? Por que ta me ligando essa hora? E por que ta mau humorado?

            - Agora eu preciso ter um motivo pra ligar pro meu melhor amigo?

            - Em um sábado às 11h da manhã, quando você nunca está de pé antes da uma da tarde? Acho que tem um motivo sim.

            - Não, não tem. E acabei de perceber que foi uma péssima ideia. Vou voltar a dormir, adeus...

            - Ei ei, espera! Não desliga Jimin.

            - O que é?

            - Me fala o que houve.

            - Não houve nada, cara.

            - Sabe, eu poderia dizer o motivo por você, mas se você me ligou é porque quer conversar. Então converse.

            - Aish... é a Amy. – Jimin confessa soltando um suspiro frustrado.

            - Jura? Nem imaginava, me pegou hein Park. – Jeon ironiza sorrindo.

            - Vai se ferrar.

            - Mas me diz, o que houve? – Jungkook fala serio dessa vez.

            - Ai é que está o problema. Eu não sei. Eu não entendo aquela garota. – O outro rebate num tom frustrado.

            - Desenvolva Jimin...

            - Cara, ontem à noite, foi maravilhoso. A gente se beijou. Fui o primeiro beijo dela! A gente se beijou na barraca do beijo e-

            - Como é que é?

            - É, eu fiz ela ir lá e dep-

            - Cara, você obrigou a garota a pagar pelo primeiro beijo dela? Você pirou foi?

            - Não Jeon. Eu não sabia que ela nunca tinha beijado, quando eu soube eu desisti, mas então ela me beijou. E cara foi muito bom.

            - Ufa... me assustou Park.

            - E depois a gente riu, se beijou de novo e de novo, e depois que ela quebrou a cara da Lalisa, o que me deixou meio excitado, não vou mentir, mas enfim, eu cuidei dela, e abracei ela, e ela cochilou nos meus braços e depois eu a levei pra casa.

            - Jimin, isso é muito legal cara. Nunca vi você tratar uma garota assim, se importar tanto com alguém, eu realmente estou feliz por você.

            - É eu também achei legal, bem legal mesmo. Mas agora parece que nada disso aconteceu. – Ele diz se alterando.

            - O que quer dizer?

            - Ela....ela não me ligou. Não mandou mensagem. Nada! Eu sei que ela ia acordar cedo por causa da matéria. Então acordei também e to aqui que nem um idiota esperando ela dar sinal de vida e nada. Um grande e estupido nada. O que eu fiz de errado?

            - Perai, você esperava o que? Que ela fosse correndo atrás de você no outro dia, como todas as garotas fazem quando você sai com elas? Era isso que você esperava?

            - E-eu...não, claro que não, mas-

            Jungkook balança a cabeça, mesmo sabendo que o amigo não podia ver.

            - É, você esperava.

            - Mas eu-

            - Jimin, presta atenção. Amy não é como as garotas que você saiu, eu sei que nem preciso te dizer isso, você já sabe. E por esse motivo, não espere que ela fique correndo atrás de você, e isso não quer dizer que ela não goste de você, ou que espere que você vá atrás dela. Não é nada disso. Ela apenas não é confiante o suficiente para ter a iniciativa de ir até você. Não é orgulho, é timidez, insegurança.

            - Aish, você tem razão Kookie. Eu sou mesmo um idiota.

            - Não Jiminie, você não é idiota. Apenas está vivendo algo novo, com alguém diferente do que você está acostumado. Mas você vai se sair bem. É um cara legal, Amy tem sorte.

            - Valeu cara. O Tae tem muita sorte também. Fico feliz de ter você como amigo Jeon.

            - Digo o mesmo Park.

            - Nossa, eu to mesmo mudado. To um meloso, o que que essa garota fez comigo? To aqui me declarando pra você, a que ponto cheguei...

            - Nem disfarça, você me ama demais.

            - Ta, ta, já chega. E você hein? Como você e o Tae estão? Pra onde foram ontem à noite? Não me diz que você tirou a inocência do rapaz, Jeon?

            - O que? Não, ta maluco? Eu levei ele pra casa, só isso.

            - Sei...

            - Eu vou levar ele em um encontro amanhã.

            - Sério? Que legal cara. Pra onde você vai leva-lo?

            - Depois te conto, ainda tenho que fazer umas coisas. Eu comprei um presente pra ele, quero pedir ele em namoro...

            - Wow!! Nossa menino Jeon, você está rápido mesmo. Tem certeza disso?

            - Nunca tive tanta certeza.

            - Então eu apoio totalmente. Mas vem cá, não quer me contar pra onde irá leva-lo por quê? Cara, já disse, não vai tirar a inocência do rapaz assim tão rápido.

            - Jimin, só cala a boca.

            - To brincando seu idiota. Depois me conta tudo hein? Menos os detalhes safados, pois sou um rapaz puro.

            - Tchau Jimin-

            - Ei espera! Ta bom, parei. É que eu to meio pilhado, desculpa.

            - Só manda uma mensagem pra ela. Pergunta como ela está, o resto você sabe, não precisa de ajuda.

            - Tudo bem, vou fazer isso. Obrigado Kookie, e boa sorte amanhã, sei que o Tae vai amar seja lá o que você fizer pra ele.

            - Valeu Jimin.

           

*`•..•´*`•..•´* ♥ *`•..•´*`•..•´*

 

Jin e Amy encontravam-se na casa de Taehyung para o inicio da montagem da matéria. Estavam nesse processo desde o começo da manhã de sábado. Jin na verdade estava apenas auxiliando os dois, e no momento estava despedindo-se de ambos, e o restante da tarde estaria por conta apenas de Amy e Tae.

- Apesar de ter bastante coisa para fazer, vocês conseguiram organizar todos os acontecimentos muito bem, eu não posso dizer que estou impressionado com o capricho de ambos, pois já esperava.

- Valeu Jin, vamos trabalhar bastante na matéria hoje e na semana que vem continuamos. – Amy diz sorrindo.

- Isso. Acredito que até o fim da semana terminamos. – Tae completa.

- Está certo. Eu vou indo, e se precisarem de algo pode me chamar. – Jin diz enquanto se encaminham para a saída. Ele então para, e se volta com a expressão incerta para Taehyung.

- Tae, eu estava pensando aqui, sobre o Jongin...se você quiser, na parte dele, eu posso ajudar a Amy...

- Não se preocupe Jin, eu posso fazer isso, sem problemas. – Tae diz, tranquilizando o mais velho.

- Entendo. Mas qualquer coisa, você sabe...

- Tudo bem, obrigado.

- Certo, até segunda então, visionários.

Ambos se despedem do editor e voltam para a mesa da sala de jantar onde estavam trabalhando.

- Tae, sobre a proposta do Jin, você sabe que eu posso fazer sozinha essa parte né? Você não precisa falar dele, se isso te incomodar.

- Amy, está tudo bem, sério.

- Você tem certeza? Ele foi um filho da puta com você.

- Sim, ele foi. Mas infelizmente ou não, eu sou o que mais ficou perto dele. E por mais que ele tenha me enganado, tenho certeza que nem tudo foi mentira. Certas coisas que ele me contou, e mesmo o que eu pude captar por mim mesmo. Ele não é uma pessoa má, apenas tomou decisões erradas por motivos que ele julgou certo no momento.

- Você pensa em perdoa-lo?

- Eu não sei. Eu só não quero ser injusto no que estamos fazendo aqui. Quero ser imparcial. O que ele fez pra mim não tem nada a ver com o que ele é para o time.

- Entendo Tae, então vamos continuar?

- Vamos sim.

Eles passaram o restante da manhã organizando datas, editando fotos, revisando o que já haviam escrito. Taehyung percebia que de vez em quando Amy olhava para o celular com uma expressão desanimada, mas logo voltava a se concentrar no que estava fazendo. Quando estava perto do meio dia, a mãe de Tae sugeriu que ele dessem uma pausa, e voltassem ao trabalho após o almoço, e foi o que fizeram. Quando estavam na varanda apreciando o aroma da comida que vinha de dentro casa, o celular de Taehyung tocou. Ele atendeu no mesmo instante.

- Oi Gukkie. – Diz sorrindo bobo.

- Oi Tae, como você está?

- To ótimo Gukkie, e você?

- Melhor agora falando com você. Estão trabalhando muito na reportagem daqueles pernas de pau? – Jungkook questiona em tom brincalhão.

- É, pode se dizer que sim. Mas estamos nos divertindo no processo, então está tudo bem.

- Tae – Jungkook então fala em um tom mais sério. - Eu conversei com ela, eu terminei. Fui mais cedo na casa dela e coloquei um fim nisso.

- Ah, certo – Tae não podia negar que se sentiu um pouco aliviado ao ouvir essas palavras, mas não queria deixar transparecer isso. Não queria ser insensível. – E como você está?

- Aliviado? Feliz? Leve? É, estou bem demais, pode acreditar. – Ele diz e Tae percebe pelo tom que ele sorria. Sorriu também.

- Eu acredito. – Diz carinhoso.

- Está preparado pro dia de amanhã?

- Ah Gukkie, nem fala, to ansioso demais!

- Que bom, eu também estou. Amanhã as duas passo na sua casa ta?

- Cedo assim?

- Sim, teremos o dia cheio amanhã.

- Nossa, estou mais curioso e ansioso ainda. Pra onde a gente vai mesmo?

- Há, espertinho, eu não disse.

- Ah Gukkie!

- Não faz bico Tae.

- Por que não? E como você sabe que estou fazendo isso?

- Porque sei que quando você faz essa voz manhosa você faz um biquinho lindo e eu não estou ai pra beijar ele, então não é justo você fazer. Amanhã você vai saber de tudo, ta? Não fica bravo comigo.

- Não to bravo Gukkie, to feliz.

- Eu também estou Tae, demais. Agora vou deixar você trabalhar, posso te ligar mais tarde?

- Pode sim!

- Então ta bom, beijo Tae, eu t – Ele então pigarreia e retorna a falar. – G-gosto muito de você, até depois.

- Eu também gosto muito de você Gukkie, beijo, até mais tarde.

Taehyung desliga o celular, com um sorriso radiante no rosto. Ele desvia o olhar para Amy e a ve olhando pra ele sorrindo terna.

- Ah Taezinho, é tão bom ver você sorrindo assim.

O fotografo sorri acanhado e abraça a amiga.

- Ele me faz feliz Amy, muito feliz.

- Gosto muito dele né Tae?

- Gosto sim, muito, muito.

- Ele também gosta de você, é tipo óbvio demais. O garoto não disfarça nada. Sabe aquela história de serem discretos? Jungkook não entendeu o recado. – A garota diz sorrindo e Tae a acompanha.

Eles então permanecem em silencio, perdidos em pensamento. Tae imaginando o dia do encontro e Amy pensando em um certo ruivo que parecia que a havia esquecido, pelo menos era o que ela pensava no momento. Soltou um suspiro alto, olhando pro celular que estava em sua mão. Tae se vira para a amiga.

- Ta pensativa hoje, o que se passa nessa cabecinha?

- O que? Ah, nada demais, to pensando...na matéria, e to com fome, esse cheiro da comida da tia ta me deixando com agua na boca.

- Amy, Amy... acho que já percebemos que mentir um pro outro não cola né? Anda, me diz.

- Ah Tae, você sabe...

- Jimin?

- Jimin. – Ela rebate num tom desanimado.

- Mas tudo que aconteceu ontem com vocês dois, você tava feliz, radiante eu diria.

- É, eu estava, mas agora...

- Agora o que?

- Ele nem me procurou, não me manda nem uma mensagem, não liga, nada.

- Amy, isso não quer dizer nada. Ainda estamos no meio do dia, e vocês ficaram ontem. Não exagera.

- Tae, você conhece a fama dele. Ele não é do tipo que se prende as pessoas. E se o que houve ontem não significou nada pra ele?

- Você não pode pensar assim, você não sabe, as pessoas mudam, sabia?

- Pois é, eu não sei, não sei o que se passa na cabeça dele. Mas pra mim significou muito.

- E porque você não manda mensagem pra ele?

- O que? Eu não vou fazer isso.

- Por que não?

- Ora essa, porque, porque....

- Por quê? – Taehyung arqueia a sobrancelha encarando a amiga.

- Aish, eu não tenho coragem. E se ele não quiser nada comigo? Eu não vou arriscar levar um fora.

- Aff, para com isso. Essa não é a Amy que quebrou a cara de uma vadia ontem pra defender o melhor amigo. Quero minha Amy de volta!

- Tae, eu não vou fazer isso.

- Ah, mas a senhora vai fazer sim senhora!

- Não vou não!

- Ah, mas se você não vai eu vou, me da esse celular aqui. – Ele então avança na mão da amiga tentando pegar o celular, ela tenta manter o aparelho longe do amigo, e eles acabam se embolando, guerreando pelo objeto.

- Tae, para com isso, sai de cima de mim.

- Não, me da isso, você precisa tomar vergonha na cara mulher.

- Tae, você é pesado, saiii!

- Ta me chamando de gordo sua nanica?

- Eii, não fala da minha altura! Eu não sou baixa, você que é uma girafa!

De repente o celular começa a tocar, e ambos param o que estão fazendo, e ficam encarando a tela.

- Ai meu Deus, é ele!

- O que ta esperando? Atende criatura.

- E-eu não.

- Aish – Ele então avança na mão da garota que estava estática e atende por ela. Amy lança um olhar aterrorizado para o amigo que apenas ri balançando os ombros. A garota então respira fundo, e leva o celular ao ouvido.

- O-oi Jimin.

- Oi Amy, to atrapalhando?

- N-não, imagina

- É que você demorou pra atender, e sei que está fazendo a matéria, não quero te atrapalhar.

- Você não me atrapalha Jimin, não se preocupa.

- Ah que bom, ta certo. Então...como você está? – Ela percebe o tom acanhado na voz do ruivo e estranha. Jimin não é tímido.

- Eu to bem, to ótima. – Amy tenta em vão disfarçar o tom ansioso. E não ajudava em nada as caretas que Tae ficava fazendo pra ela. Ela estreitou os olhos para o amigo e beliscou o mesmo, que deu um grito de dor.

- O que foi isso?

- Ah, não é nada, é só o Taehyung sendo escandaloso pra variar. – Ela diz sorrindo da cara indignada que o amigo fazia. – E você está bem?

- Estou sim. – Os dois ficam em silencio tenso por um momento até Jimin voltar a falar. – Bem, Amy... eu queria falar que...bom...aish, isso está mais difícil do que eu pensava.

- O que quer dizer?

- Você me deixa nervoso.

- E-eu? Tenho certeza que é o contrario. Você está acostumado a isso tudo, já eu...

- Não, nunca assim. Nunca foi assim pra mim. Nunca uma garota...tipo...me importou tanto quanto v-você. Ah que droga, agora to gaguejando, que ridículo. Você deve me achar um estupido né?

- Não Jimin! Não acho.

- Bem, certo. Então. Eu liguei pra saber como você está e pra dizer que...eu gostei muito de ontem.  – Ele começa falando devagar para não gaguejar. - Não da parte que você brigou sabe, quer dizer, eu achei aquilo da hora, não vou negar – Fala se empolgando nessa parte, mas percebe e pigarreia para continuar. – Quer dizer, estou falando de nós dois. Eu gostei muito, de verdade. E queria que você soubesse disso.

- Eu também gostei Jimin.

- Sério? – Ele diz empolgado e se reprime logo em seguida. – Isso é bom, isso é ótimo.

- Sim, é sim. – Ela responde, tímida.

- Certo, então eu acho que agora vou desligar. Não vou te atrapalhar. A gente pode conversar segunda na escola? Se você quiser, claro.

- Claro, vamos conversar sim.

- Então ta bom, até segunda então?

- Sim, até segunda Jimin.

Ela então desliga a chamada, e olha pro amigo que a encara em expectativa.

- Então?

- Aish, ele é tão lindo! Tão fofo!

- Fofo? Nunca achei que ouviria você chamando Park Jimin de fofo. Safado, mulherengo, sedutor, eram os adjetivos que você mais usava pra ele.

- Eii, não começa! Ele foi fofo, ta bom? Ele tava tímido, e até gaguejou.

- Ai que amor! Ta apaixonado, é isso.

- Eu não sei... mas ele disse que gostou muito de ontem e que nunca uma garota importou tanto pra ele como eu. – Ela diz vermelha, com olhos brilhando.

- Que lindo Amy, ta vendo? Não fica colocando caraminholas nessa sua cabecinha. Vive o momento, você merece.

- E-eu ...

- E-eu nada, você me promete que vai tentar deixar essas duvidas e inseguranças de lado? Jimin gosta de você e você gosta dele, e isso que importa.

- Ele não disse que gosta de mim.

- Aff, você para viu? Não tenha medo de abrir seu coração. Não to pedindo pra se declarar pra ele, mas não se feche. Esteja aberta as possibilidades, se for pra ser, vai ser. Me promete?

- Ta, Tae. Prometo.

- Assim que eu gosto. Agora vamos comer que eu estou morrendo de fome.

- Agora você falou minha língua!

- Mas é uma esfomeada mesmo, viu.

- Vamos parar com as ofensas a minha pessoa?

- Coitado do Jimin, quando souber o tanto que você come, vai ter que levar marmita nos encontros de vocês pra economizar a grana dele. – Taehyung fala e sai correndo da escritora, antes que levasse um tapa da mesma.

- Ei, volta aqui seu desaforado!

 

*`•..•´*`•..•´* ♥ *`•..•´*`•..•´*

Domingo

 

- Ele não está lindo demais meninas?

- Parece um modelo!

- Jungkook vai ter um treco quando te ver Taetae.

- Querem parar vocês três? – Tae revira os olhos, enquanto arrumava a toca em frente ao espelho. O rosto levemente ruborizado, pelos elogios que recebia de sua mãe, Amy e a irmã Sulli.

Quando terminou de se arrumar, ficou conversando com as três, olhando toda hora para o relógio. A qualquer momento o moreno chegaria. Ao ouvir a campainha tocar, teve um sobressalto, sentindo um frio na barriga pela ansiedade. Despediu-se de todas e por ultimo da mãe, que o abraçou carinhosamente.

- Se divirta bastante, meu filho. Eu te amo, viu?

- Obrigado mãezinha. Te amo muito também.

Tentando conter o nervosismo foi até a porta e a abriu, revelando um Jungkook muito estiloso, entretanto deverás nervoso, assim como ele próprio.

- Uau, você ta lindo Tae. – Jungkook diz olhando o de cabelos cinza de cima a baixo, deixando-o envergonhado.

- V-você também ta lindo Gukkie.

- Obrigado.  – Sorri acanhado, mas satisfeito. - Está pronto?

- Estou sim.

- Então vamos? – Questiona estendendo a mão, Tae assente positivamente, pegando na mão do moreno, indo em direção ao carro de Jungkook. Antes de abrir a porta, Jeon volta seu olhar para Taehyung, que o encara sem entender.

- O que houve?

Jungkook nada diz, apenas sorri, segurando a mão do outro delicadamente, aproximando-se devagar, beijando os lábios de Taehyung. Foi apenas um selar demorado, mas já foi o suficiente para aquecer o coração de ambos.

- Agora posso te beijar quando eu quiser né? – Ele questiona após se separarem.

- Pode sim Gukkie. Eu também posso?

- Com certeza! – Jeon rebate sorrindo largo e Tae lhe da um selinho rápido e sorri também.

Os dois então entram no carro e partem para o seu destino. O caminho é feito de forma agradável, com os dois conversando animados, cantando as musicas que passavam na rádio, de vez em quando Jungkook pegava na mão de Taehyung que estava sobre a coxa e a apertava de leve.

Depois de quarenta minutos, Jungkook estacionou próximo a um gigantesco e lindo parque de diversões. Taehyung nunca havia ido ali, pois os ingressos eram meio salgados para seu bolso.

- Nossa Gukkie, vamos nesse parque? Sério? – Exclamou mal contendo a animação que tomava conta de seu corpo.

- Vamos sim, você gosta?

- Eu amo!

- Então vamos lá!

Jungkook então pagou as entradas e começaram a circular animados pelo local.

- Tae, você já jogou boliche?

- Boliche? Não, nunca! Mas sempre tive vontade.

- Jura? Eu amo boliche, você gostaria de jogar comigo, e depois podemos andar nos brinquedos. Eu ensino você.

- Ta bom, vamos! – Tae responde animado.

Quando terminaram de colocar os sapatos especiais, foram para a pista de boliche que já tinha algumas pessoas por ali jogando.

Tae não conseguia parar de sorrir e Jungkook ficava o olhando, admirando aquele sorriso que tanto amava, sua mão fazendo um carinho involuntário na mão do loiro.

Jungkook então começou a explicar as regras e a posição correta de jogar a bola. Taehyung achou muito elegante, para não dizer sexy, a postura que Jeon fazia para jogar a bola nos pinos. Nas primeiras jogadas, Jungkook foi sozinho, e a cada strike que fazia, Taehyung batia palmas animados. Perto dele, havia duas garotas que aparentemente estavam com suas famílias. Elas encaravam Taehyung descaradamente, ele estava a alguns bancos de distancia delas, mas o fotografo estava inconsciente disso, pois seus olhos animados não se desviavam de Jungkook jogando boliche. Taehyung era um bom aprendiz.

Após realizar algumas jogadas, Jungkook foi em direção a Taehyung, seu olhar desviando-se rapidamente para as garotas, logo percebendo os olhares interessados que ambas lançavam ao loiro-acizentado. Franziu o cenho incomodado, aproximando-se dele.

- Quer tentar jogar agora? – Diz sentando-se ao lado do Kim. Praticamente colado nele.

- Ah, não sei Gukkie, acho que preciso observar você jogar mais.

- Nada disso, vamos jogar nós dois, vem Tae, eu te ensino.

Tae então levanta, aceitando a mão do moreno que o conduz até a pista. Jungkook então pegou uma bola e ajudou Taehyung a segura-la corretamente. Ele conseguia sentir os olhares das garotas em cima deles, provavelmente achavam que ele dois eram somente amigos. Mas ele estava disposto a esclarecer as coisas.

- Deixa eu te ajudar. – O moreno diz, se posicionando atrás de Taehyung, ao que segurava sua cintura com uma mão e com a outra o ajudava a segurar a bola. Fizeram os movimentos em conjunto, e jogaram a bola. Enquanto Taehyung olhava com expectativa seu destino, Jungkook permaneceu atrás dele, o abraçando pela cintura. A bola então seguiu reto, indo de encontro aos pinos, derrubando todos.

Taehyung se volta para Jungkook, os olhos arregalados e a boca aberta.

- Você viu? Não acredito! Fiz um strike! Fiz um strike! – Ele começou a pular animado abraçando Jeon.

- Fez sim Tae, sabia que você era capaz.

- Ah, eu gostei desse negócio, vamos de novo!

Jungkook sorria animado da empolgação do outro. Eles continuaram jogando juntos por um tempo até que Tae sentiu que poderia tentar sozinho. Respirou fundo e jogou a bola, quando viu que havia acertado todas, olhou chocado para Jeon mais uma vez.

- Consegui Gukkie!

- Você por acaso está me enganando? Você disse que não sabia jogar mocinho! – Falou em tom falso de acusação.

- Juro que é a primeira vez Gukkie.

- Eu sei Tae, to brincando.

- Sabe o que é? É que eu tenho um ótimo professor. – Taehyung diz sorrindo ladino, colocando os braços envolta do pescoço de Jungkook e dando um beijinho na ponta de seu nariz.

Estavam se divertindo tanto, entretidos em si mesmos que Jungkook até esqueceu das garotas, só tinha olhos para o rapaz sorridente a seu lado.

- Hora de nos divertimos naqueles brinquedos, que tal? – Jeon questiona animado.

- Sim, sim! Vamos! – Tae pega sua mão o conduzindo para fora da pista.

Com a adrenalina tomando conta de ambos, eles aproveitaram a tarde indo em todos os brinquedos, desde os mais simples aos mais perigosos. Riram, tiraram fotos e brincaram muito. Também comeram bastante besteiras entre um brinquedo e outro.

- Nossa, eu to me divertindo demais! Obrigado Gukkie, o dia está sendo maravilhoso!

- Você merece muito mais Tae. – Eles andavam de mãos dadas pelo parque, decidindo onde ir dessa vez. Passaram em frente a uma barraca de tiro ao alvo. Ao redor do local, haviam diversas pelúcias de todos os tamanhos e cores enfeitando a barraca. Tae olhava maravilhado para elas, seu olhar se detendo momentaneamente em um lindo coelho rosa com gravatinha azul, segurando uma cenoura. Ao perceber que Jungkook o encarava, desviou o olhar rapidamente.

- Vem cá. – O jogador diz, puxando o fotografo pela mão em direção a barraca.

- Não precisa Gukkie, eu nem tava olhando, juro!

Jungkook apenas beija a bochecha do outro, sorrindo e se dirige ao rapaz da barraca.

- Como faço para ganhar aquele coelho ali? – Ele diz, apostando pra pelúcia grande que encantou o Kim.

- Tem que acertar todos os alvos. Três vezes. – O rapaz diz sorrindo sacana. Obviamente ninguém havia conseguido esse feito até o momento.

- Gukkie... – Tae diz baixinho.

- Shiii....Vou ganhar ele pra você Tae. – então se volta para o rapaz da barraca. - Beleza, vou tentar!

O rapaz o encara presunçosamente, mas lhe da a arma  e as munições.

Jungkook se posiciona, fecha um olho, olhando pela mira. Respira fundo e atira, acertando um dos alvos mais próximos.

- Isso Gukkie! – Tae bate palmas alegre.

Jungkook então continua e acertas mais alguns, terminando  a primeira rodada. Na segunda ele erra uma vez os alvos mais distantes, mas consegue derrubar todos. Quando chega a ultima rodada, o atendente já encarava nervoso os alvos, não acreditando que o cliente estava tão perto de conseguir o feito inédito.

Quando faltava apenas a ultima fileira mais alta, Taehyung estava tenso. Jungkook errou duas vezes e só lhe restava mais uma munição.

- Você consegue Gukkie. – Tae diz beijando o rosto do rapaz que estava um pouco tenso também.

Ele então respira fundo, encara o alvo, e atira.

- Impossível! – O atendente diz chocado.

Taehyung caminhava ao lado de Jungkook. Estava abraçando o coelho, e sorria bobo, apertando a pelúcia carinhosamente. De repente ele para [, e Jungkook o encara confuso.

- O que foi Tae?

- Preciso dar um nome pra ele.

- Um nome?

- Sim, todos os bichinhos que ganhei tem nome.

- Todos que ganhou é? Ganhou tantos assim?

- Sim, dos meus pais, avós e da Amy – Diz simplista.

- Ah, certo. – Jeon ri sem graça. – E que nome você quer dar?

- Hum...deixa eu pensar – Ele coloca uma mão no queixo, e seu olhar se volta para o moreno, e retorna a pelúcia. Então seu olhar se ilumina. – Já sei. Vai ser Cooky!

- Cooky....de Jungkook? – pergunta sorrindo animado.

- Não, de biscoito. – Tae diz, e o sorriso de Jeon murcha. – Dã! Claro que é de Jungkook seu bobo! - Diz bagunçando o cabelo alheio, fazendo o sorriso do outro voltar.

- Gostei do nome, combina com ele.

- Combina sim – Diz abraçando a pelúcia. – Vou dormir agarradinho com o Cooky a noite toda. – Diz por fim com os olhos fechados enquanto abraça o coelho.

- Que inveja – Jungkook diz sem pensar, ficando vermelho logo em seguida. – Q-quer dizer, que legal, muito legal. – Completa, atrapalhado coçando a nuca. Tae abre os olhos e o encara tímido, tentando esconder o sorriso.

- É...está escurecendo, vamos indo? – Jungkook rapidamente muda de assunto, tentando aplacar o momento constrangedor.

- Sim sim. Vamos embora?

- Embora? Não, vamos pra outro lugar.

- Sério? – Taehyung não acreditava que o dia ainda não tinha acabado. Já era de longe um dos melhores dias de sua vida, e ainda tinha mais por vir.

- Sim, vamos Tae.

Eles voltam para o carro, e enquanto Jungkook dirigia, Taehyung observava pela janela, as luzes da cidade. A noite agradável caia, deixando o clima entre os dois mais aconchegante, intimo. Era como se conhecessem há anos, Jungkook dirigia feliz ao lembrar de todos os sorrisos de Taehyung que viu aquele dia. E o fato de que era o responsável por todos eles aquecia o coração do capitão.

Pararam em frente a um restaurante. Taehyung encarou o local com os olhinhos brilhando em expectativa. Entraram de mãos dadas. Não era sofisticado e elegante como o local onde Jongin o havia levado. Era um ambiente mais acolhedor, intimo e familiar. Muito mais a cara de Taehyung e ele adorou mais Jungkook por isso. Ele parecia saber tudo que agradava ao fotografo. Era de uma delicadeza e esmero sem tamanho.

Fizeram seus pedidos e conversaram enquanto esperavam. As mãos se tocando em cima da mesa, sorrisos apaixonados, palavras de carinho e conversas sinceras. O jantar foi perfeito. Como estava sendo tudo até ali.

- Obrigada Gukkie, eu amei tudo, tudo. – Tae ia dizendo enquanto estavam dentro do carro.

- Eu que agradeço Tae, eu amei cada momento, cada sorriso, cada palavra desse dia, graças a você. – Ele diz ao que leva a mão de Tae aos lábios e a beija carinhosamente. Então foram para o carro e dirigiram por um tempo curto. – Vamos descer um pouquinho?

- Vamos sim. – Estavam em um pequeno parque, com um pequeno lago. Era um local bem bonito, arborizado, com várias luzes enfeitando o lugar. Caminharam em silencio de braços dados, olhando o lago, parando numa pequena ponte de madeira que era usada para chegar ao outro lado do lago. Ficaram um ao lado do outro, braços dados, E Taehyung encostou a cabeça no ombro de Jungkook, que sentia o cheirinho gostoso que vinha dos cabelos acinzentados do outro.

Ficaram assim por um tempo, somente aproveitando a companhia um do outro. Ate que Jungkook chama o outro baixinho.

- Tae...

- Sim? – Ele o encara, e Jungkook vira de frente pra ele, com as mãos no bolso da calça.

- Eu queria te dizer...que desde o momento em que te vi, eu senti algo diferente dentro de mim. E cada momento que passo com você é especial pra mim. E eu quero poder estar sempre ao seu lado, eu quero sempre merecer seu carinho, sua amizade, sua companhia, e tudo que você me achar digno de me oferecer. Eu sou apaixonado por você, e cada dia me apaixono mais, eu não tenho dúvidas do que sinto, eu quero ficar com você, só com você, o tempo que você me permitir isso. – Ele termina suas palavras com os olhos marejados. Já Taehyung não segurava as lágrimas que caiam livremente, mas ele sorria, o sorriso mais lindo mundo.

- Gukkie, eu também sou apaixonado por você. Não sei quando aconteceu, foi tão rápido e avassalador, ainda não acredito que estou aqui com você, que você gosta de mim, mas eu farei de tudo pra merecer você, por que eu quero ser seu, só seu.

Jungkook leva uma mão ao rosto do Kim, secando delicadamente suas lágrimas, aproximou-se deixando um beijo casto em seus lábios, afastando-se em seguida. Tirou um saquinho escuro de veludo do bolso, e encarou apreensivo o rapaz a sua frente.

- Tae, eu queria te dar um presente. Mas não queria qualquer coisa cara e sem significado. Eu queria te dar algo que representasse o que eu sinto por você e o que eu espero de nós dois daqui pra frente. – Jungkook dizia as palavras baixinho, e Taehyung o olhava sem piscar. – Eu espero que você goste. – Ele diz e despeja o conteúdo do saquinho nas mãos abertas a frente de ambos.

Eram duas pulseiras gêmeas, na cor azul índigo, formadas por lindas cordinhas elegantes, com contas delicadas e pequenos pingentes de vários pequenos fios macios nas pontas.

- Se chamam pulseiras do destino. – Ele diz, enquanto coloca a pulseiras em ambos. -  A lenda diz que se o sentimento dos portadores um pelo outro for sincero, elas entrelaçam o destino de ambos, para que fiquem juntos para sempre.

- Nossa, são lindas Gukkie, e o significado também, que lindo, eu amei, amei. Obrigada.  - Ele diz o abraçando, e encaixando os lábios carinhosamente aos de Jungkook, num beijo apaixonado. Mas Jungkook interrompe o beijo, relutantemente.

- Tae, tem outra coisa que eu quero dizer. – Fala, dessa vez ficando mais ansioso.

- Pode falar Gukkie.

- Na verdade, eu queria te fazer uma pergunta. – Ele diz olhando para nos olhos do outro. Taehyung assente, encorajando o outro a prosseguir.

- Quando eu disse que queria ficar com você e merecer você, eu quis dizer que também quero pertencer a você, pois você é como meu porto seguro Tae, com você as coisas são mais fáceis, eu me sinto mais seguro de mim mesmo e do meu lugar no mundo. Com você eu não preciso temer quem sou, pois sei que você gosta de mim, do Jungkook, e apenas isso. E essa pulseira é a representação do que quero com você, quero que nossos destinos se entrelacem e que fiquemos juntos. Então dito isso, eu gostaria de saber se você....aceita namorar comigo?

Taehyung sente as pernas enfraquecerem, e sem querer acaba jogando o peso do corpo em Jungkook, que o ampara com facilidade, o segurando firme junto a seu corpo.

- Gukkie.....eu, nossa, nem sei se mereço alguém tão especial como você. Meus Deus, eu to sonhando. Mas aceito, sim, aceito. Sim, sim, sim! Mil vezes sim!

Eles então se beijam. Inicialmente lentamente e aos poucos aprofundando o osculo, mas ainda afetuosamente, sem pressa, saboreando os lábios um do outro. Pequenos suspiros escapavam da boca de ambos. Jungkook segurava firmemente Taehyung em seus braços, enquanto o Kim abraçava o pescoço alheio com cuidado, fazendo carinhos em sua nuca. As bocas separaram-se, mas ainda permaneceram com os corpos colados, os corações de ambos batendo forte, as respirações rasas, sorriam bobos um para o outro. Depois de um tempo, mais calmos, decidiram voltar pro carro.

Caminhavam devagar de mãos dadas, sorrindo um para o outro. Jungkook então olha pra frente, depois encara Taehyung.

- O que foi? – Tae questiona.

- Vem aqui.

Ele o levou até uma arvore enorme, cujos galhos grandes diminuíam a iluminação abaixo da mesma. Ele então encosta Taehyung delicadamente no tronco da arvore, encaixando o corpo ao dele, iniciando um outro beijo, mas dessa vez mais necessitado e apaixonado.

As línguas se exploravam, sentindo o sabor um do outro, o encaixe dos corpos era perfeito, tocando-se em todos os lugares, não havendo espaço entre ambos. Taehyung puxava Jungkook cada vez mais perto, colando mais seus corpos, enquanto permitia que o moreno explorasse seu corpo em todos os locais que suas mãos podiam ir. Taehyung então chupa o lábio inferior de Jungkook, puxando-o com os dentes, arrancando um gemido sôfrego  do moreno, fazendo-o que um momento perder o controle.

- Porra Tae... – diz descendo beijos pela pele acobreada do pescoço de Taehyung. Deixando suaves mordidinhas, que eram logo seguidas de lambidas. Taehyung sem querer solta um gemido arrastado, que instiga Jungkook a deixar um chupão no pescoço dele.

- Gukkie...- Taehyung diz num sussurro estrangulado..

            - Tae, me desculpa – Jungkook diz atordoado se afastando. – E-eu não queria fazer isso. Ai meu Deus, isso vai deixar uma marca, putz, me perdoa Tae, é que você me deixa meio sem controle, me perdoa.

            - Ei, Gukkie, tudo bem, de verdade. – Ele diz sorrindo. Ainda estava sem folego, devido a recente sessão de amassos. Mas estava tão feliz – e excitado – que nem ligava pra isso no momento. Estava pensando em retomar o beijo, mas ambos escutam passos. Haviam esquecido que estavam em um local publico. Se afastam completamente, tentando arrumar a bagunça que eram no momento. A sorte deles, era que estava escuro e não iam perceber a animação dentro de ambas as calças.

            - A-acho melhor eu te levar pra casa né? É mais seguro pra você no momento – Jungkook diz coçando a cabeça e fechando a jaqueta a frente do corpo.

            - Ei Jungkookie, não sou nenhuma mocinha indefesa não ta? Você não precisa me proteger de nada, tudo que fizemos aqui, fizemos os dois, sem neura ta?

            - Eu sei, eu só não quero que você me ache um tarado.

            - O fato de você ser mais experiente, não te faz tarado, só te faz, ter mais vantagem sobre mim.

            - Como assim?

            - Uai, você me seduz ué, você sabe como mexer comigo. – Ele diz encolhendo os ombros de forma simples, deixando Jungkook sem graça.

            - Tae, você não viu como fiquei só de ouvir seu gemido? Você não tem noção de como mexe comigo.

            - Ah...certo. – Agora foi a vez de Taehyung ficar envergonhado. – Vamos pra casa então né.

            - É vamos sim.

            Eles então voltam para o carro mais uma vez. O sorriso não deixando os lábios de nenhum dos dois. Ao estacionar em frente à casa do fotografo, ambos se encaram e se beijam mais uma vez, tomando o cuidado para não aflorar mais os corpos como antes. Ao se separarem, sorriem apaixonados.

            - Não tenho palavras para agradecer o dia de hoje Gukkie, foi tudo perfeito, mais que perfeito, você é perfeito. Perfeito pra mim, obrigado.

            - E você é perfeito pra mim. – Diz beijando o rosto do Kim. – O (beijo) namorado (beijo) mais (beijo) perfeito (beijo) do (beijo) mundo (beijo). – A cada palavra, um beijo era deixado pelo rosto de Taehyung, que sorria bobo. – Posso passar aqui amanhã pra te levar pra escola? Você e a Amy, posso?

            - Pode, mas se prepara pra ouvir ela reclamar de segurar vela pra gente.

            - Bom, não seja por isso. Posso trazer o Jimin junto.

            - Perfeito. Quer dizer, isso pode fazer ela querer me matar também, depende do humor dela. Veremos isso amanhã. – Ele diz e Jungkook ri.

            - Ta certo, até amanhã então namorado?

            - Até amanhã namorado.

 


Notas Finais


Por hoje é só pessoal, até o próximo! Fighting!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...